Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Atenção ao calendário de matrículas na rede municipal de ensino de Maricá

O cronograma de matrículas na rede municipal de ensino de Maricá para o próximo ano letivo já está pronto e terá quatro etapas:

1ª – Pré-matrícula de 16 a 25 de novembro de 2011;

2ª – Alocação dos alunos da pré-matrícula nos dias 7 e 8 de dezembro 2011;

3ª – Efetivação da matrícula, de 21 a 29 de dezembro de 2011 (somente para o 6º ano de escolaridade) e de 9 a 13 de janeiro de 2012 para os demais;

4ª – Matrícula para atendimento aos que não participaram das etapas acima: de 17 a 19 de janeiro de 2012.

Atenção: Termina nesta quinta-feira (10/11) o prazo para a renovação de matrícula nos casos em que o aluno já matriculado na rede queira permanecer na mesma unidade de ensino em 2012.

Em todos os casos de pré-matrícula, o candidato deverá apresentar declaração de escolaridade e comprovante de residência (original e cópia) em nome do candidato ou responsável legal.

Texto: Valéria Vianna

Novembro 9, 2011 Posted by | Educação, jornalismo | , | Deixe um comentário

Secretaria de Obras de Maricá realiza melhorias em ruas de Itaipuaçu

Secretaria de Obras nivelou as ruas 35 e 36. Nesta semana, as obras acontecem nas ruas 34, 30, 32 e 33 e na Av. Dois -Foto: Fernando Silva

As principais vias do loteamento Jardim Atlântico, em Itaipuaçu, estão tendo o piso nivelado pela secretaria de Obras de Maricá. No último sábado (05/11), duas máquinas realizaram melhorias nas ruas 35 e 36. Nesta segunda-feira (07/11), foi a vez da Rua 34 receber o serviço. Nos próximos dias, as intervenções chegarão às ruas 30, 32 e 33 e também na Avenida Dois.

O distrito de Itaipuaçu é hoje um dos principais canteiros de obras na cidade. A Rua Professor Cardoso de Menezes (conhecida como rua Um) começa a receber pavimentação até o fim desta semana, num trecho de aproximadamente 2,5 quilômetros entre a Estrada de Itaipuaçu e o novo terminal rodoviário. Na Estrada de Itaipuaçu, as obras – que já transformaram um trecho de 10 quilômetros da via – continuam a todo vapor.

Além disso, máquinas e operários realizam as primeiras ações na altura da chamada “ponte quebrada”, no Recanto.

Veja também: Itaipuaçu ganha asfalto com técnica de rodovias de São Paulo

Novembro 9, 2011 Posted by | jornalismo, Obras em Maricá | | Deixe um comentário

Maricá avança em Saúde e Educação, segundo Firjan

Maricá obteve o melhor desempenho em estudo realizado pelo quarto ano consecutivo – Foto: Divulgação/Prefeitura de Maricá

Cidade obteve o melhor desempenho em estudo realizado pelo quarto ano consecutivo

Maricá está avançando em áreas essenciais para a população, como educação e saúde. O município acaba de registrar o melhor resultado no Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM) – realizado anualmente pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro para acompanhar a evolução dos 5.564 municípios brasileiros.

Com base em dados de 2009 reunidos pelos Ministérios da Saúde, Educação e Trabalho, Maricá obteve este ano o índice 0,69 – faixa de desenvolvimento moderado. No estudo apresentado ano passado pela Firjan, com dados referentes a 2008, o município havia registrado o índice de 0.65.

Desta vez, os destaques foram as áreas da Saúde e da Educação. Na Saúde, o índice foi de 0,82 – considerado de alto desenvolvimento. São avaliados nesta área o número de consultas pré-natal realizados na rede pública; os óbitos registrados por causas mal definidas e a quantidade de óbitos infantis por causas consideradas evitáveis.

Na Educação, um resultado significativo: a cidade de Maricá obteve um índice maior do que os registrados por outras cidades da região, como São Gonçalo e Itaboraí. As variáveis levadas em consideração foram as taxas de matrícula na educação infantil; de abandono escolar e de distorção idade-série, além do percentual de docentes com ensino superior, da média de horas-aula diárias e do resultado do IDEB. Avaliados todos esses aspectos, o índice de Maricá foi 0,74.

No terceiro item pesquisado, Emprego & Renda, a cidade obteve o índice 0,52, considerando as variáveis da geração de emprego formal; estoque de emprego formal e salários médios do emprego formal.

Para realizar o estudo, a FIRJAN estipula quatro categorias de desenvolvimento em cada item avaliado: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (de 0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1).

Texto: Marcelo Moreira e Leandra Costa
Foto: Divulgação – Prefeitura de Maricá

Novembro 9, 2011 Posted by | Educação, jornalismo, Maricá, saúde | Deixe um comentário

Alunos de escolas municipais se destacam em projeto de redação do jornal Folha Dirigida

Textos de 93 alunos foram publicados em livro

Em grande estilo, 93 alunos da rede municipal de ensino de Maricá foram os protagonistas de uma noite de autógrafos realizada nesta segunda-feira (07/11), durante o lançamento do livro "Meu bairro, meu lugar".

A publicação reúne os melhores textos entre os participantes de escolas municipais no Projeto Redação 2011, realizado pelo Jornal Folha Dirigida em parceria com a secretaria de Educação.

Com a presença de familiares dos alunos selecionados, autoridades e profissionais da educação, a cerimônia foi realizada na Escola Municipal Joana Benedicta Rangel. Os participantes puderam ver, pela primeira vez, a publicação, em livro, dos textos feitos dentro das salas de aula. E o melhor: cada um deles ganhou seis edições do livro, para presentear a família e marcar a participação no projeto.

O projeto

Com o objetivo de permitir maior desenvolvimento da escrita e da leitura, o ‘Redação 2011’ está sendo desenvolvido pela primeira vez na rede municipal de Maricá. Alunos de todas as idades e séries escolares (da Educação Infantil até a Educação de Jovens e Adultos) puderam participar da iniciativa.

O tema das redações este ano foi "Meu bairro, meu lugar" (mesmo título dado ao livro que reúne as redações vencedoras) e isso permitiu que os alunos exercitassem o conhecimento sobre a realidade em que vivem.

Aluno do 8º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Vereador João da Silva Bezerra, Guilherme Montes destacou o quanto foi prazeroso escrever sobre seu bairro. “Adorei poder escrever sobre o meu bairro, sobre o verde e o mar”, destacou Guilherme.

De acordo com a coordenadora do Projeto Redação 2011, Monica Salles, o Projeto Redação 2011 teve início em maio de 2011 com a seleção dos alunos e escolas participantes. Depois, vieram as etapas das entrevistas, produção das redações, seleção dos melhores textos, publicação e, agora, o lançamento do livro.

Segundo a coordenadora, a próxima etapa será a entrega de uma placa de honra ao mérito a quatro alunos que se destacaram entre as redações selecionadas em Maricá: João Vitor Fernando Fernandes, de sete anos, da Escola Municipal Vereador João da Silva Bezerra; Ana Clara Auler Coimbra, de nove anos, da Escola Municipal Mata Atlântica; Jandira Félix Freire, de 58 anos, aluna da alfabetização do EJA da Escola Municipal Carlos Magno Legentil; e Larissa Vasquez Soares, de sete anos, aluna da Escola Municipal Profº Oswaldo Lima Rodrigues. Além de ter a redação escolhida para o livro, o desenho de Larissa que acompanhou o texto dela foi escolhido para ilustrar a capa do livro. A cerimônia de entrega das placas de homenagem aos alunos será realizada no Jockey Club Brasileiro, em data que ainda será definida.

“Nossa intenção é dar continuidade ao projeto e criar atividades de incentivo à leitura e à escrita, que são a base para qualquer disciplina. Foi muito gratificante ver o brilho nos olhos de cada aluno participante e também o envolvimento das famílias, declarou Mônica.

Texto: Leandra Costa e Marcelo Moreira

Novembro 9, 2011 Posted by | cultura, Educação, jornalismo | Deixe um comentário

Mais de 600 pessoas de Maricá vão participar do ato público no Centro do Rio

 

A expectativa é que mais de 100 mil pessoas participem do protesto no Centro do Rio – Foto: Divulgação/Governo do Estado

Maricá está preparando uma grande mobilização popular para o ato público “Contra a Injustiça – Em Defesa do Rio”, que acontece nesta quinta-feira (10/11), no Centro da cidade do Rio.

A prefeitura colocou à disposição da população 10 ônibus para o protesto contra as mudanças na distribuição dos royalties do petróleo no país – previstas no projeto de lei 448/2011, aprovada pelo Senado no último dia 19 de outubro.

Mais de 600 pessoas, entre moradores, representantes da sociedade civil organizada, vereadores, secretários municipais e funcionários, vão participar da caminhada, que seguirá pela Avenida Rio Branco até a altura da Cinelândia. A concentração será na Candelária, às 15h. A expectativa é que mais de 100 mil pessoas participem do ato.

Os ônibus sairão de Maricá em direção à capital a partir das 13h30. Haverá veículos nas praças de Ponta Negra, Barroca (Itaipuaçu) e São José do Imbassaí; no estacionamento do mercado Rede Economia, em Inoã; nas sedes da prefeitura e das secretarias de Educação, Assistência Social e Saúde; além da Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro.

A mudança das regras para divisão de royalties atingirá diretamente inúmeros projetos de infraestrutura previstos para serem implantados em Maricá e necessários para preparar a cidade ao impacto econômico do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), que está em construção em Itaboraí.

Segundo dados do governo estadual, o Rio de Janeiro vai perder, já em 2012, cerca de R$ 3,3 bilhões. Maricá recebe em torno de R$ 5 milhões mensais de royalties. Com as alterações aprovadas na emenda do senador Vital do Rêgo, o valor cairá para perto de R$ 3 milhões mensais no ano que vem, chegando a apenas R$ 760 mil em 2020.

– Compramos máquinas para pavimentar e manter as ruas de todos os distritos. Estamos realizando obras contra enchentes em um canal que corta várias áreas da cidade e adquirimos computadores para os 14 mil alunos da rede pública de ensino. Todas essas ações só foram possíveis com os recursos dos royalties – avalia o prefeito Washington Quaquá.

O prefeito acrescenta que a mudança nas regras de distribuição do petróleo poderá criar uma crise institucional sem precedentes.

– Essa proposta insandecida pode levar, inclusive, a paralisação da produção de petróleo no Brasil, já que toda a logistica se encontra no Rio, São Paulo e Espirito Santo. Mas com a mobilização popular e as negociações no Congresso poderemos mudar este quadro – destaca.

Para o vice-governador Luiz Fernando Pezão, o prejuízo para as cidades será enorme. De acordo com ele, a nova lei, caso seja aprovada pelo Congresso, vai “quebrar os 92 municípios fluminenses e mais as cidades do Espírito Santo e de São Paulo”.

Texto: Rafael Zarôr
Foto: Divulgação/Governo do Estado

Novembro 9, 2011 Posted by | jornalismo, manifestação popular, Royalties - Petróleo | | Deixe um comentário