Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Integração entre artistas e público marca Maricá Mostra Cultura 2014

Texto Valéria Viana. Fotos: Rosely Pellegrino, Juan Carlos E. Alvarez e Clarildo Menezes

DSCN5912DSCN5907IMG_3872 (1)DSC_6750DSC_6746DSC_6732

panoramica 1 8.06.2014

A marca fundamental da terceira edição da feira cultural Maricá Mostra Cultura, este ano, foi a total integração entre os artistas participantes, como a que aconteceu com a escultura “Sedução”, de Mauro Carvina, eternizada na tela pelo pintor Di Bonilho. Ainda dentro da socialização artística, Dawson Nascimento, esculpindo em madeira, e Nílton Torres, em pedra sabão e bronze, trocaram informações sobre suas respectivas técnicas de trabalho.

DSCN5898DSCN5578

DSCN5665DSCN5889

DSCN5671DSCN5882

DSCN5887DSCN5888

DSCN5884DSCN5891

DSC_6852DSC_6826

DSCN5810DSC_7169

Nessa realização,que aconteceu no sábado e domingo, dias 7 e 8 de junho, a Prefeitura de Maricá, através da Secretaria Municipal de Cultura reuniu mais de 50 pintores, artesãos e escultores, que instalados em uma estrutara de qualidade, puderam expor suas mercadorias, ao mesmo tempo que as confeccionavam suas peças diante das pessoas que passeavam entre as 24 tendas montadas na Praça Orlando de Barros Pimentel. O público, em geral, ficou bastante satisfeito com a qualidade das peças, além da organização da feira.

No palco artistas do município apresentaram sua arte nos variados estilos de dança, dentre ele o ballet clássico e a dança de rua, e shows musicais.

“Gostei de tudo, gostei do visual, da variação de atividades, dos produtos artesanais, de saber o que é produzido pelos nossos artistas aqui na cidade e, principalmente, das apresentações de dança, música e balé. Acho que isso deveria acontecer sempre”, comentou Carlos André, morador de Ubatiba há 12 anos.  Já segundo Antônio Oliveira, que também mora em Ubatiba, “esta foi, sem dúvida, a melhor edição.”  

O mestre da escultura Nilton Torres, comentou realizado, nunca antes havia encontrado, neste tipo de evento, tantos moradores de Maricá interessados em arte, isto é maravilhoso!!!.

Na tenda dos índios tupi-guarani da Aldeia da Mata Verde Bonita, muita gente encantada com o artesanato indígena, para a alegria do cacique Tupã: “Estou extremamente feliz com toda essa receptividade.” A mesma dispensada ao forró dos Moleques da Pisadinha, jovens índios com formação em música e CD lançado, normalmente vendido durante os shows.  

Nas apresentações musicais e de dança, No sábado, 07.06-2-14, no palco do Maricá Mostra Cultura: Amigos da Cultura, com Valentin e Dalva Alves, SEART (danças: cigana, do ventre, jazz, ballet clássico dentre outras), Jô Borges e Aldo Correa, Roberta Tilio Ricardo Agura, Ricardo Agura, Lina Bastos, Riko Dorileo com André na percussão, Eduardo Ferrari (dança de rua) e encerrando o Forró com Os Garotos da Pisada da Aldeia da Mata Verde Bonita. No domingo, segundo dia da feira cultural, passaram pelo palco, mostrando sua arte e recebendo os aplausos da platéia: Lucas (violão) e André (flauta), Grupo de dança da SEART, Edu Ferrari, Moreira Studio de Dança, que encerrou o evento com um grande baile.

IMG_3825 (1)IMG_3835 (1)IMG_3866 (2)IMG_3897IMG_3903IMG_3945DSC_6885DSC_6887DSC_6895DSC_6935DSC_6936DSC_6954DSC_6996DSC_7033DSCN5814DSCN5819Edu Ferrari dança de ruaDSC_7198DSC_7210DSC_7233DSC_7240DSC_7249DSC_7259DSCN5966DSC_7272DSC_7277DSC_7307DSC_7313DSC_7357DSC_7373DSC_7410DSC_7426DSC_7441

Sérgio Mesquita, secretário de Cultura, frisou a importância do evento: “Essa aproximação da arte feita em Maricá com os moradores e visitantes do município é cada vez mais necessária no sentido de valorizar nossos artistas, artesãos e todos que, de alguma forma, exercitam sua criatividade em prol da cultura maricaense”.

