Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Conde Thiago de Menezes lança o livro “A Senhora da bengala mágica e outras senhoras”

(por Maria Emilia Genovesi (Escritora, Produtora Cultural e Assessora de Marketing e Imprensa)

Senhoras homenageadas: Maria Augusta Nielsen, Christine Yufon, Carmem Mayrink Veiga, Lucy Bloch, Dulce Ribeiro Simonsen, entre outras.

Convite Rio 1

Um pouco das mestras da elegância e da etiqueta é mostrado neste livro de autoria de Thiago de Menezes, que está sendo lançado pela Allprint Editora – SP (2011) – ISBN 978-85-7718-756-0. A obra conta com Orelha: Jornalista e Escritora Rosely Pellegrino (Subsecretária Municipal de Cultura de Maricá e Editora deste blog; Prefácio: Escritora Jane Rossi (Guarulhos, SP) & Contra capa: Assessora literária Maria Emília Genovesi (São Paulo, SP) 

No Rio de Janeiro o lançamento do livro “A Senhora da Bengala Mágica e outras senhoras”  será realizado aos 21 dias do mês de março de 2011, segunda-feira, às 18h30min, no Restaurante do Hotel Windsor Miramar Copacabana: Av. Atlântica, 3668 – Copacabana, Rio de Janeiro, RJ.
Homenageados e Convidados – Traje Social Completo.

Maria Augusta e conde Thiago de Menezes

Houve uma época no Brasil que quem quisesse ser chique e elegante era somente dizer: – “Estudei na SOCILA!”. Thiago de Menezes, jovem escritor do interior de São Paulo, embora educado aos moldes tradicionais, radicou-se no Rio de Janeiro e, antes de ser ator e jornalista, foi ser manequim no Estúdio que sua madrinha Maria Augusta manteve no Hotel Glória. Estamos nos referindo a Maria Augusta Nielsen, a fundadora da SOCILA, a escola que ensinava boas maneiras e etiquetas às socialites e artistas, e que foi uma das mulheres mais famosas do Brasil da época de ouro dos concursos de Miss Brasil. Sinônimo de glamour foi a “Diva” que ensinou muitas jovens bonitas, no tempo que elas não eram de laboratório, a ser Miss.

Maria Augusta Nielsen SOCILA Maria Augusta Nielsen SOCILA

Em “A Senhora da bengala mágica e outras senhoras”, ele fala – com propriedade – um pouco das mestras da elegância e da etiqueta. Além de enfocar a figura lendária de Maria Augusta Nielsen mais Christine Yufon, passando pela Jet setter brasileira Carmen Mayrink Veiga mais as internacionais Amy Vanderbilt e Diana Vreeland a obra ainda traz dicas bem originais de etiqueta e boas maneiras.
Vale à pena conferir!

FOTO 1 - Maria Augusta e Conde Thiago de Menezes Anos 1990 Conde Thiago de Menezes, início da década de 1990: Autografando o primeiro exemplar de seu primeiro livro publicado e lançado no Rio de Janeiro para sua madrinha Maria Augusta Nielsen (1923 – 2009): – Uma lenda do ensino de classe para pessoas de fino trato, ou a fada madrinha de muitas Cinderelas.

Foto 2 - Maria Augusta e Conde Thiago de Menezes - Anos 1990 Concursos de MISS Em um intervalo num dos vários concursos de MISSES em que foram jurados: Conde Thiago de Menezes entre o crítico de artes plásticas Olavo de Alencar Dutra, a pianista Maria Alice Saraiva e Maria Augusta Nielsen, a famosa Maria Augusta da SOCILA.

Foto 3 - Christine Yufon e Conde Thiago de Menezes Anos 1990 Em uma festa junina familiar, o Conde Thiago de Menezes com sua querida Christine Yufon, a segunda grande homenageada de seu livro: – Uma mulher esbanjadamente eclética – Manequim profissional internacional, fundadora e diretora da "Escola Christine Yufon", de etiqueta. Criadora e professora dos cursos: desenvolvimento de personalidade, postura visual e etiqueta social; etiqueta social e profissional para executivos e empresas; etiqueta protocolar; manequim profissional. É também artista plástica, designer de jóias e professora de teatro, arranjos florais e oratória (1997, domínios da família Simonsen, SP).

Foto 4 - Christine Yufon, Conde Thiago de Menezes e Dulce Simonsen Anos 1990 Christine Yufon, Conde Thiago de Menezes e sua inesquecível amiga Dulce Ribeiro Simonsen, homenageada com um capítulo especial em seu livro. Elegante, à sua maneira, ela foi uma criatura que esteve a nos ensinar que o dom da vida é precioso. Há de ser curtido intensamente, enquanto Deus o permitir, claro! A vida de Dulce Ribeiro Simonsen é um exemplo para as futuras gerações. Afinal, ela é da época em que “receber” em suas fazendas, no interior de São Paulo, era o que tinha de melhor em matéria de sofisticação aliadas à história, culinária e qualidade de vida. Dulce foi uma grande dama que nunca se abateu. Fazia projetos e adorava a vida. Uma vida que ela tornou mais colorida, mais emocionante, mais sentida, com o seu talento agregador. Com a sua atenção múltipla e difusa.

Foto 5 - Carmem Mayrink_Veiga Madame Carmem Mayrink Veiga, a locomotiva da alta sociedade brasileira, que prefaciou o livro “Vertigem de Amor”, poemas do Conde Thiago de Menezes, lançado em 1995 durante mega festa na Fazenda Santa Margarida, nas cercanias de Campinas, SP.

Comentário:

Selmo Vasconcellos – “Sem dúvida é um valioso achado o livro “A Senhora da Bengala Mágica e outras senhoras” (Um pouco das mestras da elegância e etiqueta), onde o autor Thiago Menezes registra passagens de personalidades do mundo da moda e etiqueta. Cita ainda fontes fidelíssimas sobre o assunto para o público interessado, com algumas dicas de como se portar em situações sociais diversificadas; além de mencionar nomes importantíssimos tal qual o de Carmem Mayrink Veiga, que deixou seu legado de contribuição ao mundo da etiqueta e boas maneiras.
         Thiago Menezes, um talento jovem com futuro promissor, teve sua primeira participação na página “Momento Lítero Cultural” do jornal Alto Madeira de Porto Velho, Rondônia, em 28 de março de 1997, edição número 312, com a poesia Madrugadas Desconhecidas. Segue sua trajetória nos surpreendendo com a iniciativa de buscar novos caminhos, afirmando assim a capacidade de inovar sempre.
Selmo Vasconcellos é poeta, escritor e editor literário, Membro da “União Brasileira de Escritores de Rondônia – UBE, RO” e “Associação de Imprensa de Rondônia – AIRON”, desde 1993.
Porto Velho, Rondônia.

Março 12, 2011 Posted by | arte, cultura, educacão, etiqueta social, jornalismo, literatura, social | Deixe um comentário

Monobloco, Bafafá e Mulheres de Chico desfilam neste fim de semana no Rio

Ludmilla de Lima. Fonte: Jornal Extra

Monobloco desfila na Av. rio Branco em 2010. Foto: divulgação

RIO – Os foliões ainda têm muita chuva, suor e cerveja — com perdão à marchinha de Caetano Veloso — pela frente. O fim de semana será animado por 31 blocos, boa parte na Zona Sul. Um dos que deve surpreender pelo público é o Mulheres de Chico, que faz um “show” hoje, a partir das 15h, em um palco na Praia do Leblon, no Posto 12. Este é o quinto ano do bloco, que sempre tocou na Praça Antero de Quental. Mas, como a pracinha foi ficando pequena para tanta gente, as meninas tiveram que mudar de endereço. São esperadas mais pessoas do que no ano passado, quando a apresentação atraiu dez mil.

(Vote no bloco que você mais curtiu no carnaval)

O grupo musical incluiu no repertório uma homenagem a Vinícius de Moraes, com “Canto de Ossanha” e “Berimbau” no repertório. Para ajudar a pagar a festa, as mulheres irão vende ecobags durante a apresentação, que vêm com a logo do bloco.

Também na orla da Zona Sul, o Bafafá sai hoje pelo oitavo ano, mas fica parado no Posto 9, na Praia de Ipanema. Uma orquestra de sopro se apresenta na areia tocando sambas, frevos e marchinhas. Nos intervalos, um DJ colocará todos para dançar ao som de sambalanços. A camisa deste ano é assinada pelo cartunista Aroeira, que estará no bloco, que começa às 17h, aproveitando o pôr-do-sol.

Monobloco deve arrastar mais de 350 mil

Mas é no Centro que sairá o maior bloco de todos neste pós-carnaval: o Monobloco, que desfila amanhã na Avenida Rio Branco, com concentração às 8h, no encontro com a Avenida Presidente Vargas. A expectativa dos batuqueiros é arrastar o mesmo público do ano passado, cerca de 350 mil pessoas.

O desfile do Monobloco no domingo após o carnaval já virou uma espécie de encerramento oficial da folia de rua do Rio. Este ano, o grupo, que conta com 160 percussionistas, irá homenagear o Cacique de Ramos e Dona Ivone Lara. Serão três horas de show, num percurso de 1,6 quilômetro até a Cinelândia.

— Uma das novidades no repertório é a homenagem ao Cacique de Ramos. Vamos cantar “Vou Festejar” e dois sambas clássicos: “Água na Boca” e “Caciqueando”. Vamos homenagear também a Dona Ivone Lara, fazendo algumas músicas, como “Sonho Meu” — adianta Celso Alvim, um dos fundadores do Monobloco.

Outro bloco de amanhã, que contrasta com o Monobloco em termos de tamanho, é Conjunto Habitacional Barangal. Considerado “bloquinho família”, fundado há dez anos por uma turma animada, ele sai do Posto 9, na Praia de Ipanema, pela manhã. O bloco desfila com samba próprio, e sempre é puxado por uma comissão inspirada em algum sucesso da Sapucaí. Seus organizadores não gostam de divulgar horário para evitar a multidão.

Blocos provocarão mudanças no trânsito

Tantos blocos nas ruas provocarão, novamente, mudanças no trânsito. Para o desfile do Monobloco,no domingo, serão interditadas a Avenida Rio Branco, entre as avenidas Presidente Vargas e Presidente Wilson; e uma pista da Presidente Vargas, junto aos prédios, sentido Zona Norte, após a Rua Uruguaiana. Outras ruas internas do Centro, transversais à Rio Branco, como a Buenos Aires e a Assembléia, também serão fechadas nos trechos próximos à passagem do bloco.

Por causa do Bloco Pela Saco,que sai hoje, metade das ruas São Clemente e Voluntários da Pátria, no lado esquerdo, será interditada durante o desfile, que vai das 18h às 22h. O bloco sai da Praça Corumbá. No domingo, as ruas voltam a ser interditadas em meia pista para o Boka de Espuma, entre 16h e 22h.

Ainda amanhã, a passagem do bloco Fofoqueiros de Plantão fará com que o trânsito seja interrompido na Rua Jardim Botânico, nos dois sentidos, entre a Rua Pacheco Leão e a Praça Santos Dumont, das 10h às 14h.

Confira a programação

SÁBADO

Bafafá: Posto 9, na Praia de Ipanema, a partir das 17h.

Mulheres de Chico: Posto 12, na Praia do Leblon, às 15h.

Pela Saco: Praça Corumbá, em Botafogo, às 18h.

Sufridos de Copacabana: Praça Manoel Campos de Paz, Copacabana, às 16h.

OBA Organização Bons Amigos: Pedra do Sal, na Saúde, às 18h.

Berço do Samba: Travessa do Mosqueiro, na Lapa, às 20h.

Banda da Amizade: Rua Tadeu Kosciusko, Bairro de Fátima, às 15h.

DOMINGO

Monobloco: Concentração a partir das 8h na Avenida Presidente Vargas, esquina com a Avenida Rio Branco, no Centro.

Conjunto Habitacional Barangal: Avenida Vieira Souto, altura do Posto 9, na Praia de Ipanema. Desfila a partir das 10h.

Vai Tomar no Grajaú: Concentra a partir das 14h na Avenida Engenheiro Richard 116, no Grajaú.

Cultural 7 de Paus: Boulevard 28 de Setembro, em Vila Isabel, às 18h30.

Bambas do Catete: Rua do Catete, às 16h.

Caldo Beleza: Praça Marinha do Brasil, no Flamengo, às 17h.

Galinha do Meio Dia: Sai no Arpoador, às 10h, e da Praia do Leblon, às 16h.

Fofoqueiros de Plantão: Rua Jardim Botânico, a partir das 10h.

Março 12, 2011 Posted by | Carnaval, jornalismo, shows e eventos | Deixe um comentário