Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Fórum da Agenda 21 de Maricá recebe Ibase

O Fórum da Agenda 21 Local de Maricá recebeu nesta terça-feira, 28/02/2012, representantes do IBASE, que vieram a Maricá para apresentar os princípios básicos do projeto Indicadores da Cidadania (Incid), uma parceria entre o Ibase e a Petrobras que tem por objetivo medir o exercício da cidadania em 14 municípios do Leste Fluminense "e contribuir, assim, com a justiça social e ambiental nessa região em crescimento". De acordo com o Ibase, durante dois anos, os indicadores serão desenvolvidos com metodologia participativa, em diálogo com organizações e lideranças locais, em especial as da Agenda 21.

Em seguida, o Fórum debateu o andamento das ações de seus grupos de trabalho, que na próxima assembleia trarão detalhes da organização de dois projetos de ação da Agenda 21 em Maricá. Também foram tratadas questões organizativas, bem como os resultados da 1ª Conferência sobre Transparência e Controle Social – Consocial, em sua etapa municipal, da qual participou a Agenda 21. Na Conferência, foram eleitos os delegados que levarão as propostas de Maricá à Conferência Estadual.

Conforme calendário anual, a próxima Assembleia Geral Ordinária acontecerá no dia 20 de março, às 18h, na sede do Grupo de Artistas de Maricá (GAM), em Araçatiba.

Fonte Texto: Secretaria de Comunicação

Anúncios

Fevereiro 29, 2012 Posted by | Agenda 21 do COMPERJ, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário

Fórum de Niterói conquista seu espaço no município e entrega PLDS à população

Lançamento da Agenda 21 marca fim de ciclo de trabalho do projeto e superação do Fórum Local

O lançamento da Agenda 21 de Niterói concluiu um importante ciclo do projeto Agenda 21 Comperj: a publicação dos Planos Locais de Desenvolvimento Sustentável (PLDS) dos 14 municípios integrantes. Em cerimônia realizada no Espaço Expositivo Caminho Niemeyer, reuniram-se representantes de todos os Fóruns do projeto, autoridades locais e equipe da Petrobras.

Além disso, o evento do dia 24 de agosto teve um papel especial para Niterói. O município, que enfrentou um novo processo de organização do Fórum Local, conseguiu se superar com a dedicação da população, que entendeu a importância da Agenda 21 no município.

Para Claudia Barros, representante do segundo setor, tal reestruturação foi necessária e natural em uma metrópole como Niterói. “Em todo processo que tem uma proposta participativa a articulação é difícil. Mas, quem não deixou a Agenda 21 cair foi a população, que criou alternativas para driblar as dificuldades”. Claudia, que participa do Fórum Local desde o início, afirmou ainda que o momento é de muito otimismo. “Todas as dificuldades que tivemos foram um aprendizado”.

Nesse contexto, Gelson Pereira, antigo coordenador do Fórum de Niterói, diz que a grande batalha, que era entregar o PLDS à população, foi vencida. “O município agora tem o que sempre precisou: a participação e o interesse do primeiro setor na Agenda 21 Local. Além disso, o projeto Agenda 21 Comperj permitiu a integração com outros municípios do estado, o que é fundamental para conseguirmos unir forças”.

Apesar de não fazer parte do Fórum nessa nova fase, Gelson nunca abandonou o sonho da Agenda 21, o que lhe rendeu uma homenagem durante o evento prestada pela equipe do projeto. “O momento em Niterói é de grande crescimento e o próximo passo é tirar o que fizemos do papel. Mantendo o Fórum ativo mostramos que a Agenda 21 está presente no município”.

Em relação ao trabalho de Niterói, Isabel Macedo, mediadora do município na fase setorial do projeto Agenda 21 Comperj pelo terceiro setor, relembrou as principais preocupações dos participantes no início do processo. “O que sempre interessou, não apenas a Niterói, mas aos municípios em geral, foram os mecanismos de financiamento, isto é, como obter recursos para pôr projetos em prática. No caso de Niterói, também foi bastante discutida a infraestrutura e reorganização de logística do município para a chegada do Comperj”.

Durante o evento, Ricardo Frosini, coordenador do projeto Agenda 21 Comperj, destacou o grande desafio que foi concluir esse ciclo do projeto, em mais de três anos de trabalho. Segundo Ricardo, foram realizadas mais de 700 reuniões ao longo desse período e um dos principais resultados foi a integração entre os municípios. “Eu vi associações se fortalecendo, empresas entendendo melhor o seu papel e governos repensando políticas. Hoje, posso dizer que algumas Agendas já são referências para os seus municípios, justamente por representarem a vontade da população”.
O coordenador aproveitou a cerimônia para agradecer a toda a equipe do projeto, aos membros de todos os 14 Fóruns Locais e as mais de 5.000 empresas envolvidas no processo de construção dos PLDS. “Hoje, encerramos a implantação das Agendas nos municípios, mas o projeto continua e o apoio da Petrobras também”.

Desafios de um município de aproximadamente 490 mil habitantes

Moradora de Niterói, a empresária Joseane Gomes tem visto grande potencial para os negócios locais, mas ainda observa grandes desigualdades sociais. “Niterói é um município muito diversificado socialmente. Ao lado de Icaraí, por exemplo, bairro de alta concentração de renda, há uma comunidade pobre. Mas, acredito que os pequenos e médios empresários contribuem para diminuir esse desnível econômico, uma vez que grande parte das nossas vendas, apesar de virem das camadas mais altas da sociedade, geram emprego para a população mais pobre”.

A empresa de Joseane representa a Tupperware em diversos municípios da região leste fluminense há dois anos. Segundo ela, Itaboraí tem sido um ponto de crescimento grande, assim como as regiões vizinhas. “Estamos com projetos em Maricá, Rio Bonito, Friburgo, Magé e Casimiro de Abreu. Ficamos surpresos ao saber que toda a nossa área de trabalho possui uma Agenda 21”.

Já Janete Abraão, representante da Associação Estadual de Municípios do Rio de Janeiro, entidade parceira dos processos de Agendas 21 Locais, apontou algumas urgências na infraestrutura da cidade. “Como moradora de Niterói acredito que fatores como o trânsito merecem ser priorizados. A cidade está praticamente parada e a locomoção é difícil. Além disso, a edificação está sendo muito intensa no município. É preciso fazer o uso ordenado do solo e considerar a rede de esgoto antes de investir na construção de prédios”.

Representando o prefeito Jorge Roberto Silveira, o secretário de Ciência e Tecnologia de Niterói, José Raymundo Romeo, afirmou que a Agenda 21 se tornou um compromisso da cidade. “Uma agenda serve para marcar compromissos, por isso a Agenda 21 é símbolo de um pacto coletivo entre todos os setores do município e a população, não apenas de Niterói, mas de toda a região”.

Em relação a esse compromisso, Ricardo Frosini acrescentou: “Com a ajuda de gestores públicos que querem fazer a diferença, já acontece no Rio de Janeiro algo que todas as Agendas 21 do Brasil desejam, que é se tornar uma referência para o desenvolvimento sustentável local. Niterói está crescendo além da atuação do Comperj e tenho certeza que seguindo esse plano o município conseguirá alcançar a inclusão social”.

Agosto 30, 2011 Posted by | Agenda 21 do COMPERJ, jornalismo | Deixe um comentário

Maricá comemorou publicação da Agenda 21

Chegou a vez do Fórum de Maricá lançar a Agenda 21 Local. Em cerimônia no dia 6 de maio, o grupo distribuiu o seu Plano Local de Desenvolvimento Sustentável (PLDS) aos cerca de 400 convidados, entre eles população, autoridades e imprensa do município e cidades vizinhas, que compareceram à casa de eventos Palladon Festas.

Representante da coordenação do Fórum Local pelo primeiro setor, Luciana Andrade acredita que o lançamento fortalecerá a Agenda 21 e ajudará a atrair parceiros dispostos a contribuir com o desenvolvimento sustentável de Maricá. “Esse momento torna público um trabalho realizado desde 2007 e mostra para todos a importância da integração de todos os setores da sociedade".

Neste contexto, Izidro Arthou, coordenador do Fórum Local pelo terceiro setor, acrescenta que a primeira ação do grupo após o lançamento será se dedicar à Semana do Meio Ambiente, em junho. “Realizaremos palestras, principalmente nas escolas, para divulgar ainda mais a Agenda 21 no município”.