Para a subsecretária da pasta, Myrtes Almada, o resultado da mostra foi muito positivo. “Trouxemos a cultura para a rua, tirando das academias, por exemplo, as companhias de dança, tão habituadas a atuarem mais em locais fechados. Demos a elas a oportunidade de ir ao encontro de um público sedento por esse tipo de espetáculo. Como os artesãos e artistas plásticos, que encontraram na praça seus admiradores, compradores e novos fãs”, completou.

Junho 29, 2014 Posted by | arte, cultura, Dança, Exposições, Feiras e Eventos, jornalismo, Lazer, Maricá, musica | , , | Deixe um comentário

Projeto de legalização da maconha ganha abaixo assinado na internet

Fonte: Caminhos da Cultura

O ato de dar água aos manifestantes que se concentravam em frente ao Congresso em Brasília, há um ano, em junho de 2013, mudou a vida do Deputado Federal Eurico Jr. (PV – RJ).  O reconhecimento e a gratidão dos jovens, que através de milhares de mensagens nas mídias sociais elogiaram sua atitude de solidariedade e sua adesão ao cantar com eles o Hino Nacional, fez com que se engajasse nos temas da juventude e fosse o primeiro parlamentar a apresentar um Projeto de Lei de legalização do uso da maconha.

O projeto nº 7187/2014, apresentado no dia 25/02/2014 na Câmara Federal, agora tem um espaço próprio na internet para debate (www.facebook.com/maconhaafavor ) e um abaixo assinado para adesões, disponível em www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/29394.

O deputado Eurico Jr. explica que seu projeto, apresentado em um ano com eleições de Presidente da República, Senadores, Deputados Federais, Governadores e Deputados Estaduais,  fará com que a as manifestações da sociedade tenham maiores oportunidades de serem ouvidas: “Temos que fazer com que professores, profissionais da saúde, pesquisadores, acadêmicos, religiosos católicos, evangélicos, educadores, políticos, jovens, se manifestem sobre a maconha deixar de ser um problema de polícia para passar a ser tratada como política de saúde pública”.

O deputado apresenta várias pesquisas que mostram que a política atual de repressão deve ser revisa. Por exemplo, um estudo da Universidade de Harvard calculou que, se a maconha fosse legalizada nos Estados Unidos, poderiam ser deslocados US$ 6,2 bilhões do  combate às drogas para a saúde pública.

Um dos objetivos do projeto é evitar que usuários de pequenas quantidades da droga sejam criminalizados. “Hoje quase 10% dos presidiários que lotam todos os presídios do Brasil são jovens, em sua grande maioria pobres e moradores das periferias das cidades, com idade entre 18 a 29 anos, que foram presos, acusados de tráfico, por estarem com entre 20 a 40 gramas de maconha e, por não terem recursos para contratar advogados, foram enquadrados e condenados como traficantes.  Os verdadeiros traficantes aliciam outros jovens pobres para que façam a comercialização até que estes também venham a ser presos, aumentando ainda mais a estatística dos jovens condenados nos presídios por portarem pequena quantidade de maconha e assim por diante. O jovem é preso e outro passa a ser aliciado”, afirma Eurico Jr..

Há um ano

Houve quem pensasse que ele era segurança da Câmara e até quem dissesse que ia votar nele para Presidente da República. Vários lembraram suas realizações como ex-prefeito das cidades de Vassouras e Paty do Alferes.  E também houve  críticas. Mas a maioria dos jovens agradeceu, no facebook,  a atitude do deputado Eurico Junior, no dia 17 de junho de 2013, de dar copos de água aos manifestantes que se concentravam em frente à Câmara dos Deputados na maior manifestação popular já realizada na Capital Federal, alguns com os olhos irritados e a garganta seca pelos efeitos das bombas de gás e dos sprays de pimenta. Eurico foi um dos pouquíssimos parlamentares que permaneceram na Casa.

