Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Abertura da mostra indígena na Casa de Cultura de Maricá atrai admiradores da tribo Tupi-Guarani

Exposição em homenagem a cultura indígena abre os festejos dos 200 anos de Emancipação Política Adminstrativa de Maricá, resgatando as raízes da nossa história

Historiadora Maria Penha orgulhosa com o resultado de um trabalho bem feito.Exposição em homenagem a cultura indigena, Casa de Cultura de Maricá. foto 2 Renata Gama

Exposição em homenagem a cultura indigena, Casa de Cultura de Maricá. foto 4 Renata Gama Exposição em homenagem a cultura indigena, Casa de Cultura de Maricá. foto Renata Gama

Exposição em homenagem a cultura indigena, Casa de Cultura de Maricá. foto 3 Renata Gama artesanato indigena pau de chuva e zarabatana

Os pequenos indios da Aldeia da Mata Bonita gostaram de se ver retratados na exposiçãoindias da Aldeia da Mata Verde Bonita

artesanato indigena mini escuturas em madeira. foto Renata Gama armas e artesanto indigena

artesato indígena, Aldeia Mata Verde Bonita foto 3 de Renata Gama artesanato indígena, rede feita a mão, Aldeia da Mata Verde Bonita. foto Renata Gama.

escultura em madeira, artesanato indígena Aldeia Mata Verde Bonita, foto 2 Renata Gamaescultura em madeira, artesanato indígena Aldeia Mata Verde Bonita, foto Renata Gama

A abertura da exposição “A Herança Indígena em Terras Maricaenses”, na Casa de Cultura de Maricá, atraiu muita gente na noite de quinta-feira (15.05), curiosa da vida e cultura do povo Tupi-Guarani, que habita a localidade desde antes de sua origem e influenciou fortemente os moradores da cidade. Entre as inúmeras pessoas que prestigiaram a mostra, a primeira-dama Rosângela Zeidan, que não poupou elogios.

A lider da Aldeia da Mata Verde Bonita, e a primeira dama de Maricá Rosangela Zeidan“É muito importante enaltecermos o lugar dos índios em nossa história, principalmente agora que vamos comemorar os 200 anos de emancipação do município”, disse a primeira dama Rosangela Zeidan ao comentar sobre a exposição.

Coral da Aldeia da Mata Verde Bonita A pequena Sophia, filha do cacique Darcy Tupã, participou do coral, encantando os presentes, 2O coral da tribo Tupi Guarani, da Aldeia da Mata Verde Bonita, abriu a exposição “A herança Indígena nas Terras Maricaenses”

Secretário Municipal de Cultura de Maricá, Sérgio Mesquita durante a abertura da Exposição em Homenagem a Cultura Indígena. Um resgate da raiz da história de Maricá. Secretário Municipal de Cultura de Maricá Sérgio Mesquita abrindo a exposição A Herança Indígena nas Terras Maricaenses

Em sua  fala na abertura, o Secretário Municipal de Cultura de Maricá, Sérgio Mesquita disse: Nós “civilizados” temos muito a aprender com este povo “primitivo”. Como rápido exemplo, o respeito que possuem pelas crianças e pelos mais velhos. Ou ainda, como eles coadunam suas raízes, suas histórias e tradições com a modernidade e a tecnologia. Diferente de nós, eles mantém suas tradições enquanto nós, esperamos a nova moda do momento e, trocamos nossos sacis e curupiras pelo Halloween.

Cacique Darcy Tupã durante sua fala na abertura da Exposição em homenagem a Cultura Indígena, na Casa de Cultura de Maricá. foto Renata GamaMestre de cerimonia Marcos de Dios relembrou a raiz da nossa história 

O cacique da Aldeia da Mata Verde Bonita, Darcy Tupã, lembrou com emoção, da ajuda e do apoio, que a tribo recebeu do prefeito de Maricá Washington Quaquá, no momento em que atearam fogo na aldeia em que eles viviam em Camboinhas, assista abaixo o vídeo produzido pelo jornalista Jorge André, com a fala do cacique e momentos importantes da abertura da exposição.

 

Assista o vídeo e veja como foi a abertura da exposição A herança Indígena nas Terras Maricaenses”

Historiadora Maria Penha falou com orgulho da exposição A historiadora Maria Penha, agradeceu a equipe de trabalho, mencioando a importância cultural dos indígenas e sua influência na cultura de Maricá.