Os três anos de trabalho do Fórum Local até a publicação do PLDS foram destacados pelo coordenador geral do projeto Agenda 21 Comperj, Ricardo Frosini. “O lançamento em Maricá é especial, pois se trata de um grupo que passou por diversos desafios e, apesar das adversidades, se superou ao seguir um objetivo comum”. Ricardo aproveitou para ressaltar a importância da participação popular nesse processo.

Da mesma forma, Izidro acredita que a Agenda 21 é a ferramenta do cidadão para melhorar a qualidade de vida no município e cita Cecília Meireles. “Dai-nos, Senhor, a perseverança das ondas do mar para que façamos de cada recuo um ponto de avanço”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria Grasiete, por exemplo, mãe de um dos integrantes da banda Tambor de Ouro, que abriu a cerimônia de lançamento, cita o transporte como um desses recuos a serem vencidos no município. “Moro na Barra de Maricá e trabalho no Centro, então tenho que pedir ao meu chefe para me liberar antes de meia noite, horário do último ônibus para minha casa”. Ela acrescenta que no ano que vem o filho terá que realizar o mesmo trajeto e se preocupa com os horários irregulares e escassos.

Agenda 21 integrada

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O lançamento de Maricá contou com a presença dos Fóruns de São Gonçalo, Teresópolis, Casimiro de Abreu, Saquarema, Itaboraí e Magé, que também fazem parte do projeto Agenda 21 Comperj.

A integrante da coordenação do Fórum de Saquarema, Layla Garrido, afirma que a integração dos Fóruns é um dos aspectos mais interessantes do projeto. “Com o lançamento das Agendas, apostamos ainda mais em um trabalho regionalizado no Rio de Janeiro”. Ela acrescenta que o lançamento da Agenda 21 de Saquarema, realizado na semana anterior, teve um resultado impactante no município. “Recebemos diversos telefonemas de pessoas querendo participar e estamos distribuindo várias Agendas. As pessoas se identificam, veem a realidade delas no documento”.

Neste aspecto, Izidro ressaltou que a renovação dos membros que compõem o Fórum Local é importante e aposta nisso para essa nova etapa. “Queremos fazer uma capacitação para preparar futuros membros a atuarem na Agenda 21. Começamos com a estratégia, por exemplo, de convidar em massa o segundo setor para o lançamento”.

Maio 18, 2011 Posted by | Agenda 21 do COMPERJ, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário

Lançamento da Agenda 21 de Maricá reúne 300 pessoas

DSC05508

Foi lançado nesta sexta-feira, em Maricá, o Plano Local do Desenvolvimento Sustentável (PLDS), que engloba temas pertinentes às cidades do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e fortalece a Agenda 21 do município.
 
A publicação contou com apoio da Petrobras e foi distribuído aos cerca de 300 convidados. Entre os assuntos focados no PLDS estão meio ambiente, saneamento, habitação, transporte, segurança, educação, saúde e cultura.  
DSC05505DSC05501 
Para Ricardo Frosini, representante da Petrobras e coordenador geral do projeto Agenda 21 Comperj, este é o primeiro passo para que a cidade pense e construa seu desenvolvimento baseado nos princípios da economia sustentável, lembrando a correlação das questões envolvidas.
 
“Todos os temas se ligam e são importantes, saneamento, saúde, meio ambiente, mas, acima de tudo, a educação é fundamental para que o desenvolvimento aconteça levando em conta todos os setores envolvidos, moradores, empresários, governo. É preciso que as pessoas conversem e se entendam, sabendo respeitar as diferenças. Nesse sentido, Maricá dá o primeiro passo para tornar a proposta da Agenda 21 possível”, avaliou.  
 
A secretária Municipal de Projetos Especiais, Luciana Andrade, também se mostrou confiante, ressaltando que o livro chama a atenção para a importância de se avançar com políticas públicas integradas e alcançar uma Maricá sustentável.
 
“Acredito que Agenda 21 atraia pessoas e instituições que desejam realmente contribuir com ideias e propostas inteligentes”, disse.
 