Os comentários ainda podem ser vistos no facebook sobre as manifestações em Brasília, que não saiu do ar .

(https://www.facebook.com/manifestacaobsb/photos/a.186190414877321.1073741826.18618869

4877493/187423141420715/?type=1&fref=nf).

Eurico Jr.

O Deputado Eurico Jr. já foi prefeito de Vassouras e de Paty do Alferes, é professor de Educação Física, casado e tem dois filhos.

www.deputadoeuricojunior.com.br

www.facebook.com/euricojunior43

Contatos para entrevistas com:

Belisa Ribeiro – assessoria de imprensa

Junho 21, 2014 Posted by | jornalismo | | Deixe um comentário

Grande Plenária de Nucleação do PT Maricá acontece nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, 18.06, no Palladon, Grande Plenária de Nucleação do PT Maricá, com a presença da presidente do PT Maricá Rosangela Zeidan, pré candidata a Deputada Estadual, do presidente Estadual do PT RJ Washington Quaquá, do Senador e pré candidato a governador do Rio de Janeiro Lindberg Farias, e a Coordenação de Nucleação do PT RJ.

Palladon – Rua Dilson Antônio Legentil, 1 – Flamengo, ao lado do Posto do Café Salute.

Junho 18, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá, PT | | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá realiza 1º Fórum da Pessoa com Deficiência

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Ambrosio)

Nesta quarta-feira (18/06), a Prefeitura de Maricá realiza o 1º Fórum da Pessoa com Deficiência. Na ocasião, será a eleição dos membros que farão parte do Condef (Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência). Sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, o evento será realizado às 18h, no CEU – Centro de Esportes Unificados "Marco Antônio Cardoso".

De acordo com o subsecretário municipal de Políticas para Pessoas com Deficiência, Luis Rodrigues Paiva, serão escolhidos, de forma paritária, dez conselheiros: cinco titulares e cinco para a vaga de suplentes, representando a sociedade civil e as secretarias municipais de Saúde, Educação, Assistência Social, Direitos Humanos e Articulação Política. O Condef foi criado pela lei complementar municipal nº 239, de 28/04/2014.

Para Luis Rodrigues Paiva, o conselho é um instrumento importante.  "A instituição desse conselho vai de encontro à preocupação da atual gestão em assegurar os direitos básicos ao portador de necessidades especiais propiciando seu bem-estar pessoal, social e econômico", declarou Paiva. Ainda, segundo o subsecretário, existem cadastradas na subsecretaria, aproximadamente, 350 pessoas portadoras de deficiência. "Sabemos, no entanto, que esse número é muito mais amplo se contabilizarmos os idosos com problemas de acessibilidade e de mobilidade física", acrescentou.

Junho 18, 2014 Posted by | direitos humanos, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário

Maricá comemora Dia Mundial de Combate à Violência contra o Idoso

Texto: Fernando Uchôa (edição: Raquel Andrade) | Fotos: Clarildo Menezes

Usuários da Casa do Idoso Mais Feliz apresentaram movimentos de artes marciais com leque

Tai chi chuan, dança criativa e coral em inglês. Essas foram algumas das atividades apresentadas, na manhã de segunda-feira (16/06), pelos usuários da Casa do Idoso Mais Feliz, em comemoração ao Dia Mundial de Combate à Violência contra o Idoso (15/06). A ação ocorreu na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, no Centro, e contou com a presença de autoridades municipais e convidados.

