Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Alemanha cria memorial em homenagem a ciganos vítimas do Holocausto

Memorial traz uma importante mensagem para a sociedade, de que o sentimento anticigano é tão inaceitável como o antissemitismo".

Foto: AP Memorial ganha atenção da mídian antes da inauguração

A chanceler alemã, Angela Merkel, inaugurou um memorial em Berlim para os ciganos vítimas do Holocausto nazista.

O memorial – um lago circular com um pequeno pedestal no meio – foi instalado no parque Tiergarten, perto do Reichstag, o parlamento alemão.

Especialistas dizem que entre 220 mil e 500 mil ciganos foram mortos durante a Segunda Guerra Mundial.

"É muito importante que tenhamos uma cultura de lembrança", disse Merkel, em uma entrevista em seu canal no YouTube.

"Cada geração tem que confrontar a sua própria história novamente. E para isso temos que ter locais adequados que as pessoas possam visitar, quando as testemunhas da época não estarão mais vivas."

Merkel reconheceu que a construção do memorial levou muito tempo e implicou "muitas discussões", mas lembrou que o memorial aos judeus da Europa assassinados também tinha levado mais de 15 anos para ser concluído.

Foto: AP Detalhe do memorial, que fica próximo ao Parlamento alemão

O presidente alemão, Joachim Gauck, e cerca de 100 sobreviventes idosos também compareceram à cerimônia de inauguração, nesta quarta-feira.

‘Mensagem importante’

O memorial foi projetado pelo artista israelense Dani Karavan. Uma flor fresca vai ser colocada no pedestal no centro do memorial a cada dia.

A cronologia da campanha de extermínio nazista fica ao lado do memorial.

Em 1982, a Alemanha reconheceu oficialmente o genocídio dos Roma e Sinti – povos que vivem principalmente em regiões de língua alemã na Europa Central.

O líder do Conselho Central dos Sinti e Roma na Alemanha, Romani Rose, também compareceu à cerimônia.

Ele disse à agência France-Presse: "A abertura do memorial envia uma mensagem importante para a sociedade, de que o sentimento anticigano é tão inaceitável como o antissemitismo".

Nos últimos anos, a Alemanha vem lembrando a perseguição dos ciganos durante a Segunda Guerra Mundial.

No entanto, as organizações ciganas e grupos de direitos humanos dizem que eles ainda são discriminadas em muitos países europeus.

Anúncios

Outubro 26, 2012 Posted by | Arquitetura e Urbanismo, cultura, direitos humanos, jornalismo | , , , , , | Deixe um comentário

Apelo dos Guarani-Kaiowá ganha atenção internacional

Extraído de: Observatório Eco – Direito Ambiental

povo indígena Guarani-Kaiowá Nas últimas semanas, documentos assinados por integrantes do povo indígena Guarani-Kaiowá que vive no estado de Mato Grosso do Sul, região Centro-Oeste do país, circularam na imprensa e nas mídias sociais. O mais comovente deles foi divulgado no início do mês, em resposta a uma ordem judicial de reintegração de posse de uma fazenda no município de Iguatemi. A carta assinada por indígenas Guarani-Kaiowá da comunidade de Pyelito Kue pede que a justiça decrete a "morte coletiva" dos indígenas em vez da expulsão de seu território tradicional.

Assim como esse grupo, outros também procuram formas de tornar público o longo processo de demarcação de terras. O grupo Guarani-Kaiowá de Passo Piraju, por exemplo, divulgou uma carta na última semana em que detalha a situação do assentamento que existe há 12 anos nas margens do rio Dourados, no Mato Grosso do Sul.

"É para decretar a nossa morte coletiva Guarani e Kaiowá de Passo Piraju e para enterrar-nos todos aqui, somente assim, não reivindicaremos os nossos direitos de sobreviver. Esta é a nossa última decisão conjunta diante da decisão da Justiça Federal do Tribunal Regional da 3ª Região (TRF-3) São Paulo-SP", diz trecho da carta.

Nesta quinta-feira (25/10), a organização de defesa dos direitos indígenas Survival International divulgou um comunicado pedindo "que seja permitido aos Guarani permanecer em sua terra, e que todos os territórios Guarani sejam demarcados urgentemente, antes que mais vidas sejam perdidas".

