Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Maricá faz atendimento para cirurgia odontológica no hospital municipal

A Secretaria Adjunta de Saúde iniciou no sábado (17/10), no Hospital Municipal Conde Modesto Leal (HMCML), por meio do Programa de Saúde Bucal de Maricá, atendimento para quem precisa de intervenções odontológicas em centro cirúrgico. O serviço é destinado a usuários que tenham qualquer comprometimento sistêmico no qual não seja possível fazer o atendimento odontológico na cadeira do dentista convencional.

Atendimento para quem precisa de intervenções odontológicas em centro cirúrgico são feitas no hospital

Alex Torturella Vidal é bucomaxilofacial da equipe e explica que há uma demanda de pacientes com deformidades esqueléticas faciais e que necessitam de intervenções odontológicas em centro cirúrgico. “Realizamos cirurgias ortognáticas (indicada para pessoas que tenham deformidades nos ossos da face e nos dentes) e cirurgia de lábio leporino também. Além disso, a maioria dos nossos pacientes tem cardiopatia ou algum problema neurológico. Por isso usamos o centro cirúrgico junto ao anestesiologista e atendemos assim os pacientes, oferecendo segurança”, analisa.

Para a coordenadora do Programa Municipal de Saúde Bucal, Márcia Serafim, o objetivo do serviço é atender pacientes que necessitem de sedação, sejam diabéticos, hipertensos, que tenham problemas neurológicos. “Atenderemos todos os sábados e realizaremos cirurgias e ambulatório. Os pacientes que necessitarem desse tipo de serviço serão encaminhados pelos dentistas da rede, ou seja, pelos postos, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou pelo Centro de Especialidades Odontológicas (CEO). A equipe é composta de uma dentista clínica, dois especialistas em bucomaxilofacial e um anestesiologista. “As pessoas precisavam sair daqui e ir para o Rio com o filho deficiente, por exemplo. Isso é muito difícil para os pais", afirma a subsecretária de Urgência e Emergência, Nilcinea Ferreira. "Além disso, para que as cirurgias aconteçam as crianças precisam estar em jejum. Às vezes não eram atendidos na hora. Então fazer isso aqui no município em que eles moram é um ganho que não se pode medir”, diz.

A população aprovou o serviço. Rafaela Ribeiro da Silva, 27 anos, mora no bairro da Amizade. Trouxe o filho Patrick de 9, para iniciar o tratamento. “É difícil andar com criança em cadeira de roda. Aqui é mais perto para gente. Eu acho muito bom ter esse atendimento aqui no hospital”, disse. "Trouxe meus dois netos que são especiais para tratar, pois aqui vão induzir o sono. Estou atrás desse serviço há muitos anos”, emendou Tânia Mara Rodrigues Vieira, 53 anos, que mora em Itaipuaçu. Já Cátia Cristina Bernardo da Silva, 36 anos e moradora de Araçatiba, levou a filha Natália, de 10 anos. “Ela faz uso de cadeira de rodas e precisa do tratamento. Já estão pedindo os exames. Na próxima vez farão a sedação. Dessa maneira, conseguiremos tratar”, disse a mãe de Natália. “Esse tipo de tratamento era feito fora e isso causava um transtorno para pacientes e familiares. Montamos esse serviço aqui dentro do hospital a fim de proporcionar mais qualidade de vida, dignidade e respeito aos nossos pacientes”, declarou o secretário municipal adjunto de Saúde, Peterson Cabral.

Quem quiser informações pode procurar o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO Maricá), de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, que fica à Rua Ivan Mundi, 737, Boqueirão. O telefone é 3731 2061. Ou então procurar a Coordenação de Saúde Bucal do Município que fica à Rua Roberto Silveira, 43, Centro. O telefone é 2634 7965.

Outubro 21, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá promove passeio de bicicleta sábado em Itaipuaçu

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Divulgação

Participantes sairão da Rua Professor Cardoso de Menezes (antiga Rua Um) em direção ao Recanto

Projeto “Pedala Maricá”, da Secretaria de Turismo, acontece, pela primeira vez, em parceria com a pasta de Assuntos Religiosos. Inscrições até sexta-feira

O “Pedala Maricá”, projeto de incentivo a prática do ciclismo e de atividade física, terá mais uma edição neste sábado (24/10) com um circuito urbano por ruas de Itaipuaçu. A iniciativa da Secretaria Municipal Adjunta de Turismo será realizada, pela primeira vez, em parceria com a pasta de Assuntos Religiosos, que está mobilizando interessados em participar do passeio. As inscrições são gratuitas e acontecem até sexta-feira (23/10) na Secretaria de Turismo (Praça Conselheiro Macedo Soares, Centro) ou pelo telefone 3731-5094. A expectativa dos organizadores é reunir mais de 200 participantes.

A atividade é recomendada para pessoas de qualquer idade. Os interessados precisam apresentar um documento de identificação e os menores de 14 anos devem estar acompanhados de um responsável. Serão disponibilizados um caminhão para transportar as bicicletas e um ônibus para levar os participantes até o local de início. A saída será às 8h, na Praça Conselheiro Macedo Soares. Um café da manhã será oferecido no Centro Evangelístico, localizado na Rua Professor Cardoso de Menezes (antiga Rua Um), em frente ao posto Golfinho, às 9h, e, em seguida, os ciclistas iniciam o percurso até o Recanto de Itaipuaçu. Agentes da Secretaria Municipal Adjunta de Segurança acompanharão os participantes.