A Secretaria Municipal de Ações para Idosos, responsável pelo evento, distribuiu panfletos do Estatuto do Idoso e o Guia da Pessoa Idosa, além de informar o trabalho desenvolvido na Casa do Idoso Mais Feliz. Em maricá, há quatro unidades (Centro, Santa Paula, Itaipuaçu e São José do Imbassaí), além de cinco núcleos nos bairros Bambuí, Marquês, Itapeba, Inoã (Fernando Mendes e Bananal). Cerca de cinco mil idosos estão cadastrados nas atividades esportivas (natação, hidroginástica, tai chi chuan, alongamento), culturais (artesanato, teatro, música, canto, dança criativa, dança de salão, dança cigana, dança sênior) e sociais (cursos, palestras, estética, passeios, apresentações, confraternizações).

De acordo com o professor Mayco Rangel, que ensina Tai chi chuan e Kung Fu, os alunos passaram a viver melhor depois que começaram a praticar as artes marciais. “Os meus 75 alunos ganharam em qualidade de vida. Alguns receberam alta de tratamentos e medicação, pois se sentiram curados com as atividades”. Para marcar a comemoração, o professor apresentou com os alunos movimentos de ataque e defesa. A aluna Mariana da Costa, de 58 anos, moradora de Bambuí, é praticante de Tai chi chuan há cinco. “Tinha problemas de depressão e dor na coluna. Depois que meus dois filhos casaram, aumentou o vazio. Com o Tai chi chuan, me recuperei. Hoje estou ótima. Faço também alongamento e pintura em tecido”, comentou empolgada.

O Coral em Inglês da Casa do Idoso Mais Feliz, regido pela professora Nina Teixeira, também se apresentou na ocasião e fez sucesso com o público presente. “Começamos como prática de aula, como um recurso a mais para o aprendizado. Depois de um passeio, surgiu a ideia de formar mais um grupo musical (Alegria de Viver, regido por Simone Figalo, é o primeiro coral da Casa do Idoso Mais Feliz). O interessante é que meus alunos fazem parte dos dois corais”, enfatizou. Antônio Sérgio Salgado (78) e Adelizia Salgado (74) são alunos de Nina e são integrantes dos dois grupos. “Tive um AVC e dois aneurismas nos últimos cinco anos. Se não fossem as atividades que pratico, estaria ainda em cima de uma cama. A casa é um verdadeiro centro de recuperação e rejuvenescimento”, contou Adelizia. Já na dança criativa, a professora Vanessa Ramos “botou o público para dançar” ao som da música “Beijinho no Ombro”, da cantora Valesca Popozuda.

Violência contra o idoso

Segundo o Ministério da Saúde, a cada hora, são registradas no país cinco denúncias de violência contra pessoas da terceira idade, incluindo maus tratos e negligência, além de agressões psicológica e financeira. Os tipos de violência denunciados com mais frequência são de negligência (75,07%), psicológica (56,06%) e de abuso financeiro e econômico (45,48%). Denúncias de violência física somam 28,03%. Em 2011, cerca de dois milhões de idosos foram agredidos no Brasil. Ainda de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, pouco mais de 70% dos suspeitos denunciados têm parentesco direto com a vítima, como filhos, noras ou genros.

De acordo com a secretária municipal de Ações para Idosos, Lesirée Rejane, a maioria dos casos denunciados em Maricá é de violência doméstica. “As denúncias que recebemos sempre chegam de pessoas de fora. Mesmo assim, são devidamente apuradas, representadas através de relatório ao Ministério Público e acompanhadas por nós, independente de partirem de pessoas que não sejam da Casa do Idoso Mais Feliz”, explicou ela, afirmando ainda que as atividades desenvolvidas nas unidades ajudam em diferentes aspectos positivos na vida do idoso. “Muitos deles passam a ter, inclusive, uma renda extra, aprendendo artesanato e prendas domésticas, gerando um rendimento extra para o idoso e lhe dando mais autonomia”.

A secretária informou ainda que, no dia 25 de julho, será realizada a primeira Assembleia Eletiva para a escolha dos 20 membros do Conselho Municipal da Pessoa Idosa em Maricá. “O conselho ajudará a definir políticas públicas para o setor”, concluiu.

