Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Último dia de evento do “Minha Casa, Minha Vida” em Itaipuaçu reuniu cerca de 300 famílias para escolha das unidades

Texto: Leandra Costa (edição: Raquel Andrade) | Fotos: Clarildo Menezes

Último dia de evento do “Minha Casa, Minha Vida” reuniu cerca de 300 famílias para escolha das unidades

Cerca de 300 famílias participaram nesta segunda-feira (02/02) do último dia do evento do programa federal “Minha Casa, Minha Vida” realizado pela Prefeitura em parceria com a Caixa Econômica Federal (CEF), no novo condomínio Carlos Marighella, em Itaipuaçu, previsto para ser entregue em abril. Na ocasião, os beneficiários escolheram a localização do imóvel e receberam orientações sobre o contrato de financiamento com a CEF por 10 anos, com parcelas mensais de R$ 25 a R$ 80 de acordo com a renda. Seguindo um modelo padrão, o condomínio é dividido em 184 blocos, com 1.472 apartamentos de 46m2 cada, composto por dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, além de áreas comuns como parque infantil, quadras de esportes, salão de festas e churrasqueiras.

A coordenadora do programa em Maricá, Lene de Oliveira, falou sobre a importância histórica desse momento. “Queremos oferecer o melhor para vocês. Estamos ajudando a realizar o sonho da casa própria. Mas, não é apenas isso. Continuaremos aqui para prestar ajuda técnica e social como encaminhamento para mercado de emprego e oficinas profissionalizantes de geração de renda, como por exemplo, confeitaria, doceria, dentre outras. A presença do poder público municipal será constante, buscando melhorar a qualidade de vida dos moradores”, declarou.

Para atender de forma adequada os beneficiários, cerca de 70 profissionais, dentre equipe de apoio administrativo, segurança e limpeza, foram mobilizados nos cinco dias de evento, iniciado na segunda-feira passada (26/01). Tendas, cadeiras, comidas, lanches foram contratados para servir com dignidade os futuros moradores do empreendimento. Durante todo o tempo, havia no local, ambulância com motorista e técnico de enfermagem capacitado para prestar qualquer tipo de socorro. “Atendemos uma média de cinco pessoas por dia. A maioria era para aferição de pressão arterial e glicose. Tudo correu na maior tranquilidade apesar do calor da semana passada”, declarou a técnica de enfermagem Jéssica Conceição Pedro.

A gerente regional da Caixa, Mônica Coutinho Campos, esclareceu aos novos proprietários a importância de se comparecer aos próximos encontros marcados pelo banco. “É necessário deixar claro que vocês têm que comparecer para a assinatura do contrato e também para pegar a chave”. Além disso, a gerente fez questão de destacar algumas das diretrizes do programa. “Durante 10 anos, não é permitido alugar, ceder, emprestar, nem vender. É bom esclarecer que isso aqui não é um presente, mas sim um direito aprovado pela CEF que exige o cumprimento de alguns deveres”, destacou.

A coordenadora de projetos especiais do município, Luciana Andrade, explicou aos beneficiários questões sobre saneamento básico. “É importante ressaltar que a problemática da falta de água não é apenas em Maricá, mas que diversas cidades no mundo estão enfrentando. Por isso, gostaria de pedir a colaboração de vocês para um consumo consciente. Nesse condomínio, o hidrômetro é individualizado e vocês pagarão somente pelo que utilizarem. Há um reservatório de água de 24 mil litros para atender a cada um dos blocos (oito unidades), além de estação de tratamento exclusivo para o condomínio”.

Beneficiários

Respeitando critérios como portador de necessidade especial e idade, a primeira contemplada nesse último dia foi Jandira Soares Pinheiro, de 75 anos. Ela mora com sua filha Juliana Pinheiro, de 34 anos, numa pequena casa no bairro Pedreiras e pagam R$ 500 de aluguel, além dos custos de luz e água. “Recebo um salário mínimo e tenho enormes gastos com médicos e remédios. Estou muito feliz com essa conquista. Me inscrevi em 2009 no programa e agora estou vendo meu sonho se concretizar. A primeira coisa que vou fazer é um almoço para a minha família para inaugurar a casa nova”, declarou.

Outra beneficiária é Stephani Cristina Blas, de 22 anos e mãe de um filho de um ano. Ela é manicure e trabalha por conta própria, com gasto de R$ 350 de aluguel numa casa em Santa Paula. “Não chego a receber nem um salário mínimo. Varia muito, mas fica em torno de R$500, que mal dá pra me alimentar. Esse imóvel vai trazer mais dignidade para minha família e mais qualidade de vida para meu filho que terá espaço para brincar e se divertir”.

Os futuros moradores: Stephani Cristina Blas e seu filho

A primeira contemplada nesse último dia foi Jandira Pinheiro e sua filhaa

A técnica de enfermagem verificando a pressão de uma das beneficiárias

Lanche e almoço servido gratuitamente para todos os presentes nos cinco dias de evento

Anúncios

Fevereiro 4, 2015 - Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | ,

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: