Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Maricá prepara implantação do florestamento nobre

Uma parceria da Secretaria de Ambiente e Urbanismo de Maricá com outros órgãos municipais, e também do Estado e da União, vai promover um projeto que alia a preservação da mata atlântica com a oferta de renda sustentável para cerca de trinta famílias. Dentro do programa de recuperação da bacia do rio Ubatiba, que passa a se chamar Mumbuca ao se aproximar do centro da cidade, o órgão prepara uma ação chamada de florestamento nobre, que prevê o plantio de mudas de espécies certificadas de alta qualidade como cedro australiano, teca e neen, muito utilizadas em móveis de design e até na construção naval.

Uma das espécies nobres a ser plantada é o cedro australiano

A madeira é muito utilizada na fabricação de móveis, como esta espreguiçadeira

A teca é outra árvore incluída no projeto. Em geral, sua destinação é para a composição de ambientes

Chamado também de “previdência em árvores” e utilizado pela primeira vez no Estado do Rio, o projeto consiste na oferta dessas mudas às famílias contempladas em áreas de, no mínimo, um hectare, com assistência técnica especializada e incentivos para beneficiamento. Como o corte só é possível entre os 12 e 18 anos da árvore, os produtores vão aprender a retirar subprodutos como óleos medicinais e, também, a desenvolver o sistema chamado agrosilvopastoril, que inclui a criação de animais e o plantio de leguminosas.

Durante a fase de crescimento das espécies, cada família terá uma renda entorno de R$ 1.500. Ao final da época de extração, o lucro pode chegar a R$ 750 mil por cada hectare plantado. Para a Prefeitura, o custo de instalação do projeto será de R$ 450 mil, incluindo a oferta de suporte para três anos.

Parceiros – O projeto de florestamento nobre foi apresentado pela Secretaria Municipal de Trabalho e aguarda a conclusão do Censo Agropecuário, promovido pela Secretaria de Pesca e Agricultura. Outros parceiros na ação são a Fundação Jardim Botânico do Rio, a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae). Esta última deverá ainda implantar um outro projeto: o de ressocialização de egressos do sistema penitenciário, através da Fundação Santa Cabrini.

“São ações conjuntas que promovem a sustentabilidade do produtor e, ao mesmo tempo, a manutenção do ecossistema predominante em nossa cidade. Estaremos preservando a mata nativa e oferecendo uma garantia de boa renda a quem cuida da terra”, avaliou a subsecretária de Meio Ambiente de Maricá, Déborah Dias.

De acordo com Thiago de Paula, que é gestor do Fundo Municipal de Meio Ambiente, o projeto está sendo avaliado pelo prefeito Washington Quaquá e, depois de aprovado, poderá começar a ser implantado a partir de setembro, quando começa a época das chuvas, que é mais favorável ao plantio.   

Texto: Sérgio Renato
Foto: Divulgação

Agosto 26, 2011 Posted by | agricultura e pesca, jornalismo, meio ambiente | | Deixe um comentário

Horto-Escola em Maricá terá apoio da Petrobras

O projeto Horto-Escola, desenvolvido pela Secretaria de Pesca, Aquicultura, Agricultura e Pecuária de Maricá, em parceria com a Secretaria de Ambiente e Urbanismo, poderá ganhar em breve, mais um parceiro. O projeto foi encaminhado para o Setor de Projetos Especiais da Petrobras, analisado e está em vias de ser aprovado para execução.
O Horto-Escola já conta com o apoio do Fundo Municipal de Meio Ambiente, que aprovou o orçamento para construção do prédio principal, viveiros e estufas. O Horto funcionará em terreno anexo a uma escola da rede municipal, provavelmente no bairro do Condado, 1º Distrito de Maricá.
O projeto contempla a construção de quatro pavimentos térreos que incluem uma estufa de sementeiras, outro de sementeiras com cobertura, um canteiro de sacos e de mesas de tubetes, e outro ainda, a própria escola, com oferta de 200 vagas onde haverá aulas teórico-práticas de Meio Ambiente, Botânica, Jardinagem e Paisagismo, entre outras.
Cinturão verde
O horto-escola terá por objetivo o fornecimento de 300 mil mudas de espécies nativas para o reflorestamento dos biomas da região. Para o trabalho de replantio, serão usadas mudas de arbustivas. Plantas ornamentais, em sua maioria, serão também vendidas para outros municípios. “Enquanto no comércio uma muda custa de R$ 2,50 a R$ 5,00, venderemos a preço de custo, em torno de R$ 0,35, aproximadamente”, adianta Tiago de Paula, secretário executivo do Fundo.
Segundo o secretário municipal de Pesca e Agricultura, Cláudio Jorge Soares, o setor está sendo renovado com projetos de parceria público-privada. "O Horto-Escola servirá de base para o replantio e fornecimento de mudas no município, a exemplo do cinturão verde do Comperj. Outros projetos estão em andamento, como a implantação de um Núcleo de Ensino Rural, hortas escolares e fomento da agricultura familiar, todos voltados para a recuperação do setor agrícola em Maricá", adiantou.