Ação em comemoração ao Dia Mundial de Combate à Violência contra o Idoso ocorreu na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel

Coral em Inglês também se apresentou na ocasião

Junho 18, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá | | Deixe um comentário

Maricá comemora o Dia Mundial de Combate à Violência Contra o Idoso

Texto: Leandra Costa (edição: Raquel Andrade)

Nesta segunda-feira (16/06), a Prefeitura de Maricá celebra o Dia Mundial de Combate à Violência Contra o Idoso, que é oficialmente comemorado no dia 15/06, com atividades que serão realizadas na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, das 9h às 12h. Idealizado pela Secretaria Municipal de Ações para Idosos, o evento terá a apresentação de dança e de tai chi chuan dos integrantes da Casa do Idoso Mais Feliz, além da participação do grupo musical em inglês e de distribuição de panfletos sobre o tema.

De acordo com a secretária municipal de Ações para Idosos, Lezireé Rejane de Figueiredo, a ação visa conscientizar a população sobre a importância de respeitar os direitos dos idosos. "O Dia Mundial de Combate à Violência Contra o Idoso é um marco, pois a população idosa merece nosso respeito. O evento não é uma manifestação, mas sim uma forma de orientar a população idosa sobre seus direitos", esclareceu a secretária.

Referência em todo o Estado do Rio de Janeiro, a Casa do Idoso Mais Feliz oferece gratuitamente dezenas de atividades esportivas (natação, hidroginástica, tai chi chuan, alongamento), culturais (artesanato, teatro, música, canto, dança criativa, dança de salão, dança cigana, dança sênior) e sociais (cursos, palestras, estética, passeios, apresentações, confraternizações). Ao todo, cinco mil idosos estão cadastrados no programa. No município, há quatro unidades (Centro, Santa Paula, Itaipuaçu e São José do Imbassaí), além de cinco núcleos nos bairros Bambuí, Marquês, Itapeba, Inoã (Fernando Mendes e Bananal).

Violência contra o idoso

Segundo o Ministério da Saúde, a cada hora, são registradas no país cinco denúncias de violência contra pessoas da terceira idade, incluindo maus tratos e negligência, além de agressões psicológica e financeira. Os tipos de violência denunciados com mais frequência são de negligência (75,07%), psicológica (56,06%) e de abuso financeiro e econômico (45,48%). Denúncias de violência física somam 28,03%. Em 2011, cerca de dois milhões de idosos foram agredidos no Brasil. Ainda de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde, pouco mais de 70% dos suspeitos denunciados têm parentesco direto com a vítima, como filhos, noras ou genros.

Junho 15, 2014 Posted by | Maricá | | Deixe um comentário

Prefeitura Municipal de Maricá anuncia mais uma alteração no trânsito do Centro

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Fernando Silva

O retorno da Praça Conselheiro Macedo Soares em direção a Rua Ribeiro de Almeida será proibido para veículos

A partir deste sábado (14/06), o retorno da Praça Conselheiro Macedo Soares será impedido ao trânsito de veículos

Em continuidade a implantação do sistema binário no Centro de Maricá, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes anuncia mais uma alteração para reduzir o congestionamento na região, que concentra boa parte do comércio central e registra grande fluxo de veículos por dia. A partir deste sábado (14/06), o retorno da Praça Conselheiro Macedo Soares em direção a Rua Ribeiro de Almeida será interrompido ao trânsito de veículos. Essas modificações integram um programa de mobilidade urbana da secretaria iniciado em 2013.

Agora os motoristas terão, obrigatoriamente, que seguir pela Avenida Roberto Silveira ou Rua Abreu Sodré e fazer o retorno para a Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa na praça do Rotary Clube. O secretário Leandro Costa enviará um comunicado com as modificações para as empresas de ônibus e permissionários do transporte completar (vans). "Também distribuiremos informativos na região para avisar os condutores. Essa mudança se faz necessária para evitar congestionamento no trecho da Rua Athayde Parreira, que teve o sentido invertido com a implantação do binário", explica o secretário.

Na última terça-feira (10), a secretaria implantou o sistema binário no Centro. A Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa tem sentido único em direção ao Centro, da rotatória em frente à ponte da Mumbuca até a Rua Senador Macedo Soares. Já o sentido da Rua Abreu Sodré é único em direção à RJ-106.

