Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Colônia de férias do Projeto Navegar em Maricá, tem inscrições para adultos

Texto: Sergio Renato (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Divulgação

O Projeto Navegar, da Secretaria Adjunta de Esportes de Maricá, está ampliando as inscrições de sua colônia de férias para quem tem acima de 18 anos a partir desta quarta-feira (10/08). No mês passado, o projeto recebeu inscrições de jovens entre 10 e 16 anos para terem aulas de esportes náuticos com vela e canoagem. O sistema é o mesmo já divulgado anteriormente. Os interessados devem procurar a Secretaria de Esportes, no 2º andar do Paço Municipal (Rua Álvares de Castro, 346, Centro) ou o galpão náutico que fica na lagoa do Boqueirão, das 10h às 12h ou das 14h às 16h, onde deverão preencher uma ficha de cadastro e levar RG e CPF.

O objeto do projeto, que é gratuito, é dar oportunidade da prática de vivências em práticas náuticas (remo, vela e caiaque) durante o período de férias escolares e oferecer aos interessados a sua continuidade após este recesso em horários diferenciados. As aulas são acompanhadas por profissionais capacitados e dentro dos padrões de segurança exigidas, sendo obrigatório o uso de coletes oferecidos pelo programa e sob a observação de um guardião salva-vidas.

As aulas serão direcionadas ao publico infantil, adolescentes e adultos separados por horários. Para jovens de 10 a 17 anos, às terças e quintas das 9h às 11h, e para adultos das 11h às 12h.

Anúncios

Agosto 9, 2016 Posted by | esportes, jornalismo, Maricá | | Deixe um comentário

Tiro com Arco: sonho olímpico começou com projeto municipal

Texto: Sergio Renato (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Luiz Oswaldo Júnior e Clarildo Menezes

Quando a jovem Anne Marcelle Gomes dos Santos entrar nesta quinta-feira (11/08) na quadra do Tiro com Arco, no Sambódromo, pelos Jogos Olímpicos Rio 2016, a participação coroa uma iniciativa bem sucedida de formação de atletas dentro das escolas. Graças a um projeto de base iniciado pela Prefeitura em Maricá, em 2012, mais de mil crianças e adolescentes – o que inclui Anne e outros dois atletas hoje integrantes da seleção olímpica – passaram pelo Centro de Treinamento da Confederação Brasileira de Tiro com Arco (CBTArco) no bairro de Itapeba.

O modelo reuniu os principais elementos para o desenvolvimento do potencial olímpico -comprovado pelo desempenho dos atletas nas competições que antecederam aos Jogos: o poder público municipal cedeu a área para a instalação do CT,  importou os equipamentos (kit correspondente a 30 arcos, além das flechas, alvos, miras, protetores e dedeiras) de primeiro nível para que os atletas pudessem treinar e envolveu os alunos da rede pública municipal, através da qual a "peneira" foi realizada. Ministério do Esporte e a própria CBTArco, com o processo técnico de desenvolvimento, completaram o processo. A medida permitiu que os alunos, mesmo iniciantes, pudessem praticar com material de mesmo nível dos utilizados seus competidores.

O valor total, de R$ 2,6 milhões, previa, além disso e da construção dos CTs, a implantação de núcleos de base do esporte e a contratação de equipes técnicas e de pessoal administrativo, o que foi feito. O Núcleo de Base do Tiro com Arco, em sua primeira fase, contou com o suporte de quatro instrutores e quatro monitores separados respectivamente por escolas (núcleos) que, para otimizar a massificação, se tornava rotativo (seis meses em cada escola).

As crianças recebiam a visita dos instrutores em sala de aula e aqueles que se interessavam em praticar o esporte tinham o transporte fornecido pela Prefeitura para se deslocarem até o CT após o horário das aulas. Depois eram trazidos de volta à escola. De lá para cá, o sucesso de vários atletas revelados pelo projeto ainda motiva a garotada.