Julho 1, 2011 Posted by | agricultura e pesca, jornalismo, meio ambiente | Deixe um comentário

Audiência pública do IBAMA discute ordenamento pesqueiro em Maricá

O encontro, que reuniu pescadores, sindicalistas e entidades representativas do setor, resultou na criação da Câmara Técnica da Pesca em Maricá
O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis – IBAMA -, promoveu ontem (31/05), na Câmara de Vereadores de Maricá, audiência pública que discutiu o ordenamento pesqueiro e questões relativas à regularização de atividades no sistema lagunar do município. O evento foi apresentado pela professora e jornalista Maria Isabel de Oliveira.
Formaram a mesa  diretora, a chefe substituta do Serviço de Proteção Ambiental do IBAMA, Dra. Lízia Vancourt; diretor de Recursos Hídricos da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Flávio Moreira; o subcomandante do Batalhão Florestal, major Gilbert; o presidente da Colônia de Pescadores Z-7, Aurimar "Barbudo" José Almeida; o secretário municipal de Pesca e Aquicultura, Cláudio Jorge Soares, e os vereadores Luciano Rangel Jr., presidente da Câmara de Vereadores de Maricá; Uiltinho Vianna, presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara; Paulo Maurício, Fabiano Horta, Hélter Ferreira, Henrique Cardoso e Robson Dutra.
Câmara Técnica da Pesca
Participaram da audiência presidentes das associações de pescadores do Recanto, Rua 70, Zacarias, Barra e Ponta Negra, além do SindPesca e associações de preservação do meio ambiente, do município. Depois de discutidas questões prioritárias para os pescadores, como o tamanho permitido da malha para as redes de pesca (0,7 cm. entre-nós), reclamações quanto à apreensão de redes pesqueiras pelo Batalhão Florestal e demais órgãos fiscalizadores, foi montada uma comissão com representantes das entidades presentes, para elaboração da Câmara Técnica da Pesca, que apresentará, a curto prazo, emendas às portarias que regulamentam a atividade pesqueira, para adaptação às realidades e características do município. “Sem um estudo técnico sobre o potencial hídrico, biológico e ecológico do sistema lagunar, não se pode reivindicar alterações na legislação da pesca, por falta de argumentos científicos que possam validar as mudanças. A criação da Câmara Técnica, que será subordinada ao Comitê das Bacias Hidrográficas do Estado do Rio, agilizará e viabilizará essas questões”, concluiu a Dra. Lízia.
Segunda Mesa
Participaram de uma segunda mesa de trabalhos, o secretário municipal de Pesca e Aquicultura, Cláudio Jorge Soares; o superintendente substituto do Ministério da Pesca e Aquicultura (RJ), Ricardo Barbosa; o diretor do Instituto Ânima, José Renato Ascar;  o chefe de Fiscalização e Controle da Fundação Instituto da Pesca no Estado do Rio de Janeiro, Rogério Fróes; e o coordenador de projetos do Banco do Brasil para Maricá, Márcio José.
Foi apresentado um programa de desenvolvimento para o município, com base na pesca, aqüicultura e agricultura familiar, que inclui abertura de canais, criação em cativeiro de espécies como o robalo, o camarão e a tilápia, e cultivo de moluscos (mariscos, ostras, coquilles), além do Caminhão do Peixe (já em operação), e de uma unidade de beneficiamento de pescado. Na agricultura, foi divulgada a implantação de um horto-escola, que fornecerá mudas para o município e para o cinturão verde do Comperj. Os projetos contam com a parceria de órgãos federais e/ou estaduais, como o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), Instituto de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ/Coppe), Uerj, Instituto Ânima, Banco do Brasil e BNDES, entre outros.