O cerimonial ficou por conta do professor e historiador Marcos de Dios, que enfatizou a importância de resgatar as raízes da história do município. (na foto: subsecretário Municipal de Cultura de Maricá, Zola Xavier, o historiador Marcos de Dios e a historiadora Maria Penha).

Também presentes os secretários de Direitos Humanos, Miguel Moraes, de Educação, Adriana Luiza e o subsecretário de Turismo, Amilcar Júnior, além do indigianista, Tony Lotar, do vereador Robson Dutra, do presidente do ISSM, Luiz Carlos Bittencourt e da jornalista Lurian Silva. Da aldeia Mata Verde Bonita,  o Cacique Darcy Tupã ficou orgulhoso com a exposição e com a apresentação do coral da tribo, que encantou a todos com seu ritmo e afinação, também elogiados pelo cacique Carlos Tucano, representante da Aldeia Maracanã.

A idealizadora do projeto Rosely Pellegrino, o Cacique da Aldeia Maracanã, o Cacique Tupã, Maria Penha Historiadora e a arquiteta Renata Gama

Durante o coquetel, alunos do EJA da E.M. Domício da Gama aproveitaram a oportunidade para adquirir conhecimentos extraclasse, trocando informações sobre os objetos que observavam e sobre os textos informativos que liam, pesquisados pelas curadoras da exposição: historiadora Maria da Penha, professora Renata Toledo e arquiteta Renata Gama.

A mostra pode ser vista de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, até o dia 31 de maio na Casa de Cultura, que fica na Praça Orlando de Barros Pimentel, s/n.

Maiores informações: 3731.1432 (das 9h ás 17h)

Texto: Valéria Vianna e Rosely Pellegrino fotos Clarildo Menezes, Felipe Zeidan e Renata Gama

Anúncios

Maio 21, 2014 Posted by | cultura, direitos humanos, Exposições, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto cultural | , , , , , | 1 Comentário

Acadêmico conde Thiago de Menezes fará palestra na Academia Brasileira de Belas Artes

ACADEMIA BRASILEIRA DE BELAS ARTES

Fundada a 20 de abril de 1948
Órgão Consultivo do Governo Federal por força da Lei 1.101 de 12 de maio de 1950, e de entidade de utilidade pública, pela Lei 837 do Município do Estado do Rio de Janeiro.

Convite ABBA maio conde Thiago de Menezes

A Presidente da “ACADEMIA BRASILEIRA DE BELAS ARTES” convida V.Exa. e Exma. Família para palestra de nosso Acadêmico conde Thiago de Menezes, Presidente da FALASP, que apresentará o tema: “João Ramalho – Os Bandeirantes de São Paulo” com lançamento de seu livro “Os que fizeram a São Paulo de Piratininga: o CACIQUE TIBIRIÇÁ, BARTIRA e JOÃO RAMAL HO – Patriarcas da raça bandeirante”, seguido de chá Acadêmico de confraternização ao final do evento. Na ocasião haverá outorga do Diploma “João Ramalho”, comemorativo dos 40 anos de fundação da “Academia de Letras da Mantiqueira” aos acadêmicos ‘Honoris Causa’ Yacy Nunes, Horácio Ernani e Eliana Ovalle, assim como a outros membros correspondentes, todos constantes da obra a ser lançada.

OS QUE FIZERAM A SÃO PAULO DE PIRATININGA Para comemorar os 40 anos de fundação da "Academia de Letras da Mantiqueira", o autor conde Thiago de Menezes resume seus trabalhos apresentados nos Instituos Históricos e Geográficos, narrando a trajetória do povoador e bandeirante João Ramalho, do cacique Tibiriça e da índia Bartira, É fato que a povoação de São Paulo de Piratininga surgiu em 25 de janeiro de 1554 com a construção de um colégio jesuíta por doze padres, entre eles Manuel da Nóbrega e José de Anchieta, no alto de uma colina escarpada, entre os rios Anhangabaú e Tamanduateí.

Dia 23 de maio de 2014 (sexta-feira), às 16 hs

Endereço:

Rua Teixeira de Freitas nº 5 – 3º andar (Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro), esquina de Augusto Severo (Passeio Público), Glória, Rio de Janeiro – RJ ).

Maio 21, 2014 Posted by | cultura, jornalismo, literatura, social | , , , , | Deixe um comentário