O projeto teve início em janeiro de 2013 com o objetivo de conscientizar a população sobre o uso da bicicleta como meio de transporte eficiente e ambientalmente correto, além dos benefícios à saúde, sendo indicado por médicos para desenvolvimento de resistência de força muscular das pernas e ótimo exercício para queima de gordura corporal. A Prefeitura já promoveu edições do “Pedala Maricá” em ruas do Centro, Cordeirinho, Espraiado, Itapeba, Flamengo, Itaipuaçu e Barra de Maricá.

Outubro 21, 2015 Posted by | esportes, Maricá | | Deixe um comentário

Novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara será referência em Maricá

Texto: Marcelo Ambrosio | Fotos: Fernando Silva

Previsão é a de que as obras sejam concluídas no segundo semestre de 2016 – Foto: Divulgação

Uma das maiores, senão a maior, demanda da área de Saúde em Maricá começa a ser solucionada definitivamente.

A Prefeitura deu início às obras de construção do novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, com trabalhos de terraplenagem e nivelamento de terreno na área de 128,9 mil metros quadrados localizada no Km 22 da Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), em São José do Imbassaí, no sentido Niterói. O projeto prevê um Hospital Geral num complexo de 38 mil metros quadrados, com 10,4 mil metros quadrados de área construída em três blocos, com total de 138 leitos para internação. O investimento da Prefeitura na obra é de aproximadamente R$ 40 milhões – incluindo os aportes federais e a contrapartida municipal – e a previsão é a de que as obras estejam concluídas no segundo semestre de 2016. A nova unidade, além de servir de referência na região, vai aliviar a demanda do atual Hospital Municipal Conde Modesto Leal (HMCML), no Centro.

Segundo a coordenadora do projeto no município, Fernanda Spitz, o HMECG terá seus blocos interligados, sendo o principal (A), no centro, e dois laterais (B e C). Além de um moderno setor de pronto atendimento 24h para politraumatizados e pacientes referenciados da rede (enviados pela central municipal de regulação), a unidade contará com clínicos gerais, cirurgiões gerais, pediatras, anestesistas, ortopedistas e especialistas de sobreaviso (urologia, cardiologia, vascular, bucomaxilofacial, neurologia, infectologia). “O novo hospital virá para transformar o conceito de atendimento em urgência e emergência na cidade”, afirma Fernanda Spitz. “Terá uma estrutura moderna e uma filosofia de assistência pautada na política de humanização”, completa.  Ainda de acordo com a coordenadora, a unidade será um importante componente na Rede de Urgência e Emergência (RUE) com leitos de retaguarda clínica e referência para cirurgia ortopédica e pediátrica. “Estamos muito felizes com o projeto, que foi aprovado pelas secretarias do estado e pelo ministério da Saúde”, completa Fernanda.

O Centro Cirúrgico será um complexo com três salas de cirurgia de grande porte e uma sala de cirurgia de médio porte e a unidade contará também com dois Centros de Tratamento Intensivo (CTI), um adulto para nove pacientes mais um de isolamento, e outro pediátrico, com 10 leitos normais e um de isolamento. O atendimento contará também com um moderno parque de medicina diagnóstica com Imagenologia (radiologia digital, tomografia, ultrassonografia, ecocardiografia, eletrocardiografia, endoscopia digestiva e colonoscopia) e laboratório de análises clínicas. O setor atenderá indiscriminadamente a todos os usuários do HMECG, adultos e crianças. O projeto igualmente prevê uma central de material esterilizado.

Enfermarias

Na área de enfermarias, o Che Guevara terá sete enfermarias femininas e sete masculinas de clínica médica, com três leitos em cada uma, sendo seis de cada para a retaguarda clínica regional, quatro de cada para emergência clínica (ao todo 12 leitos masculinos e 12 femininos nessa ala), três isolamentos clínicos, três enfermarias femininas e duas masculinas de clínica cirúrgica com três leitos em cada uma, sala de observação com seis leitos para adultos e quatro para a pediatria, além de RPA com seis leitos, sendo dois exclusivos para crianças. Há, ainda, duas enfermarias de emergência clínica pediátrica com três leitos cada (masculina e feminina), quatro enfermarias femininas e quatro masculinas de pediatria com três leitos em cada, dedicadas à internação de longa permanência. O projeto contempla também quatro isolamentos pediátricos. Os blocos de atendimento ainda terão salas de observação, com seis leitos para adultos e quatro pediátricos, salas de politrauma adulta e pediátrica, com dois leitos cada e salas de higienização adulta e pediátrica. Todas as unidades contam com serviços de apoio em psicologia, serviço social, fisioterapia e nutrologia, assim como outros setores que participam da assistência indireta.

No Bloco C ficará a área administrativa, com auditório, sala de tecnologia e informação (TI), recepção administrativa da fonoaudiologia e fisioterapia, administrativo da assistência social e psicologia, setor de contas médicas, Serviço de Arquivo Médico e Estatística (SAME) e as Comissões Intra hospitalares – Comissão de Infecção Hospitalar (CCIH); Comissão de Investigação de Óbito (CIO); Comissão Interna de Curativo (CIC) e Núcleo de Vigilância Hospitalar (NVE). Vale ressaltar que todo o hospital será informatizado. O software específico já contratado e em fase de implantação no município. 

Para completar, o projeto contempla ainda refeitório com 192 lugares, auditório com 72 lugares e salas de administração. A equipe de funcionários terá enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais de apoio técnico, serviços gerais, administração e corpo diretor. “Teremos, ainda, assistentes sociais, nutricionistas, psicólogos, sanitaristas e fisioterapeutas, assistindo pacientes nas unidades intensivas e enfermarias”, acrescenta a coordenadora.

Unidade está em construção no km 22 da RJ-106, em São José – Foto: Fernando Silva

Hospital Geral terá três blocos, com total de 138 leitos para internação – Foto: Divulgação

Outubro 21, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | | Deixe um comentário