Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Obra em fazenda de Itaipuaçu é interditada

Fonte: O Dia online

Foto: Rosely Pellegrino

DSC04177   DSC04171

Rio – Fiscais da Secretaria do Ambiente e Urbanismo de Maricá interditaram na noite desta quarta-feira a obra que estava sendo realizada na Fazenda Itaocaia, em Itaipuaçu, que foi um dos locais visitados pelo antropólogo Charles Darwin no século XXIX. No local funcionava um quilombo.
A intenção da Prefeitura  é desapropriar a fazenda para transformá-la em parque histórico e ecológico antes que seja inteiramente descaracterizada.

Anúncios

Junho 18, 2009 Posted by | jornalismo | Deixe um comentário

Conservadorismo puro

Admiram-me alguns sócios da AME torcerem o nariz quando o assunto é a candidatura do Major PM Wanderby.  Sou Coronel PM e todos que me conhecem sabem que fui um oficial da ativa adepto, com algumas restrições, do RDPM. Trabalhei grande parte de minha vida de Oficial Superior como membro da Corregedoria Interna da PM e cumpri muito bem o meu papel. Estou em plenas condições para falar do assunto.

Pois bem, o fato de o candidato à presidência da chapa à qual me integro ser Major PM não desfigura o ideal de nenhum Coronel PM com intenções pessoais de aceitar uma grande mudança. Afinal, a AME/RJ não é quartel!

Na minha caminhada, nunca deixei de chamar o médico Major, Capitão ou Tenente de “senhor”; nunca deixei de dar o mesmo tratamento ao advogado e em nenhum momento deixei de ser Coronel. Desça deste degrau e dê uma oportunidade ao idealismo! Bata palmas para uma inteligência com coragem suficiente para gritar por você!

Ricardo da Silveira Furtado

          Cel PM RR


Junho 18, 2009 Posted by | jornalismo | Deixe um comentário

STF derruba exigência de diploma para exercício da profissão de jornalista

Fim do diploma era pedido pelo MP e sindicato de empresas de rádio e TV.
Desde 2006, liminar garantia atividade jornalística aos que já atuavam.

Diego Abreu Do G1, em Brasília

Ampliar Foto Foto: Nelson Jr./STF Foto: Nelson Jr./STF

Ministros do STF durante sessão plenária desta quarta-feira (17) (Foto: Nelson Jr./STF)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (17) derrubar a exigência do diploma para exercício da profissão de jornalista. Em plenário, por oito votos a um, os ministros atenderam a um recurso protocolado pelo Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) e pelo Ministério Público Federal (MPF), que pediam a extinção da obrigatoriedade do diploma.
O recurso contestava uma decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), que determinou a obrigatoriedade do diploma. Para o MPF, o decreto-lei 972/69, que estabelecia as regras para exercício da profissão, é incompatível com a Constituição Federal de 1988.

O único recurso possível contra a decisão do Supremo (embargo de declaração) não mudaria o resultado do julgamento –apenas teria a função de esclarecer eventuais dúvidas relativas sobre o assunto. Por conta disso, o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo, já disse que a entidade não vai recorrer.

Relator do processo, o presidente do STF, Gilmar Mendes, concordou com o argumento de que a exigência do diploma não está autorizada pela Constituição. Para ele, o fato de um jornalista ser graduado não significa mais qualidade aos profissionais da área. “A formação específica em cursos de jornalismo não é meio idôneo para evitar eventuais riscos à coletividade ou danos a terceiros.”

saiba mais


Os ministros Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Eros Grau, Carlos Ayres Britto, Cezar Peluso, Ellen Gracie e Celso de Mello seguiram o voto do relator. Único a votar pela exigência do diploma, Marco Aurélio Mello disse que qualquer profissão é passível de erro, mas que o exercício do jornalismo implica uma “salvaguarda”. “Penso que o jornalista deve ter uma formação básica que viabilize sua atividade profissional, que repercute na vida do cidadão em geral”, argumentou Mello.
A disputa judicial sobre a constitucionalidade da exigência do diploma começou em 2001, quando a 16ª Vara Federal de São Paulo concedeu liminar (decisão provisória) que suspendeu a obrigatoriedade do diploma para a obtenção de registro profissional. Em 2005, antes de o caso chegar a instâncias superiores, a liminar foi revogada pela 4ª Turma do TRF-3.
Em novembro de 2006, no entanto, uma liminar concedida por Gilmar Mendes garantiu o exercício da atividade jornalística aos que já atuavam na profissão sem possuírem graduação em jornalismo ou mesmo registro no Ministério do Trabalho.

