Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Exibição de “Jango” e declamação de poesia são atrações do projeto “Golpe de 64” desta semana em Maricá

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Moreira) | Fotos: Divulgação

Filme "Jango" é a atração desta semana no projeto do Golpe de 64.

Nesta semana, duas atividades integram a programação do projeto cultural “Golpe de 64 – A História que não foi contada”, realizado pela secretaria municipal de Cultura e que reúne atividades gratuitas como shows musicais, exibição de filmes com debates e palestras, além de apresentação de esquetes teatrais.

Nesta quarta-feira, dia 13/03, às 19h, o projeto exibe o documentário “Jango” na Sala Darcy Ribeiro, localizada na Casa de Cultura de Maricá. O filme, dirigido por Sílvio Tendler, mostra a trajetória política do 24° presidente brasileiro, João Goulart, deposto por um golpe militar nas primeiras horas de 1º de abril de 1964. A reconstituição da trajetória de Goulart é feita por meio da utilização de imagens de arquivo e de entrevistas com importantes personalidades políticas como Afonso Arinos, Leonel Brizola, Celso Furtado, Frei Betto e Magalhães Pinto, entre outros.

O documentário captura o clima político brasileiro durante a década de 1960 sob o contexto histórico da Guerra Fria. “Jango” narra exaustivamente os detalhes do golpe e se estende até os movimentos de resistências à ditadura, terminando com a morte do presidente no exílio e imagens de seu funeral, cuja divulgação foi censurada pelo regime militar.

Com o slogan "Como, quando e por que se derruba um presidente", o documentário levou mais de meio milhão de espectadores às salas de cinema, tornando-se o sexto documentário de maior bilheteria da história do cinema brasileiro. O trabalho foi agraciado em 1984 com o Troféu Margarida de Prata, da CNBB, prêmio especial do júri e prêmio do público e de melhor trilha-sonora do Festival de Gramado.

Dando continuidade à programação, no dia 14/03, às 15h, na Praça Orlando de Barros Pimentel 9em frente à Casa de Cultura0, haverá declamações e exposições de poesias de diversos autores da época como Antônio Callado e Ferreira Gullar, por meio do projeto Maricá Vive: Poesia.

O secretário municipal de Cultura, Sérgio Mesquita, explicou a importância de se resgatar a história recente do Brasil. "Temos que olhar para trás e tentar não repetir os mesmos erros no futuro", defendeu.

Programação do mês de março em Maricá  do Projeto Cultural “Golpe de 64 – A História que não foi contada”

13/03 – 19h – Exibição e debate do documentário “Jango” – Local: Casa de Cultura de Maricá

14/03 – 15h – Local: Praça Orlando de Barros Pimentel
Maricá Vive: Poesia

20/03 – 19h – Exibição e debate dos curtas “Leila Para Sempre Diniz” e “Eh, Pagu, Eh”
Palestrante: Jornalista e psicóloga pós-graduada em Comunicação Social e Gestão Pública Rosangela Zeidan
Local: Universidade Severino Sombra

22/03 – 19h – Exibição e debate do filme “Marimbás”, de Vladmir Herzog
Palestrante: Jornalista e integrante do Cineclube Curto-Circuito na época do golpe militar Odemir Capistrano
Local: Casa de Cultura de Maricá

24/03 – 16h – Batalha de MC´s – Local: Praça Orlando de Barros Pimentel

27/03 – 19h – Exibição e debate do documentário “De Mãos Dadas”
Palestrante: Doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ professor André Lazaro.
Local: Universidade Severino Sombra

28/03 – 19h – Exibição e debate do documentário “Cidadão Boilense”
Palestrante: Ex-combatente da Ação Libertadora Nacional, o Comandante Carlos Eugênio Clemente
Local: Universidade Severino Sombra

06/04 – 19h – Apresentação de esquetes teatrais, depoimentos de pessoas que viveram na época, vídeos, shows
Local: Anfiteatro da Praça Orlando de Barros Pimentel

Anúncios

Março 11, 2013 Posted by | arte, cinema / produção, cultura, Dança, jornalismo, Lazer, literatura, Maricá, musica, projeto cultural | | Deixe um comentário

Transporte escolar em Maricá é ampliado e beneficia unidade em Pindobas

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Moreira)

Os 81 alunos matriculados na Escola Municipal Pindobas, localizada a 25 km do centro de Maricá, contam agora com uma Kombi para o transporte escolar. A novidade integra um plano da secretaria de Educação para levar o serviço a 100% das unidades escolares municipais.

