Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Estado divulga informações sobre bilhete único. Veja como funcionará:

TRANSPORTE INTERMUNICIPAL

O governo do estado apresentou, nesta sexta-feira, as informações sobre o bilhete único, benefício que vai ser concedido para passageiros em viagens intermunicipais de duas horas, com direito a uma baldeação (que poderá ser de linha municipal). O valor de cada tarifa será de R$ 4,40. A apresentação do projeto foi feita pelo secretário estadual da Casa Civil, Régis Fichtner, e pelo secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes. O governo elaborou uma cartilha com esclarecimentos de dúvidas sobre o bilhete único. Veja abaixo:

-A partir de quando entra em operação o bilhete único?
A partir do dia 1º de fevereiro de 2010.
-Qual será o valor da tarifa do bilhete único do Rio?
Independente do valor real da tarifa do meio de transporte escolhido, com o BU a passagem custará R$ 4,40.
-Quais meios de transportes estão incluídos no sistema?
Trem, metrô, barcas, vans legalizadas e ônibus sempre que for feita uma viagem intermunicipal. No caso dos ônibus, todos os ônibus intermunicipais urbanos (convencionais) sem e com ar condicionado aceitarão o bilhete único. Apenas os classificados como tarifa especial, os frescões, não estarão incluídos.
-Quantas vezes por dia o usuário pode utilizar o Bilhete Único?

Por dia, cada pessoa terá direito a usar o bilhete único duas vezes, num total de quatro viagens. O usuário poderá seguir e retornar do trabalho para casa, coberto pelos benefícios do Bilhete Único.
-Como funcionará o sistema?
O sistema será válido para quem utilizar até dois meios de transporte público, sendo pelo menos um deles intermunicipal, dentro do período de duas horas. O tempo de viagem só começará a ser contado após o primeiro contato entre o cartão e o equipamento eletrônico de cobrança – o validador – no primeiro embarque. Após o segundo embarque, o passageiro também passará o cartão do bilhete único no validador, mas não será computado o preço inteiro da viagem. No segundo embarque, não haverá limite de tempo para a duração da viagem.
-Como se dará a integração através do BU?

A integração poderá acontecer de duas maneiras: sendo o primeiro embarque num transporte municipal e depois um intermunicipal ou o contrário, primeiro num transporte intermunicipal seguido de um municipal.
-Qual a área de cobertura do Bilhete Único?

O bilhete único será válido apenas para embarques em meios de transportes públicos na Região Metropolitana, nos seguintes municípios: Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Magé, Mangaratiba, Maricá, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Paracambi, Queimados, Rio de Janeiro, São Gonçalo, São João de Meriti, Seropédica e Tanguá. – Quaisquer outros municípios que não estejam nesta lista, não farão a integração do Bilhete Único.
-O BU pode ser usado nos finais de semana ou apenas nos dias úteis?
O bilhete único poderá ser utilizado qualquer dia da semana.
-De quanto será a economia do passageiro que utilizar o Bilhete Único?
A economia para o passageiro varia em função das diferentes tarifas praticadas na Região Metropolitana, como por exemplo:
Em viagens diretas:
Linha      Itinerário                                                 Tarifa
118T       Duque de Caxias-Mangaratiba          R$12.35
601I         Niterói-Nova Iguaçu                             R$17.30
425D       Alcântara-Campo Grande                   R$10.85
496B       Miguel Couto-Praça Mauá                   R$10.65
Em viagens com integração:
Trem (R$ 2,50) + ônibus/RJ (R$ 2,20) = R$ 4,70
Trem (R$ 2,50) + metrô (R$ 2,80) = R$ 5,30
Ônibus/RJ (R$ 2,20) + metrô (R$ 2,80) = R$ 5,00
Ônibus/RJ (R$ 2,20) + barcas Rio-Niterói (R$ 2,80) = 5,00

-Qual o valor do cartão?
O usuário não terá custos com o cartão, que, após o cadastro, é fornecido gratuitamente.
-Qual o valor mínimo para a primeira carga no cartão do BU?

A primeira carga terá o valor mínimo de R$ 4,40, que dá direito ao embarque em até dois modais.
-O valor de cada recarga será definido pelo usuário ou haverá uma tabela com preços mínimos e máximos de recarga?
Existem dois casos. O usuário poderá comprar cartões pré-carregados nos valores de R$ 44,00 e R$ 88,00 ou poderá carregar seu cartão com qualquer valor entre R$ 4,40 e R$ 300,00 (pós-carregado).
-Quando o preço da primeira viagem for muito mais cara que a segunda, o valor maior será descontado do saldo do BU?
O valor descontado no cartão do BU será sempre de R$ 4,40, não importando se o preço da primeira ou da segunda viagem for superior a R$ 4,40.
-Os ônibus que fazem o trajeto Baixada – Barra, também vão aceitar o BU pelo valor de R$ 4,40?
Neste caso, por se tratarem de ônibus especiais, com ar-condicionado, o governo ainda está negociando com as empresas da linha uma forma de adaptação do BU para este serviço também.
-O que é preciso para se fazer o cadastramento?

O usuário tem que fornecer nome completo e o número do CPF. O cadastramento é gratuito e o usuário receberá uma senha, que será utilizada em caso de perda do cartão ou de compra de crédito. O cartão não tem custo para o usuário, que deverá carregá-lo posteriormente. 
-Como será feito o cadastramento dos beneficiários do Bilhete Único?
O cadastro pode ser feito das seguintes maneiras:
1-através do site http://www.riobilheteunico.com.br
2-Ou nos pontos de cadastramentos que serão instalados a partir do dia 18 de janeiro nos seguintes locais:
– Metrô: estação Estácio
– SuperVia: estação Central do Brasil
– Barcas: Praça XV e Niterói
– Terminais de ônibus: Américo Fontenelle – Central do Brasil; Mariano Procópio – Praça Mauá; Campo Grande; Nova Iguaçu; Nilópolis; Menezes Cortes – Castelo; Alcântara – São Gonçalo; Venda das Pedras – Itaboraí; João Goulart – Niterói; Jacinto Caetano – Maricá.
– Poupa Tempo: Carioca – Rua da Ajuda, no. 5 – subsolo
-Baixada – Shopping Grande Rio
-Onde o bilhete poderá ser comprado?
O cartão do Bilhete único poderá ser adquirido em postos de vendas nos seguintes locais:
– através do site http://www.riobilheteunico.rj.gov.br. 
– nas 13 lojas do RioCard e rede de recarga

– nas Barcas: Estação Praça XV, Estação Araribóia
– terminais de ônibus: Américo Fontenelle – Central do Brasil; Mariano Procópio – Praça Mauá; Campo Grande; Nova Iguaçu; Nilópolis; Menezes Cortes – Castelo; Alcântara – São Gonçalo; Venda das Pedras – Itaboraí; João Goulart – Niterói; Jacinto Caetano – Maricá.
-A partir de quando os cartões do Bilhete Único estarão disponíveis para compra?
Os cartões estarão disponíveis a partir do dia 18 nos pontos de venda e recarga, e, para quem fez o pedido por internet, a partir do dia 25 eles começarão a ser entregues nas residências.
-O BU pode ser comprado por telefone?
Não. Não se pode comprar nem cadastrar o BU por telefone.
-Quem faz o cadastramento recebe o dinheiro vivo do usuário?

Não. Porque o cadastramento é gratuito.
-Como funciona o cadastramento pela internet?