Ampliar Foto Foto: Nelson Jr./STF Foto: Nelson Jr./STF

Ministro do STF, Gilmar Mendes, durante sessão plenária desta quarta-feira (17) (Foto: Nelson Jr./STF)

Plenário

Em seu voto, Gilmar Mendes sugeriu que os próprios meios de comunicação exerçam o mecanismo de controle de contratação de seus profissionais. Ele comparou ainda a profissão de jornalista com a de chefe de cozinha. “Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área”, comparou. 
“O Poder Público não pode restringir, dessa forma, a liberdade profissional no âmbito da culinária. Disso ninguém tem dúvida, o que não afasta a possibilidade do exercício abusivo e antiético dessa profissão, com riscos eventualmente até à saúde e à vida dos consumidores”, acrescentou Mendes, que disse acreditar que a decisão desta quarta não vai contribuir para o fechamento de faculdades de comunicação social.
Em plenário, no julgamento que durou mais de quatro horas, a advogada do Sertesp, Taís Gasparian, defendeu que a exigência do diploma é inconstitucional, sob o argumento de que a Constituição garante a liberdade de expressão e o livre pensamento. “Mais do que indesejável, a exigência do diploma para jornalistas é impraticável. Como se proibirá o exercício da disseminação da informação pela internet?”, destacou a advogada, citando a proliferação dos blogs.
Ela acrescentou que o jornalismo é uma profissão que não depende de qualificação técnica específica. “É uma profissão intelectual ligada ao ramo do conhecimento humano, ligado ao domínio da linguagem, procedimentos vastos do campo de conhecimento humano, como o compromisso com a informação, a curiosidade. A obtenção dessas medidas não ocorre nos bancos de uma faculdade de jornalismo”, afirmou Gasparian.
Já o procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, expressou que a obrigatoriedade do diploma seria um obstáculo à liberdade de expressão . “Não fazemos apologia contra atividade educacional regular, mas não podemos fechar os olhos à capacidade de as pessoas se qualificarem para essa atividade, que exige conhecimento multidisciplinar”, disse.

Ampliar Foto Foto: Gervásio Baptista/STF Foto: Gervásio Baptista/STF

Sessão plenária do STF nesta quarta-feira (15) (Foto: Gervásio Baptista/STF)

Em defesa do diploma, João Roberto Egydio, advogado da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), argumentou que a exigência não impede ninguém de escrever em jornal. “Consagra a fugura do colaborador, inclusive remunerado”, citou. “Não é exigido diploma para escrever em jornal, mas para exercer em período integral a profissão de jornalista”, completou.
Representando a Advocacia-Geral da União, a advogada Grace Maria também se manifestou contrária ao pedido do sindicato e do MPF. Para ela, “a missão de informar exige diploma para o exercício da profissão”.

Comemoração

O fim da exigência do diploma foi comemorado pela Associação Nacional dos Jornais (ANJ). Para o diretor do Comitê de Relações Governamentais da entidade, Paulo Tonet Camargo, o entendimento do Supremo oficializou o que já ocorria na prática.
"A decisão consagra no direito o que já acontecia na prática. O número de profissionais era pequeno sem ser jornalista. A ANJ é a favor do curso de jornalismo, mas o que se discutia aqui era o diploma como pré-requisito", disse Camargo.
Ele destacou que a associação não é contra o diploma, mas apenas considera que a exigência confronta com a liberdade de expressão, prevista na Constituição. Apesar da decisão, a ANJ continuará orientando as empresas a contratarem jornalistas graduados e com diploma.

Junho 18, 2009 Posted by | cultura, educacão, jornalismo, justiça, social | Deixe um comentário

Lançamento do III Caderno de Estudos sobre questões étnicas em Maricá

A Secretaria de Cultura de Maricá e o Grupo de Estudos e Ação Racial (GESTAR) convidam para o lançamento do III Caderno de Estudos sobre questões étnicas, com a presença dos autores  da revista, que promoverão um debate com os convidados. Dentre eles, estão Mestre Dico, diretor da Academia Filhos da Lua ( Capoeira/ Maricá), Eliane Souza, Presidente do Conselho Municipal dos Negros do RJ, e Paula Souza, Membro do Grupo de Saúde do Condedine.