A imprensa chegou a falar de um possível suicídio coletivo, mas nota divulgada na noite desta terça-feira pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi) alerta para a interpretação equivocada da posição dos indígenas. "Os Kaiowá e Guarani falam em morte coletiva (o que é diferente de suicídio coletivo) no contexto da luta pela terra, ou seja, se a Justiça e os pistoleiros contratados pelos fazendeiros insistirem em tirá-los de suas terras tradicionais, estão dispostos a morrerem todos nelas, sem jamais abandoná-las", diz o documento, que reflete preocupação da entidade com uma possível onda de alarmismo que pode ser mais prejudicial para os grupos indígenas.

Em entrevista à DW, Cleber Buzatto, secretário-executivo do Cimi, diz que o manifesto reflete o desejo daquela população indígena de defender seu direito à terra. "No nosso entendimento, a carta reafirma a decisão coletiva da comunidade de não sair mais uma vez da terra tradicional pela qual eles vêm lutando nas últimas décadas", disse.

Segundo dados da Fundação Nacional do Índio (Funai), até 2010, 43 mil Guarani-Kaiowá haviam sido registrados. Eduardo Backer, advogado da ONG de direitos humanos Justiça Global, disse à DW que o caso dos Guarani-Kaiowá de Pyelito Kue representa a retomada de território e "é um processo de resistência na tentativa de implementar uma política pública de demarcação que não está sendo feita pelo Estado".

Problema histórico

"A demarcação de terras é um problema histórico no Brasil, mas especificamente no Mato Grosso do Sul é um problema muito grande e acaba gerando uma série de outros problemas: confinamento, aumento dos índices de suicídio e violência", explica Eduardo Backer, ao lembrar que alguns processos de demarcação já duram 20 ou 30 anos.

Um artigo do Guarani-Kaiowá Tonico Benites, mestre e doutorando em Antropologia Social do Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), publicado nesta segunda-feira no site da Justiça Global no Brasil, faz um levantamento dos aspectos históricos ligados à demarcação. "Iniciativas de articulação e luta de várias lideranças Guarani e Kaiowá para retornar aos antigos territórios começaram a despontar no final da década de 1970″, diz o texto.

O advogado Eduardo Backer ressalta o poder dos grupos políticos e do agronegócio, predominantes no Estado, e atribui a demora na resolução dos impasses à ação dessas forças. "A proximidade do poder político e de grupos econômicos interessados na preservação de uma determinada estrutura fundiária que favorece a perpetuação de seu poder econômico e político acaba impossibilitando a demarcação desse território sob o argumento falso de que se perderia a capacidade econômica do estado", alerta.

Violência e morte

Para Cleber Buzatto, a demora nos procedimentos de demarcação potencializa situações de violência entre integrantes de um mesmo grupo, suicídio entre jovens e violência por parte de grupos armados comandados, segundo ele, por fazendeiros. "Os Guarani, cansados de aguardar pela ação do Estado, promovem eles próprios ações que chamam de retomada como uma estratégia de tentar fazer com que o Estado se movimente de uma forma um pouco mais ágil", afirmou Buzatto.

Informações repassadas à DW pelo Cimi revelam uma situação tensa no Estado, que já registra centenas de processos de conflitos entre indígenas e latifundiários. Em todo o país, mais da metade dos registros de morte violenta de indígenas ocorre entre o grupo Guarani-Kaiowá. O Relatório de Violência Contra os Povos Indígenas 2011 registra 503 assassinatos de indígenas entre 2003 e 2011 no país. Desses, 279 são de Guarani-Kaiowá. Dados do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI), da Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, dão conta de 555 casos de suicídio desse grupo entre 2000 e 2011.

Outro tipo de violência, dessa vez contra lideranças indígenas, também causa preocupação, segundo Eduardo Backer. "Já há vários mortos, principalmente pela atuação de pistoleiros e fazendeiros", disse, ao lembrar que muitas lideranças estão hoje em programas de proteção da Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

Preconceito e conservadorismo

Apesar de ser uma garantia constitucional, a preservação de território indígena ainda não recebe apoio amplo da sociedade brasileira. "É importante que a comunidade tenha ciência desses fatos e apoie os Guarani-Kaiowá no sentido de sensibilizar o governo brasileiro para agilizar os procedimentos de demarcação das terras", ressalta Cleber Buzatto.

Para Eduardo Backer, além das forças políticas e econômicas regionais, há o que classificou de conservadorismo e preconceito de parcela da sociedade brasileira que, segundo sua visão, defende um processo de aculturação que "impede que esses povos vivam de acordo com seus modos de vida tradicionais". Com informações da DW.

Outubro 26, 2012 Posted by | direitos humanos, jornalismo | | Deixe um comentário

Desembargador é baleado em tentativa de assalto em Niterói RJ

Dois homens são suspeitos de atirar em Gilberto Fernandes.
Crime ocorreu na Avenida Sete de Setembro, em Icaraí.

Fonte: Tássia ThumDo G1 no Rio

O desembargador aposentado Gilberto Fernandes foi baleado durante uma tentativa de assalto, na noite desta quinta-feira (25), em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. De acordo com o comandante do 12º BPM (Niterói), coronel Wolney Dias, o magistrado foi atingido na cabeça e encaminhado para o Hospital estadual Azevedo Lima.

Segundo o comandante, o desembargador estava dirigindo na Avenida Sete de Setembro, em Icaraí, na Zona Sul de Niterói, quando foi abordado por dois homens armados. Após os disparos, os suspeitos fugiram a pé. O crime ocorreu por volta das 22h.

Os agentes da 77ª DP (Icaraí), responsáveis pela investigação, vão pedir imagens de câmeras de prédios da rua para tentar identificar os criminosos.

A Secretaria estadual de Saúde não informou o estado de saúde do desembargador

Violência em Niterói – Vereador e desembargador são baleados

Fonte O Dia

O vereador eleito Lúcio Diniz Araújo Martelo, conhecido como Lúcio do Nevada, foi baleado com quatro tiros, sendo três no ombro e um na perna, na noite desta quinta-feira. O crime ocorreu quando ele chegava em casa, em Santa Bárbara, Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Foto: Reprodução Internet Lucio do Nevada morreu após ser baleado quando chegava em casa | Foto: Reprodução Internet

Os dois foram encaminhados para o Hospital Azevedo Lima. Ainda não há informação sobre o estado de saúde das vítimas.

Outubro 26, 2012 Posted by | jornalismo, Judiciário, Polícia | , , , | Deixe um comentário

Resíduos da pesca podem virar biodiesel

Parceria entre Petrobras Biocombustível e Ministério da Pesca vai intensificar estudos para o aproveitamento de óleo de peixe

A Petrobras Biocombustível e o Ministério da Pesca e Aquicultura assinaram, nesta quinta-feira (25/10), no Palácio do Planalto, em Brasília, memorando de entendimentos para ampliar programas cooperativos com foco na pesquisa e produção de biodiesel a partir de matéria-prima residual do pescado. A parceria foi firmada no evento de lançamento do Plano Safra da Pesca e Aquicultura, com a presença da presidenta da República, Dilma Rousseff.

Para o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rossetto, a parceria tem o propósito de promover estudos para utilização desta matéria-prima na produção de biodiesel. "Vamos apoiar o desenvolvimento de uma nova alternativa de suprimento e contribuir também para o aproveitamento de resíduos da atividade pesqueira na produção de bicombustíveis", avalia o presidente.
A iniciativa está alinhada ao Plano Safra que visa à expansão da atividade e do comércio pesqueiro e tem como meta produzir 2 milhões de toneladas anuais de pescado até 2014. A Petrobras Biocombustível já desenvolve iniciativas para avaliar o aproveitamento de óleo de peixe para biodiesel. Um exemplo é a parceria no projeto piloto Biopeixe realizado com piscicultores da região de Jaguaribara, no Ceará, para prospecção no Açude Castanhão.
O acordo tem como principais objetivos ampliar o aproveitamento e a produtividade dos recursos naturais, pesqueiros e aquícolas, aumentar a renda dos pescadores e agregar valor à sua produção, além de promover o desenvolvimento técnico, científico e de inovações tecnológicas para a atividade.

Gerência de Imprensa/Comunicação Institucional

Outubro 26, 2012 Posted by | ciência, jornalismo, Pesca, Tecnologia | Deixe um comentário

Mobilização para implantação do Canteiro de Obras na Avenida do Contorno

Nesta sexta-feira (26/10), às 10h, a Autopista Fluminense e a Secretaria Estadual de Transportes iniciarão os trabalhos de implantação do canteiro de obras para duplicação da Avenida do Contorno, trecho da BR-101 Norte. Os trabalhos não causarão impacto ao fluxo de automóveis na região. A concessionária divulgará, ao longo das atividades, o cronograma de obras na rodovia, e mudanças no tráfego serão comunicadas com antecedência.

Fonte: Secretaria Estadual de Transportes

Outubro 26, 2012 Posted by | jornalismo, transporte, vias públicas | , , | Deixe um comentário