Atualmente as aulas de base são oferecidas gratuitamente para alunos da rede municipal de ensino cinco vezes por semana. A duração média do treino é de duas horas, com acompanhamento de um educador físico, da coordenadora técnica da confederação e de mais quatro professores do projeto da Secretaria Municipal Adjunta de Esportes, que buscam melhorar a performance dos atletas maricaenses.

Deste grupo, o arqueiro Marcelo Filho foi descoberto entre os alunos do Centro Educacional Municipal Joana Benedicta Rangel, no Centro. Outros, como o vice-campeão mundial e esperança olímpica Marcus Vinícius Almeida, além de Anne Marcelle, estão entre os primeiros revelados e lapidados pela estrutura montada para o aprimoramento de atletas de médio e alto rendimento. Após o fim da participação do Ministério do Esporte, em abril de 2013, a Prefeitura seguiu patrocinando o projeto buscando nas escolas da rede municipal de ensino (e nas unidades estaduais). Hoje, graças à continuidade do modelo, cerca de 50 alunos treinam no CT de Itapeba.

Para os coordenadores Gilmar de Paula e Mônica Favarin, que integraram a primeira equipe do projeto, ver o quão longe chegaram aquelas então crianças é motivo de orgulho. “Eles começaram só puxando os elásticos, meio que brincando, e agora vão disputar medalhas olímpicas. É muito bom saber que você colaborou para este resultado”, avalia Gilmar, que atualmente coordena outro projeto da secretaria no município, o Navegar, que incentiva o desenvolvimento e o surgimento de atletas em esportes náuticos. Mônica, por sua vez, segue ligada ao Tiro com Arco e também atua no Programa Segundo Tempo (do governo federal). Para ela, a cidade se tornou uma referência quando se fala na modalidade. “Hoje, as pessoas lembram imediatamente de Maricá ao falarem de Tiro com Arco, mas o mais importante para nós é que os pais das crianças vêem o projeto como algo que deu muito certo, a despeito de toda a desconfiança que havia no início”, lembra ela.

Nesses quatro anos, atletas de países como Coréia do Sul, Rússia e Estônia já vem fizeram intercambio no CT de Maricá visando as Olimpíadas. Com isso, os participantes do projeto também puderam travar contato com esportistas de primeiro nível, o que também trouxe benefícios ao desenvolvimento de todos.

Agosto 9, 2016 Posted by | esportes, jornalismo, Maricá | , , | Deixe um comentário

Índios Kuikuro visitam aldeia Guarani em Maricá e fazem tour pelo Rio

Texto: Fernando Uchôa (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Fernando Silva

Onze índios da etnia Kuikuro, assentados no Parque Nacional do Xingu (MT), foram recebidos no último dia 05/08, pelos membros da aldeia guarani Kaaguy Tekoa Ovy Porã (“Mata Verde Bonita, em tupi), em São José do Imbassaí. A visita funcionou como intercâmbio cultural entre povos indígenas e foi promovida pela Secretaria Nacional de Esportes, Lazer e Inclusão Social, em parceria com a Secretaria Municipal Adjunta de Cultura, Ciência e Tecnologia. Os representantes da etnia Kuikuro chegaram na sexta-feira à noite (05/07), e pernoitaram na aldeia. Pela manhã, encontraram-se em frente à Casa de Reza, para uma reunião de reconhecimento e agradecimento aos anfitriões. O primeiro a falar foi o cacique José Carlos Kuikuro, 69 anos, que agradeceu a acolhida dos “parentes” guaranis. “Somos de outra etnia, falamos outro dialeto (tronco linguístico Karibe), mas sofremos as mesmas perseguições, por causa de nossas terras e nossa cultura”, adiantou. O cacique anfitrião Darcy Tupã declarou que a aldeia guarani “estará sempre de portas abertas para abrigar os “parentes”. "Assim como fomos recebidos em Maricá, terra que nos adotou e que adotamos de coração”, acrescentou.

