Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Maricá: proprietários de aeronaves estacionadas no aeroporto retiram equipamentos Destaque

Um dia depois de a Prefeitura ter decretado a suspensão das operações no aeródromo municipal de Maricá, representantes de empresas e proprietários de aeronaves procuraram a secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico nesta quinta-feira, 12/09, para obter a autorização de retirada.

De acordo com o secretário Lourival Casula, o fechamento do aeródromo não impede os proprietários de qualquer bem guardado no local de retira-lo. A prefeitura decidiu fechar o aeródromo após o acidente, nesta quarta-feira, durante um vôo de instrução. O avião caiu sobre casas em pleno centro da cidade, a aproximadamente 800 metros da pista, matando o piloto e deixando o aluno ferido. Até o fim do expediente, sete empresas tinham feito o pedido formal, com a apresentação da documentação de propriedade da aeronave e um documento que comprove que a pessoa tem autoridade legal sobre o bem. A autorização de retirada é expedida na hora, com liberação imediata. Com isso, pelo menos cinco aviões deixaram o aeródromo durante o dia, dos doze autorizados. O secretário de Desenvolvimento Econômico alerta para que as outras aeronaves e equipamentos sejam retirados logo. "A Prefeitura já está providenciando a interrupção da pista junto à Agência Nacional de Aviação Civil.

Depois que a ordem chegar, nada mais poderá decolar ou pousar dali", alerta Lourival Casula.

A interdição do aeródromo de Maricá é parte da batalha judicial enfrentada pela Prefeitura para reaver e reordenar o local, já que todo o controle é feito por empresas instaladas irregularmente no terminal. De acordo com determinação do TCE, que considerou ilegais as doações das áreas sem licitação, os alvarás de funcionamento dessas empresas foram cassados no ano passado e nenhuma tem mais qualquer autorização que garanta sua operação.

Anúncios

Setembro 14, 2013 Posted by | aviação, jornalismo, Maricá | , | Deixe um comentário

Sine Maricá oferece 280 vagas de emprego para o Comperj

 O Serviço Nacional de Emprego (Sine) de Maricá, administrado pela secretaria municipal de Trabalho e Emprego, oferece 280 novas oportunidades de emprego para trabalhar no Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro). As vagas são para repositor, caldeireiro, eletricista, eletricista montador, encanador industrial, encarregado de andaime, encarregado de solda, encarregada de tubulução, lixador, maçariqueiro, mecânico ajustador, mecânico montador, montador de estrutura, montador de andaime, pintor industrial e soldador.

Como pré-requisito é necessário que o candidato possua, no mínimo, um ano de experiência comprovada na carteira de trabalho.

Os interessados devem ir até a sede do Sine, no primeiro andar da Prefeitura de Maricá (Rua Álvares de Castro nº 346, Centro), a partir da próxima segunda-feira (16/09), das 9h30 às 16h. É necessário entregar currículo atualizado, o número do PIS e cópias dos seguintes documentos: carteira de trabalho, identidade, CPF e comprovante de residência. Os salários variam de acordo com as vagas e os candidatos serão informados sobre os benefícios, horários de trabalho e outros detalhes durante o processo de seleção.

Sine de Maricá

Funcionando como um intermediário entre empresas e o trabalhador, o Sine de Maricá é responsável por orientar pessoas em busca de reinserção profissional ou aqueles que procuram o primeiro emprego, na cidade e na região. Os serviços do Sine são coordenados pela secretaria municipal de Trabalho e Emprego, em parceria com a secretaria de Estado de Trabalho, e são gratuitos.

Setembro 14, 2013 Posted by | COMPERJ, jornalismo, Maricá, oportunidade de emprego | Deixe um comentário

Procon acompanha descarte de 10 toneladas de produtos vencidos encontrados em supermercado de Maricá

Até às 17h desta sexta-feira (13), 10 toneladas e 470 quilos de produtos vencidos retirados do Supermercado Estrela do Sul, do Centro, já tinham sido levados por um caminhão compactador de lixo para o aterro de Itaboraí

Fonte: Procon 13.09.2013 – 19:46

13_09_(7)_-_a_1379112393.47.jpg A filial da rede de supermercados Estrela do Sul, localizada no Centro de Maricá, na Rua Domício Gama, foi interditada pelos fiscais do Procon-RJ na quinta-feira (12-09), em razão da quantidade recorde de alimentos vencidos encontrada em um só lugar este ano.

