Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

"Minha Casa Minha Vida" em Maricá: primeiras unidades já foram erguidas e apartamento modelo fica pronto em 20 dias

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Moreira) | Fotos: Fernando Silva e Paulo Polônio

Parte das 1.460 unidades residenciais do condomínio do Carlos Roberto Soares, em Inoã.

Previsão é que entrega das unidades comece ainda este ano

O andamento das obras do projeto habitacional mais aguardado pela população de Maricá, o ‘Minha Casa Minha Vida’, segue em ritmo acelerado. Os dois condomínios, formados por apartamentos de dois quartos, estão sendo erguidos em Inoã e em Itaipuaçu e serão destinados a famílias com renda familiar entre 0 e R$ 1,6 mil e que não tenham nenhum outro imóvel.

Os futuros apartamentos já podem ser vistos por quem passa próximo aos canteiros de obras e 390 funcionários trabalham no momento na etapa de fundação (alicerce principal) e na construção dos primeiros andares. Ao todo, serão quase três mil unidades residenciais de 49m2 com sala, banheiro, dois quartos e cozinha agregada com área de serviço, além de facilitadores para portadores de necessidades físicas, como por exemplo, portas de 80cm.

Segundo o engenheiro Guilherme Oliveira Luz, gerente de contratos da Sertenge (construtora responsável pelas obras em Maricá), o que difere as habitações de Itaipuaçu (condomínio Carlos Marighella) das de Inoã (condomínio Carlos Roberto Soares) é a tipologia da construção. “Em Itaipuaçu, o terreno de 126 mil metros quadrados permite a construção de 1.472 unidades divididas em 184 módulos de oito blocos de apartamento com dois andares cada. Já em Inoã, a obra é mais verticalizada, com prédios de cinco andares (20 apartamentos ao todo, quatro por andar), o que permite a construção de 1.460 unidades”, explicou o engenheiro. Ainda segundo Guilherme, em 20 dias deve estar pronto o apartamento modelo no empreendimento de Inoã. “A Sertenge tem larga experiência em empreendimentos do Minha Casa Minha Vida e o compromisso de executar as obras dentro do prazo previsto”, completou.

Os empreendimentos no município terão área social que compreende a construção de cinco centros comunitários, com salão de festas, sanitários, mini-cozinha, churrasqueira, quiosque e parque infantil. Os projetos também preveem a implantação de estação de tratamento de esgoto e de um centro de distribuição de água canalizada com cisterna coletiva de 14 mil litros para emergências e caixas de 500 litros de capacidade, por apartamento.

No entorno dos dois condomínios, está previsto um pacote de obras da prefeitura para garantir a oferta de serviços de qualidade aos futuros moradores, como, por exemplo, a pavimentação das vias de acesso aos condomínios (Rua Leonardo José, em Inoã e Rua X, em Itaipuaçu), além da implantação de linhas de ônibus e de transporte alternativo.

Programa destinado para famílias de baixa renda

Os dois empreendimentos são destinados a famílias de baixa renda, com prioridade para as que vivem em áreas de risco identificadas pela secretaria municipal de Assistência Social e pela Defesa Civil.

A coordenadora geral do "Minha Casa, Minha Vida em Maricá", Lene de Oliveira, explica que agentes de participação popular cedidos pela secretaria municipal de Direitos Humanos vão aos locais onde vivem pessoas de baixa renda, como nas comunidades Fernando Mendes e Bosque Fundo (Inoã) e Mato Dentro (Itaipuaçu) para informar sobre quais documentos são necessários e quem pode se cadastrar no programa. “Além disso, temos a preocupação de registrar, além da ocupação do titular, as habilidades e saberes dos inscritos para que, numa etapa posterior, possamos oferecer emprego para a mão de obra local e implantar cursos de capacitação profissional”, explicou a coordenadora.

