Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Ministro é vaiado no Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social

Agitação no término do Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social em Goiânia com a chegada do Ministro das Cidades Bruno Araújo e do Governador Marconi Pirillo

Ao participar do Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social em Goiânia, a Secretária Municipal Adjunta de Habitação de Maricá, Dra. Maria Inêz Puccelo, em sua página pessoal da rede social facebook externou decepção.

A secretária municipal adjunta de Habitação de Maricá, Maria Inêz, tendo ao lado sua equipe com Adriana Luiza e Flavio Amaral, no Fórum Nacional de Habitação de Interesse Social em Goiânia “Merecido as manifestações! O "ministro" teve a coragem de informar ao fórum que esperava ansioso a liberação de recursos para a faixa 1(pessoas com renda baixa), que é o perfil de Maricá, de que nada teríamos de recursos para os nossos projetos. Acabaram com essa faixa, mesmo sendo a maior demanda, deficit habitacional. Só deixou as outras faixas, dinheiro do fgts. Foi decepcionante. Parte dos participantes, como nós que temos projetos prontos para a população de áreas de riscos, de áreas de preservação. As vaias foram necessárias. Até os coxinhas ficaram chateados. Ainda, fizeram a famosa agressões físicas com os insurgentes”. disse a Secretária de Habitação de Maricá Dra. Inês Pucello

Integrantes de sua equipe também demostraram indignação “Foi impossível ficar impassível diante dos Golpistas”, comentou Adriana Luiza.

 

Saiba mais:

Conheça o trabalho desenvolvido em Maricá pela Secretaria Municipal de Habitação de Maricá

Prefeitura disponibiliza no site consulta do Plano de Habitação

Texto: Sergio Renato (edição: FSB Comunicação) |

Membros do Conselho Municipal de Habitação monitoram o desenvolvimento urbano e debatem políticas públicas para o setor

O Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHIS) está disponível para consulta no Portal Oficial da Prefeitura (veja aqui). O documento foi aprovado em março pelo Conselho Municipal de Habitação e traz um diagnóstico completo da cidade em seus detalhes territoriais mostrando, entre outras informações, quais são as áreas onde há residências de alto padrão e as áreas de pobreza ou de vulnerabilidade, além de trazer a história da ocupação e crescimento dos bairros.

A secretária municipal adjunta de Habitação, Maria Inêz Puccelo, que também preside o Conselho, explica que a ideia é o cidadão buscar informações no plano para diferentes finalidades, como a própria história da cidade e também sobre a topografia das regiões para fins de construção. “Todos os municípios precisam ter seu plano, por determinação do Ministério das Cidades, para verificar demandas e distinguir, por exemplo, as áreas de risco das que são de preservação. O que temos nele é o resultado de um processo que nos aponta possíveis estratégias e ações de política habitacional”, enumerou a secretária.

O assessor especial da secretaria, Flávio Amaral, informa que o plano levou três anos para ficar pronto e é baseado em dados do censo populacional de 2010. “Cumprimos todas as exigências do Ministério das Cidades. É um verdadeiro raio X da nossa cidade que mostra as necessidades que ela tem. Temos todos os tipos de moradias, dos locais mais simples até mansões”, reforçou Flávio.

Os membros do Conselho Municipal de Habitação foram empossados no dia 17 de março. O órgão tem caráter deliberativo, consultivo e paritário e vai monitorar o crescimento e desenvolvimento urbano de Maricá e debater políticas públicas para o setor habitacional. Os oito membros e seus suplentes são integrantes do setor público, da sociedade civil e de órgãos de classe.

Junho 9, 2016 Posted by | Habitação, jornalismo | , , | Deixe um comentário

Deputada Zeidan se reúne com representantes da Caixa Econômica, na pauta a catástrofe causada pela chuva no Residencial Carlos Marighela em Itaipuaçu

Deputada Estadual Rosangela em reunião com representantes da CEF No início da tarde, desta quarta-feira, 02.03, a Deputada Estadual Rosangela Zeidan, divulgou em sua página do Facebook, o resultado da reunião realizada com os representantes da Caixa Econômica Federal, que teve como pauta a situação do Residencial Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu que ficou alagado, e mais de 750 famílias perderam tudo que possuíam.