O veículo fica à disposição da escola nos turnos da manhã e da tarde para buscar os alunos em casa e leva-los de volta no fim das aulas. Segundo a diretora da E.M Pindobas, Indra Platais, a aquisição do veículo foi aprovada por pais, alunos e funcionários. Muitos pais vinham de longe para trazer seus filhos e o índice de faltas era elevado. Hoje conseguimos transportar os alunos todos os dias e a melhoria no rendimento deles em sala de aula foi notável, o que é muito gratificante, declarou.

Para a secretária municipal de Educação, Marta Quinan, o veículo é uma vitória para a comunidade de Pindobas. “É uma conquista importante e, ainda que esse ano, pretendemos comprar novos veículos para melhorar o transporte escolar em outras áreas do município, principalmente em escolas mais distantes”, ressalta a secretária.

Março 11, 2013 Posted by | Educação, jornalismo, Maricá, transporte | , | Deixe um comentário

Pavimentação e mudanças no trânsito do Jardim Atlântico, em Itaipuaçu

Texto: Sérgio Renato | Fotos: Fernando Silva

Duas importantes vias do loteamento Jardim Atlântico, em Itaipuaçu, Maricá/RJ, receberam pavimentação na semana passada. A primeira parte beneficiada foi o trecho da Rua Governador Leonel Brizola (antiga Rua 35) que fica entre as ruas 66 e70. Esta última também recebeu asfaltamento entre a 35 a orla, incluindo o novo trecho do entorno da praça com sentidos distintos. Ambas as obras haviam começado em fevereiro.

Na Rua 35, o asfalto foi aplicado a partir da esquina com a Rua 66 (onde termina a Estrada dos Cajueiros) e deu sequência à primeira etapa das intervenções, concluídas no fim do ano passado. Na ocasião, o asfaltamento foi feito entre a Rua 66 e a Rua Professor Cardoso de Menezes (antiga Rua 1). O secretário municipal de Conservação de Maricá, Paulo Maurício de Carvalho, afirmou que o projeto prevê que o asfalto chegue até a Rua 83 – onde há um posto de saúde e a E.M. Marquês de Maricá – e, de lá, siga até a praia.

Na Rua 70, a pavimentação teve início após o fechamento do antigo leito da via, que passava junto à praça, para futura ampliação da área de lazer recentemente construída. Por conta da obra, o trecho da Rua 36 entre as ruas 69 e Tropical (antiga 71) também foi asfaltado, antecipando parte do projeto para a própria 36 (por onde passam as linhas de ônibus que servem ao Jardim Atlântico) que deverá ter início nos próximos meses.

A obra na Rua 70 causou uma alteração no trânsito local. Agora, quem segue pela rua em direção à praia terá de contornar a praça até a esquina com a Rua 36 e, para voltar, realizar o mesmo procedimento do lado oposto. De acordo com o secretário de Trânsito e Transportes de Maricá, Leandro Costa, a sinalização para orientar os motoristas está sendo confeccionada e deverá ser instalada nos próximos dias.

Março 11, 2013 Posted by | jornalismo, Maricá, Obras em Maricá, transito, Urbanização, vias públicas | | Deixe um comentário

Pane em antena da InterTV afeta internet pública em Maricá

Texto: Marcelo Ambrosio

Uma pane no fornecimento de energia para a torre da InterTV – a principal retransmissora de sinais de rádio a serviço da prefeitura – está deixando em torno de 90% da cidade sem o sinal de internet pública gratuita. De acordo com a subsecretaria municipal de Tecnologia de Informações, já foi aberto um protocolo junto à concessionária Ampla para que o fornecimento de energia à antena seja restabelecido no menor prazo possível. Das 14 antenas usadas pela prefeitura para a retransmissão do sinal de rádio, apenas três se encontravam em funcionamento na manhã desta segunda-feira (11/03).

Março 11, 2013 Posted by | jornalismo, Maricá, Telefonia e Internet | Deixe um comentário

Quais os horários da ‘fumaça’ na chaminé da Capela Sistina?