Inscrição de beneficiários

Até o momento, existem aproximadamente 400 famílias inscritas. Segundo Lene, a partir de agosto, será enviada a documentação para a Caixa Econômica Federal dar início ao processo de financiamento que, em média, terá um valor mensal de R$ 25 a 80,00 por prestação após a entrega das chaves. “No cadastro já solicitamos todos os documentos necessários para garantir que os inscritos sejam aprovados junto ao banco”, ressaltou a coordenadora.

Entre os critérios que indicam prioridade estão: famílias residentes em áreas de risco ou que tenham sido desabrigadas; famílias que estão na linha da pobreza ou extrema pobreza, caracterizadas pelo recebimento de benefícios do Bolsa Família; mulheres responsáveis pelo sustento dos lares; famílias em que 50% ou mais da fonte de renda são de pensionistas ou aposentados; e aquelas onde façam parte pessoas com deficiência.

O cadastramento está sendo realizado na Central de Atendimento do ”Minha Casa, Minha Vida” (Rua Dr. Milton de Souza Pacheco, nº 24, Parque Eldorado – telefone 3731-3317 – no bairro Parque Eldorado), que funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h. Os interessados também podem procurar a Associação de Moradores de Inoã (Rua João Paulo da Costa; telefone 2636-6532).

Para a inscrição são necessários os seguintes documentos (original e cópia) dos membros de cada família: Carteira de Identidade; CPF; comprovante de residência (conta de água ou de luz); Registro Civil (para solteiros a certidão de nascimento, para casados a certidão de casamento, para viúvos a certidão de óbito do cônjuge, para divorciados a certidão averbada do divórcio); comprovante de renda formal ou informal (até R$ 1.600,00). É obrigatório também estar inscrito no CadÚnico (Cadastro Único) e apresentar o NIS (Número de Inscrição Social) de cada um dos beneficiários. A pessoa portadora de deficiência deve apresentar atestado médico com indicação da CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde).

Parte da estrutura interna das unidades de Itaipuaçu

Parte das 1.472 unidades de Itaipuaçu (condomínio Carlos Marighella)

O gerente de contratos da construtora Sertenge prevê o início da entrega das unidades ainda para este ano.

A coordenadora geral do "Minha Casa, Minha Vida em Maricá" explica que as unidades são destinadas para famílias de baixa renda.

Março 14, 2013 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | | Deixe o seu comentário

Maricá zera déficit habitacional com Minha Casa Minha Vida

Texto: Marcelo Ambrosio | Fotos: Paulo Polônio

Prefeito de Maricá Washington Quaquá e o Presidente da Câmara Fabiano Horta na assinatura do contrato para a segunda fase do programa no município.