Devido a forte chuva que caiu no município na segunda-feira, o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, decretou Estado de Calamidade.

Sobre a reunião Deputada Zeidan escreveu:

Deputada Rosangela Zeidan se reúne com representantes da CEF

“Saindo agora da reunião na Caixa Econômica com Marcele Sardinha, Gerente de Governo da Superintendência Regional e o Superintendente de Engenharia Felipe Fourreaux. Uma excelente reunião para tratarmos dos encaminhamentos do nosso Condomínio Carlos Marighela em Itaipuaçu.

Vamos encaminhar uma solicitação a Caixa em Brasília pra vermos uma carência nos pagamentos dos moradores, uma vistoria técnica que agendamos pra amanhã e uma segunda etapa pra reformas das unidades. Márcio Leite secretário executivo do prefeito Quaquá, Lene Oliveira, do Minha Casa Minha Vida da Prefeitura e Fabricio procurador.
Na semana que vem irei fazer uma agenda com Inez Magalhães, Ministério das Cidades em Brasília”.

Março 3, 2016 Posted by | Habitação, jornalismo, Maricá | , , | Deixe um comentário

Projeto “Minha Casa Mais Bonita” vai reformar moradia de 87 famílias em Maricá

Texto: Jorge André (edição: Gisele Paiva) | Fotos: Divulgação

Casas em rua situada no leito da antiga via férrea, no bairro de São José do Imbassaí, serão as primeiras a integrarem o projeto da Habitação

A Secretaria Municipal Adjunta de Habitação de Maricá finalizou o cadastramento das famílias para o projeto “Minha Casa Mais Bonita”, que consiste na realização de reformas e adequações nas moradias de famílias de baixa renda. Nesta primeira etapa, serão atendidas 87 famílias com renda mensal de até três salários mínimos. Inicialmente, a equipe técnica da secretaria, através de levantamento, selecionou a comunidade situada no km 22, da Rodovia Amaral Peixoto, no leito da antiga via férrea, próximo a Avenida Guarujá, no bairro de São José do Imbassaí. As intervenções devem começar no início de agosto.

As casas que vão participar do projeto receberão obras de infraestrutura, como a recuperação das alvenarias, reboco e a pintura das fachadas. O “Minha Casa Mais Bonita” também vai recuperar telhados, as partes elétrica e hidráulica, além de reformar banheiros, tornando-os mais acessíveis aos idosos e deficientes.

Para a secretária municipal adjunta de Habitação, Maria Inez Pucello, o trabalho vai além da regularização fundiária. “Estamos trabalhando também em uma política de habitação condizente com as necessidades da população de baixa renda e com a participação da sociedade nas decisões. Para cumprir esse objetivo, novos desafios se se apresentam, como elaboração de projetos com foco em ações de sustentabilidade e gestão de reassentamento de famílias de áreas de riscos", afirmou.

A preocupação ambiental também é uma das tônicas do projeto piloto. As casas das famílias cadastradas receberão um sistema de filtros e fossas. A iniciativa deve contar também com alunos do curso de Edificações da rede municipal. Os futuros técnicos poderão colocar em prática o que estão aprendendo em sala de aula. Os estudantes irão participar de todo o processo, que contará como carga horária para eles.

As atividades do projeto “Minha Casa Mais Bonita” serão desenvolvidas em parcerias com as secretarias municipais adjuntas de Obras, de Trabalho, dos Direitos Humanos e Participação Popular, da Assistência Social, da Saúde e Educação integrando, assim, as diversas áreas de atuação social.

Julho 8, 2015 Posted by | Habitação, jornalismo, Maricá | | Deixe um comentário

Novo projeto da Fazenda São Bento da Lagoa, referência em sustentabilidade, terá ocupação predial de apenas 6,4% do terreno

Empreendimento vai criar RPPN de restinga, dar titularidade a pescadores da comunidade local, gerar milhares de empregos e ajudar a requalificar o Leste Fluminense

A IDB Brasil – Iniciativas e Desenvolvimento Imobiliário — apresentou a imprensa maricaense, o novo empreendimento da Fazenda São Bento da Lagoa, previsto para ser implantado numa área de aproximadamente 840 hectares em Maricá, no Estado do Rio. O projeto, um complexo turístico, residencial, comercial, empresarial e esportivo, com investimento inicial estimado em R$ 3 bilhões, preserva 81% do território com vegetação nativa, além de manter e resgatar a cultura da comunidade de pescadores de Zacarias, que ocupa 2% da área. Apenas 6,4% do terreno terão ocupação predial efetiva – o percentual restante é de intervenções sem edificações, como praças, vias e jardins.

