Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Marina critica PV e apoia Dilma contra Código Florestal

por DAIENE CARDOSO, estadao.com.br, Atualizado: 7/7/2011 18:46

“Estou persistente”, Marina Silva (foto pesquiza do Google)

A crise envolvendo o PR dentro do Ministério dos Transportes foi um dos temas mais mencionados durante o evento que marcou a saída da ex-senadora Marina Silva e de seus aliados do PV. A ex-candidata à Presidência da República afirmou estar pronta para apoiar a presidente Dilma Rousseff no veto ao projeto do Código Florestal que tramita no Senado e disse esperar que a presidente consiga ‘resistir’ às práticas do que ela chama de ‘velha política’. Para Marina, não há mais como reformar o atual modelo de política brasileira, e sim reinventá-lo. ‘Remendar é muito pouco para o tamanho do problema que estamos vivendo no Brasil’, disse Marina Silva, na tarde de hoje.

Para anunciar sua desfiliação do PV, Marina convocou uma plenária com simpatizantes e apoiadores de sua campanha à Presidência e com aliados que deixam a legenda para criar um movimento suprapartidário em prol do verde e da cidadania. Durante o evento, o ex-presidente do diretório estadual do PV em São Paulo Maurício Brusadin afirmou que os partidos vivem hoje a decadência e não atendem mais às demandas da sociedade. ‘E o PV não é diferente disso’, comparou. ‘Reconhecemos que o PV, assim como a maioria dos partidos, se divorciaram de vez da sociedade’, completou o ex-candidato ao Senado por São Paulo Ricardo Young.

Brusadin colocou a sua antiga legenda no mesmo status do PR e criticou o partido do ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento por reclamar de sua demissão da pasta. ‘Eles não têm vergonha de dizer isso’, criticou. O PR também foi alvo de críticas de Young. ‘Não podemos mais transigir com isso.’

Em seu discurso, Marina citou o escândalo envolvendo o PR como exemplo de algo que não pode mais ser tolerado na sociedade. ‘Não podemos negar a tristeza com a política’, lamentou a ex-senadora. ‘Os partidos continuam sendo importantes, mas não podemos fechar os olhos para seus desvios.’

A ex-senadora destacou que pretende ajudar Dilma nas discussões no Congresso sobre o novo Código Florestal. Ela lembrou que a presidente assumiu compromisso na campanha de não aprovar nenhum texto que favoreça o desmatamento e, ao ser questionada se estaria otimista em relação ao veto do projeto, Marina desconversou. ‘Não estou nem otimista nem pessimista. Estou persistente.’

Anúncios

Julho 8, 2011 Posted by | jornalismo, meio ambiente, Planeta, Planeta Terra, Política Nacional e Internacional | , | Deixe um comentário

Delegado do MDA discute Segurança Alimentar em Maricá

Governos federal e municipal discutiram agricultura e alimentação para Maricá

O delegado federal do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para o Estado do Rio de Janeiro, Jaime Muniz Martins, visitou hoje (07/7), a Secretaria Municipal de Pesca, Aquicultura, Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e participou de uma reunião com técnicos da Agricultura e da Educação, sobre Segurança Alimentar.

Participaram da mesa de discussões, o secretário de Agricultura e Pesca, Cláudio Jorge Soares, a subsecretária de Agricultura Sabrina de Oliveira, a subsecretária de Administração Escolar, Adriana Luiza, a nutricionista Laurise Soares, o presidente do Conselho Municipal de Alimentação Escolar, José Speedo e o produtor Wilson Sá Rego, entre outros produtores.

Aplicação da lei

Durante a reunião, foram debatidos meios de produção e condições de trabalho do agricultor familiar no município, estado e país, com base nas leis federais 11.947, de 2009, que estabelece a inserção da Saúde e Educação na estrutura agrária do país, considerando o Risco Alimentar, e a Lei 12.188, de 2010, que estabelece a equivalência de remuneração para assistência técnica agrícola em todo território nacional.

Segundo Jaime, estas duas leis vieram balizar a situação da agricultura familiar no Brasil, tanto em relação a direitos sociais adquiridos – DAF, PRONAF, Aposentadoria Rural, quanto no que diz respeito à produção e comercialização, facilitando através do Programa Fundo de Garantia de Safra, a compensação das perdas na entresafra e devido a desastres climáticos.

Organização

Ainda de acordo com o delegado do MDA, a primeira providência do agricultor familiar que pretende financiamento rural ou assistência técncia, é tirar o seu Documento de Aptidão para o Pronaf (DAP), o que é mais fácil se o agricultor ou pescador artesanal estiver filiado a uma associação ou cooperativa que, por sua vez, tem de estar em dia com a legislação. “A dificuldade maior é de organização, principalmente para o DAP Jurídico. O  DAP é um documento que dá identidade social ao agricultor (filiação a sindicatos, associações ou cooperativas, aposentadoria rural, empréstimos (manejo ou investimentos, com juros de 2% ao ano, os menores praticados no mercado). Existe também o Plano Safra, onde subsídios do governo completam o valor do débito com a compra da produção por agentes autorizados, se a safra não foi favorável.

O delegado do MDA visitou as instalações da Secretaria de Pesca e Agricultura

Alimentação escolar

A Alimentação Escolar está inserida nas metas de Segurança Alimentar do governo federal, que determina que 30% do Fundo de Desenvolvimento do Ensino Básico (Fundeb), sejam destinados à alimentação em escolas da rede pública, através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), pelo Conselho Nacional de Abastecimento (CONAB). “Estamos investindo em agricultura familiar e pesca artesanal, para regularizar o setor e participarmos de programas como esse. A economia será da ordem de R$ 130 mil/ano, além do ganho social para produtores e rede escolar, público-alvo deste projeto”, concluiu.

Texto: Fernando Uchôa
Foto: Fernando Silva

(*) Secretaria Municipal de Comunicação

Julho 8, 2011 Posted by | jornalismo, saúde | Deixe um comentário