Junho 2, 2011 Posted by | agricultura e pesca, jornalismo | Deixe um comentário

Caminhão da Pesca circula de segunda a sábado em Maricá

O caminhão frigorífico-feira, mais conhecido por caminhão do peixe, projeto executado pela Secretaria Municipal de Pesca, Aquicultura, Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Maricá, está circulando de segunda a sexta-feira pelos bairros do município, vendendo pescado pela metade do preço.
O roteiro do caminhão do pescado, atende aos bairros mais populosos, na seguinte ordem: segunda-feira – São José do Imbassaí (Praça do Dínamo F.C.); terça-feira – Itaipuaçu (Praça do Barroco); quarta-feira – Bairro da Amizade (ao lado da Igreja Assembléia de Deus); quinta-feira – Centro (ao lado do Anfiteatro); sexta-feira – Inoã (Quadra de Inoã); sábado – Santa Paula (em frente ao Portão B do Condomínio).
Segundo o subsecretário municipal de Pesca, Luiz Eduardo Damasco, o Luizão, o projeto está atingindo seus objetivos. “Estamos conseguindo atender a demanda da população, vendendo o estoque diário a um custo reduzido porque compramos direto do pescador, sem intermediários”, adiantou.

Maio 16, 2011 Posted by | agricultura e pesca, jornalismo | Deixe um comentário

Cientista fluminense vai lançar abacaxi totalmente comestível

O botânico fluminense Pedro Nahoum vem desenvolvendo um trabalho de seleção e melhoramento genético da fruta

O Brasil disputa com a Índia e a Tailândia a posição de maior produtor mundial de abacaxi. Mas essa saborosa fruta tropical, em virtude de suas folhas espinhosas e casca áspera, acabou gerando a expressão "descascar o abacaxi", que significa enfrentar uma tarefa penosa.

Com apoio da Financiadora de Estudos e Projetos – Finep, a agência do Governo Federal voltada para o financiamento à pesquisa e inovação, o botânico fluminense Pedro Nahoum vem desenvolvendo um trabalho de seleção e melhoramento genético da fruta e promete que os turistas atraídos ao Brasil pela Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos já terão disponível no mercado um abacaxi doce, suculento e que não precisa ser descascado porque é totalmente comestível, da casca à polpa.

E, como se não bastasse, esse novo abacaxi de casca vermelha ainda tem propriedades antioxidantes e antihipertensivas. Nahoum já contratou o laboratório internacional "SBW", um dos maiores produtores de mudas do mundo, para multiplicar suas matrizes, das atuais 10 mil, para 5 milhões de unidades. O plantio inicial, de 1 milhão de mudas, está previsto para o ano que vem, em uma área de 25 hectares no município de Quissamã, no norte do Rio, para ser colhido em 2013, quando será feito seu lançamento comercial.

Como suas pesquisas vêm sendo conduzidas no município fluminense de Maricá, ele também já está tratando com o Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI a elaboração da denominação geográfica "Abacaxi do Rio de Janeiro".

[Fonte: A verdade]

Maio 15, 2011 Posted by | agricultura e pesca, ciência, cultura, jornalismo, Planeta Terra | , | Deixe um comentário