O gestor da Secretaria Nacional de Esportes, Ivan Mayer, explicou os motivos da visita. “Faz parte de um programa da secretaria, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura. A ideia é o intercâmbio cultural através da troca de saberes dos mais diversos grupos indígenas do país", explicou. "Temos uma agenda de visitas que iniciou na aldeia, e que prosseguirá no Espaço Etnias, no Armazém 13, e na Casa Brasil (no Rio), onde os Kuikuro mostrarão sua cultura com música (flautas, maracás) e dança, além do seu artesanato, que é riquíssimo”, disse. No domingo (07/08), o grupo, do qual fizeram parte a subsecretária municipal de Cultura, Branca Schulls, a pesquisadora Cordelia Fourneau De Mello Mourão, e do mestre em Antropologia Social e intérprete do grupo, Mutuá Kuikuro, fez um tour pelo município, onde conheceu a Lagoa do Boqueirão e o Projeto Navegar, onde crianças da cidade recebem aulas de canoagem e vela.

Ainda no sábado, na aldeia guarani, os Kuikuro realizaram uma pequena mostra de seu rico artesanato. Colares em forma de flores, pulseiras, peitorais de miçangas retratando onças, bancos de madeira entalhada com formato de macacos e tamanduás, além de arcos, flechas e bordunas, enfeitaram o ambiente da grande oca de reuniões. As peças exibiam rico colorido e acabamento perfeito. O cacique Kuikuro exibia o seu cocar de penas de araras azul e vermelha (Canindé), além de um outro, feito com fibras de buriti. Várias peças foram compradas e outras trocadas. O cacique guarani Miguel Vera Mirim foi um dos compradores e negociadores do artesanato. “É muito bonito. A compra valoriza o trabalho e a troca faz parte da cultura indígena”, comentou. O artesanato restante ficará exposto e à venda, sob responsabilidade da Prefeitura de Maricá.

O guerreiro Sepé Kuikuro, 48 anos, disse que sua tribo é composta de várias famílias, dispostas em ocas próximas em um grande terreno. Os homens caçam, pescam e exercitam-se com lutas e tiro com arco. As mulheres plantam, cozinham, cuidam das crianças e fazem artesanato. “O artesanato mais bruto, bancos, bordunas, redes, arco e flexa, é dos homens”, garantiu. Satisfeitos, os Kuikuro despediram-se em sua língua, disseram que gostaram muito do acolhimento e da visita a Maricá, prometendo voltar em breve.

Agosto 9, 2016 Posted by | cultura, jornalismo, Maricá | , , , | Deixe um comentário

1º Programa de Educação para Paz (PEP) em Maricá

Visando o apoio e promoção da Cultura de Paz, a Prefeitura Municipal de Maricá, através da Secretaria Adjunta de Cultura, Ciência e Tecnologia realiza o 1º Programa de Educação para Paz (PEP) em Maricá entre os dias 08/08 à 08/09/2016.

O PEP é um programa educacional inovador, orientado por voluntários, com um currículo composto por 10 SESSÕES DE VÍDEOS, cada um deles focado num tema específico, relacionados a recursos interiores – ferramentas inatas de vida, tais como PAZ, FORÇA INTERIOR, AUTOCONHECIMENTO, CLAREZA, DIGNIDADE, entre outros.

Venha participar: Todas as segundas e quintas-feiras, das 17:30 às 19:00 horas, no Cine Henfil (antigo Detran), Centro de Maricá.

As aulas são interativas e personalizadas e não têm qualquer raiz religiosa ou sectária.

O conteúdo de cada tema é baseado em excertos de palestras internacionais de Prem Rawat, Embaixador da Paz pela ONU, fundador da TPRF e criador do PEP.

Inscrições Abertas: Maiores informações (21) 2634.1165, Secretaria Adjunta de Cultura, Ciência e Tecnologia, organizadora: Raquel Domingos Pucello

Para saber mais sobre o assunto, visite o site www.tprf.org e www.palavrasdepaz.org.

Agosto 9, 2016 Posted by | cursos, jornalismo, Maricá, projeto cultural | , , | Deixe um comentário