Prefeito assinou nesta sexta-feira contrato de mais 860 unidades em Inoã

Com a conclusão, até o final de 2014, os cerca de 3 mil apartamentos do programa “Minha Casa Minha Vida” em Maricá, a cidade será a primeira no estado a zerar o seu déficit habitacional. A conta positiva foi fechada com a assinatura pelo prefeito Washington Quaquá nesta sexta-feira (08/03), na sede regional da Caixa Econômica Federal (CEF), em Niterói, do contrato para a segunda fase do programa no município, que prevê a construção de mais 860 unidades em Inoã. Segundo a construtora Sertenge, a primeira fase, com 600 apartamentos, será concluída e entregue ao público em dezembro deste ano.
“Nosso déficit habitacional estava calculado em 1.800 unidades, portanto somos o primeiro município a zerar”, comemorou o prefeito. A título de comparação, Niterói contratou a construção de 434 unidades e São Gonçalo, de 3825 apartamentos ou casas para famílias de baixa renda.
A construtora Sertenge foi contratada pela prefeitura para erguer os condomínios em Inoã (1.460 unidades) e Itaipuaçu (1.472) para famílias de baixa renda. Também no final de 2013 está prevista a entrega do condomínio Carlos Marighella, em Itaipuaçu. As casas populares – cerca de 3 mil – terão infraestrutura física (água, luz, esgoto) e social (área de lazer, praça, academia da 3ª Idade), creches e espaços para implantação de oficinas de geração de renda. Parte dos apartamentos será destinada a famílias em risco social que estão sendo identificadas pela secretaria municipal de Assistência Social.
“Essas unidades serão importantes. Estamos dando o bem maior para 3 mil famílias pobres, que é seu teto, sua casa própria”, comemorou o prefeito. Até agora a prefeitura já cadastrou 400 famílias em comunidades de Inoã. “Nossa preocupação é que os moradores desses locais tenham serviços de educação e saúde, por exemplo, próximos de casa”, concluiu o prefeito, que assinou o documento junto com o diretor da Sertenge, Daniel Freire Roriz. O presidente da Câmara de Vereadores, Fabiano Horta, também participou da cerimônia.
Desde fevereiro, agentes comunitários visitam residências no bairro de Inoã para divulgar o programa e cadastrar as famílias. Para a coordenadora geral do "Minha Casa, Minha Vida em Maricá", Lene de Oliveira, o trabalho é bem completo. “Estamos registrando, além da ocupação do titular, as habilidades e saberes do cônjuge, pois em uma etapa posterior o programa oferecerá cursos e oficinas e aproveitará esta mão de obra local, para geração de renda. Há um planejamento social para as comunidades”, declarou.
As famílias interessadas em adquirir um apartamento do programa precisam fazer a inscrição no CADÚNICO, não ter imóveis no nome e renda familiar de até R$ 1.600 mensais. Pessoas que moram em áreas de risco, com necessidades especiais e outros grupos terão prioridade. As demais condicionalidades podem ser revistas nos postos de atendimento do programa – Associação de Moradores de Inoã (Rua João Paulo da Costa; telefone 2636-6532) e Central de Atendimento do "Minha Casa, Minha Vida" (Rua Dr. Milton de Souza Pacheco, 24, Parque Eldorado; telefone 3731-3317).

Março 9, 2013 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | | Deixe o seu comentário

Prefeitura inaugura Central de Atendimento do Minha Casa Minha Vida

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Fernando Silva

O prefeito anunciou a compra de palmtops que serão usados por agentes no cadastramento das famílias

A Prefeitura de Maricá inaugurou nesta sexta-feira (26/10) a Central de Atendimento do Programa Minha Casa Minha Vida, numa casa no Parque Eldorado. Durante a cerimônia, o prefeito Washington Quaquá anunciou que a manutenção dos condomínios, em construção nos distritos de Itaipuaçu e Inoã, será de responsabilidade do governo municipal. Serão três mil unidades habitacionais do programa federal para famílias de baixa renda.

O espaço será aberto ao público a partir da próxima quarta-feira (31/10) e o atendimento será realizado de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h. Segundo a coordenadora da Central, Lene de Oliveira, 30 agentes irão aos locais onde vivem pessoas de baixa renda, como nas comunidades Fernando Mendes e Bosque Fundo (Inoã) e Mato Dentro (Itaipuaçu) informar sobre quais documentos são necessários e quem pode se cadastrar no programa.

“O cadastramento será feito na Central e o sistema vai emitir uma classificação de acordo com a prioridade das famílias. Elas precisam ter renda mensal de até R$ 1.600 e não podem ter imóveis ou financiamento residencial”, explicou Lene, acrescentando que a inscrição no Programa Bolsa Família será um dos critérios para seleção. “Pessoas que moram em áreas de risco ou que tenham sido desabrigadas; mulheres responsáveis pelo sustento dos lares; famílias em que 50% ou mais da fonte de renda são de pensionistas ou aposentados; e aquelas onde façam parte pessoas com deficiência serão outros itens para a seleção”, completou.