Agora os condutores podem seguir pela Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa em direção ao Centro ou retornar pela Rua Athayde Parreira, contornar a Praça Conselheiro Macedo Soares e seguir pela Avenida Roberto Silveira ou pela Rua Abreu Sodré em direção a Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106). Aqueles que trafegarem pela Rua Abreu Rangel sentido RJ-106 terão, obrigatoriamente, que acessar a Rua Senador Macedo Soares. Ao todo, serão criadas 44 vagas (8 de mototáxi, 16 de motos e 20 de bicicletas) ao lado da Praça Conselheiro Macedo Soares e na Avenida Vereador Francisco Sabino da Costa, entre as ruas Athayde Parreira e Senador Macedo Soares.

Sistema binário no Centro começou a funcionar na última terça-feira

Junho 15, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá, vias públicas | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá vai restaurar a Casa de Cultura

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Ambrosio) | Fotos: Fernando Silva

Prédio mais antigo da cidade começa a ser reformado nesta segunda-feira (16/06)

Proposta é retomar o projeto original de uma das construções mais antigas da cidade

Um dos prédios mais antigos do município de Maricá, a Casa de Cultura passará, a partir de segunda-feira (16/06), por uma reestruturação externa e interna de suas instalações. O objetivo da obra é retomar todas as características do projeto original, assinado pelo engenheiro teuto-brasileiro Júlio Frederico Koëler, iniciado no ano de 1836 e finalizado em 1841.

A obra ficará sob a responsabilidade do restaurador Alexandre Shiachticas e do arquiteto da Secretaria Municipal de Obras José Antônio Frasson Fulgêncio. Com o valor, aproximadamente, de R$ 570 mil, as intervenções englobam a troca do piso de ardósia por lajotões coloniais de barro antigos; limpeza das peças de granito das cantareiras no batente das portas; retirada do forro do teto do térreo – deixando o vigamento de madeira exposto – e colocação de barrotes de madeira; colocação de telhas originais moldadas da mesma forma que eram feitas pelos escravos, na coxa; padronização do piso de tábua no segundo andar; pintura interna e externa de todo o prédio, dentre outras. Garantindo a acessibilidade para portadores de necessidades especiais, será instalado um elevador no térreo, os sanitários e rampas de acesso serão feitas.

Segundo o secretário municipal de Cultura, Sérgio Mesquita, a administração da secretaria sairá definitivamente do prédio e passará a funcionar na Rua Carlos Rangel (também no Centro). "Após as obras, no primeiro piso funcionará o Museu Histórico de Maricá e, no segundo andar, serão realizadas as oficinas, o Cineclube Henfil e a Sala Cult". Para o secretário, a restauração vai ao encontro da iniciativa do prefeito Washington Quaquá de resgatar o orgulho da população maricaense. "No ano em que a cidade comemora seu bicentenário é mais um presente podermos recuperar a memória de um dos prédios mais representativos de Maricá", declarou o secretário.

Segundo Shiachticas, o processo de restauração será muito complexo e detalhado. "Nossa ideia é resgatar a história da cidade recuperando a memória e a identidade desse prédio", declarou. O prazo para finalização do processo é de, no mínimo, dez meses e a equipe vai contar com  oito funcionários, como engenheiro, arquiteto, mestre de obra e outras especialidades. "É complicado afirmar uma data precisa para conclusão das obras porque cada etapa é uma surpresa. Não sabemos o que vamos encontrar", acrescentou. Morador de Bambuí, Shiachticas acumula em seu currículo participação em diversos projetos de restauração, incluindo os prédios do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, da Fundação Casa Rui Barbosa, da Fundação Biblioteca Municipal do Rio de Janeiro, da Ordem dos Franciscanos de Cabo Frio, os vitrais da Ilha Fiscal da Marinha e da Casa de Darcy Ribeiro em Cordeirinho.  Shiachticas fez  cursos de aplicação de ouro em folha na França, de restauração de pedra na Itália e  reciclagem de vitrais nos Estados Unidos.

