Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Motos-fog no combate à dengue em Maricá

Secretaria de Saúde adquiriu oito unidades do novo veículo

Por iniciativa do prefeito Washington Quaquá, através da Secretaria Municipal de Saúde, o governo adquiriu para o combate ao mosquito Aedes aegypti, oito unidades moto-fog, que agilizarão o trabalho  com otimização de custos.

Foto: Paulo Polônio

Maricá é um dos primeiros municípios a adotar este sistema para combater a ameaça da dengue no Estado

A ameaça de dengue em Maricá está abaixo do índice de infestação, 0,2% ao mês, abaixo da média estadual e regional. Mesmo assim, a Prefeitura já está tomando providências para que o verão, época de maior incidência da doença, não traga surpresas, além do calor e da chuva. O sistema consiste na aplicação de inseticida natural à base de óleo mineral, expelido através da descarga de uma motocicleta. Assim que entra em contato com a alta temperatura do cano de descarga, o inseticida se transforma em espessa coluna de fumaça que é direcionada ao alvo, processo semelhante à dos carros-fumacê. Os horários de aplicação serão os mesmos, de manhã cedo e à tardinha, hora em que o mosquito-fêmea costuma sair para alimentar-se de sangue, transmitindo, se contaminado, a doença, de pessoa para pessoa.

Dengue mata – A dengue é uma doença transmitida por um vírus originário da Ásia, cujo vetor principal é o mosquito Aedes aegypti. No país, já foram constatadas quatro cepas, que intercaladas podem produzir a dengue hemorrágica, já a partir da segunda infestação. Os sintomas da doença são: dores nas articulações e no fundo dos olhos, vômitos, tonturas, febre e petéquias (manchas vermelhas no corpo). Se não tratada a tempo, pode levar a óbito em seu quadro mais grave (dengue hemorrágica).

Os ovos do mosquito podem durar até 120 dias dessecados. Se recebem água neste período, eclodem em larvas, que se transformam em pupas e, depois, no alado (mosquito adulto). O Brasil, e, em especial o Estado do Rio, já teve duas epidemias com dezenas  de mortes. O Ministério da Saúde, através da Funasa, elaborou o Plano Nacional de Combate à Dengue, que é revitalizado anualmente.

Testado e aprovado – Segundo Anderson Simões, representante da Fumajet, fabricante do produto, o projeto, de autoria do projetista Marcius Costa, foi criado em 2008, passou por fase de testes e certamente será implantado nos municípios com sucesso, no combate da dengue.

“Os governos estaduais do Paraná e de Pernambuco, também adotaram o sistema, que pode ser usado na agricultura, bastando, para tal, utilizar outro produto”, garantiu.

“A indicação do prefeito Washington Quaquá para adotarmos o sistema foi aplaudida por todos”, enfatizou a secretária de Saúde, Lesirée Figueiredo, informando que o sistema gerará redução de custos com maior operacionalidade. “Serão oito motocicletas que darão uma cobertura de dida dez a quinze mil moradores por período cada uma, perfazendo a população total do município. Um operador fará o trabalho de dois, com maior agilidade em locais de difícil acesso, economizando combustível, IPVA, equipamentos e materiais. Tudo indica que será um grande avanço no combate à dengue, que em Maricá está sob controle, mas nem por isso podemos nos acomodar. O verão é a época mais crítica de ocorrência da doença, e o combate deve ser intensificado”, concluiu.

Anúncios

Janeiro 7, 2011 Posted by | campanha social, jornalismo, saúde | Deixe um comentário