Nesta sexta-feira (13-09) o material, encontrado no frigorífico da loja, continuou a ser computado, e o Procon acompanhou o descarte de 10 toneladas de alimentos fora do prazo de validade. Os alimentos foram recolhidos pela Kat Ambiental, empresa responsável pela coleta de lixo na cidade, e levado diretamente para o aterro sanitário de Itaboraí. Os funcionários da empresa continuam trabalhando na retirada dos produtos, o volume irá aumentar ao final do descarte.
"Essa quantidade de alimento vencido armazenado é a maior já apurada em todas as fiscalizações do Procon-RJ este ano. É um desrespeito ao consumidor, um crime contra a saúde pública. O dono desse supermercado tem que ser punido por esta maldade. Alguns alimentos estavam vencidos há mais de um ano", disse a secretária estadual de Proteção e Defesa do Consumidor", Cidinha Campos.
Até às 17h desta sexta-feira (13), 10 toneladas e 470 quilos de produtos vencidos já tinham sido levados por um caminhão compactador de lixo para o aterro de Itaboraí. A quantidade de alimentos fora do prazo é ainda maior, uma vez que o total encontrado ainda não foi todo computado.

A interdição do supermercado Estrela do Sul ocorreu durante a Operação Ouro Negro, da Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), que tem por objetivo fiscalizar o comércio de Maricá, na região dos Lagos. A ação contou com o auxílio de policiais militares da equipe de operações da 4ª CIA, vinculados ao 12º BPM de Niterói e policiais civis da 82ª DP. Toda a operação de recolhimento e descarte dos produtos do supermercado foi acompanhada pelo presidente do Procon-RJ, João Oliveira

. A multa a ser paga pela rede será calculada pelo departamento jurídico do Procon-RJ e pode variar entre 200 e 3 milhões de UFIRs, dependendo da quantidade final apurada, do estado dos alimentos e do tipo de atividade exercida no local.

"É impressionante, não tem explicação. O responsável tem de ser punido, pois quem faz isso é muito perigoso. Isso é um crime hediondo contra a população", comentou a secretária de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor Cidinha Campos.
Com a grande quantidade de produtos irregulares encontrado na filial do Estrela do sul, a operação do Procon-RJ só foi em mais dois outros supermercados do município: a filial do Multi Market de Inoã, onde foram encontrados 54,7 quilos de produtos vencidos e 147,5 quilos de alimentos sem informação de prazo de validade; e Princesa Supermercado, que tinha 125,2 quilos de alimentos sem data de vencimento definida. As lojas Tintas Caper, Codeplast, Bia Calçados e Giro Lar e Lazer não apresentaram irregularidades.
Balanço da Operação Ouro Negro:
1 – Princesa Supermercados – 121kg e 700g de carré suíno e 3kg e 500g de salsicha sem especificação;
2 – Multi Market (Inoã) – 54kg e 700g de produtos vencidos entre requeijão, presunto, bacon, salsicha, coração e rabo de boi, 4kg de filé de merluza com validade de 14 de abril e 147kg e 500g de alimentos sem informação quanto prazo de validade entre língua, bucho, mocotó, carré, rabada e coração de boi;
3 – Supermercado Estrela do Sul (Centro) – 5 toneladas e 368kg de alimentos impróprios para consumo entre vencidos, deteriorados e sem informação quanto ao prazo de validade: farofa, arroz, coração de galinha, costela suína, mortadela, almôndega, risoto, linguiça, presunto, lombo canadense, uva passa, requeijão, bacon, salsicha, margarina, queijos, salame, hambúrguer, patê, ervilha, champignon, feijão, cerveja, bucho, filé de peixe, pernil, batata palito, pé de boi, miúdos, pão de queijo, rabada, pizza, entre outros.

Setembro 14, 2013 Posted by | Defesa do Consumidor, jornalismo, Maricá | , | Deixe um comentário