Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Lula divulga nota sobre Operação ordenada por Sergio Moro em sua casa

Comunicado diz que "nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça" e chama a ação determinada por Sergio Moro de arbitrária e ilegal, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal. Confira a íntegra da nota:

Lula Lava Jato Operação Moro

Em nota, o Instituto Lula afirmou nesta sexta-feira 4 que a Operação Lava Jato, cuja 24ª fase foi deflagrada nesta manhã contra o ex-presidente Lula, “desrespeita o Supremo e compromete sua credibilidade”.

“A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal, e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal”, diz o texto.

Comunicado diz que “nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça”, nem a quebra de seus sigilos e a “invasão do Instituto Lula”. “O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público”, aponta. “É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro”, conclui a assessoria do ex-presidente.

Abaixo, a íntegra:

Lava Jato desrespeita o Supremo e compromete sua credibilidade

São Paulo, 4 de março de 2016

A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal, e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal.

1) Nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça, espontaneamente ou sempre que convidado. Nos últimos meses, Lula prestou informações e depoimentos em quatro inquéritos, inclusive no âmbito da Operação Lava Jato. Dezenas de testemunhas foram ouvidas sobre estes fatos alegados pela Força tarefa, em depoimentos previamente marcados. Por que o ex-presidente Lula foi submetido ao constrangimento da condução coercitiva?

2) Nada Justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do Instituto Lula e da empresa LILS Palestras. A Lava Jato já recebeu da Receita Federal, oficialmente, todas as informações referentes a estas contas, que foram objeto de minuciosa autuação fiscal no ano passado.

3) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula, pois este sigilo já foi quebrado, compartilhado com o Ministério Público Federal e vazado ilegalmente para a imprensa, este sim um crime que não mereceu a devida atenção do Ministério Público.

4) Nada justifica a invasão do Instituto Lula e da empresa LILS, a pretexto de obter informações sobre palestras do ex-presidente Lula, contratadas por 40 empresas do Brasil e de outros países, entre as quais a INFOGLOBO, que edita as publicações da Família Marinho. Todas as informações referentes a estas palestras foram prestadas à Procuradoria da República do Distrito Federal e compartilhadas com a Lava Jato. Também neste caso, o Ministério Público nada fez em relação ao vazamento ilegal de informações sigilosas para a imprensa.

5) Nada justifica levar o ex-presidente Lula a depor sobre um apartamento no Guarujá que não é nunca foi dele e sobre um sítio de amigos em Atibaia, onde ele passa seus dias de descanso. Além de esclarecer a situação do apartamento em nota pública – na qual chegou a expor sua declaração de bens – e em informações prestadas por escrito ao Ministério Público de São Paulo, o ex-presidente prestou esclarecimentos sobre o sítio de Atibaia em ação perante o Supremo Tribunal Federal, que também é de conhecimento público.

6) A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao STF para que decida o conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal (Força Tarefa), para apontar a quem cabe investigar os fatos, que são os mesmos. Solicitou também medida liminar suspendendo os procedimentos paralelos até que se decida a competência conforme a lei. Ao precipitar-se em ações invasivas e coercitivas nesta manhã, antes de uma decisão sobre estes pedidos, a chamada Força Tarefa cometeu grave afronta à mais alta Corte do País, afronta que se estende a todas as instituições republicanas.

7) O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público. Não é a credibilidade de Lula, mas da Operação Lava Jato que fica comprometida, quando seus dirigentes voltam-se para um alvo político sob os mais frágeis pretextos.

O Instituto Lula reafirma que Lula jamais ocultou patrimônio ou recebeu vantagem indevida, antes, durante ou depois de governar o País. Jamais se envolveu direta ou indiretamente em qualquer ilegalidade, sejam as investigadas no âmbito da Lava Jato, sejam quaisquer outras.

A violência praticada nesta manhã – injusta, injustificável, arbitrária e ilegal – será repudiada por todos os democratas, por todos os que têm fé nas instituições e do estado de direito, no Brasil e ao redor do mundo, pois Lula é uma personalidade internacional que dignifica o País, símbolo da paz, do combate à fome e da inclusão social.

É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro, que reconhece em Lula o líder que uniu o Brasil e promoveu a maior ascensão social de nossa história.

Anúncios

Março 4, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT | , | Deixe um comentário

Todos os limites foram ultrapassados! afirma o presidente do PT RJ

Com a palavra Washington Quaquá
Presidente do PT RJ.

“Hoje foi escrita uma triste página na história do Brasil. Não foi apenas Lula que sofreu um sequestro policial e exposto à execração pública. A democracia brasileira foi quebrada! É algo quando se quebra, mesmo se houver tentativa de colar, não voltará nunca ao estado normal.

Já há algum tempo que as forças reacionárias comandadas pelos poucos milionários da sociedade brasileira, em conluio com forças e interesses estrangeiros, de olho no nosso petróleo, nas nossas riquezas e na manutenção das carências de nosso povo, deixaram de apostar na violência das armas, como fizeram em 1964 e passaram a usar as suas redes de concessão pública de TV, transformadas em impérios de comunicação, associadas aos extratos serviçais da pequena burguesia encastelados no judiciário, no Ministério Público e na polícia federal para fazer o serviço outrora realizar pelos tanques e baionetas.

O sequestro policial realizado hoje por este novo partido político reacionário, contra o Presidente Lula, e o ápice de um trabalho político que eles planejaram e vem executando com sucesso. O objetivo é quebrar a economia nacional, reverter os ganhos populares da era Lula, entregar o Pré Sal e as riquezas brasileiras aos americanos.

Não toleram o PRESIDENTE LULA, porque não se conformam que 36 milhões de brasileiros tenham ascendido socialmente; que mais de 25 milhões de pessoas tenham
Saído da fome e da miséria; que os filhos de pedreiros e empregadas domésticas sentem nós mesmos bancos das universidades públicas que antes era reservado a seus filhos ricos exclusivamente; não se sentem confortáveis com aeroportos cheios de gente do povo, negros, nordestinos, trabalhadores…

Hoje eles rasgaram uma página da democracia e impuseram a esquerda, aos movimentos sociais e as forças populares organizadas uma nova dinâmica para a luta de classes. Tiram um pé nosso da institucionalidade. Estão nos empurrando para fora do pacto democrático formal. Vamos ter cada vez mais que denunciar o caráter autoritário do regime pseudo democrático que se está estabelecendo. E construir nas ruas, favelas, fábricas, ocupações urbanas e rurais, escolas, universidades e em todos os espaços de luta popular, nossa ação direta por novas reformas verdadeiramente populares e democráticas. Vamos organizar as maiorias populares para essa nova etapa dura, longa é essencial da luta política do povo Brasileiro!

Estamos com Lula! Se querem prendê-lo, terão então motivo para prender muitos milhares de brasileiros que não vão deixar isso barato! Terão a resposta à altura da feitiçaria que estão criando!

Vamos todos a luta e a ação direta em defesa do Lula e de um Brasil cada vez mais para os Brasileiros, como ele sempre lutou!

Injustiça com Lula, NÃO!

Mexeu com ele, Mexeu com Milhões de Brasileiros!”

Março 4, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT, PT RJ | , , , | Deixe um comentário

“Golpe de Estado em curso” alerta Wadih Damous

O que aconteceu hoje, em São Paulo, essa condução coercitiva nós temos que corrigir: isso não foi uma condução coercitiva, foi um sequestro perpetrado pela Polícia Federal a mando do Juiz da Lava Jato”

WADIH DAMOUS: ‘LULA FOI SEQUESTRADO POR MORO’

:  Com a autoridade de quem presidiu a OAB do Rio de Janeiro, o deputado federal e advogado Wadih Damous (PT-RJ) diz que a ação da Polícia Federal nesta sexta-feira 4 contra o ex-presidente Lula "não foi condução coercitiva, foi um sequestro perpetrado pela PF a mando do juiz da Lava Jato"; "Condução coercitiva acontece quando alguém intimado a depor perante o juiz não comparece. Lula jamais se negou a depor sequer foi intimado", publicou o parlamentar no Twitter; "Lula jamais foi intimado a depor até porque juiz Moro não é competente p/ apurar os fatos relativos a Atibaia e a um triplex do Guarujá", completou Damous, afirmando que "está em curso um golpe de estado"

BRASIL 247: O SEU JORNAL DIGITAL

4 DE MARÇO DE 2016 ÀS 11:22

O advogado e deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), ex-presidente da OAB do Rio de Janeiro, afirmou nesta sexta-feira 4 que a ação da Polícia Federal contra o ex-presidente Lula "não foi condução coercitiva, foi um sequestro perpetrado pela PF a mando do juiz da Lava Jato".