Já Marcelo Sereno, secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Petróleo de Maricá, enfatizou a esperança de o município não repetir experiências de crescimento desordenado como a de Macaé e Duque de Caxias.
 
“Estou esperançoso de que a população de Maricá saberá conciliar crescimento com sustentabilidade e esta publicação é muito importante para trilharmos esse caminho”, comentou.   
 
O evento foi aberto pela Banda Tambores de Ouro, da Escola Municipal João Bezerra, e encerrado pelo Coral Maricanto

 DSC05501

Agenda 21 – o processo da Agenda 21 teve origem no Rio de Janeiro, em 1992, quando os países reunidos na Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (mais conhecida como Eco 92) traçaram metas para o Século 21 – daí o nome. Nesse encontro, foram buscados novos caminhos ante os problemas ambientais causados pela exploração descontrolada da natureza.
Ao final do evento, 179 países assinaram o acordo para que fossem aplicadas, global e localmente, ações no sentido de preservar os recursos naturais, visando melhorar a qualidade de vida das comunidades sem perder o foco do desenvolvimento sustentável.
No Estado do Rio, a primeira Agenda lançada foi a de Teresópolis, em dezembro de 2010, seguida de Guapimirim, em março, e de Saquarema, em abril. Até julho de 2011, as cidades de Cachoeiras de Macacu, Itaboraí, Magé, Niterói, Nova Friburgo, Rio Bonito e Silva Jardim também terão suas Agendas 21 locais lançadas.

Maio 7, 2011 Posted by | Agenda 21 do COMPERJ | Deixe um comentário

Agenda 21 de Maricá será lançada nesta sexta-feira

A Agenda 21 de Maricá fará o lançamento nesta sexta-feira (06/5) do livro contendo o Plano Local do Desenvolvimento Sustentável (PLDS). O livro é patrocinado pela Petrobras, que apóia o fomento das Agendas 21 locais nos municípios da área de influencia do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).   A solenidade para convidados, que ocorrerá às 17 horas na casa de festas Palladon, no Flamengo, vai reunir representantes de todos os setores. O documento da Agenda 21, que será distribuído a todos os presentes no evento, engloba temas pertinentes aos municípios, como meio ambiente, saneamento, habitação, transporte, segurança, educação, saúde e cultura.
 
Conhecido mundialmente, o processo da Agenda 21 teve origem no Rio de Janeiro, em 1992, quando os países reunidos na Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (que ficou popularizada como Eco 92) traçaram metas para o Século 21 – daí o nome. A conferência buscava uma abordagem nova e responsável, diante dos problemas ambientais causados pela exploração descontrolada da natureza.
No encerramento do encontro, 179 países assinaram a Agenda 21, um acordo comum para que, global e localmente, fossem desenvolvidas e aplicadas soluções para preservar os recursos naturais, melhorando a qualidade de vida das comunidades em um foco sustentável de desenvolvimento.
O lançamento da primeira Agenda, a de Teresópolis, ocorreu em dezembro de 2010. Em março, foi a vez de Guapimirim e em abril, de Saquarema. Até julho de 2011, as cidades de Cachoeiras de Macacu, Itaboraí, Magé, Niterói, Nova Friburgo, Rio Bonito e Silva Jardim terão suas Agendas 21 locais lançadas.

Maio 6, 2011 Posted by | Agenda 21 do COMPERJ, jornalismo | Deixe um comentário

Maricá aprova Regimento Interno do Fórum da Agenda 21 do COMPERJ

Fonte:Agenda 21 do COMPERJ
O Fórum da Agenda 21 de Maricá deu um passo importante em sua organização ao aprovar o Regimento Interno, em assembleia realizada no dia 16 de outubro de 2010. Após um dia inteiro de discussões – superando as divergências –, a reunião geral terminou com aplausos e a certeza de que o Fórum conquistou a união necessária para trabalhar em prol da sustentabilidade em Maricá.

 

A fim de não reduzir a representação popular, a assembleia decidiu manter e formalizar no Regimento a existência de quatro setores. Também foram marcadas, para abril de 2011, as próximas eleições de membros do Fórum, bem como foram definidos os critérios de elegibilidade, os direitos e deveres dos membros e de seus suplentes, a forma de participação de não membros, a formação de uma coordenação, entre outras deliberações necessárias ao bom funcionamento do Fórum. A partir de então, o Fórum de Agenda 21 deverá se renovar a cada dois anos.

O texto-base original do Regimento foi preparado por um grupo de trabalho escolhido com essa finalidade, envolvendo os quatro setores do Fórum. A partir de então, foram estudadas, detalhadamente, as diretrizes do processo nacional de Agendas 21 e os seus princípios, assim como os princípios do Direito e o próprio Código Civil Brasileiro.

Em seguida, foi realizado um estudo comparativo entre regimentos já aprovados por fóruns de outros municípios da área de influência do Comperj. O novo texto-base foi trabalhado pela própria assembleia até o ajuste final, para o qual foi indispensável a experiência de organização, a participação e o comprometimento de todo o conjunto. O documento foi aprovado por consenso.

Confira o Regimento Interno de Maricá aqui no site.

Saiba o que é o Comperj

 

O Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro – Comperj, é um dos principais empreendimentos da história da Petrobras. Um marco da retomada da Companhia no setor petroquímico, que vai transformar o perfil socioeconômico de sua região de influência. As obras do Comperj iniciaram em 31 de março de 2008 e, ao todo, um investimento de cerca de 8,30 bilhões de dólares transformará o estado em um pólo de oportunidades no setor de resinas termoplásticas e combustíveis.

Obras de terraplanagem do Comperj

Com previsão para operar a partir de 2013, o Comperj está sendo construído em uma área de 45 milhões de metros quadrados no município de Itaboraí, o equivalente aproximado a mais de seis mil campos de futebol. O empreendimento vai gerar uma grande economia de divisas para o país, já que haverá aumento da capacidade nacional de refino de petróleo pesado, com consequente redução da importação de derivados e de produtos petroquímicos.

A meta é incrementar a produção nacional de produtos petroquímicos com o processamento de, aproximadamente, 165 mil barris/dia de óleo pesado nacional (1ª unidade de refino), com uma 2ª unidade de refino com a mesma capacidade, para três ou quatro anos após a entrada em operação. O Comperj promoverá uma transformação ainda mais completa do petróleo, fornecendo ao mercado e à sociedade produtos úteis para tornar a vida mais prática.

Empresas de 3ª geração, que poderão ser atraídas pelo Comperj e se instalar também nos municípios vizinhos e ao longo do Arco Metropolitano, que ligará Itaboraí ao Porto de Itaguaí, serão responsáveis por transformar esses produtos petroquímicos de 2ª geração em bens de consumo, tais como: componentes para as indústrias montadoras de automóveis, materiais cirúrgicos e linha branca como eletrodomésticos, entre outros.

Geração de emprego e renda

A previsão é que a instalação do Comperj crie 200 mil empregos diretos, indiretos e por “efeito-renda”, durante os cinco anos da obra e após a entrada em operação; todos em escala nacional. A mão de obra estabelecida nas cidades impactadas diretamente pelo Complexo também está recebendo cursos de capacitação e qualificação oferecidos pelo Centro de Integração – outro projeto sugerido e já implantado. A expectativa é preparar cerca de 30 mil profissionais, cujos dados serão armazenados em um banco de informações para futuros empregos, tanto no Comperj quanto nas empresas atraídas para a região.

Relacionamento

Em dia com a licença de instalação, a Petrobras montou um Plano de Relacionamento, a fim de buscar ações para  incentivar o desenvolvimento sustentável na região do Comperj. À parte os acordos de mitigação e compensação ambiental garantidos por lei no Estudo de Impacto Ambiental (EIA), a empresa decidiu articular as Agendas 21 Locais de quinze municípios situados próximos à obra, incluindo Itaboraí. Com o intuito de buscar a proteção da natureza, a eficiência econômica e a justiça social, o processo resulta em  documentos – as Agendas Locais – redigidos com a participação de representantes de todos os setores, e em ações visando a melhoria dos municípios. 
Além disso, está sendo desenvolvido o projeto Memória Petrobras – Comperj, onde são registradas as etapas da construção do empreendimento por meio de depoimentos das pessoas envolvidas com o Comperj.

Outubro 26, 2010 Posted by | Agenda 21 do COMPERJ, COMPERJ, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário