Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

"B13" encerra mês do cinema francês no Cineclube Henfil de Maricá

Texto: Jorge André

"B13" será exibido nesta quarta-feira (29/07) em sessão gratuita na Casa Digital, no Centro

Depois da "Trilogia das Cores", do diretor polonês Krzysztof Kieslowski, o Cineclube Henfil de Maricá, projeto da Secretaria Municipal Adjunta de Cultura, Ciência e Tecnologia, apresenta o longa "Banlieu13" (B13, 13° Distrito na tradução em português), do diretor Pierre Morel, encerrando o mês dedicado ao cinema francês. A exibição é gratuita e acontece nesta quarta-feira (29/07), às 19h, na Casa Digital (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, Centro).

A trama, escrita e produzida pelo cineasta Jean Luc Besson, mostra o B13, um bairro parisiense cercado por muros, onde o governo mantêm criminosos de várias etnias e crenças. Contudo, um plano radical está em curso para exterminar todos em prol de um programa de reconstrução do bairro. O capitão Damien Tomaso e seu parceiro Leïto se envolvem numa trama de conspiração e união entre inimigos, em busca de uma solução para o problema. O filme ganha especial importância por ter projetado um esporte radical novo, o Le Parkour ("O percurso", em francês). David Belle, fundador do Parkour, é um dos personagens principais e suas cenas estão entre as mais arrojadas e acrobáticas já feitas no cinema.

Anúncios

Julho 29, 2015 Posted by | cidade do samba incendio, cultura, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto cultural | | Deixe um comentário

Incêndio fora de controle atinge a Cidade do Samba no Rio de Janeiro e ameaça Carnaval

Fonte R7

O Delegado Daniel Pereira, titular da Delegacia da Central do Brasil (4ª DP), disse na manhã desta segunda-feira (7), que as chances de o incêndio que destruiu os barracões de três escolas na Cidade do Samba ser criminoso são mínimas.

– Estamos aqui porque é nossa obrigação checar se há indícios de crime, mas não há nenhuma informação nesse sentido até o momento.

O Corpo de Bombeiros também vai fazer uma perícia para descobrir a causa do incêndio.

Pelo menos 20 carros dos bombeiros e agentes de quatro quartéis combatem as chamas que atingem os barracões da Portela, da União da Ilha do Governador e da Grande Rio, além de um espaço reservado para a Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba), onde o fogo teria começado.
Uma grossa coluna de fumaça se formou no local e pode ser vista de vários pontos do Rio e também de Niterói, na região metropolitana. Apesar disso, não há alterações nos aeroportos Santos Dumont e Internacional Antônio Carlos Jobim, segundo a Infraero.

O calor excessivo já começa a causar o desabamento de algumas paredes. Uma parede no 4º andar ruiu devido às altas temperaturas, que abalaram a estrutura do prédio.

Não ha informações oficiais de feridos, no entanto, já se sabe que Simon Garcia, de 26 anos, da Grande Rio, se feriu ao pular do 3º andar para fugir do incêndio. Ele sofreu escoriações e foi levado para o hospital Souza Aguiar, no centro.

O trânsito é lento no elevado da Perimetral por conta da curiosidade dos motoristas. A Polícia Militar isolou a área e pede que ela seja evitada por motivo de segurança.

Grande Rio é a mais afetada

O figurinista e coreógrafo da escola de samba Grande Rio, Paulo Vitor dos Santos, informou que o fogo destruiu ao menos 4.000 fantasias, sete alegorias e seis tripés. A escola foi a mais afetada pelo fogo, de acordo com avaliação inicial de bombeiros.

– Se as escolas atingidas [Grande Rio, Portela e União da Ilha] conseguirem desfilar, será somente na raça, pois não dá mais para competir.

Helinho Oliveira, presidente da Grande Rio, chegou ao local pouco depois do início do fogo e estava muito emocionado. Ele falou rapidamente, baixou a cabeça e chorou.

– Agora é tentar juntar o que sobrou, se é que sobrou alguma coisa. Felizmente não houve vítima fatal. O presidente garantiu, no entanto, que a Grande Rio vai desfilar.

– O samba não foi queimado. A letra do samba ainda está aí. A Grande Rio desfila. Nem que seja só de camisa, mas desfila.

Oliveira disse ainda que o Carnaval da escola já estava praticamente pronto, apenas em fase de finalização e que quase tudo foi perdido.

Prefeito promete ajuda

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse que a prefeitura vai dar todo o apoio às três escolas que tiveram seus barracões atingidos.

– O Carnaval do Rio não vai se abalar por essa tragédia. Vamos dar a volta por cima. Paes não deu detalhes de como será a ajuda da prefeitura e disse que no momento a preocupação é que não haja vítimas.

O prefeito informou ainda que pediu que técnicos da secretaria de obras fizessem contato com a empresa responsável pela construção da Cidade do Samba e disse que conversou pelo telefone com o presidente da Liesa, para expressar o apoio da prefeitura.

Funcionário da corretora Lua Nova, que atende a Cidade do Samba, José Henrique Pinto, estima que o prejuízo seja de R$ 2 milhões apenas em relação ao prédio, sem considerar o conteúdo dos barracões das escolas.

– Pelo que vejo aqui, estimo em pelo menos R$ 2 milhões.

A Cidade do Samba, construída em 2005, é conhecida como a fábrica do Carnaval carioca e é composta principalmente por barracões das 12 escolas do grupo especial.

O local centraliza as principais atividades do Carnaval do Rio de Janeiro, desde a montagem dos carros alegóricos até a fabricação de todos os adereços, fantasias e os demais componentes que envolvem a principal festa da cidade.

Fevereiro 7, 2011 Posted by | Carnaval, cidade do samba incendio, jornalismo | Deixe um comentário