Maricá ganhará horto-esco​la no Condado

A Prefeitura de Maricá, através das secretarias municipais de Agricultura, e Meio Ambiente e Urbanismo, iniciou oficialmente o processo de implantação de um horto-escola, que funcionará em terreno da municipalidade, em condomínio no bairro do Condado.
Elaborado pelo secretário municipal de Agricultura, Cláudio Jorge Soares, da subsecretária Sabrina de Oliveira, e dos assessores Patrícia Ismério e Diego Legentil, o projeto foi entregue oficialmente hoje, ao presidente do Fundo Municipal de Proteção e Conservação Municipal, Tiago de Paula, instituição gestora do projeto. Presentes ao ato, o secretário municipal de Meio Ambiente e Urbanismo, Celso Cabral, e a subsecretária de Meio Ambiente, Deborah Dias.
Do projeto
O projeto contempla a construção de quatro pavimentos térreos que incluem uma estufa de sementeiras, outro de sementeiras com cobertura, um canteiro de sacos e de mesas de tubetes, e outro ainda, a própria escola, com oferta de 200 vagas onde haverá aulas teórico-práticas de Meio Ambiente, Botânica, Jardinagem e Paisagismo, entre outras.
Cinturão verde
O horto-escola tem por objetivo o fornecimento de 300 mil mudas de espécies nativas para o reflorestamento dos biomas da região. Para o trabalho de replantio, serão usadas mudas de arbustivas. Plantas ornamentais, em sua maioria, serão também vendidas para outros municípios. “Enquanto no comércio uma muda custa de R$ 2,50 a R$ 5,00, venderemos a preço de custo, em torno de R$ 0,35, aproximadamente”, adianta Tiago de Paula.
O secretário de Agricultura, Cláudio Jorge, afirma que um dos clientes do horto-escola, poderá ser o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que tem em seu programa a implantação de um cinturão verde no entorno de sua área de operações. “Outros benefícios seriam a conscientização ecológica e a qualificação de mão de obra dos jovens, através dos cursos oferecidos, que serão todos gratuitos”, completa a subsecretária de Agricultura, Sabrina de Oliveira.

Maio 5, 2011 Posted by | agricultura e pesca, meio ambiente | | Deixe um comentário

Caminhão do Pescado circula por seis bairros de Maricá

Depois de passar por três bairros na Semana Santa, o caminhão frigorífico-feira da Prefeitura de Maricá continua circulando por outros bairros da cidade. Nesta segunda-feira (25/4), o veículo está atendendo ao público em frente ao posto de saúde de São José de Imbassaí, oferecendo variedades de pescado obtido junto a associações de pescadores locais, pela metade do preço das peixarias tradicionais
Sempre com atendimento das 8h às 14h, o caminhão estará também nos seguintes locais: nesta terça-feira (26) em Itaipuaçu (em frente ao DPO do Barroco), quarta-feira (27) no Bairro da Amizade (ao lado da Igreja Assembléia de Deus), quinta-feira (28) no Centro (Praça Orlando de Barros Pimentel, ao lado do Anfiteatro), sexta-feira (29) em Inoã (ao lado do Campo do Verdão) e no sábado (30) no Condomínio Santa Paula (entrada do setor B).
De acordo com o subsecretário de pesca de Maricá, Luiz Eduardo Damasco, o caminhão vai atender ao público dentro do horário previsto ou enquanto durar o estoque de peixes, cuja variedade de espécies depende da oferta dos pescadores. O veículo tem capacidade para 4,5 toneladas de pescado, além de um compressor e um balcão de vendas.

DSCF1925DSCF1926DSCF1930DSCF1934

Abril 26, 2011 Posted by | agricultura e pesca, jornalismo | | Deixe um comentário

Semana Santa com peixe mais barato em Maricá

Caminhão frigorífico da Prefeitura circula por bairros com pescado pela metade do preço

O caminhão frigorífico-feira da Prefeitura de Maricá está circulando nesta Semana Santa por alguns bairros da cidade, oferecendo à população variedades de peixe pela metade do preço praticado pelo mercado. O veículo esteve nesta terça-feira (19/4) em Santa Paula, onde a grande procura fez quase meia tonelada do produto se esgotar antes do horário previsto.
Antes da abertura do caminhão, às 8 horas, já havia uma fila aguardando o atendimento, mas a venda transcorreu com tranquilidade. os consumidores puderam levar tipos com Corvina, Tainhota e Pargo, todos adquiridos pelo governo com associações de pescadores do município, o que permite reduzir os preços para compra. O moradores não escondiam a satisfação com a chegada do caminhão.
DSCF1925DSCF1926DSCF1934DSCF1930

"Se não tivesse isso aqui hoje, talvez eu não pudesse comprar peixe na Semana Santa, pois para mim é difícil sair do bairro para comprar algumas coisas. O peixe está bonito e o preço é bom", elogiou a dona de casa Eladir de Oliveira Pinho, de 55 anos, que comprou Corvinha e queria mais. "Senti falta da Sardinha, gosto muito", lamentou.
Para o aposentado José Pereira de Souza, de 72 anos, o caminhão deveria ir com mais frequência ao bairro. "Tinha de ter isso todo sábado, por exemplo, para as pessoas terem mais tempo. Gostei bastante disso", disse ele.
O presidente da associação de moradores de Santa Paula, José Spedo, a chegada do veículo é mais um compromisso cumprido pelo prefeito Washington Quaquá. "Ele havia dito que gostaria que o primeiro bairro beneficiado fosse o nosso, e aqui está hoje. A população ficou muito feliz", garantiu ele.
De acordo com o subsecretário de pesca de Maricá, Luiz Eduardo Damasco, o caminhão irá a outros dois bairros, atendendo sempre das 8h às 14h ou enquanto durar o estoque de peixes, cuja vareidade de espécies depende da oferta dos pescadores. Nesta quarta-feira (20/4), ele estará na rua Caio Figueiredo, em Inoã, próximo ao campo de futebol do bairro. Já na quinta-feira (21), o Bairro da Amizade vai receber o veículo, que estará estacionado no largo próximo à E.M. Marcus Vinícius Santana.
O prefeito Washington Quaquá recebeu oficialmente as chaves de um caminhão-frigorífico-feira no dia 7 de dezembro em Brasília. A entrega foi feita pelo então ministro da Pesca e Aquicultura, Altemir Gregolin. Na ocasião, outros 54 municípios de todo o país receberam este tipo de veículo, que tem capacidade para 4,5 toneladas de pescado, além de um compressor e um balcão de vendas.
 
Texto: Sérgio Renato
Fotos: Fernando Silva

Abril 20, 2011 Posted by | agricultura e pesca, jornalismo | Deixe um comentário

Maricá prepara programa “Fomentando o Futuro”

A Prefeitura de Maricá, através da Secretaria Municipal de Aquicultura, Pesca, Agricultura, Pecuária e Abastecimento, encaminhou ao Sistema de Contratos e Convênios do Governo Federal (SICONV), um conjunto de projetos de desenvolvimento para os segmentos agrícola e pesqueiro, voltados para a geração de emprego e renda e agregação de valores do setor.
No conjunto constam projetos como “Fortalecendo o Futuro”, de gestão e administração do Programa de Desenvolvimento da Aquicultura, com apoio do Ministério da Pesca e Aquicultura, cuja foco principal será a Segurança Alimentar, valorizando o mercado e a oferta de serviços com assistência técnica às regiões envolvidas, além da construção de núcleos de desenvolvimento sustentável, onde serão promovidas oficinas, palestras e capacitações dos profissionais.
Mulheres do Futuro
Dentro do programa existem propostas de manejo da biodiversidade com base no desenvolvimento comunitário, como o projeto “Mulheres do Futuro” que, em parceria com o Instituto Ânima, e apoio do Fundo Nacional do Meio Ambiente, pretende melhorar as condições de trabalho e renda das marisqueiras de Maricá, inserindo novas tecnologias de processamento de pescado, aumentando sua autonomia financeira e diminuindo a desigualdade entre os sexos, além de montar um banco de dados para dar suporte às atividades de planejamento do setor. O uso sustentável dos recursos naturais e das espécies da zooflora nativa, além da valorização da tradição regional, estão no conjunto de intenções do projeto.
Caminhão frigorífico-feira
Como item de execução do programa, já foi conseguido um caminhão frigorífico-feira com capacidade superior a três toneladas e meia de carga, que será  programado para atender às comunidades do município, vendendo pescado a preço de custo. Outras providências são a instalação da  Colônia Z-7, que está vindo de Itaipu (Niterói), para Maricá, e que agilizará, entre outras, questões trabalhistas e previdenciárias dos pescadores, e o cadastro dos pescadores na Federação de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj), como produtores para que possam fornecer o pescado para a merenda escolar e outras instituições.
Setor agrário
Outro projeto é o de Desenvolvimento do Setor Agrário, apoiado pelo Ministério da Agricultura (MAPA), visa apoiar iniciativas voltadas à melhoria da infraestrutura e logística da produção agrícola e ao fomento da agroindústria, bem como permitir o atendimento de demandas de efeito socioeconômico, para o desenvolvimento do setor agropecuário. O projeto prevê ainda a redução de gargalos dos corredores de transporte, manutenção das estradas vicinais, correção de solos, construção de pequenos abatedouros, aquisição de máquinas beneficiadoras, equipamentos para resfriamento de leite, aquisição de tratores e implementos agrícolas de pequeno porte.
O secretário municipal de Pesca e Agricultura de Maricá, Cláudio Jorge Soares, informou que o programa “Fomentando o Futuro”, dará um impulso sem precedentes à pesca e agropecuária do município. “O que pretendemos é a emancipação do agricultor familiar e do pescador artesanal, para que possam viver com dignidade do fruto do seu trabalho. Estamos implantando também a Aquicultura em Maricá, uma cultura que utilizará espécies já existentes na região, o que complementará, junto à pesca, um fornecimento regular de pescado. Todos sairão ganhando”, comentou.