Casa de Cultura e sua importância para Maricá

Localizada na principal praça de Maricá (a Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel), a Casa de Cultura foi tombada em 1985 pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico (INEPAC). Preservando o estilo neoclássico, no espaço está sediada a sede da Secretaria Municipal de Cultura, onde são realizadas frequentemente exposições, cursos, palestras e eventos culturais, como Sala Cult e Cineclube Henfil. No segundo andar, o prédio conta ainda com o Museu Histórico de Maricá, que possui acervo permanente de mapas, fotos, brasões, armas, ferramentas e instrumentos do século XVII. Ao longo dos anos, o prédio testemunhou boa parte da história de Maricá, já abrigou a Prefeitura, a Casa de Câmara (como hoje se chama a Câmara Municipal), a Cadeia Pública, uma agência do Banco do Brasil e um cartório de ofícios. Durante a obra de restauração, as atividades oferecidas pela Casa de Cultura não serão interrompidas. O local para onde serão transferidas ainda está sendo definido.

Junho 15, 2014 Posted by | Maricá | | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá vai criar aldeia indígena voltada ao turismo

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Fernando Silva

Prefeito e o cacique Darcy Tupã firmam a parceria para transformar a aldeia em ponto turístico da cidade

Prefeito Washington Quaquá visitou a aldeia na restinga, em São José do Imbassaí, no sábado (07/06), e garantiu a permanência da tribo na cidade

O prefeito de Maricá, Washington Quaquá, vai transformar a aldeia indígena da restinga em ponto turístico da cidade. Em visita à tribo Tupi-Guarani M’Bya, no sábado (07/06), o prefeito garantiu a permanência dos índios na região de 93 hectares, entre São José do Imbassaí e Itaipuaçu, e planeja construir no local ocas hotéis e um teatro arena para apresentações da cultura indígena. Os índios deverão construir a estrutura rústica (feita com argila, bambu e palha) e a Prefeitura destinará recursos para manutenção do espaço.

Para isso, a Prefeitura enviará à Câmara Municipal um projeto de lei de apoio aos índios, que também vai garantir a inclusão individual no projeto Bolsa Mumbuca. "Quero que todos, inclusive as crianças, recebam o benefício. Também negociaremos junto ao Ministério da Saúde a disponibilização de mais um médico cubano ao posto de São José do Imbassaí, para reforçar o atendimento, inclusive com os índios", ressaltou Quaquá. O programa, que possui a primeira moeda social eletrônica do país, repassa mensalmente 70 Mumbucas (equivalente a R$ 70) para famílias com rendas de até um salário mínimo. Segundo o secretário municipal de Direitos Humanos, Miguel Moraes, que acompanhou a visita, as famílias já estão sendo cadastradas e o projeto de lei ampliará o benefício. Ao todo, 65 índios, sendo três crianças nascidas em Maricá, moram na aldeia Tekoa Ka’aguy Hovy Porã (significa Mata Verde Bonita).

O objetivo do prefeito é fazer com que os visitantes conheçam a cultura indígena, por meio das danças, artesanato e comidas típicas, e que possam se hospedar na própria aldeia. "As ocas hotéis serão feitas de argila e bambu e terão chuveiros com aquecimento de energia solar. A ideia é garantir sustentabilidade para que os índios vivam dos próprios produtos e atividades desenvolvidas na aldeia", destacou o prefeito. "Já determinei aos empreendedores espanhóis (grupo IDB que irá construir um complexo turístico na Restinga) que incorporem a aldeia ao projeto do resort. Vocês não vão sair daqui", reforçou o prefeito.