Cidade do Vaticano (RV) – Nesta terça-feira, 12, terá início o Conclave para a eleição do sucessor de Bento XVI. Às 15h45min os Cardeais se transferem da Domus Sanctae Marthae ao Palácio Apostólico. Às 16h30min terá lugar a procissão da Capela Paulina com entrada na Capela Sistina. O Centro Televisivo Vaticano e a Rádio Vaticano (com comentários em português) transmitirão a cerimônia.
Segundo informou na coletiva de imprensa do último sábado o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, quando entrarem na Capela Sistina, às 16h45min, os Cardeais fazem o juramento e após tem lugar o ‘extra omnes’, quando se fecha a Capela Sistina e os Cardeais seguem a meditação do Cardeal Grech, realizando a eventual primeira votação prevista na Constituição.
Como são realizadas duas votações em cada turno, Pe. Lombardi explicou que as cédulas são queimadas ao final das votações da manhã e da tarde e não após cada votação particular. Assim, os horários normais do final das votações seriam às 12 horas para as votações da manhã e às 19 horas para as votações da tarde. É apenas uma indicação, precisou o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé.
Se o novo Pontífice vier a ser eleito na primeira votação da manhã ou na primeira votação da tarde, a fumaça branca sairá da chaminé instalada no telhado da Capela Sistina, no meio da manhã ou no meio da tarde. Assim, todos devem estar atentos entre 10hs30min e 11hs na parte da manhã e entre 17hs30min e 18hs na parte da tarde.
A eleição do Papa Ratzinger ocorreu na primeira votação da tarde e assim, a fumaça apareceu após as 17 horas. (JE)

Março 11, 2013 Posted by | jornalismo, religioso | , | Deixe um comentário

Nesta segunda-feira, a última Congregação Geral dos Cardeais

Cidade do Vaticano (RV) – Décimo-primeiro dia de Sé Vacante no Vaticano: esta segunda-feira é o último dia para os cardeais refletirem, rezarem e trocarem ideias sobre a sucessão de Bento XVI. A décima Congregação Geral reúne o Colégio Cardinalício a partir das 9h30, na Sala do Sínodo dos Bispos.
O programa desta segunda prossegue com o encontro do Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi, com os jornalistas credenciados, para o tradicional ‘briefing’, quando o sacerdote dá os detalhes do ocorrido esta manhã e da programação da tarde.
Às 17h30, o pessoal encarregado da organização do Conclave presta juramento na Capela Sistina. São 90 pessoas. O primeiro será o Secretário do Colégio Cardinalício, arcebispo Lorenzo Baldisseri; em seguida, o Mestre das celebrações litúrgicas pontifícias, Mons. Guido Marini, os cerimoniários, o eclesiástico escolhido para ajudar o Cardeal que preside o Conclave, religiosos e religiosas da Sacristia Pontifícia, confessores, médicos e enfermeiros, ascensoristas do Palácio Apostólico, copeiros e cozinheiros, faxineiros e funcionários encarregados das flores e da parte técnica, motoristas, um coronel e um major do corpo da Guarda Suíça e a equipe da segurança da Capela Sistina.
Todos pronunciarão e assinarão a fórmula prevista, diante do Cardeal Camerlengo da Santa Romana Igreja, Tarcisio Bertone, e de duas testemunhas.
(CM)