Abril 12, 2011 Posted by | agricultura e pesca, projeto social, Qualidade de Vida, trabalho e renda | , , | Deixe um comentário

Trabalhadores rurais de Maricá formam comissão para reativar sindicato

Agricultores familiares e trabalhadores rurais reuniram-se ontem (14/11), no Mercado do Produtor de Maricá, para discutir estratégias de ação para reativação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais no município.
Presentes o diretor de Políticas Agrárias e de Meio Ambiente da Federação Estadual de Trabalhadores na Agricultura do Estado do Rio de Janeiro (FETAG) Manoel Barbosa, o assessor da Secretaria de Organização Política Sindical da CUT Nacional, Caio Perácio, o assessor da Secretaria Municipal de Pesca, Aquicultura, Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Maricá, Jorge Silva, o engenheiro agrônomo Diego Legentil, trabalhadores e produtores rurais.

   Cópia de DSC08659DSC08642

Propostas
Foram tiradas propostas como a de assembléias para discussão de questões da categoria, e apresentação de chapas para novas eleições do sindicato. Em razão da documentação principal – Carta Sindical e Ata de Fundação, entre outros -, estar ainda em mãos do ex-presidente, Sr. Ivo, e deste ter se negado a entregá-la de imediato, foi montada uma comissão de sócios sindicalizados para autorizar ofício a ser expedido pela FETAG, para solução do impasse.
O diretor da FETAG, Manoel Barbosa, informou que, pesquisando o histórico do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Maricá,  constatou que a entidade chegou a reunir cerca de dois mil associados, número suficiente para iniciar um trabalho de base com assistência social e apoio de outras entidades. "A categoria precisa se reunir para fortalecer o setor, no município. A união da classe mobilizará a reativação do sindicato, que tem como alguns de seus objetivos o suporte técnico e administrativo em questões trabalhistas, processos de aposentadoria rural, crédito rural, assistência médica e orientação jurídica, entre outros.
Documento oficial
Foi decidido que um documento oficial com protocolo será entregue em mãos por membros da FETAG, requisitando a documentação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Maricá, em mãos do seu ex-presidente. “Caso o ofício não seja respondido dentro do prazo, será movida ação judicial através do Ministério Público. O próprio estatuto sindical determina a entrega da documentação no processo de transmissão do cargo, ou interrupção de mandato. O Sindicato dos Trabalhadores Rurais foi desativado há três anos, portanto expirou o prazo da presidência, tendo que se formar nova diretoria com eleições na reativação do mesmo”, declarou o diretor da CUT, Caio Perácio.
Texto: Fernando Uchôa
Fotos: Fernando Silva

Março 15, 2011 Posted by | agricultura e pesca, jornalismo | Deixe um comentário