Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

"Maricá + Verde" realiza plantio de árvores em escola de São José do Imbassaí

Texto: Sérgio Renato | Fotos: Fernando Silva

Os estudantes tiveram a ajuda das mães na hora de plantar as mudas

Alunos e mães plantaram espécies nativas da Mata Atlântica

A Secretaria de Ambiente de Maricá realizou, nessa quinta-feira (10/4), mais uma ação do Maricá + Verde, projeto lançado no dia 21 de março, com coordenação do vice-prefeito, Marcos Ribeiro. Desta vez, alunos da E. M. Cônego Batalha, no Marine, em São José do Imbassaí, participaram do plantio de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, como pau-brasil, palmeira imperial e ipê (roxo, rosa e amarelo), além de árvores frutíferas, como sapoti e graviola.

Os estudantes do segundo turno da escola tiveram a ajuda das mães na hora de plantar as mudas. “Eles estavam ansiosos por este evento e mostraram muito entusiasmo. Fico feliz por nossa escola ser a primeira a receber esta ação, que entendo como um processo multiplicador que as crianças vão levar para casa”, ressaltou a diretora da unidade, Edina Pinheiro Xavier.

O subsecretário municipal de Ambiente, Evandro Sathler, colocou a mão na terra junto com as crianças e lembrou que será criado ainda no local um canteiro para horta, além de uma ‘oficina de mudas’, onde os alunos vão aprender a forma correta de plantio. Ele antecipou que a próxima escola a receber a ação do Maricá + Verde será a E.M. Vereador Levy Carlos Ribeiro, também em São José do Imbassaí.

Tanto Evandro Sathler quanto o secretário municipal de Ambiente, Tiago de Paula, consideraram um sucesso o plantio na escola. “Em breve, as árvores plantadas vão gerar o que chamamos de ‘conforto térmico’, ou seja, elas vão reduzir a incidência dos raios solares sobre o prédio e oferecer um ambiente mais agradável para toda a comunidade escolar”, disse Tiago, lembrando que as árvores serão plantadas em demais escolas onde houver espaços destinados a este propósito, sempre em harmonia com os projetos de expansão e reforma de cada unidade.

Sobre o projeto

O projeto Maricá + Verde foi lançado na semana em que foram comemorados o Dia Municipal da Mata Atlântica (21/3) e o Dia Mundial da Água (22/3). Na ocasião, o prefeito Washington Quaquá participou do plantio de mudas às margens do Rio Mumbuca, ao lado de estudantes da E. M. Professora Ondina de Oliveira Coelho. O vice-prefeito, Marcos Ribeiro, e o presidente da Câmara de Vereadores, Fabiano Horta, além de outros membros da equipe de governo e do legislativo municipal, participaram da ação.  O objetivo estratégico do projeto é recuperar as áreas de preservação permanente (APP), situadas às margens de córregos e rios.

Os alunos, do turno da tarde, da Escola Municipal Cônego Batalha

Anúncios

Abril 12, 2014 Posted by | Ecologia, Educação, jornalismo, Maricá, meio ambiente | Deixe um comentário

Diretor de filme prestigia projeto cultural de Maricá

Texto: Fernando Uchôa e Valéria Vianna (edição: Raquel Andrade) | Fotos: Clarildo Menezes

Diretor do filme, Cesar Garcia Lima, esteve presente na sessão de quarta-feira (09/04)

Na Casa de Cultura, no Centro de Maricá, na quarta-feira (09/04), foi exibido o filme "Soldados de Borracha", do diretor Cesar Garcia Lima, que esteve presente na sessão. Além dele, participaram da ocasião o secretário municipal de Cultura, Sérgio Mesquita, e o subsecretário Xavier Zola. A apresentação do documentário integra o projeto Cineclube Henfil, que no mês de abril aborda o tema “O Brasil não conhece o Brasil”.

O curta-metragem, com 26 minutos de duração, retrata a saga dos 14.500 nordestinos enviados aos seringais amazônicos, durante a Segunda Guerra Mundial, para ajudar no fornecimento de borracha para os Estados Unidos. Através de quatro personagens reais, que viveram a Batalha da Borracha, assim conhecida, o diretor Cesar Garcia Lima apresenta depoimento de familiares e amigos dos seringueiros, fotos de arquivo e cenas gravadas no Rio Branco, Plácido de Castro e Xapui, no Acre, onde vivem muitos aposentados da categoria.