O usuário acessa o site, que conta com uma ferramenta que orientará o cadastramento passo a passo. O usuário fornecerá o nome completo e o número do seu CPF no momento do cadastramento. Ele digitará o valor dos créditos que deseja e se prefere retirar o cartão em casa ou numa agência do Unibanco. Após o cadastramento, o sistema disponibilizará para impressão um boleto bancário, no valor mínimo de R$4,40, que pode ser pago em qualquer agência. Assim que o pagamento for creditado na conta do Bilhete Único, o usuário receberá o cartão em casa, em uma das lojas RioCard, ou numa agência do Unibanco, num prazo de 3 a 5 dias, com 48h para o desbloqueio do cartão.
-A pessoa escolhe onde quer receber o cartão do BU?
A escolha só é possível quando o pedido for feito pela internet. Apesar de o processo pela internet ser um pouco mais complexo e demorado, acaba sendo mais conveniente por se evitar filas. Mas envolve custos (R$ 7,00) quando se opta pela entrega em casa.
-Como será feita a logística de entrega dos cartões para quem se cadastrar on line?
A empresa responsável pela emissão dos cartões ficará responsável pela entrega nas residências, no caso dos pedidos feitos pela internet.
-Haverá custos para a entrega dos cartões nas residências?
Sim. O usuário que optar por receber o cartão em casa terá que pagar pelo serviço, que será feito pelo Correios. Num pacote de um a 30 cartões, o valor da taxa de entrega será de R$ 7,00. Entre 31 e 100 unidades, a taxa é de R$ 10,00.
-Há um prazo de entrega dos cartões após o cadastramento?
Apenas quando a compra é feita pela internet. Os primeiros pedidos começarão a ser entregues a partir do dia 25. Depois dessa data, o prazo de entrega é de três a cinco dias depois que é feito o pedido.
No caso das compras feitas nos pontos de cadastramento, o usuário leva o cartão na hora e coloca os créditos depois.
-No caso de empresas, o setor de RH é que ficará responsável pelos pedidos do BU?
Sim. Os funcionários que já utilizam o Vale Transporte não precisam se preocupar em fazer o cadastramento, que ficara sob a responsabilidade do RH.
-Como será feito o carregamento dos créditos?
Inicialmente, as recargas poderão ser feitas através do site, nas lojas do RioCard, na estação Central do Brasil, estação das barcas na Praça XV e Araribóia, nas estações do metrô Carioca, Saens Pena, Botafogo, Pavuna e Vicente de Carvalho e em mais de 800 pontos de recarga, casas lotéricas, farmácias e padarias que integram a rede de recarga do RioCard.
-Em caso de perda, roubo ou extravio do cartão, como proceder?
Nestes casos, o usuário deve acionar imediatamente o Call Center, através do número 2127-4000.
-Em caso de cancelamento do cartão por motivo de perda, roubo ou avaria será cobrada uma taxa para a emissão de um outro cartão?
Sim. No valor de R$ 15,00.
-É possível outra pessoa bloquear ou restituir os créditos?
Não. O cartão é pessoal e intransferível. Somente o próprio poderá solicitar o cancelamento em caso de perda ou roubo e restituir os créditos. Para isso, ele faz uma senha na hora do cadastramento.
-O BU elimina o uso dos outros cartões?
Não. Todos os cartões continuarão a ser válidos dentro de suas particularidades.
-Os portadores de Rio Card poderão usar o Bilhete Único?
Sim. O vale-transporte e o cartão expresso estão aptos a realizar o desconto da tarifa do bilhete único. Quem já possui este cartão não precisará comprar um novo.
-Se alguém tentar usar mais de quatro vezes no mesmo dia o BU, o que acontece? O sistema rejeita?
O sistema não processa o desconto do Bilhete Único, e a pessoa terá que pagar a tarifa inteira. O mesmo acontece se a pessoa utilizar num intervalo menor do que 1 hora entre a viagem de ida e de volta. 
-Os créditos do bilhete único têm validade?
Sim, os créditos têm validade de 1 ano a partir da data de aquisição.
-Haverá reajuste no primeiro ano?
Não, o primeiro reajuste será somente em 2011.
-Pode acontecer de haver reajuste diferenciado por modal mantendo-se o valor do desconto para o valor no BU?