A eleição dos Pontífices desde os primeiros séculos

Cidade do Vaticano (RV) – “Aumentando cada dia o número de seguidores em Jerusalém, os Apóstolos convocaram a multidão dos fiéis e disseram: ‘Procurai, irmãos, entre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais confiaremos este encargo’ “ (Atos dos Apóstolos 6,3).
Assim, desde o início da Igreja, este foi um costume que vigorou por muito tempo na eleição dos bispos. A eleição contemplava a participação da comunidade dos fiéis, do clero local e dos bispos da vizinhança. Roma não foi exceção. Mesmo o Papa, como bispo de Roma, por mais de 1.000 anos foi eleito desta forma.
É difícil estabelecer exatamente o papel desempenhado por cada grupo de participantes, como os fiéis, o clero ou os bispos. Provavelmente os fiéis expressavam os seus desejos, faziam propostas; o clero avaliava os candidatos e os bispos elegiam, mas sobretudo, consagravam o escolhido. Daqui vem a expressão ‘o povo aclama, o clero designa, os bispos elegem”.
Enquanto o número de fiéis era pequeno e o clero era reduzido, apesar das dificuldades da Igreja nascente, a eleição do Pontífice, que previa a unanimidade dos eleitores, não encontrou grandes obstáculos. Assim que foi dada liberdade ao cristianismo e a Igreja começou a se expandir, ganhando prestígio e influência, as coisas começaram a mudar.
A importância do cargo de Papa no seio da comunidade cristã e civil e a falta de uma clara e precisa definição das competências dos vários componentes eleitorais deu lugar a abusos. As grandes assembleias que se reuniam para proceder à eleição, degeneravam em brigas e tensões que perturbavam o bom andamento do processo. Para agitar ainda mais o ambiente, influências políticas tentavam influenciar as eleições. As autoridades civis, sob o pretexto de garantir a realização das mesmas e a ordem pública, acabavam por cercear o processo.
Do século IV ao XI, influências do poder temporal nas eleições do Papa eram sempre mais preocupantes. Os imperadores romanos, os reis, os imperadores do Oriente, os carolíngios, as famílias feudais, e por fim, os imperadores alemães, tentaram de várias formas, controlar as eleições do Papa. A ingerência do poder temporal se manifestava de várias formas, desde aprovação e confirmação do eleito até mesmo à nomeação efetiva do Pontífice mediante pressões exercidas de várias formas sobre os eleitores, que poderiam chegar ao constrangimento com uso de violência e ameaças.
A situação tornou-se intolerável. Era urgente uma reforma profunda que tirasse a eleição do Papa da influência e violência do poder civil e político e das facções populares. O protagonista de todo o movimento de reforma que pretendia restituir exclusivamente à Igreja a tarefa de eleger os seus bispos, e sobretudo o Pontífice, foi Gregório VII. Inicialmente como conselheiro de diversos pontífices e posteriormente como Papa, ele idealizou e promoveu uma grande transformação.
Em 1059, Nicolau II, num Concílio realizado em Latrão com a participação de 112 bispos italianos, promulgou a Bula “In nomine Domini” que modificava radicalmente os procedimentos para eleger o Pontífice. O documento reservava a eleição do Papa exclusivamente aos Cardeais bispos. Aos outros membros do clero e do povo, em observância a antigas tradições, era concedida exclusivamente a tarefa de aderir à eleição já realizada. Se por causa de tumultos a eleição não pudesse ser realizada em Roma, os Cardeais-bispos eram autorizados a reunirem-se em qualquer outro local ou cidade que achassem conveniente.
A Bula definia enfim que não a consagração ou a entronização, mas sim a eleição conferia a dignidade de Pontífice. Ao imperador era reconhecida simplesmente a honra de ser informado do resultado da eleição e concedido o privilégio de confirmá-la.
A Bula de Nicolau II abriu um novo período na história da eleição do Pontífice. Os cismas, criados pela criação de anti-papas, se tornam cada vez mais raros. A eleição do Pontífice assume um ritmo sempre mais normal. O movimento de reforma, idealizado e promovido por Gregório VII, culminou na Constituição "Licet de vitanda", promulgada por Alexandre III, em 1179. Com esta constituição, era definitivamente estabelecido que a eleição do Pontífice cabia unicamente aos Cardeais e que os Cardeais das três ordens (bispos, presbíteros e diáconos) eram todos igualmente eleitores do Papa e que era exigida a maioria de 2/3 dos votos.
Em virtude desta Constituição os cardeais-bispos, os cardeais-presbíteros e os cardeais-diáconos congregam para formar um corpo único, um verdadeiro e próprio organismo específico, recebendo posteriormente o nome de Sacro Colegio, pois são investidos de uma idêntica e específica tarefa, justo pela qualificação de ‘cardeal’ que recebem, ou seja, eleger o Papa, a atribuição que têm até os dias de hoje. (JE)

Conclave: alguns dados estatísticos

Cidade do Vaticano (RV) – Algumas curiosidades sobre o Conclave. O próximo, a ter início amanhã terça-feira, 12 de março, será o 75º desde o ano de 1.274, ou seja, desde que foi instituído na forma como é conhecido hoje.


Em 1958 foram necessários 11 escrutínios em 4 dias, para eleger João XXIII. Em 1963, Paulo VI foi eleito no 6º escrutínio, após 3 dias de Conclave. João Paulo I foi eleito em 1978 no 4º escrutínio realizado no 2º dia. No mesmo ano, João Paulo II foi eleito na 8ª votação, realizada no terceiro dia.
Bento XVI foi eleito em 2005, no 4º escrutínio, em 36 horas de Conclave. Um Conclave tão breve teve lugar em 1939, quando Pio XII foi eleito no 3º escrutínio.
Os dados a seguir indicam o tempo transcorrido entre a visualização da fumaça branca e o momento em que o novo Papa aparece no Balcão Central da Basílica de São Pedro:
Pio XII: fumaça branca às 17h25min e Papa se apresenta no Balcão 42
minutos após, às 18h07min.
João XXIII: fumaça branca às 17h08min e Para se apresenta após 55 minutos,
às 18h03min.
Paulo VI: fumaça branca às 11h27min e Papa aparece no Balcão 45 minutos
depois, às 12h12min.
João Paulo I: fumaça branca às 18h25min e o Papa se apresenta após 55
minutos, às 19h30min.
João Paulo II: a fumaça branca às 18h27min. Às 18h42min o Cardeal Proto-
diácono Pericle Felici faz o anúncio. Às 19h20min o novo Papa aparece para
a bênção
Bento XVI: fumaça branca às 17h52min. Sinos tocam às 18h05min. O Cardeal
Proto-diácono Jorge Medina Estevez faz o anúncio do Habemus Papam às
18h45min e às 18h48min o Papa aparece no Balcão para saudar a multidão.
No quadro abaixo, os pontificados mais longos da história da Igreja:
I – PEDRO – de 33 a 64/67: 31 ou 34 anos
II – PIO IX – de 16 junho de 1846 a 7 fevereiro de 1878: 31 anos, 7
meses e 22 dias
III – JOÃO PAULO II – de16 outubro de 1978 a 2 de abril de 2005: 26
anos, 5 meses e 18 dias
IV – LEÃO XIIIde 20 fevereiro de 1878 a 20 julho de 1903: 25 anos, 4
meses e 29 dias
V – PIO VI – de 22 fevereiro de 1775 a 29 agosto de 1799: 24 anos, 6
meses e 6 dias
VI – ADRIANO I – de 772 a 795: 23 anos, 10 meses e 25 dias
VII – PIO VII – de 1800 a 1823: 23 anos, 5 meses e 6 dias
VIII – ALESSANDRO – de 1159 a 1181: 21 anos, 11 meses e 2 dias
Os Pontificados mais breves:
I – URBANO VII – 15 setembro à 27 setembro de 1590: 13 dias
II – BONIFACIO VI – 10 abril à 26 abril de 896: 16 dias
III – CELESTINO IV – 25 outubro à 10 novembro de 1241: 17 dias
IV – SISINNIO – 15 janeiro à 4 fevereiro de 708: 21 dias
V – TEODORO II – dezembro 897: 21 dias
VI – MARCELLO II – 10 abril à 1 maio de 1555: 22 dias
VII – DAMASO II – 17 julho à 9 agosto de 1048: 24 dias
VIII – PIO III – 22 setembro à 18 de outubro 1503: 27 dias
IX – LEÃO XI – 1 abril à 27 abril de 1605: 27 dias
X – BENTO V – 22 maio à 23 junho de 964: 33 dias
XI – JOÃO PAULO I – 26 agosto à 28 setembro de 1978: 34 dias
(JE)

Março 11, 2013 Posted by | jornalismo, religioso | , , , , | Deixe um comentário

Homem cai de uma altura de 100m com asa-delta em Saquarema, RJ

Carlos Alberto da Cunha de 47 anos fraturou duas pernas e também teve ferimentos no rosto.
Queda aconteceu depois que uma das asas rasgou; ele está em hospital.

Do G1 Região dos Lagos

asa-delta cai em saquarema (Foto: Daniel Mendes/Arquivo)Vítima foi encaminhada para hospital da cidade; ele fraturou as duas pernas (Foto: Daniel Mendes/Arquivo)

Um homem ficou ferido depois de cair de asa-delta em Saquarema, Região dos Lagos do Rio de Janeiro, na tarde deste domingo (10). Segundo o Corpo de Bombeiros, Carlos Alberto da Cunha, de 47 anos, estava voando quando uma das asas rasgou e ele caiu de uma altura de 100m de altura. Ainda segundo os bombeiros, com o acidente ele fraturou as duas pernas e também teve ferimentos no rosto. O pior não aconteceu já que a queda aconteceu em um lugar com vegetação alta.

O Asa-delta é conhecido como trike, por ter uma cadeira. Testemunhas disseram que Carlos voa há muito tempo na cidade e que ficaram surpreendidos com o acidente. O trabalho do Corpo de Bombeiros foi elogiado, pois chegaram em poucos minutos. Seis homens foram enviados para atender a ocorrência. Carlos Alberto é conhecido na região por ser um dos mecânicos mais antigos do município. A vítima foi encaminhada para o hospital da cidade e passa bem.

Março 11, 2013 Posted by | acidente aéreo, jornalismo | , , | Deixe um comentário

Maricá marca presença no Debate do Plano Estadual de Cultura do RJ

Com a Cultura, pela Cultura. Petistas fluminenses construindo política cultural.

A Secretaria de Cultura do PT trabalha para construir uma política cultural diversa, ampla e democrática no Estado do Rio de Janeiro.

Maricá esteve presente representada pelo Secretário Municipal de Cultura Sérgio Mesquita e sua Assessora Myrtes Almada
Neste sábado, 09/03/13, a Secult PT/RJ realizou importante evento para debater o Plano Estadual de Cultura do Estado do Rio de Janeiro.

O Governo Estadual disponibilizou no site da SEC-RJ um minuta do Plano para consulta pública. O debate teve como objetivo principal a emissão de um documento com as propostas prioritárias em conformidade com as bandeiras que o PT defende, como por exemplo "um modelo de gestão democrático que garanta a participação social", "A Cultura como Direito Social" , "A Regionalização das Políticas Culturais – Descentralização", dentre outras.

69888_554247381276710_1425285564_n542762_554248104609971_304712582_n549219_554247704610011_1750572944_n601543_554247494610032_1964376826_n602834_554247234610058_1118653219_n O encontro foi realizado na Câmara de Vereadores de Niteroi, cidade onde o PT governa. Além dos militantes da cultura e membros do Coletivo Estadual de Cultura do RJ, estiveram presentes Jorge Florêncio ( presidente do PT), Robson Leite (Depudado Estadual), Édson Santos ( Deputado Federal) , Leonardo Giordano ( Vereador e presidente da Comissão de Cultura e Patrimônio), Jauster Lima ( secretário Meio Ambiente – PT), Tiago Santana ( Superintendente de Juventude – Gov. Estado), Rafael Almada ( pré Reitor do IFRJ), Lino Rocca ( do Baixada Encena), Delmar Cavalcante ( SEC-RJ), Bernato Mata Machado ( MinC – diretor da SAI) , Lia Calabre ( Casa de Rui Barbosa), Victor de Wolff ( Fundação de Cultura de Niteroi), Fábio Lima ( membro efetivo do Coletivo Nacional de Cultura do PT), Marcelo Velloso ( MinC RJ/ES), Eduardo Lurnel ( Ancine), Vivi Martins ( SEAS-DH/RJ), Morgana Eneile ( assessoria especial do MinC), enfim, diversos colaboradores e militantes culturais, artistas, agentes e gestores culturais de diversos municípios do RJ.

427_554247644610017_1237685624_n

482654_554247284610053_1204866977_n Maricá marcou presença no Debate do Plano Estadual de Cultura do RJ, com a presença do Secretário Municipal de Cultura Sérgio Mesquita e sua assessora Myrtes Almada.

No dia 15/03 haverá reunião com o Senador Lindberg Farias, o presidente Jorge Florêncio e 10 membros efetivos do Coletivo Estadual ( número determinado pela Direção Estadual).

No dia 23/03 , sábado, haverá a reunião mensal ( dia inteiro) com todos os membros da Secretaria. ( Rio de Janeiro, 10/03/13 – Álvaro Maciel).

Março 11, 2013 Posted by | cultura, jornalismo, Maricá | | Deixe um comentário