Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Depois de baixar tarifa, Prefeitura de Maricá ataca monopólio com empresa municipal de ônibus

Texto: Marcelo Ambrosio (edição: Marcelo Moreira)

A anulação do decreto que concedia o reajuste das tarifas de ônibus no município de Maricá, anunciada nesta quarta-feira (19/06) pelo prefeito Washington Quaquá, é um passo importante na luta da cidade por mudanças estruturais no setor de transporte, mas não encerra a mobilização do Executivo em prol de reformas profundas, que continuará nesta sexta-feira (21/06) com o ato público“Contra o monopólio do transporte coletivo em Maricá”, marcado para as 16h, no Centro da cidade.

Além de baixar o valor das tarifas municipais, o prefeito anunciou mais uma medida de impacto: a criação da Maricá Trans, a companhia municipal de transportes, em cujo âmbito será implantada uma empresa municipal de ônibus. O projeto vem sendo desenvolvido há 90 dias. “Antecipamos a compra dos primeiros dez veículos de um total de 25, para a linha que funcionará entre o Recanto, em Itaipuaçu, e Ponta Negra, 24 horas por dia”, adiantou Washington Quaquá, ressaltando que a anulação do aumento não implica em qualquer tipo de subsídio aos concessionários do serviço, como ocorreu em algumas capitais. “A diferença será por conta da margem de lucro das empresas”, completou. Vale ressaltar que o aumento das passagens de ônibus em Maricá (agora revogado) fora concedido no dia 28/05, antes da decisão do Governo Federal de desonerar impostos para o setor de transporte público.

De acordo com o modelo já licitado pela Prefeitura, os ônibus da empresa municipal terão capacidade de transportar entre 38 e 46 passageiros sentados, serão todos equipados com ar condicionado, acessibilidade para portadores de necessidades especiais e contarão ainda com cobradores. O investimento da Prefeitura na aquisição dos ônibus é de R$ 10,5 milhões e a previsão é que os primeiros veículos sejam entregues em 60 dias. “Ainda não fechamos o valor da tarifa, mas deverá ficar em torno de R$ 2”, completou o prefeito. A linha, que por ser municipal não depende de autorização estadual, vai começar a operar provavelmente a partir da segunda metade de agosto e ligará as duas extremidades de Maricá.

Outra informação relevante é que o passe livre nos ônibus, uma das principais reinvindicações atualmente em todo o país, já existe para estudantes de Maricá. Alunos de cursos técnicos ou de universidades que precisam se deslocar para fora do município já utilizam, há mais de um ano, o Bilhete Único Universitário. Pelo sistema, a Prefeitura paga mensalmente o valor referente às passagens, por meio da recarga dos cartões cadastrados junto à secretaria municipal de Assistência Social. Não há qualquer gasto para o aluno.

Histórico do monopólio

Poucos municípios brasileiros possuem uma situação tão emblemática e antiga em termos de monopólio nos transportes públicos. Em Maricá, a mesma empresa controla o setor há décadas – e impede qualquer iniciativa junto ao estado que implique em concorrência e melhoria na qualidade do serviço, tanto dentro do município quanto na ligação intermunicipal. Nem mesmo a importante ligação entre Maricá e Itaboraí (leia-se Comperj), já prevista, tem prazo para sair do papel.

Entre janeiro de 2009 e dezembro de 2012, o Prefeito Washington Quaquá enviou pelo menos sete ofícios ao governo estadual – tanto diretamente ao governador Sérgio Cabral quando ao Departamento Estadual de Transportes (Detro) – cobrando a autorização para novas linhas intermunicipais. "Tenho legitimidade para cobrar por que ninguém mais do que eu brigou por isso", encerrou o prefeito. Até hoje, nenhuma das solicitações por ele encaminhada foi atendida.

Anúncios

Junho 21, 2013 Posted by | jornalismo, Maricá, transporte | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá decreta ponto facultativo a partir das 13h desta sexta-feira

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Moreira)

A prefeitura de Maricá decretou ponto facultativo (decreto nº 118) a partir das 13h desta sexta-feira, dia 21/06, devido à realização do manifesto “Contra o monopólio do transporte coletivo de Maricá”, que será realizado na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, às 16h.

Nesta quarta-feira, dia 19/06, o prefeito Washington Quaquá comunicou que, na terça-feira, 18/06, revogou o reajuste das tarifas de ônibus da cidade. O valor da passagem volta dos atuais R$ 2,90 para R$ 2,70. O decreto já foi assinado pelo prefeito e será publicado na edição do Jornal Oficial do Município (JOM).

Junho 21, 2013 Posted by | jornalismo, Maricá | Deixe um comentário

Casa de Cultura lança nesta quinta-feira nova exposição sobre história de Maricá

Texto: Marcelo Moreira (edição: Marcelo Ambrosio) | Fotos: Clarildo Menezes e Divulgação

Casa de Cultura lança nesta quinta-feira nova exposição sobre história de Maricá – Foto: Clarildo Menezes

Resgatando fatos históricos e curiosidades sobre Maricá, a prefeitura lança nesta quinta-feira, dia 20/06, a da exposição inédita “Das Simbólicas Sesmarias aos atuais Distritos de Maricá”. A abertura da exposição será às 17h, na Casa de Cultura (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel). A exposição é fruto de uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura e de Desenvolvimento Urbano, sob a curadoria da historiada Maria Penha de Andrade Silva e da arquiteta urbanista Renata Aymoré Araújo Gama.

A exposição surgiu das pesquisas para o Inventário do Patrimônio Histórico do Município de Maricá. De acordo com Maria da Penha, um dos objetivos é levar à população o conhecimento da formação administrativa do município. “Nossa história tem que ser valorizada e repassada para as novas gerações”, destacou a historiadora, que há mais de 30 anos pesquisa as origens da cidade.

Uma das curadoras da mostra, a arquiteta e urbanista Renata Gama, destaca que a cidade possui ampla riqueza tanto na área ambiental quanto histórica. “Muitos desconhecem a história de Maricá, suas curiosidades e infinitas belezas. E é isso que estamos resgatando, a identidade do povo maricaense”, frisou Renata, que consultou acervos do Mosteiro de São Bento, Arquivo Nacional, Biblioteca Nacional, Biblioteca da Ajuda (Lisboa) e da arqueóloga Nanci Vieira de Oliveira.

São 13 banners com fotos históricas, mapas e textos, que permitem ao visitante viajar no tempo e conhecer alguns dos momentos mais marcantes da história do município, como o mapa de 1574 da Baía de Guanabara arquivado na Biblioteca da Ajuda, em Lisboa, Portugal, que traz a primeira referência ao nome Maricá, citado com “Ylhas Maricaha ou de maricahaa”.

Outro fato marcante apresentado na exposição é o reconhecimento da Vila de Santa Maria de Maricá, por meio do alvará de 26 de maio de 1814. Segundo Renata Gama, o povoado era localizado no entorno da Fazenda de São Bento e era composto por 4.800 pessoas (em torno de 800 casas). Em reconhecimento ao crescimento do local, o príncipe regente da época reconheceu o espaço como vila, segundo documentos do acervo do Arquivo Nacional.
O público também terá acesso à evolução histórica dos distritos de Maricá, como a apresentação por meio de mapas da constituição por D João VI, em 1815, do distrito sede. Segundo Renata, a escolha dos locais-sede era definida de acordo com a importância do local naquele momento histórico. Em 1892, foi criado o 2º distrito, com sede em Ubatiba. Ao longo dos anos, a sede desse distrito passou por outros locais e atualmente é em Ponta Negra. Em 1926, foi criado o 3º distrito em Inoã e, em 1990, a lei orgânica municipal cria o 4º distrito com sede em Itaipuaçu.

Dentre outras curiosidades retratadas na exposição, conta-se que o índio tupinambá Inhampopoi tinha grande curiosidade em atravessar as águas avassaladoras do Boqueirão e que somente faria isso quando ouvisse o canto da ave Macaá, hoje extinta na região. Outro fato interessante é sobre a Pedra de Urubuqua, localizada no bairro Flamengo. Os tupinambás veneravam o espaço com rituais de dança no mês de abril por acreditarem que os espíritos do mal iriam para esta pedra em sinal de respeito.

A exposição “Das Simbólicas Sesmarias aos atuais Distritos de Maricá” ficará aberta para visitação até o dia 07 de julho, de segunda à sexta, das 9h às 17h, e às quartas-feiras, até às 21h.

Alvará de criação da Vila de Santa Maria de Maricá, de 26 de maio de 1814. Foto: Arquivo Nacional

Antiga Casa de Câmara e Cadeia. Hoje, Casa de Cultura que abriga esta exposição. Foto: INEPAC

Recanto de Itaipuaçu antes do loteamentos – Fotos: Cominat

Pedra de Urubuqua: os índios acreditavam que os espíritos do mal iriam para lá. Foto: Renata Gama

Mapa de 1574 arquivado em LiPortugal que traz a primeira referência ao nome Maricá

Junho 21, 2013 Posted by | cultura, Exposições, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto social | | Deixe um comentário