Sim. Porque o reajuste dos ônibus, que rege o valor do BU, não se dá no mesmo período e alíquota do reajuste dos outros modais.
-Como a população vai poder se informar e tirar dúvidas sobre o novo sistema?
Para orientar o usuário sobre as mudanças, já está em funcionamento o site http://www.riobilheteunico.com.br, através do qual os passageiros poderão obter informações sobre o sistema.
Neste site, também há um chat onde os usuários serão atendidos on line por uma equipe treinada para esclarecer todas as dúvidas e anotar reclamações.
Os usuários também poderão recorrer a um Call Center para informações, através do número 0800 7260802, que vai funcionar de segunda a sexta das 8h às 20h. Sábados, domingos e feriados, das 8h às 14h.
-Como funcionará o subsídio do governo do estado?

O governo irá subsidiar parte da viagem de cada cidadão que aderir ao Bilhete Único em viagens intermunicipais toda vez que o valor da viagem for maior do que R$ 4,40.
Por exemplo, o subsídio do governo do estado servirá para completar o valor das passagens em ônibus convencionais que custem mais de R$ 4,40 no primeiro embarque e para complementar o pagamento do segundo embarque quando houver.
O valor a do subsídio a ser pago pelo Estado refere-se à diferença entre o valor integral da tarifa ou da soma das tarifas integradas e o valor do Bilhete Único.
-Como será feito o acerto de contas junto às empresas de transportes?
A Secretaria de Estado de Transportes receberá as informações da utilização do BU todos os dias e repassará o valor referente às complementações de cada viagem para uma conta exclusiva no Banco Itaú – a conta do Fundo Estadual de Transportes. Todo processo será auditado pela Coope-UFRJ e por uma equipe da Secretaria. Mensalmente, serão encaminhados à Alerj, Ao Tribunal de Contas do Estado e Controladoria Geral do Estado um relatório sobre as movimentações financeiras do BU.
-Como será o acompanhamento diário das operações realizadas com o Bilhete Único?
Os gestores da secretaria acessarão diretamente o Sistema da RioCard pela conexão direta (link) da Rede do Governo do Estado, através do PRODERJ. Além desse acesso, a RioCard enviará ao PRODERJ, diariamente, informações detalhadas para permitir uma análise mais aprofundada das operações.
-Como será feita a auditoria do sistema?
A COPPE-UFRJ esta sendo contratada para fazer a auditoria do sistema e identificar a necessidade de eventuais aperfeiçoamentos. Atualmente, o sistema já permite um alto nível de rastreabilidade. O Tribunal de Contas do Estado também fará auditoria no sistema.
-Qual a estimativa de crescimento do sistema nos meses seguintes ao lançamento?
A expectativa é que em seis meses seja atingido o potencial do BU.
-A duração de duas horas para a integração pelo BU é suficiente?
Segundo o governo do estado, uma pesquisa desenvolvida por especialistas contratados através de um convênio entre o Estado e o Banco Mundial, 98% das viagens realizadas na Região Metropolitana do Rio são realizadas dentro deste período de tempo.
-Qual a diferença entre o Bilhete Único do Rio e de São Paulo? Qual a diferença entre o Bilhete Único do Rio e de São Paulo?
1. O BU do Estado do Rio de Janeiro está sendo implantado em toda a RMRJ para cobertura de viagens metropolitanas;
2. O BU de São Paulo só foi implantado no município de São Paulo, para cobertura de viagens locais e onde já existia tarifa única.
3. O BU da RMRJ está sendo implantado em situações de tarifas diferentes em todas as linhas e modo de transporte
4. O BU de São Paulo quando integra com o Metrô e Trem, também, a exemplo da RMRJ dá um desconto na soma das duas tarifas.
5. O BU de São Paulo tem o limite de integração de 3 horas e o da RMRJ de 2 horas, mas é bom lembrar que o de São Paulo começou com 2 horas;
6. O BU da RMRJ além do benefício da integração está possibilitando um benefício em viagens unitárias com valores superiores a R$ 4,40, o que não é possível em São Paulo.

-Há garantias de que os usuários conseguirão fazer a transferência nesse espaço de tempo com segurança? Se um passageiro ficar preso em um engarrafamento e, por conta disso, extrapolar o prazo de duas horas, ele terá de pagar uma passagem inteira?
Estudos do governo do estado mostram que a duração média das viagens, ou seja, ida e volta, é de 2 horas. As viagens na RMRJ só ultrapassam este período de tempo em situações excepcionais, uma eventualidade que gere um engarrafamento fora do comum. De qualquer forma o Governo do Estado entende o Bilhete Único como parte de uma política de transportes mais ampla que prevê a construção de BRT’s, terminais, investimentos contínuos no setor de trilhos. O Bilhete Único é um passo fundamental desta política de integração.
-Se eu usar um ônibus municipal primeiro e só depois pegar um ônibus intermunicipal eu terei o benefício do BU?
A integração será feita no momento em que o usuário utilizar um ônibus municipal e outro intermunicipal. O primeiro ônibus terá descontado o valor integral da tarifa. O desconto só vai ocorrer no segundo embarque, neste caso, obrigatoriamente, um ônibus intermunicipal.
-Os créditos do Bilhete Único expiram?
Os créditos do cartão Bilhete Único, tem o prazo de validade de 01 ano.
-O que acontece com o cartão de Bilhete Único caso fique sem utilização por mais de 120 dias?
O cartão que ficar mais de 120 dias sem utilização será bloqueado, por questões de segurança para o usuário.
-Como desbloquear o cartão bloqueado por mais de 120 dias sem uso?
O usuário deste cartão deverá ir a uma das Lojas Riocard para solicitar o desbloqueio e utilizar o cartão normalmente.
-Bloquear o cartão afeta o saldo do mesmo?
Não, não afeta. A não ser no caso de expirar o prazo de validade de 01 ano.
-O casco do Bilhete Único vazio valerá como uma passagem nos ônibus de tarifa modal do meu município?
Não. O cartão Bilhete Único não é retornável e sim recarregável.
-O cartão Vale-Transporte Rápido (Adquirido no Unibanco e nas lojas RioCard) também terá a tarifa do Bilhete Único?
Não, somente os cartões recarregáveis. O VTR é descartável.

Janeiro 16, 2010 Posted by | jornalismo, transporte | Deixe um comentário

Em Maricá desafio superado: Rua Ary Espíndola é recapeada

DSC_0046Prefeito Washington Quaquá e Secretário de Obras Arthur Billé vistoriam o asfaltamento da Rua Ary Espíndola

DSC_0018 DSC_0032

DSC00454 Secretário de Obras, Arthur Bilé, e de Transporte, Rony Peterson inspecionam a finaização da obra

Desafio de várias administrações municipais, uma das principais vias de acesso ao Centro de Maricá está sendo recuperada. A Rua Ary Espíndola, que começa na Avenida Roberto Silveira, no Flamengo, e termina na Antônio Soares de Sousa, rua do Cemitério, e por onde passa a maioria dos ônibus que demandam ao Centro, vem recebendo obra de fresagem, recapeamento e sinalização. Segundo o secretário de Obras, Arthur Billé, essa é a primeira de muitas obras de recuperação de vias do município. Também na próxima semana acontece obra em parte da Estrada do Caxito. “Logo depois faremos uma grande operação nas ruas 1 e 34, a Avenida 1 e a Estrada de Itaipuaçu serão totalmente recuperadas”, disse o secretário.

O prefeito Washington Quaquá, que acompanhou parte do trabalho, garantiu que, após um ano de dificuldades, 2010 será de muito sucesso e realizações. “Temos vários projetos prontos para nosso município. Já conseguimos uma verba de mais de 100 milhões destinada a saneamento básico, drenagem e asfaltamento de ruas”, afirmou. A obra na Rua Ary Espíndola será inaugurada pelo prefeito neste sábado dia 16 as 10 horas.