A Fazenda São Bento da Lagoa está localizada em área privilegiada de Maricá, com praia, lagoa, restinga e outros ecossistemas de Mata Atlântica. A empresa ajudará não apenas a preservar, como recuperar e ampliar esses recursos naturais. Formado em Ciências Ambientais, o diretor-geral da IDB Brasil, David Galipienzo, explica que, após as iniciativas de revegetação das áreas degradadas, a Fazenda São Bento da Lagoa ganhará, em extensão, mais de 100 hectares de vegetação nativa de restinga, o que equivale, em tamanho, ao Parque do Aterro do Flamengo.

Fazenda São Bento 1Panorâmica 1

Galipienzo explica que o empreendimento levará melhorias há muito esperadas pela população local.

— O projeto procurou um equilíbrio importante entre a comunidade, a restinga e o desenvolvimento sustentável da região. Os pescadores ganharão título de propriedade, infraestrutura e urbanização no mesmo padrão do empreendimento, além de incentivos à cultura da pesca. Já a restinga se transformará numa Reserva do Particular do Patrimônio Natural (RPPN), que abrigará um Centro de Pesquisas. Sob a ótica do desenvolvimento econômico, a região vai ganhar infraestrutura, além de atividades geradoras de renda. Tudo com equilíbrio — destaca o diretor da IDB Brasil.

A Fazenda São Bento da Lagoa também tem um papel transformador no cenário de desenvolvimento econômico da região. O empreendimento está estrategicamente localizado a poucos minutos de pontos-chave do desenvolvimento do Estado — a 25 km do polo petroquímico Comperj, a 15 km do Porto de Jaconé, a 45 km do Centro do Rio e a 5 km do Centro de Maricá — e deve se transformar num importante polo residencial e turístico do Leste Fluminense. O projeto prevê a construção de quatro hotéis de alto padrão, dois shopping centers, centro empresarial, campo de golfe, centro hípico e clubes, além de unidades residenciais de alto padrão.

Um importante atrativo turístico do empreendimento é o campo de golfe, com 18 buracos. Diferentemente de complexos similares, a área não será exclusiva para sócios. Além de aberto ao público geral, o campo de golfe terá um desenho sustentável, que minimiza as áreas gramadas e os impactos ambientais. A técnica aplicada à construção da área é sustentável, ainda incomum no Brasil, e prevê o reflorestamento com o uso de plantas nativas da região. Ainda não muito popular no país, o turismo de golfe movimenta, anualmente, 30 bilhões de dólares no mundo, com mais de 15 milhões de praticantes da modalidade.

O ambiental, o social e o econômico

A Fazenda São Bento da Lagoa ocupará uma área de aproximadamente 840 hectares, na APA de Maricá (Área de Proteção Ambiental), uma unidade de conservação onde são permitidos, por Lei, usos compatíveis aos projetados para o empreendimento. O valioso patrimônio ambiental, cultural, arqueológico e científico será protegido por meio da criação da segunda maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) do Estado do Rio, que assegurará a preservação perpétua do trecho de restinga. Além disso, a área abrigará um Centro de Pesquisas que vai fomentar estudos científicos sobre todas as especialidades existentes nos ecossistemas locais. A gestão ficará a cargo do empreendedor, em parceria com o poder público, instituições de pesquisa e ONGs.

Todo o esgoto gerado no empreendimento será tratado em estações próprias com tratamento terciário, que utilizarão os mais rígidos padrões de qualidade da água em sua operação. Não haverá lançamento de esgoto através de emissário para o mar ou para a lagoa. Nas obras, serão usados prioritariamente materiais sustentáveis e haverá reaproveitamento de recursos naturais, como a água.

A responsabilidade social é outro forte componente do empreendimento. Maricá é um município litorâneo com tradição pesqueira, cultura que a IDB Brasil perpetuará. Assim, a comunidade pesqueira de Zacarias, inserida na área da Fazenda, será mantida em seu lugar, de acordo com a demarcação do Plano de Manejo. Um processo de regularização fundiária entregará aos pescadores escrituras definitivas de suas moradias. A comunidade receberá melhorias urbanísticas e infraestruturas de água, esgoto e drenagem no mesmo padrão do empreendimento. As medidas aumentarão a segurança e a qualidade de vida da população. Os pescadores e suas famílias receberão ainda cursos de qualificação de mão de obra e participarão de projetos que visam ao resgate da cultura da pesca artesanal. Serão beneficiados também pela revitalização da Lagoa de Maricá, prevista no projeto.

A economia é outro segmento que sentirá a presença positiva do empreendimento. Durante 10 anos até a finalização do complexo, milhares de empregos diretos serão gerados nas obras. Quando entrar em funcionamento, as instalações existentes na Fazenda São Bento da Lagoa gerarão, em diversas fases, empregos suficientes para tornar a área o maior polo gerador de renda do município.

O empreendimento confirmará sua participação na curva de crescimento sustentável de Maricá e do Leste Fluminense, trazendo melhorias de infraestrutura e lazer – como hospital, escola, dois shopping centers, centro empresarial, área esportiva, ordenação de vias, entre outras – há muito tempo reivindicadas pela população. A Fazenda São Bento da Lagoa é um empreendimento de caráter inclusivo, que assegura à população acesso a todas as belezas naturais da região.

O Grupo Cetya e o novo projeto

Infográfico comparativo entre os projetos de 2007 e o atual, de 2013:

Infográfico autalizado 2013

O Grupo Cetya, controlador e administrador da IDB Brasil, além de atuar em projetos que preveem recuperação ambiental realiza, há décadas, investimentos para o desenvolvimento sustentável nos territórios em que atua. O grupo espanhol destina 0,7% de seu lucro anual a iniciativas socioambientais. O trabalho da empresa rendeu prêmios e reconhecimento por boas práticas operacionais, iniciativas e projetos de restauração, conservação e desenvolvimento sustentável.

O novo projeto da Fazenda São Bento da Lagoa está de acordo com as especificações do Plano de Manejo para a APA de Maricá, aprovada e sancionada pelo Governo do Estado de Rio de Janeiro, em 2007, e cumpre neste momento processo de licenciamento no Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

A concepção do novo projeto foi completamente modificada em relação à proposta preliminar apresentada para a região em 2007. Em 2008, a IDB teve sua composição societária alterada e passou a ser administrada pelo Grupo Cetya, que atua há 40 anos no mercado de construção com expertise em sustentabilidade. Os novos sócios impuseram rigorosas diretrizes de sustentabilidade para o empreendimento e uma baixíssima taxa de ocupação para a área.

Fonte: Approach Comunicação Integrada

Julho 9, 2014 Posted by | construção civil, Habitação, jornalismo, Maricá, meio ambiente, Mercado Imobiliário, moradia | , , , | Deixe um comentário

Maricá sendo vista como “A cidade fluminense dos bairros planejados”

Com muito espaço territorial sobrando , município de Maricá está recebendo, pelo menos, quatro empreendimentos com serviços e comércios, o que valoriza a área

Fotos de Maricá, no álbum da Jornalista e Fotógrafa Rosely Pellegrino

Belezas naturais e a proximidade das principais cidades do estado prometem impulsionar o mercado imobiliário em Maricá. A cidade já tem licenciado ou em processo de licenciamento mais de 36 mil novas unidades residenciais. A maioria dessas unidades será construída em grandes empreendimentos que prometem transformar Maricá na cidade dos bairros planejados. Alguns já estão sendo construídos, caso do Terras Alpha Maricá, do Solaris, e outros dois complexos turísticos, esportivos, comerciais, empresariais e residenciais, que preveem hotéis, shoppings, campos de golf, escolas, hospitais e condomínios.

"Tem ainda um resort, que será construído onde fica a área de proteção ambiental da restinga de Maricá. Pelo menos dois bairros planejados integram o desenvolvimento, um situado em São José do Imbassaí e o outro no Boqueirão", disse o secretário de Desenvolvimento Econômico da cidade, Lourival Casula.

De acordo com ele, o grande trunfo de Maricá e sua localização, próxima a Itaboraí, onde está sendo erguido o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj) e que vai atrair novos moradores, das cidades do Rio e Niterói, e o fato de ser um município com grande extensão territorial.

"O município está próximo de cidades que estão um pouco saturadas como Rio e Niterói. As pessoas vão escolher morar em Maricá", acredita Casula.

Barão Tozini é diretor da Zayd, empresa com sede no Rio de Janeiro, mas que foi atraída para o Leste Fluminense. A construtora é responsável pelo condomínio Solaris. Recém-lançado, o empreendimento teve todos os 517 lotes vendidos em apenas seis horas, diz o diretor da empresa. Segundo ele, a empresa apostou em um condomínio de casas por acreditar que essa é uma vocação de Maricá.

"O Comperj terá um impacto para o futuro. Ele vai agregar. Resolvemos investir porque acreditamos no potencial de Maricá. O terreno do condomínio é muito bonito e bem localizado. O que vai puxar a cidade é Niterói. Muita gente que gosta de morar em casa vai se deslocar para Maricá. Hoje você tem muito lançamento de apartamento e com preços altos. E quase nada de casas", destaca o diretor da Zayd.

O empreendimento terá um clube e um shopping com lojas de conveniência. Barão Tozini revelou que a empresa, animada com o sucesso do empreendimento, já está trabalhando no Solaris 2. O condomínio, nos mesmos moldes, será construído em um terreno de 350 mil metros quadrados ao lado do primeiro lançamento.

"Vamos fazer esse lançamento no ano que vem. O projeto já está sendo feito e deve ficar pronto em seis meses", conta Tozini.

Este mês, a cidade ainda recebeu a visita de uma comitiva de empresários italianos que representa mais de 3 mil investidores, interessados em aplicar recursos que podem somar 60 milhões de euros (R$ 150 milhões).

"Eles ficaram impressionados e estão dispostos a fazer investimentos principalmente no setor imobiliário, em hotelaria e condomínios de alto luxo. Eles veem uma grande oportunidade por Maricá ter uma grande área territorial", completa Casula.

Minha Casa – Apesar de um futuro promissor no mercado de empreendimentos de alto padrão. Lourival Casula lembra que boa parte dos 131 mil habitantes da cidade pertence às classes mais baixas. Segundo ele, serão construídos dois condomínios do projeto Minha Casa Minha Vida, um em Itaipuaçu e o outro no distrito de Inoã, somando 3.076 casas populares.

"A previsão é que os apartamentos sejam entregues no fim de 2013. O condomínio terá 1.472 apartamentos. Serão erguidos 184 imóveis tipo sobrado (que serão financiados pela própria construtora). Em Inoã serão construídas outras 600 unidades habitacionais para as famílias de baixa renda (de 0 a 3 salários mínimos). A área abrigará mais 860 unidades em uma segunda etapa", completa.

Para atender toda essa demanda, Casula garante que a prefeitura vai investir R$ 600 milhões em infraestrutura para garantir abastecimento de água, energia, pavimentação e serviços básicos. No ano que vem, segundo o secretário, a prefeitura deve aprovar um novo plano diretor.

Fonte O Fluminense, Fotos: Rosely Pellegrino

Novembro 12, 2012 Posted by | Arquitetura e Urbanismo, COMPERJ, construção civil, Habitação, jornalismo, Lazer, Maricá, Mercado Imobiliário, moradia, Obras em Maricá, social, Urbanização | , , | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá facilita quitação de dívidas em até 100 prestações

Texto: Marcelo Ambrosio

Para quem deve, a hora é agora. A partir do próximo dia 1º de novembro, e até o dia 28 de dezembro, contribuintes que tenham alguma dívida junto à Prefeitura de Maricá poderão contar com condições especiais para quita-las. As facilidades incluem, entre outras medidas, o parcelamento em até 100 prestações.

Desenvolvido pela secretaria municipal de Fazenda, o Programa Pague Fácil Maricá pretende adequar os débitos ao orçamento de cada contribuinte e permitir que o município recupere créditos devidos da ordem de R$ 105 milhões. Destes, pelo menos R$ 70 milhões são referentes apenas ao IPTU em atraso. O montante reúne processos em fase administrativa, já inscritos na Dívida Ativa e até mesmo os que foram encaminhadas para a execução.

