Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Educação de Maricá oferece curso de Arrais amador

Começa neste sábado (16/4), o curso preparatório de Arrais Amador, oferecido gratuitamente pela Secretaria de Educação de Maricá, através da subsecretaria da Cidade Educadora. O curso é uma ótima oportunidade para quem deseja ter uma habilitação náutica e navegar de forma segura em território brasileiro, conforme exigência da Marinha. Com duração de três meses, o curso funcionará aos sábados, em dois turnos: pela manhã, das 9 às 12h, e à tarde, das 13 às 16h, na Casa Digital, que fica na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro.
Oportunidade


Para a subsecretária da Cidade Educadora, Andréa Cunha, essa é uma oportunidade, principalmente, para os jovens do município que desejam se habilitar para pilotar barcos e, principalmente, jet ski.
“O papel da Cidade Educadora é de oferecer o máximo de oportunidades para nossas crianças e jovens, aliás, esse sempre  foi compromisso do prefeito e do secretário de Educação. Não é à toa que cada vez mais a população está tendo acesso a cursos gratuitos e que, se bem aproveitados, podem mudar a vida da população”.
O curso ministrará aulas teóricas e dará certificado. Está sendo estudada pela Prefeitura a parceria para aplicação das aulas práticas, para entrega da Carta Náutica, mediante prova eliminatória na Capitania dos Portos. O curso de Arrais Amador, só é permitido a maiores de 18 anos e permite a seus licenciados navegarem em águas abrigadas (represas, lagos, rios e baías). PROGRAMAÇÃO: Regras de governo; Luzes de navegação e especiais; Balizamento; Manobra de embarcação; Combate a incêndio-Primeiros socorros; Segurança no mar, rios, lagos e lagoas; Normas de Autoridade Marítima para Atividades de Esporte e Recreio (Normam 0).
Texto: Denilson Santos / Fernando Uchôa
Foto: Paulo Polônio

Abril 14, 2011 Posted by | esportes, jornalismo, transporte | Deixe um comentário

Maricá recebe recursos para projetos ambientais

O município de Maricá começou a empregar os recursos do ICMS Verde e royalties federais e estaduais, destinado a projetos ambientais, no valor médio de R$ 700 mil mensais.
Entre eles, estão a recuperação das nascentes da bacia hidrográficas  de  Maricá, entre elas, a do Rio Mumbuca – de sua nascente até o encontro com o Rio Itapeteiú, em Ubatiba, onde começa a captação de água da Cedae – e do Rio Caranguejo, no Espraiado – com replantio da mata ciliar, análise de solo, água e vegetação nativa.
Unidades de Conservação

DSC02491
Os recursos, empregados na aquisição de veículos de tração 4 X 4, ferramentas, GPS, equipamentos de segurança, equipamentos para análise de água e material de reposição de campo e de escritório, estão sendo adquiridos com as primeiras parcelas dos recursos.  O presidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Secretário Executivo do Fundo de Proteção e Conservação Ambiental, o gestor Tiago de Paula, declarou que “os projetos necessitam de equipamentos para serem operacionalizados, desde o mapeamento e processamento, até análise e conservação. Contamos com uma equipe de seis profissionais especializados que trabalharão na pesquisa e monitoramento das nascentes, como forma de preservação das florestas”, comentou. 
Outro projeto de relevância que tramita na Câmara de Vereadores, é a criação das Unidades de Conservação (UCCs) ambientais, cuja área, ampliada para 12.300 hectares (123 mil metros quadrados), com vistas a criar um cinturão verde de cobertura secundária no entorno das serras. A área é a maior do estado e o projeto foi aprovado pelo Poder Executivo, e aguarda liberação do Legislativo municipal.

Abril 14, 2011 Posted by | jornalismo, meio ambiente | Deixe um comentário

MP determina derrubada de curso de água em torno da Casa de Cultura de Maricá

DSCF1705 
Por determinação do Ministério Público Estadual, que atende a uma solicitação do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), uma equipe da Secretaria de Obras de Maricá iniciou nesta quinta-feira (14/4) a demolição da estrutura que fica no entorno da Casa de Cultura. De acordo com o órgão estadual, o prédio é tombado pelo patrimônio histórico e a construção, realizada em 2003, viola essa condição por interferir na arquitetura original. A retirada dos blocos de concreto, que compunham um curso de água, deve durar até esta sexta (15).
No fim de março, a Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Niterói determinou que fossem tomadas as providências que tinham sido acordadas entre o Inepac e o a Prefeitura de Maricá. O acordo previa a reparação do conjunto arquitetônico que fica no entorno da Praça Orlando de Barros Pimentel, a partir de um inquérito civil aberto em 2008.
Ainda segundo o Inepac, os espelhos d’água que ficam ao redor da Casa de Cultura, que no passado abrigou a antiga Casa de Câmara e Cadeia da cidade, colocam em risco a integridade do bem tombado. Além disso, a construção foi realizada de forma irregular na ocasião, sem o devido parecer do patrimônio histórico.
O conjunto arquitetônico da praça é composto ainda pela igreja matriz de Nossa Senhora do Amparo, mas o documento do Inepac não faz qualquer referência à grade de proteção erguida ao redor do templo. O instituto entendeu, no entanto, que o anfiteatro e a Casa Digital, que foram também instalados na praça, devem ser recuperados e mantidos onde estão, uma vez que houve investimento de verba pública nestes para uso da população.

Abril 14, 2011 Posted by | cultura, cultura, jornalismo, Obras em Maricá | Deixe um comentário