Janeiro 16, 2010 Posted by | jornalismo | Deixe um comentário

Em Maricá, o Programa Praxis abre inscrições para estágio

A Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania acaba da abrir inscrições para o banco de dados do Programa Praxis de Incentivo ao Universitário. O objetivo do projeto é dar oportunidades de estágio aos estudantes de todas as áreas de ensino superior de Maricá, como uma preparação para o mercado de trabalho. Para a comunicação direta entre a secretaria, através do coordenador do projeto, Wallace Bretas, e o universitário, foi criado o programapraxis@marica.rj.gov.br, para o qual os estudantes poderão enviar seus currículos e suas dúvidas. O programa, em andamento desde 2009, já tem 23 vagas preenchidas.

Janeiro 16, 2010 Posted by | emprego e oportunidade / vagas temporárias, jornalismo, oportunidade de emprego | Deixe um comentário

Maricá inaugura obra e Quaquá mostra força da união

Fotos: Felipe Teobaldo

DSC_0060 Ao inaugurar, na segunda-feira, dia 11, o asfaltamento das Ruas das Garças dos Canários, no Flamengo, o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, mostrou a força da união de seu governo: todo o Secretariado compareceu à solenidade que marcou, de acordo com o prefeito, “o início da virada, depois de um ano de preparo da máquina administrativa,”.

DSC_0130O deputado federal Hugo Leal, autor da emenda junto ao Ministério do Turismo que possibilitou a obra, abandonada pelo governo passado, destacou a importância de se ter uma máquina administrativa organizada: “Não fosse a visão progressista do prefeito Quaquá, que agilizou a contrapartida, essa melhoria não seria realizada. Eu chamo a isso de espírito público. O povo está cansado de promessas, ele quer realizações, como agora”, disse.   DSC_0076A primeira dama, Rosangela Zeidan, falou sobre a ação social da Prefeitura. “Nossos diversos programas sociais já atingem um grande universo de pessoas e continuarão crescendo em busca de melhorar cada vez mais a qualidade de vida da população mais carente”, afirmou. 

DSC_0095Muito emocionado, o vereador Caiu, parceiro político de Hugo Leal, contou um pouco da história do abandono da emenda pelo governo anterior. “Estou aqui para testemunhar um ato de justiça. A decisão do prefeito Quaquá de depositar a contrapartida e resgatar a emenda do deputado Hugo Leal mostra que os tempos mudaram em nossa cidade. Tenho a certeza de que o povo do Flamengo registrará esse gesto no coração”, disse, depois de repudiar “o desleixo a que o bairro fora relegado pelo prefeito anterior”. O presidente da Câmara, Luciano Rangel Júnior, também destacou a união de todos os colegas em torno do prefeito.

Ainda em seu discurso, Quaquá agradeceu a parceria da Caixa Econômica Federal (CEF), cuja gerente da agência Maricá, Valéria Mendes, estava presente, na liberação de recursos e anunciou a inauguração de novas obras nos próximos dias, além de intervenções do governo estadual no asfaltamento de ruas em Itaipuaçu. “No ano passado”, afirmou, brincando, “fui mais xingado do que mãe de juiz de futebol, mas agora estamos aqui, dando a volta por cima”. O secretário de Obras, Arthur Billé, comentou assim a inauguração: “Era só uma questão de tempo; esperar a máquina administrativa ser organizada para as obras começarem”.

Às 10 horas desse sábado, 16 de janeiro, será inaugurado o asfaltamento da Rua Ary Spíndola, ligação entre o Flamengo e o Centro, via Cemitério.

Janeiro 16, 2010 Posted by | jornalismo | Deixe um comentário

Ônibus da Alerj leva cidadania a Maricá

Numa promoção da Subsecretaria de Políticas para Pessoas com Deficiência da Secretaria Municipal de Direitos Humanos de Maricá, o ônibus itinerante da Comissão de Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) estará dia 14 de janeiro, das 9 às 17 horas, no Centro de Inoã, Km 15. No dia seguinte, no mesmo horário, estará na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro.