Data: 19 de Junho

Local: Casa de Cultura. Praça Orlando de Barros Pimentel – Centro.
Horário:18 h

Junho 18, 2009 Posted by | cultura, educacão, jornalismo | Deixe um comentário

Atleta-pescador Maricaense na Seleção Carioca de Casting

O maricaense, Maurício Martins, Atleta-pescador  do Veneno Clube de Pesca foi convocado pra Seleção Carioca de Casting (lançamento limitado), modalidade dentro da pesca, em que os competidores precisam alcançar maior distância e precisão, em cancha marcada em terra-firme.

O Campeonato Brasileiro será realizado em Barra de São João, Município de Casemiro de Abreu, do dia 13 à 17 de Setembro de 2009, participarão seleções de vários estados, dentre eles, SP, ES, RS, PR, CE,SC. Lembrando, que Maurício Martins, foi 2 vezes campeão brasileiro de pesca, vice-campeão de pesca por seleções de estados, obtendo resultados expressivos em campeonatos estaduais, e provas abertas por todo território nacional.

fotos 120 Mauricio

Maurício Martins sempre levando o nome do Veneno Clube de Pesca, e o Município de Maricá.

Junho 18, 2009 Posted by | esportes, jornalismo | Deixe um comentário

Veja como ficará a Alameda São Boaventura – Niterói

Faixa seletiva para ônibus na Alameda São Boaventura

Posicionamento das baias sobre o canal

Locais das Estações

Perfil proposto – Estações – Alameda São Boaventura

Simulação: http://www.ssp.niteroi.rj.gov.br/conteudo/alameda.php

Junho 15, 2009 Posted by | jornalismo | 6 comentários

Prefeitura de Maricá e secretário estadual de Transportes, Julio Lopes, se unem para transformar o aeroporto da cidade num dos maiores do Rio

fotos: Fabio Ferreira

IMG_3686r IMG_3705_h IMG_3725_h o prefeito de Maricá, Washinton Quaquá, e o secretário de Desenvolvimento do município, Aleksander Santos, apresentaram ao secretário de Transportes do estado, Julio Lopes, um projeto para melhor utilização das instalações

O aeroporto de Maricá está numa posição privilegiada, a poucos quilômetros do Centro do Rio, ao lado do Comperj e de frente para a maior reserva de petróleo e gás do país, o super Campo de Tupi. Todos esses pontos positivos tornam urgente a recuperação e ampliação do terminal, que hoje abriga apenas uma escola para formação de pilotos e uma empresa de manutenção de aeronaves. Em reunião, nesta segunda-feira (15/05), o prefeito de Maricá, Washinton Quaquá, e o secretário de Desenvolvimento do município, Aleksander Santos, apresentaram ao secretário de Transportes do estado, Julio Lopes, um projeto para melhor utilização das instalações.

A idéia da prefeitura é recuperar a estrutura do aeroporto de forma que ele possa atender as operações logísticas da Petrobras e das empresas off shore, que vão se instalar na região em decorrência das atividades no campo de Tupi. O prefeito informou que já apresentou os planos à direção da Petrobras e recebeu apoio da estatal.  

– Esse aeroporto é estratégico para o desenvolvimento de Maricá. Já conversamos com diretores da Petrobras que tem todo interesse no projeto. O Governo do Estado também está em sincronia conosco. O que mostra que estamos no caminho certo – disse o prefeito.  

A prefeitura também tem planos de criar numa área anexa ao terminal um Pólo de Manutenção Aeronáutica. Pelos planos do secretário de Desenvolvimento, Aleksander Santos, o local terá estrutura para receber cerca de 50 empresas de reparo e manutenção de aeronaves, além de pequenas montadoras.

– O nosso aeroporto tem uma pista de 1.190 metros, quase o tamanho da pista do Santos Dumont. Com infraestrutura condizente, teremos condições de receber aeronaves pequenas e médias, oferecendo também suporte as atividades do Comperj. Hoje, Maricá se apresenta como uma cidade vocacionada para a indústria off shore. Temos que aproveitar este momento, que atrair toda uma nova cadeia produtiva para nosso município e gerar milhares de empregos – afirmou Aleksander Santos.

O secretário de Transportes se comprometeu em negociar com a ANAC, a Agência Nacional de Aviação Civil, recursos do Profaar, o Programa Federal de Auxílio a Aeroportos, para melhorias estruturais no terminal. Entre elas estão a construção de “taxis ways”, que são os acessos à pista principal,  nova sinalização de pátio e pista, instalação de balizamento noturno e implantação de uma estação de controle de tráfego aéreo. 

– Esse é um aeroporto fundamental para as novas atividades que vão surgir na região em decorrência dos novos campos de petróleo, que vão começam a ser explorados nos próximos anos. Eu mesmo já estive em duas inspeções recentes no aeroporto de Maricá. E aposto na vocação industrial que o município tem e que agora começa a ser explorada. Conseguimos recursos do Profaar para aeroportos como os de Angra, Resende, Paraty e Cabo Frio, não teremos dificuldade de conseguir para o de Maricá – afirmou Julio Lopes.  

Junho 15, 2009 Posted by | jornalismo | 5 comentários

Enfim chegaram as obras da estrada Venda das Pedras – Maricá

15/jun/2009

Texto: Liliandayse Marinho

Utilizada como rota turística, além de servir para o escoamento da produção de manufaturas de cerâmica e fruticultura, a RJ 144 que liga Itaboraí a Maricá, agora terá interesse nacional e deverá estar com suas obras concluídas até janeiro de 2010. É o que garante o Departamento de Estradas de Rodagem ( DER). Considerada uma das estradas mais estratégicas de Itaboraí a RJ será de fundamental importância com a construção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro ( Comperj) já que sendo elo entre diversos municípios do funcionará como ponto de apoio para escoamento de diversos tipos de negócios que serão gerados tendo como base o Comperj.
Em condições precárias a rodovia começou a receber os serviços de restauração e melhorias operacionais que estão distribuídos em atividades de drenagem, terraplanagem, recapeamento asfáltico, sinalização e acostamento. Os serviços serão realizados em 15 km de extensão da estrada, no trecho entre a Serra do Lagarto e a entrada da BR-101, na altura de Itaboraí.
A expectativa do DER é que com as obras os problemas de tráfego e pavimento ocasionados pelas chuvas locais sejam solucionados. Para que os trabalhos possam ser executados dentro do prazo, o DER prevê a criação de 80 empregos diretos e indiretos até o término das obras. Engenheiros do DER acreditam que em oitos meses a obra estará concluída.
As obras da RJ 114 fazem parte do conjunto que compõem o arco metropolitano, construído com o objetivo de movimentar e gerar negócios nos municípios do estado do Rio de Janeiro. Ao participar de um evento em Itaboraí no mês de maio o governador Sergio Cabral lembrou que a obra era uma antiga reivindicação dos moradores dos dois municípios.
A RJ-114, que tem o nome oficial de Rodovia Vereador Oldemar de Figueredo, possui 35,8 quilômetros de extensão, ligando o município de Itaboraí ao município de Maricá, na Região Metropolitana do Estado. Ao todo mais de R$ 20 milhões serão investidos na obra.
– Todos os programas das obras que estamos realizando têm que ser adequados aos recursos disponíveis, mas o governo do estado deu prioridade à infra-estrutura rodoviária e, dentro disso, o DER está otimizando sua aplicação para a melhoria da malha fluminense – explicou o presidente do DER, Henrique Ribeiro.

Junho 15, 2009 Posted by | jornalismo | Deixe um comentário

FESTIVAL DOS NAMORADOS COM OS ANJOS SEM VISÃO EM MARICÁ

FAÇAM JÁ SUAS REVERVAS!!!

1º Festival dos Namorados com os "Anjos Sem Visão" em Maricá!!!
Data: 12 de Junho de 2009
Local:Casa da Amizade do Rotary Clube – Maricá
End:Rua Pastor Alcione Sobral, Nº 5 / Maricá – RJ
Horário: Apartir das 18:00hs.
Adesão p/pessoa: R$10,00        

                                           

Este evento, tem como Objetivos:
*Provar a copetência das pessoas  deficientes visuais nas artes, em geral;
*Apresentar o trabalho magnifico das Instituições participantes, trabalhando unidas para ajudar os A.S.V.;
*Divulgar o apoio de nossas empresas "Parceiras Solidárias!!!";
*Buscar novos parceiros, para dar-nos continuidade ao nosso trabalho social;
*Praticar Pura Inclusão Social com os "Anjos Sem Visão!!!".
1º Festival dos Namorados com os "Anjos Sem Visão" em Maricá!!!
Data: 12 de Junho de 2009
Local:Casa da Amizade do Rotary Clube – Maricá
End:Rua Pastor Alcione Sobral, Nº 5 / Maricá – RJ
Horário: Apartir das 18:00hs.
Adesão p/pessoa: R$10,00         

Baile "Vem Dançar Comigo no Escuro!!!
     Cabe destacas que temos como padrinho deste baile o Dançarino "Carlinhos de Jesus!!!"                                   *Show do Frank Benetti cantando músicas que nos deixaram saudades!!!
*Exposição de artesanatos feito por deficientes visuais e das empresas "Parceiras Solidárias!!!"
*Sorteios, Brincadeiras e muito mas!!!   

Tá Todo Mundo Convidado!!!

   Produção e Realização
      By Cheila Felton
   Coordenadora do Grupo Anjos Sem Visão!!!

Informações nos Tels:(21) 9546 – 9814 / 7529 – 4983 – Rj / Tels: Maricá: 2634 – 0950 / Pousada Mirene’s House
e-mail:anjosnacomunidade@gmail.com

Junho 11, 2009 Posted by | jornalismo, shows e eventos, social | Deixe um comentário

Morre aos 93 o maestro Raul de Barros, autor de ‘Na Glória’

texto fonte: Cruzeiro On Line

fotos: jornaista Rosely Pellegrino

 

O trombonista Raul Machado de Barros morreu na tarde da última segunda-feira (8), aos 93 anos, em decorrência de enfisema pulmonar e insuficiência renal. Autor do clássico "Na Glória", ele morava em Maricá, no litoral norte do Rio, desde os anos 1980, quando passou a alternar momentos de ostracismo com aparições episódicas. O corpo do músico foi velado na Casa de Cultura da cidade. A última atuação pública ocorreu no carnaval deste ano, em Maricá. O enterro estava previsto para esta terça-feira (9), no cemitério do município.

Como atesta o sambista Elton Medeiros, Raul de Barros é o responsável por colocar as médias e grandes orquestras no lugar dos pequenos conjuntos que tocavam em salões. Criavam-se ali, a partir do som limpo, alegre e gingado do trombone de Raul, os bailes de gafieira. E abria-se espaço para orquestras como a Tabajara. Raul de Barros promoveu um salto de qualidade nos arranjos. Do compositor Orlando Silveira ganhou o apelido de Rei da Gafieira. Sua primeira orquestra foi criada na Rádio Nacional, nos 1950.

Tendo como professores Ivo Coutinho, que tocava sax-horn, e Eugênio Zanata, que tocava trombone, Raul iniciou a carreira nos anos 1930, apresentando-se em clubes do subúrbio do Rio. Era a época de ouro do rádio. Além da Nacional, passou pela Tupi e pela Globo. Começam na mesma década excursões pelo Uruguai e Argentina. Ele gravou o primeiro disco-solo em 1948, interpretando "O Pobre Vive de Teimoso e Malabarista", de Donga. Seria o primeiro de dezenas de discos, lançados nas cinco décadas seguintes. Além de "Na Glória", é autor de "Felicidade Vem Depois", "Copacabana", "Ginga do Candango", "Melodia Celestial", "Parabéns pra Você", "Pau no Burro", "Pororó, Pororó", "Pra Moçada se Acabar", "Rock em Samba" e "Voltarás".

Em entrevista ao Jornal do Brasil, publicada em 2002, Raul de Barros reivindicou a co-autoria de Pra Frente Brasil – "Todos Juntos Vamos, Pra Frente Brasil, Salve a Seleção" -, grande sucesso nos anos 1970; ele teria feito a melodia, enquanto Miguel Gustavo criou a letra. Em 1955, Raul foi escolhido o melhor trombonista do País em concurso da revista O Cruzeiro. Em 1966, integrou a delegação brasileira do Festival de Arte Negra de Dacar, Senegal. Com ele foram, entre outros, Clementina de Jesus, Ataulfo Alves, Paulinho da Viola e Elton Medeiros. Foi lá na África que ele tocou com Louis Armstrong. Raul de Barros atuou com músicos fundamentais para o choro e o samba, como Pixinguinha, Radamés Gnattali, Ary Barroso, Canhoto, Meira e Dino Sete Cordas.

Em 2004, ele tocou com o instrumentista Rildo Hora no Carioca da Gema, uma das mais famosas casas de samba na Lapa carioca. Ele era casado com a crooner Gilda de Barros, para quem dedicou o choro Gilda e com quem teve Raul Machado de Barros Jr., pesquisador e multiinstrumentista.(AE)

Nota desta editora:

Raul de Barros foi o homenageado, do Carnaval de Maricá 2009.

DSC07882

Raul ao lado de Miirene Alves e Banda, deu um show de simpatia e mostrou toda maestria do seu trompete.

 DSC08747

Sua ultima aparição em público, foi durante a homenagem prestada pela Câmara Municipal ao diretor Jayme Monjardim. Raul de Barros fez questão de parabenizar o filho querido de sua grande amiga a cantora Maysa Monjardim.

Junho 11, 2009 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário