Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Danny Glover, Vandana Shiva e Andrew Show abrilhantaram o Festival Internacional da Utopia

Vejam só quem está aqui em Maricá participando do Festival da Utopia. O astro de cinema e ativista Danny Glover (da série de ação “Máquina Mortífera” e "Cor Purpura") almoçou na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, no Centro, ao lado de outros convidados estrangeiros do evento, como Vandana Shiva e Andrew Show, da Africa do Sul.
O prefeito Washington Siqueira e a deputada estadual Rosangela Zeidan também participaram do almoço, onde foram servidos pratos com ingredientes orgânicos, preparados pela cozinha do MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra.

 

 

Junho 26, 2016 Posted by | Festival da Utopia, Festival Internacional da Utopia, jornalismo, Maricá, shows e eventos | , , | Deixe um comentário

Artista plástica Bianca Branco prestigiou no Festival Internacional da Utopia

Foto de Festival Internacional da Utopia. Bianca Branco é artista plástica e tem 47 anos. Criada em Maricá, trabalhou 10 anos no Rio de Janeiro, no bairro de Santa Teresa, em um atelier. "Até então, Maricá nunca tinha sido inserida na arte. Maricá é um polo de artistas muito grande, temos muitos artistas aqui, mas nunca tivemos espaços para o artista. E quando se precisava de um artista, sempre se chamou de fora". Bianca elogia a iniciativa do festival da Prefeitura de Maricá. "Este governo atual está conseguindo inserir isso na cidade, mostrar a arte de uma maneira diferenciada".

Bianca também afirma que a realização do festival na cidade tem mudado a forma como os moradores se relacionam com o mundo. "O Festival da Utopia está fazendo com que as pessoas daqui pensem fora da caixinha". Ela afirma que, mesmo que tenha integração pela internet, as pessoas ainda veem aquilo como uma "televisão", no sentido de que parece que só existe dentro da tela. "Esse Festival da Utopia está mostrando que o sonho é a utopia, que tudo pode se transformar em realidade. E as pessoas podem ser o que elas quiserem, pensar da forma que elas quiserem, desde que se respeite o espaço do outro. Tem espaço para todo mundo e todo mundo pode viver junto e feliz, trocando entre si".

  • Foto: Cobertura Utopica | Nunah Alle

Junho 26, 2016 Posted by | arte, cultura, Festival da Utopia, jornalismo, Lazer, Maricá, shows e eventos | , | Deixe um comentário

Prefeito de Maricá abre oficialmente Festival Internacional da Utopia

Fonte: Texto: Willian Chaves (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Fernando Silva e Rosely Pellegrino

Na abertura do Festival Internacional da Utopia, evento realizado pela Prefeitura de Maricá na Barra de Maricá e em outros locais da cidade, o prefeito Washington Siqueira (Quaqua) deu as boas vindas às caravanas de todo país e da América Latina ao lado de Aleida Guevarra, médica cubana e filha de Ernesto Che Guevara, João Pedro Stédile, do MST, e da Deputada Estadual Rosângela Zeidan.

Serão cinco dias com a participação de pensadores internacionais, artistas, escritores, sindicalistas, movimentos sociais, populares e da juventude discutindo ações progressistas com uma programação distribuída em várias tendas pela cidade contemplando debates, feiras de literatura, feira da agricultura familiar, música e arte. Cerca de 1.500 pessoas acompanharam a abertura oficial do Festival, na tenda dos Pensadores.

DSCN8902DSCN8927

"Nós vivemos num tempo onde temos lutado por aquilo que é possível. Quando convocamos o Festival da Utopia foi para pensarmos e para provar para as pessoas que devemos lutar pelo impossível. E a nossa Utopia é ter uma escola de qualidade em tempo integral, distribuição de renda e riquezas, meios de comunicação democráticos e a participação popular efetiva. Essa é a Utopia da nova sociedade, essa é a nossa Utopia", disse Quaqua.

DSCN8939DSCN8955Aleida Guevara traçou uma análise etimológica da palavra utopia e defendeu posicionamentos importantes na inserção social das pessoas. “É necessário que tenhamos uma Utopia Socialista de discussão com as pessoas com uma distribuição igualitária de bens para que os cidadãos desempenhem, em harmonia, os trabalhos. O povo nos reconhece com dignidade e transparência quando agimos em sintonia e com a participação dele. Assim, ganhamos o respeito. Utopia é como a fome zero no Brasil. Ela não acontece ser não fizermos uma reforma agrária. A terra é do povo. Temos de fazer da nossa terra uma propriedade coletiva”, afirma Guevara que também lembrou emocionada a participação de um médico cubano na condução da tocha olímpica na cidade de Lagoa Grande (PE). Aleida Guevara também é medica pediatra.

DSCN8942DSCN8948

DSCN8926DSCN8931O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stédile, defendeu mais ações efetivas para combater as desigualdades. “Temos que pensar alternativas para combater o capitalismo explorador. Não basta gritarmos “Viva o Socialismo”! Temos que ter propostas concretas para que o povo lute conosco para mudar as desigualdades”, assegura. 

As programações acontecem por toda cidade. Na Barra, concentram-se as tendas da diversidade, tenda dos trabalhadores e a tenda dos pensadores, além do palco principal para apresentações musicais. No centro, na Praça Orlando de Barros Pimentel, estão a feira de reforma agrária, a feira literária e o encontro internacional de teatro. A programação completa pode ser conferida pelo www.festivaldautopia.com.

 

Saiba mais:

Fonte Brasil de Fato: Rute Pina

Aleida Guevara: "Do que vale uma esquerda que não é reconhecida pelo povo?"

Durante a conferência de abertura do Festival da Utopia, a ativista também comentou a aproximação entre os EUA e Cuba

A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) - Créditos: Norma Odara/Brasil de Fato A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) / Norma Odara/Brasil de Fato

A fragilidade e fragmentação da esquerda na América Latina foi criticada pela ativista cubana Aleida Guevara durante seu discurso na conferência de abertura do 1º Festival Internacional da Utopia, que está acontecendo em Maricá (RJ) a partir desta quarta (22).

Para ela, a esquerda deve basear suas ações nas demandas concretas do cotidiano das pessoas e deve aprender com as populações mais carentes e com os povos tradicionais. “Temos que ser mais firmes, coerentes e responsáveis. (…) Temos que ganhar o respeito de quem nos escuta. Do que vale uma esquerda se ela não é reconhecida pelo povo?”, questionou.

A pediatra, que é filha do guerrilheiro Che Guevara, disse acreditar que o grande erro das esquerdas da região é se dividir “em pedacinhos”. “Há uns 20 partidos que se dizem de esquerda, mas que não se unem pelos objetivos comuns. Se não juntarmos nossas forças, não venceremos nunca”, afirmou.

Aleida ainda criticou a postura das forças progressistas que ocuparam o Estado. “Tomamos o poder e não mudamos as leis criadas pela burguesia. Assim, não conseguiremos fazer nenhuma transformação profunda”, criticou.

Na mesa também estava o dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile, e o prefeito do município de Maricá, Washington Quaquá (PT).

Relações entre Cuba e EUA

A ativista criticou ainda o governo estadunidense e a recente reaproximação dos EUA com Cuba, que ela classificou como uma “utopia do inimigo”.

“Eles têm, há séculos, a utopia de se unir à ilha. É seu sonho irrealizável. E agora estão mudando os métodos. Eles perceberam que cometeram erros com o povo cubano, trataram a revolução cubana com um bloqueio criminal. E agora falam de abrir novas negociações”, afirmou.

Aleida acredita que uma possível normalização da relação entre os dois países só será possível com a extinção da lei que facilita a permanência dos cidadãos cubanos ilegais, “os únicos no planeta que tem esse privilégio”, com o fim do bloqueio econômico e com o fechamento da base naval estadunidense em Guantánamo.

“Eles terão que seguir sonhando com essa utopia, porque não é possível de maneira alguma acabar com a revolução cubana”, sentenciou a ativista.

Aleida definiu a palavra utopia como "o desejo de dar sentido à vida e a busca por um mundo melhor, mais solidário e mais justo”.

Modelos de Estado

Durante sua fala, Stedile afirmou que o maior desafio para os setores progressistas é o questionamento do modelo de Estado que se deseja a partir de um debate que pense diferentes temas de maneira "correlata".

Para ele, o capitalismo enlatou questões, e a esquerda abandonou questões como a cultura e meio ambiente.

“Temos que apresentar uma formulação sobre o meio ambiente, por exemplo. Fomos salvos por um papa, que produziu a melhor conteúdo programático sobre essa questão”, brincou. "Uma sociedade utópica que é diferente de sonho. É uma sociedade baseada na justiça, na solidariedade e na igualdade", disse o dirigente.

Para o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, os setores progressistas têm lutado pelo possível, dada a injustiça e concentração de riqueza, mas são parte de uma esquerda “fez e questionou muito pouco”.

“Aquilo que queremos desenhar da nossa sociedade é possível se a gente se largar os horizontes utópicos. (…) Eles dizem que a história acabou, mas o socialismo nunca vai acabar enquanto pessoas morrerem nas ruas por causa de frio. Enquanto uma pessoa morrer por injustiça, o socialismo estará vivo”, disse.

Junho 23, 2016 Posted by | civismo, culinária, cultura, direitos humanos, Festival da Utopia, jornalismo, justiça, literatura, manifestação popular, Maricá, meio ambiente, moradia, musica, palestra gratis, projeto social, shows e eventos, social, turismo | | Deixe um comentário

Feira da Reforma Agrária estará presente no Festival Internacional da Utopia em Maricá

Durante o Festival Internacional da Utopia que será realizado em Maricá RJ, o MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra irá preparar um espaço para comercialização de produtos da agricultura camponesa, com venda direta do agricultor ao consumidor, e debates sobre comércio ético, justo e solidário, moedas sociais, trocas solidárias, desenvolvimento sustentável e microcrédito.

Data: 22 a 26 de junho

Venha para Maricá!

Foto de Festival Internacional da Utopia.

Foto de Festival Internacional da Utopia. 

Foto de Festival Internacional da Utopia.

Foto de Festival Internacional da Utopia. 

Foto de Festival Internacional da Utopia.

Saiba mais  http://www.festivaldautopia.com/feira-da-reforma-agraria/

Junho 10, 2016 Posted by | Agricultura, Festival da Utopia, jornalismo, Maricá, turismo | | Deixe um comentário

“Novas Formas de Educação” foi o tema da terceira palestra da Jornada Educação e Utopia em Maricá

Texto: Sergio Renato (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Clarildo Menezes

O terceiro dia da Jornada Educação e Utopia, evento preparatório do Festival Internacional da Utopia – que acontece em Maricá entre os dias 22 e 26 de junho – foi marcado por debates e pela grande participação dos estudantes presentes. O evento foi realizado na noite desta quarta-feira (08/06) na quadra de esportes da Associação de Moradores e Amigos do Recanto de Itaipuaçu, ao lado da Escola Municipal João Monteiro, e teve a presença de alunos desta e de outras unidades da região, como a E.M. Marquês de Maricá (no Jardim Atlântico) e também do curso de Edificações da E.M. Joana Benedicta Rangel, no Centro.

Sob o tema “Novas Formas de Educação”, a palestra foi conduzida por Cláudio Prado, um dos líderes do grupo de produção cultural Fora do Eixo. Na mesa diretora estavam o secretário adjunto de Educação de Maricá, Daniel Neto, a nadadora de maratonas aquáticas Mariana Mello e a diretora da E.M. João Monteiro, Ana Paula Barreto Altoé. Já na abertura, Cláudio Prado contestou o atual sistema escolar do Brasil que, segundo ele, não observa os regionalismos nacionais. “Um currículo escolar único é uma enorme bobagem num país deste tamanho. Desconsidera as coisas que estão no entorno social e regional de cada parte distinta, e isso tem de ser tratado de forma adequada”, frisou ele, que foi seguido pelo secretário de Educação. “Temos mesmo de rever esse modelo secular de escola, em nome de algo que busque a singularidade de cada um. É um momento de construção, as escolas do futuro serão o fruto da participação de cada um de nós”, afirmou Daniel Neto. Para Mariana Mello, esse futuro pode estar na internet. “A rede fará com que o acesso ao conhecimento seja quase inteiramente ‘on line’, o que será um facilitador para todos”, avaliou ela, que convidou os alunos a participarem do Sarau da Juventude, que acontece nesta quinta-feira (09/06) na Praça Orlando de Barros Pimentel. 

Alunos e professores que estavam na plateia tiveram a oportunidade de fazer diferentes colocações e opiniões sobre o tema, mas sem esquecer as demandas do sistema atual. Foram muitos os questionamentos sobre como melhorar o desempenho e despertar o interesse dos estudantes. “Será que os professores são extraterrestres?”, questionou Rodrigo Eusébio, que leciona Geografia da E.M. João Monteiro, sobre a dificuldade de sintonia que ocorre muitas vezes. “Nós também aprendemos com nossos alunos e, como eles, nos questionamos se vale realmente a pena estar ali por tanto tempo”, ressaltou.

"Você aprende a dar valor e a melhorar a escola. Lá dentro fizemos reuniões e conseguimos atender à maioria das pautas listadas. Foi bem produtivo para nós”, relatou Gabriela Ferreira, aluna do 4º ano de Edificações sobre a participação em uma ocupação de escola. Sobre o modelo atual, o aluno Jean Felipe Wyatt, de apenas 12 anos, deixou sua sugestão para solucionar a eventual falta de professores na rede. “Poderia haver um grupo de professores substitutos ou até um sistema de aulas extras, para não deixar ninguém sem aprender”, opinou ele, que é do 6º ano fundamental da E.M. Marquês de Maricá.

A Jornada Educação e Utopia continua nesta quinta-feira na E.M. CAIC Elomir Silva, em São José de Imbassaí. As palestrantes Márcia Ramos e Carolina Dias vão tratar do tema “A Juventude Pode Ensinar a si Mesma”. Na sexta-feira (10/06), o evento retorna ao CEM Joana Benedicta Rangel para a última palestra da série, sob o tema “Da Porta para Fora: Cultura e Escola”, com Kleybson Ferreira e Sérgio Aranda.

Junho 9, 2016 Posted by | Educação, Festival da Utopia, jornalismo, Maricá, palestra gratis | Deixe um comentário

Com debates e atividades culturais, Maricá (RJ) realiza Festival da Utopia

Evento tem as presenças confirmadas de Aleida Guevara, filha de Che; da ativista indiana Vandana Shiva, do escritor paquistanês Tariq Ali, e da filósofa e da feminista norte-americana Angela Davis, além de nomes brasileiros como o do ex-presidente Lula

Por Redação Forum

festival da utopia

Organizado por movimentos sociais e redes como o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Levante Popular da Juventude, Fora do Eixo, a prefeitura de Maricá vai realizar entre os dias 22 e 25 de junho o Festival da Utopia. Com uma programação que une debates e atividades culturais, o objetivo é pensar novas estratégias a partir do atual contexto político.

O evento tem as presenças confirmadas de Aleida Guevara, filha de Che; da ativista indiana Vandana Shiva, do escritor paquistanês Tariq Ali, e da filósofa e da feminista norte-americana Angela Davis, além de nomes brasileiros como o do ex-presidente Lula, Jandira Feghali e Eduardo Suplicy. A presidenta eleita Dilma Rousseff também fará, no dia do encerramento do Festival, uma caminhada com os participantes.

A parte cultural terá espetáculos e debates com grupos de teatro político da América Latina, África e Ásia, e terá a presença de artistas que se posicionaram contra o golpe como Beth Carvalho, Chico César e Detonautas Roque Clube.

Todas as atividades são gratuitas.

Confira a programação completa na página do Festival.

Foto de capa: Site do Festival

Junho 9, 2016 Posted by | cultura, Festival da Utopia, jornalismo, Maricá, projeto cultural, projeto social, Seminários, shows e eventos, Teatro | Deixe um comentário