O prefeito adiantou que fará uso da tecnologia para agilizar o cadastramento das famílias. “Vamos adquirir palmtops que serão usados pelos agentes no preenchimento dos questionários com as informações das famílias. Essa é uma das grandes ações deste governo que vai mudar a vida de 12 mil pessoas”, destacou Quaquá, informando que a prefeitura oferecerá também cursos de qualificação para essas famílias. “Descobriremos as potencialidades de cada um para saber quais cursos de formação profissional vamos disponibilizar”, concluiu.

No entorno do condomínio em Itaipuaçu a prefeitura fará um pacote de obras para garantir a oferta de serviços de qualidade aos futuros moradores. Entre as obras já anunciadas estão a construção de uma escola municipal de tempo integral, uma unidade do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e de uma creche com 3 mil metros quadrados, além de uma praça de lazer. “Também vamos erguer outra escola de tempo integral, CRAS e um posto de saúde próximo ao condomínio de Inoã”, acrescentou o prefeito.

Segundo a construtora Sertenge, o projeto de Itaipuaçu prevê a implantação de rede de saneamento e água canalizada com cisterna coletiva de 14 mil litros para emergências e caixas de 500 litros de capacidade, por apartamento. Em Inoã, acrescenta a construtora, também haverá uma estação de tratamento de esgoto e o fornecimento de água. O condomínio de Itaipuaçu terá 1476 apartamentos. Serão erguidos 184 imóveis tipo sobrado (que serão financiados pela própria construtora) num terreno de 126 mil metros quadrados. Em Inoã serão construídas outras 600 unidades habitacionais inicialmente, que serão distribuídas a famílias de baixa renda (de 0 a 3 salários mínimos). A área, de 80 mil m², abrigará mais 860 unidades em uma segunda etapa. O local já está recebendo a tubulação da Cedae, e deverá ter água canalizada até o término da construção do condomínio. Ao todo, os dois conjuntos representarão a oferta de quase 3 mil imóveis.

A Central de Atendimento do Programa Minha Casa Minha Vida fica na Rua Dr. Milton de Souza Pacheco, 24, lote 6, quadra Q, no Parque Eldorado. Mais informações pelo telefone 3731-3317.

Lene de Oliveira disse que os agentes vão distribuir material informativo às famílias

Central vai funcionar na Rua Dr. Milton de Souza Pacheco, 24, no Parque Eldorado

Equipe de governo na inauguração da Central de Atendimento

Outubro 27, 2012 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia, projeto social | | Deixe o seu comentário

Prefeito de Maricá assina convênios para três mil apartamentos do Minha Casa Minha Vida em Maricá

As primeiras 300 unidades habitacionais dos dois condomínios que serão erguidos em Maricá dentro do programa Minha Casa Minha Vida estarão prontas até o fim do ano. A garantia foi dada nesta segunda-feira, 13/02, durante a assinatura dos convênios entre o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, e o diretor regional da Caixa Econômica Federal, José Domingos Correa Martins, em Niterói. As cartas de intenção garantem a construção de 3 mil unidades habitacionais do programa no município e representam um aporte do governo federal de R$ 184,7 milhões para erguer dois condomínios com apartamentos de 40 m2 e dois quartos. Serão 1.460 unidades no distrito de Inoã e 1.472 em Itaipuaçu. A previsão da construtora é que todos os imóveis estejam entregues até o final de 2013.

“É uma conquista para a cidade de Maricá e especialmente para a população de baixa renda, já que essas unidades são importantes para sanar o déficit habitacional da cidade”, comemorou o prefeito Washington Quaquá. Ainda de acordo com o prefeito, o projeto inclui uma preparação do entorno dos dois condomínios para o crescimento populacional. “Nossa preocupação é que os moradores desses locais tenham serviços de educação e saúde, por exemplo, próximos de casa”, completou.