Segundo o secretário municipal de Fazenda, Roberto Santiago, o objetivo da medida não é pressionar os devedores, mas abrir possibilidades concretas de negociação. “O Pague Fácil permite fazer a análise dos pedidos caso a caso e encontrar a melhor solução para que todos sejam bem atendidos”, afirma. Ainda segundo Santiago, o volume maior dos créditos em atraso se refere ao IPTU.

No ano passado, o programa de georeferenciamento implantado pela Prefeitura permitiu um mapeamento por satélite de toda a área do município, corrigindo metragens e identificando construções, novas ou não, ou mesmo ampliações, que ainda não possuíam cadastro. Os proprietários estão sendo convocados para serem informados de que precisam se regularizar para efeito do IPTU – a ser cobrado só a partir do ano que vem.

Ao mesmo tempo, a Prefeitura espera recuperar débitos de ISS do setor da construção civil relativos à obras não regularizadas. “O contribuinte tinha um terreno cadastrado e vimos, pelas imagens, que nele foi erguida uma construção. Tanto a base de cálculo do IPTU muda, quanto é necessário que o proprietário pague o imposto sobre serviços relativos ao processo da construção em si”, explica o secretário. O Programa Pague Fácil Maricá propõe condições especiais para essa quitação, que incluem o pagamento em até 100 parcelas.

Em um terceiro aspecto, a informatização dos processos também revelou empresas que emitem nota fiscal eletrônica e não estariam recolhendo o imposto referente ao que foi emitido. Como a prefeitura tem acesso a cada nota emitida, fica fácil saber quem sonega.

A negociação será sempre presencial, e dentro de um modelo de atendimento rápido, seja nas centrais de atendimento na própria prefeitura ou no Terminal Rodoviário de Itaipuaçu, seja nos postos itinerantes da Fazenda Volante – o cronograma de visitação desses postos ainda será divulgado. “Para atender melhor a todos, a secretaria passará a trabalhar também aos sábados, das 10h às 15h, em todos esses locais”, adianta o secretário. As condições especiais, no entanto, tem prazo determinado para acabar. “A partir de janeiro de 2013 todas as dívidas que não foram renegociadas serão encaminhadas para execução. Não haverá anistia”, alerta Roberto Santiago.

Os documentos necessários para dar entrada no pedido de renegociação variam: no caso da dívida de pessoa física, basta apresentar identidade, comprovante de residência e o CPF. No caso de pessoa jurídica, são aceitos documentos que comprovem alguma vinculação, ou uma procuração. Para mais informações, basta telefonar para 2637-2052.

Outubro 31, 2012 Posted by | Habitação, jornalismo, Maricá, moradia | , | Deixe um comentário

Expo Maricá 2012 recebe elogios dos visitantes

A 8ª edição da Expo Maricá, que está sendo realizada  no campo do Esporte Clube Maricá, reafirma o potencial de desenvolvimento da cidade para atrair grandes investimentos num momento em que o município recebe importantes investimentos, como o Porto de Jaconé, e sente os reflexos das obras de instalação do Comperj, que atrai grandes empreendimentos imobiliários e projetos na área turística.

DSC09736Projeto do Porto de Jaconé

DSCF1704Projeto da Fazenda São Bento da Lagoa – IDB 2012

Como o Novo projeto da Fazenda São Bento da Lagoa em Maricá será referência de sustentabilidade no Estado do Rio. Um Empreendimento da IDB Brasil que prevê a criação da 2ª maior Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) do Estado e regularização fundiária de comunidade de pescadores de Zacarias. Um projeto que trará investimentos em infraestrutura, qualificação e geração de renda para a região, considerada estratégica no cenário de desenvolvimento econômico do Estado.

Na Expo Maricá 2012, estão sendo apresentados estes e outros projetos de grande porte que estão sendo realizados no Município, é uma excelente oportunidade de conhecer em um só local o que a Prefeitura de Maricá em parceria com a iniciativa privada está trazendo e realizando.