Os índios ocuparam por sete anos um espaço na Praia de Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói, e estão na região da restinga desde abril de 2013. O cacique Darci Tupã Nunes de Oliveira, de 34 anos, explica que os índios são originais de Parati, na Costa Verde do Estado do Rio, e saíram da região em busca de um local fértil e para preservar a cultura. "Lá vivem 250 índios, mas é uma região com muitas pedras e de difícil plantio. Viemos para Maricá, com apoio do prefeito, e vamos construir uma área turística", declarou o cacique, informando que os ancestrais já utilizavam a região há 123 anos como passagem, quando saiam do norte do Espírito Santo em direção ao Rio Grande do Sul. "Estamos muito focados nesta oportunidade única com o incentivo do Quaquá, que vai garantir a preservação da nossa cultura", completou.

Durante a visita, o prefeito conheceu Ramon Alves dos Santos, avô do cacique Tupã e o índio mais velho da tribo com 96 anos; as instalações da aldeia com sete ocas e uma Casa de Reza em construção; a horta com plantação de aipim, banana, cana-de-açúcar e batata doce; e acompanhou apresentações de danças tradicionais. O presidente da Câmara Municipal, Fabiano Horta, ressaltou os investimentos do município na aldeia. "O povo indígena está recebendo da Prefeitura estímulo para manutenção da cultura", declarou. O vice-presidente do Conselho Comunitário da Orla da Baía de Niterói, Carlos Valdetaro, que apoia à tribo desde a ocupação na Praia de Camboinhas, também participou da visita.​

Índio Tupã mostra a Quaquá e Miguel Moraes a Casa de Reza em construção na aldeia

Miguel, Quaquá, Tupã e Valderato durante visita a aldeia indígena

Grupo fez uma apresentação da cultura indígena durante visita

Quaquá e Miguel Moraes receberam o carinho dos índios

Junho 15, 2014 Posted by | Maricá | , | Deixe um comentário

Maricá entre as 300 cidades mais desenvolvidas do país segundo a Exame

Texto: Marcelo Ambrosio

As políticas públicas adotadas pelo atual governo estão gerando resultados que projetam Maricá no cenário nacional. Tais resultados foram obtidos dentro de  três diferentes listagens,  que reúnem os mais de 5.500 municípios do país: Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), da Organização das Nações Unidas (ONU); Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan); e o Indicador Social de Desenvolvimento Municipal (ISDM), este da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Nesta semana, a revista econômica Exame fez, pela primeira vez, um comparativo entre esses índices de forma a estabelecer a relação consolidada das 500 cidades mais desenvolvidas do país. De acordo com o levantamento da revista, Maricá aparece na 298ª posição em um desses rankings, justamente o IDHM da ONU.

A avaliação positiva registrada no IFDM – Maricá está na 48ª posição – na qual as ações relacionadas à Saúde e à Educação no município a partir de 2009 foram o destaque, segundo a própria Firjan – se soma à presença da cidade no ranking das 500 mais desenvolvidas na medição da ONU, com referência ao ano de 2013. O número combina avaliação dos quesitos "vida longa e saudável", que calcula a expectativa de vida ao nascer; "acesso ao conhecimento", que mede a escolaridade da população ativa e o fluxo escolar da população jovem; e o "padrão de vida", com a avaliação do padrão de vida. De acordo com a organização, Maricá alcançou índice 0,765, o que é considerado Alto pelos pesquisadores – e próximo aos melhores do país: o patamar Muito Alto começa a partir de 0,800.

Tanto no ranking da Firjan (focado em Saúde, Educação e Trabalho), quanto no da FGV (que combina Saúde, Educação, Renda, Trabalho e Educação), Maricá aparece bem posicionada na relação nacional de municípios. No primeiro, referente a 2011, alcançou índice de 0,674 e está 2.051ª posição. Já no segundo, referente a 2010, o índice medido é de 5,08 e a cidade está na 1.967ª posição nacional. Vale destacar que o índice da FGV leva em conta a proporção de crianças de 0a 3 anos que frequentam creches e a de crianças de 7 a 14 anos matriculadas em escolas e cursando a série adequada. O avanço na Educação – já existem dez creches públicas na cidade, quando até 2008 não havia nenhuma – reconhecido pela pesquisa da Firjan, deverá impactar diretamente os próximos levantamentos.

Junho 15, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá | Deixe um comentário