"Condução coercitiva acontece quando alguém intimado a depor perante o juiz não comparece. Lula jamais se negou a depor sequer foi intimado", justificou o parlamentar em sua conta no Twitter.

"Lula jamais foi intimado a depor até porque juiz Moro não é competente p/ apurar os fatos relativos a Atibaia e a um triplex do guarujá", completou Damous, afirmando que "está em curso um golpe de estado". Confira abaixo vídeo publicado pelo deputado falando sobre a operação e suas suas mensagens no Twitter:

Golpe de Estado em curso, acompanhe o link e entenda o momento político que estamos vivendo.

https://www.facebook.com/wadihdamous/videos/650179715119791/

Publicado por Wadih Damous em Sexta, 4 de março de 2016

– Um obscuro juiz de Curitiba põe de joelhos o Estado e as instituições do Poder #Golpe #SomosTodosLula #LulaEstamosComVoce

– Não nos iludamos: está em curso um golpe de estado associado aos grandes meios de comunicação #LulaEstamosComVoce #SomosTodosLula #golpe

– Não foi condução coercitiva foi um sequestro perpetrado pela PF a mando do juiz da Lava Jato. #LulaEstamosComVoce #SomosTodosLula #golpe

– Condução coercitiva acontece qdo alguém intimado a depor perante o juiz ñ comparece. Lula jamais se negou a depor sequer foi intimado #golpe

– Lula jamais foi intimado a depor até pq juiz Moro ñ é competente p/ apurar os fatos relativos a Atibaia e a um triplex do guarujá #SomosLula

– Juiz quer obrigar STF a fixar competência da república de Curitiba p/ processar Lula

– Isso temos que barrar nas ruas. Golpe de estado não se assiste de braços cruzados #Golpe #SomosLula

– Ou asseguramos nossa democracia q custou tanto sangue,tantas vidas ou vamos entrar num retrocesso sem precedente no Brasil #Golpe #SomosLula

– Vamos nos mobilizar, vamos organizar nossa resistência pq ñ podemos permitir que esse golpe avance. #Golpe #SomosLula

– 13/03 será igual Marcha c/ Deus pela Família em 64. Temos que nos lembrar de Getúlio Vargas, João Goulart, Brizola #golpe #SomosLula

– Temos q barrar o golpe. Ñ podemos cometer erro q gerações q nos precederam cometeram tendo ilusões de q isso faz parte da democracia #Golpe

Março 4, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , | Deixe um comentário

Instituto Lula diz que violência contra Lula afronta o país e o estado de direito

A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal, e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal.

1) Nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça, espontaneamente ou sempre que convidado. Nos últimos meses, Lula prestou informações e depoimentos em quatro inquéritos, inclusive no âmbito da Operação Lava Jato. Dezenas de testemunhas foram ouvidas sobre estes fatos alegados pela Força tarefa,  em depoimentos previamente marcados. Por que o ex-presidente Lula foi submetido ao constrangimento da condução coercitiva?

2) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do Instituto Lula e da empresa LILS Palestras. A Lava Jato já recebeu da Receita Federal, oficialmente, todas as informações referentes a estas contas, que foram objeto de minuciosa autuação fiscal no ano passado.

3) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula, pois este sigilo já foi quebrado, compartilhado com o Ministério Público Federal e vazado ilegalmente para a imprensa, este sim um crime que não mereceu a devida atenção do Ministério Público.

4) Nada justifica a invasão do Instituto Lula e da empresa LILS, a pretexto de obter informações sobre palestras do ex-presidente Lula, contratadas por 40 empresas do Brasil e de outros países, entre as quais a INFOGLOBO, que edita as publicações da Família Marinho (http://www.institutolula.org/as-palestras-de-lula-a-violacao-de-sigilo-bancario-do-ex-presidente-foi-um-ato-criminoso). Todas as informações referentes a estas palestras foram prestadas à Procuradoria da República do Distrito Federal e compartilhadas com a Lava Jato. Também neste caso, o Ministério Público nada fez em relação ao vazamento ilegal de informações sigilosas para a imprensa.

5) Nada justifica levar o ex-presidente Lula a depor sobre um apartamento no Guarujá que não é nunca foi dele e sobre um sítio de amigos em Atibaia, onde ele passa seus dias de descanso. Além de esclarecer a situação do apartamento em nota pública – na qual chegou a expor sua declaração de bens – e em informações prestadas por escrito ao Ministério Público de São Paulo, o ex-presidente prestou esclarecimentos sobre o sítio de Atibaia em ação perante o Supremo Tribunal Federal, que também é de conhecimento público.

6) A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao STF para que decida o conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal (Força Tarefa), para apontar a quem cabe investigar os fatos, que são os mesmos. Solicitou também medida liminar suspendendo os procedimentos paralelos até que se decida a competência conforme a lei. Ao precipitar-se em ações invasivas e coercitivas nesta manhã, antes de uma decisão sobre estes pedidos, a chamada Força Tarefa cometeu grave afronta à mais alta Corte do País, afronta que se estende a todas as instituições republicanas.

7) O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público. Não é a credibilidade de Lula, mas da Operação Lava Jato que fica comprometida, quando seus dirigentes voltam-se para um alvo político sob os mais frágeis pretextos.

O Instituto Lula reafirma que Lula jamais ocultou patrimônio ou recebeu vantagem indevida, antes, durante ou depois de governar o País. Jamais se envolveu direta ou indiretamente em qualquer ilegalidade, sejam as investigadas no âmbito da Lava Jato, sejam quaisquer outras.

A violência praticada nesta manhã – injusta, injustificável, arbitrária e ilegal – será repudiada por todos os democratas, por todos os que têm fé nas instituições e do estado de direito, no Brasil e ao redor do mundo, pois Lula é uma personalidade internacional que dignifica o País, símbolo da paz, do combate à fome e da inclusão social.

É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro, que reconhece em Lula o líder que uniu o Brasil e promoveu a maior ascensão social de nossa história.

Março 4, 2016 Posted by | jornalismo, política, Policia Federal | , | Deixe um comentário

JANDIRA APONTA GOLPE E ESTADO DE EXCEÇÃO NO PAÍS

 

:  "Sem provas, Polícia Federal amanhece com mais uma operação, desta vez o alvo é o ex presidente Lula. O maior líder popular que o Brasil já teve. O presidente que tirou o país do mapa da fome. Nossa indignação não será silenciosa. Vamos às ruas defender o estado democrático de direito. Contra as arbitrariedades. Golpe não!!!!!", avisou a deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ); esquerda se mobiliza para defender o ex-presidente Lula, levado a depor coercitivamente por decisão do juiz Sergio Moro, que deflagrou operação contra todos os familiares do presidente mais popular da história do País e que foi reconhecido globalmente como um dos maiores líderes da história

4 DE MARÇO DE 2016 ÀS 08:23

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) foi a primeira a denunciar um golpe e um estado de exceção no País, após a decisão do juiz Sergio Moro, voltada contra o ex-presidente Lula e toda a sua família.

"Mais um passo na consolidação do estado de exceção. Sem provas, Polícia Federal amanhece com mais uma operação, desta vez o alvo é o ex presidente Lula. O maior líder popular que o Brasil já teve. O presidente que tirou o país do mapa da fome. Nossa indignação não será silenciosa. Vamos às ruas defender o estado democrático de direito. Contra as arbitrariedades. Golpe não!!!!!"

Março 4, 2016 Posted by | jornalismo, política, Policia Federal, PT | , , , , , , , , | Deixe um comentário