As unidades de Inoã, que vão ser doadas pela prefeitura a famílias com renda de 0 a 3 salários mínimos, serão construídas também com objetivo de reduzir o déficit ambiental, já que são destinadas à parcela da população que vive às margens do complexo lagunar da cidade ou de córregos. “As pessoas em condições mais precárias de vida terão prioridade no recebimento das primeiras unidades que ficarem prontas”, acrescentou Washington Quaquá. 

Os apartamentos serão erguidos pela construtora Sertenge, vencedora da licitação realizada em dezembro de 2011, com recursos do programa Minha Casa Minha Vida. Segundo a construtora, os dois condomínios serão dotados de estação de tratamento de esgotos própria e o fornecimento de água está garantido em documento firmado pela Cedae unto à empresa.

As unidades de Itaipuaçu serão de apartamentos para financiamento, sob responsabilidade da mesma construtora. A participação da Prefeitura nesse modelo se deu no sentido de dar celeridade aos processos de licenciamento da área adquirida pela Sertenge, que erguerá os prédios e fará sua comercialização com os recursos repassados igualmente pelo programa Minha Casa Minha Vida do governo federal, dentro do Fundo de Arrendamento Residencial.

Fonte: Marcelo Moreira

Fevereiro 13, 2012 Posted by | construção civil, jornalismo, moradia, Obras em Maricá, projeto social | , | Deixe o seu comentário

Prefeito garante três mil apartamentos do Minha Casa Minha Vida em Maricá

O prefeito de Maricá, Washington Quaquá, assinará na próxima segunda-feira (13/02), às 15h, na direção regional da Caixa Econômica Federal, em Niterói, a carta de intenções destinada à construção no município de cerca de 3 mil unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida. Pelo documento, o prefeito obtém o compromisso do governo federal de investir na cidade R$ 184,7 milhões para erguer dois condomínios com apartamentos de 40m² e dois quartos. Serão 1.460 unidades no distrito de Inoã e 1.472 em Itaipuaçu. A previsão da construtora é que os imóveis estejam prontos no final de 2013.

001_Fchd_02"Prometi construir 1.500 casas e estou fazendo o dobro. Estamos dando o bem maior para 3 mil famílias pobres, que é seu teto, sua casa própria", celebra o prefeito de Maricá, Washington Quaquá

Cerca de 2.000 empregos diretos e indiretos serão gerados na cidade. As unidades de Inoã, que vão ser doadas pela prefeitura a famílias com renda de 0 a 3 salários mínimos, serão construídas com objetivo de reduzir tanto o déficit habitacional quanto o ambiental, já que são destinadas à parcela da população que vive às margens do complexo lagunar da cidade ou de córregos como o que corta o Bairro da Amizade.

"Prometi construir 1.500 casas e estou fazendo o dobro. Estamos dando o bem maior para 3 mil famílias pobres, que é seu teto, sua casa própria", celebra o prefeito Washington Quaquá. "Só quem morou em um barraco como eu sabe a emoção que é isso", completou, lembrando sua origem humilde.

Os apartamentos serão erguidos pela construtora Sertenge, vencedora da licitação realizada em dezembro de 2011, com recursos do programa Minha Casa Minha Vida. Segundo a construtora, os dois condomínios serão dotados de estação de tratamento de esgotos própria e o fornecimento de água está garantido em documento firmado pela própria Cedae junto à empresa.

Já as unidades de Itaipuaçu serão de apartamentos para financiamento, também sob responsabilidade da mesma construtora. A participação da Prefeitura nesse modelo se deu no sentido de dar celeridade aos processos de licenciamento da área adquirida pela Sertenge, que erguerá os prédios e fará sua comercialização com os recursos repassados igualmente pelo programa Minha Casa Minha Vida do governo federal, dentro do Fundo de Arrendamento Residencial.

Fonte: Rafael Zarôr

FSB COMUNICAÇÕES

Prefeitura de Maricá

Fevereiro 9, 2012 Posted by | Habitação, jornalismo, Maricá, moradia, Obras em Maricá, Urbanização | | Deixe o seu comentário

   

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 60 outros seguidores