“Em 2000, iniciei o projeto do filme. Usei imagens antigas do Arquivo Nacional, do Arquivo do Estado do Acre, além de fotos de família e filmagem. Depois de nove anos, com apoio do Etnodoc (Museu do Folclore), Petrobras e outros patrocínios consegui realizar o filme, que ganhou o prêmio de Melhor Documentário Estrangeiro no Festival de Austin, no Texas (EUA), em 2010", orgulha-se o diretor, que assina também o roteiro do filme.

Presença importante para a cidade

Durante a exibição do filme Soldados de Borracha, o diretor Cesar Garcia Lima se mostrou bastante impressionado com o trabalho desenvolvido no município em prol do cinema. Recepcionado pelo secretário municipal de Cultura Sérgio Mesquita, conheceu de perto as obras do Centro Cultural Henfil, no Centro, acompanhado do subsecretário Zola Xavier e do professor de teatro Álvaro Ferreira.

Para Cesar, a busca do diálogo com culturas de outras localidades e com sujeitos sem vozes na mídia tradicional é o mais importante. “Seringueiros sem acesso a nada, sem acesso à mídia e, acima de tudo, sem acesso à educação, a maioria nordestinos, que migraram para o Acre em busca de possibilidades”, comentou o diretor. Emocionado, aponta o trecho final da película como o mais comovente, por dar voz a quatro soldados da borracha verbalizando o que faltava na vida deles.

O secretário municipal de cultura, Sérgio Mesquita, comemorou a vinda do diretor a Maricá. “É uma satisfação ter o César em Maricá no dia da exibição de Soldados da Borracha, um filme que mostra a transferência de muitos cearenses para o Acre, na Segunda Guerra Mundial, num trabalho que visava abastecer os Estados Unidos de borracha. E que, uma vez acabado esse ‘ciclo’, deixou os seringueiros sem eira nem beira. Um tema importante de ser conhecido pelos estudantes e pelos maricaenses em geral”, frisou Mesquita.

O subsecretário Zola Xavier, por sua vez, ressaltou o documentário como o pagamento de uma dívida histórica com esses seringueiros, heróis anônimos que, segundo ele, não poderiam ficar esquecidos.  

DSCN3748DSCN3750DSCN3751DSCN3754DSCN3756DSCN3760DSCN3764DSCN3765DSCN3768DSCN3769DSCN3773DSCN3775DSCN3778DSCN3779DSCN3782DSCN3783

Público presente

A funcionária pública Nara Lima, de 33 anos, levou o filho João Gabriel Lima da Costa, de 9 anos, para assistir o filme. Mãe e filho gostaram do documentário escolhido. "Passamos a frequentar as sessões do Cineclube recentemente, quando meu filho veio pesquisar sobre a Revolução de 1964, aqui na Casa de Cultura. Passamos então a assistir os filmes sobre a época. Gostamos muito, por isso voltamos", disse Nara. Já Gabriel afirmou que vai contar a história aos professores e colegas da escola onde estuda.

Luís Gustavo de Souza, estudante de Cinema da Universidade Federal Fluminense (UFF) e coordenador das oficinas de cinema da Casa de Cultura, apreciou a concisão do filme. "Cesar Garcia conseguiu recontar um tema importante de nossa história, em resenha documental e informal, ao mesmo tempo, intercalando fatos, depoimentos e narrativas. Precisamos de outros filmes brasileiros nesta categoria, pois a História do Brasil tem de ser recontada em seus muitos aspectos", comentou. Gustavo já ganhou prêmio no Festival Internacional de Florianópolis (SC) pela direção de um audiovisual e, atualmente, prepara com seus alunos um documentário sobre o folclore de Maricá.

Documentário retrata a saga dos 14.500 nordestinos enviados aos seringais amazônicos, durante a Segunda Guerra Mundial

Secretário de Cultura, Sérgio Mesquita, subsecretário Zola e diretor do filme debateram o assunto com o público

Abril 12, 2014 Posted by | arte, cinema / produção, cultura, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto cultural | , , , | Deixe um comentário