Prospécto Onibus da ALERJ

Janeiro 16, 2010 Posted by | jornalismo | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá abre nova convocação para professores

A Prefeitura de Maricá acaba de abrir uma nova convocação para os aprovados no concurso público para educação realizado em 2007. Ao todo, foram convocados 125 professores, sendo 40 para 1° ao 5° ano do Ensino Fundamental, 12 para Língua Portuguesa, 16 para Matemática, um para Geografia, 12 para Educação Física, dois para Ciências, cinco para História, sete para Orientador Pedagógico, seis para Orientador Educacional, 22 para Inspetor de Alunos e dois para Inspetor Escolar.

O edital com todas as informações sobre a convocação está disponível em http://www.marica.rj.gov.br/concurso.php.


Prefeitura Municipal de Maricá
Secretaria de Comunicação Social

Janeiro 16, 2010 Posted by | jornalismo | Deixe um comentário

Maricá quer aumentar ajuda a dependente químico

DSC_0039

Coordenadores explicam como funciona a reunião de sentimentos

A orientação é da primeira dama de Maricá, Rosangela Zeidan: o município, através da Subsecretaria de Prevenção e Combate à Dependência Química da Secretaria de Direitos Humanos, vai aumentar a área de atendimento ao dependente químico como forma de resgate da cidadania. Em busca de parceiros, uma equipe da Prefeitura visitou, nesta quinta-feira, o Projeto Livres-Proliv, uma organização não-governamental que funciona em uma fazenda alugada no bairro do Retiro, onde 32 dependentes vivem em regime de internato durante três meses até se reenquadrarem ao convívio social.

“A base da recuperação é a laborterapia, uma técnica que resgata os valores éticos do indivíduo. É claro que não é só isso, pois o que rola mesmo a partir do momento em que eles chegam aqui como derrotados é um espírito de camaradagem, que supera qualquer dificuldade material que por acaso atravessemos. Essa situação é criada nas chamadas reuniões de sentimento”, explica Pedro, um dos coordenadores do Proliv, ele mesmo um ex-dependente. “Fui preso por tráfico de drogas no Complexo do Alemão e graças ao humanismo da procuradora Loise Ellen, meu anjo da guarda, fui transferido do Instituto Padre Severino para um programa de recuperação através do trabalho. É bom registrar que doutora Ellen, com esse gesto, inaugurou a Justiça Terapêutica no Estado do Rio. Hoje, me orgulho em participar desse programa”, disse.

Daniel, outro dos coordenadores, juntamente com Carlão, disse que o Proliv não faz publicidade de seu trabalho social. “Os grandes divulgadores de nosso sucesso são as pessoas beneficiadas, que praticamente reviveram após uma passagem por aqui. De boca em boca, através da chamada tradição oral, nosso trabalho fica conhecido. Aqui nós aceitamos pessoas de todas as categorias sociais e não há qualquer tipo de discriminação religiosa; pelo contrário, o conforto espiritual sempre é necessário. Sete pessoas, além de voluntários, estão envolvidos no Proliv”, afirmou.

Participaram da visita, além da subsecretária Laura Maria Vieira, o superintendente Marcos Bompet, a subsecretária da Diversidade Religiosa, Mônica Fialho, a superintendente Liliane Nascimento, e o pastor Sérgio Luiz, presidente da Associação dos Ministros Evangélicos de Maricá.

De acordo com Marcos Bompet, a escolha do Projeto Livres ocorreu porque a entidade está localizada no município, o que facilita a captação de recursos junto ao governo federal. “Trata-se de uma parceria de alto nível”, disse Bompet. Ele informa que a população de Maricá pode procurar a Subsecretaria, pelo telefone 2637-1639/ 7897/ 7828, caso necessite de ajuda.

Foto:Felipe Teobaldo / Divulgação

Legenda da foto:Cordenadores explicam como funciona a reunião de sentimentos

Janeiro 16, 2010 Posted by | jornalismo | 1 Comentário