Grandes investimentos estão vindo para cidade o que demonstra a confiabilidade em nosso potencial de crescimento. É uma nova realidade que permite melhorar a auto estima do morador de Maricá.

DSC09820DSC09824

“Esse momento é de extrema relevância para discutir o futuro que queremos e o destino dessa cidade que não será mais a aldeia de pescadores”, comentou Fabiano Filho, secretário Municipal de Projetos Especiais de Maricá , acrescentando que o Município de Maricá teve aumento de 117% de investimentos na área da construção civil em três anos.

DSCF1657DSCF1660DSCF1747DSCF1751DSCF1693DSCF1694DSC09845DSC09739

Além de visitar os estandes, o publico que já visitou a feira assistiu a apresentações musicais de vários artistas do Município, inclusive com peças de Teatro Dançante, realizadas pelos alunos do Ponto de Cultura, Cia Vida de Teatro e Dança, com coreografia do professor Paulo Ernani (Bailarino do Teatro Municipal e faixa laranja na turma de Kung Fu da Cia Vida).

DSCF1647DSC09817DSCF1749DSCF1760DSCF1673DSC09835

Com apoio da prefeitura, o evento, encerra neste domingo (08/07), contando com a realização do Bingo de Nossa Senhora do Amparo, e encerramento com Samba de Buteco com Claudinho Guimarães.

A feira abre as 14 horas e conta com praça de alimentação, mais de 70 estandes para visitação, palco e banheiros quimicos.

Nas fotos da Jornalista Rosely Pellegrino, Editora deste Blog, você acompanha momentos de mais dois dias da Expo Maricá 2012.

Uma feira realizada pela Delfim Moreira Comunicações Integradas, que apresenta uma estrutura e organização elogiada por todos os visitantes

Julho 8, 2012 Posted by | arte, construção civil, cultura, Dança, Exposições, Feiras e Eventos, Habitação, jornalismo, Lazer, Maricá, móveis e decoração, moradia, musica, Reciclagem, setor naval, shows e eventos, social, Teatro | , , , , | Deixe um comentário

Expo Maricá 2012 começa nesta quinta feira no Esporte Clube Maricá

logo expo maricá 2012

Expo Maricá 2012 traz novidades
3º Feirão de imóveis, construção e reforma de Maricá
"O Novo Destino dos Investimentos no Estado do RJ"

Dando continuidade a filosofia de gestão empresarial lançada em sua primeira edição, acontecerá nos dias 05, 06, 07 e 08 de julho, das 14h às 23h a Expo Maricá 2012 – Comércio, Indústria e Serviços.

Realizada pela Delfim Moreira Comunicação Integrada, este ano a Expo Maricá 2012, além de continuar promovendo e diversificando as atividades da região, estará contando com grandes inovações no que se refere não só a sua estrutura como também a sua programação Os temas serão: O novo destino dos investimentos do estado do RJ; Pólo Industrial Naval de Jaconé; Pré-Sal e Investimentos da Petrobrás; Comperj e SEI – Impacto no Desenvolvimento de Maricá; Investimento do Comperj na Região e os reflexos em Maricá; Projeto de Desenvolvimento de Inoã/Itaipuaçu; Empreendimento no Silvado; Empreendimento Fazenda Bom Jardim.

Atendendo a pedidos, e para que ninguém fique de fora desta oitava edição, este ano estarão sendo disponibilizados quase setenta stands, sendo eles distribuídos entre 4 pavimentos: recintos alimentação, recinto mix e recinto 3º Feirão de imóveis, construção e reforma de Maricá, um dos maiores empreendimentos do município.

As reuniões e as adesões já estão acontecendo, e aos participantes do evento e demais interessados na locação de espaços e merchandising fica o convite para mais esse grande evento.

Serviço:

Expo Maricá 2012 – comércio, indústria, serviço e 3º Feirão de Imóveis, construção e reforma
Fórum – Maricá a cidade que eu quero. Projetos da era PRE SAL para Maricá.
Data: 05, 06 , 07 e 08 de julho – Horário: 14 às 23h (Aberto ao público)
Local: Esporte Clube de Maricá – Rua Álvares de Castro, 172
Centro – Maricá – RJ

Julho 4, 2012 Posted by | arte, construção civil, culinária, cultura, Exposições, Feiras e Eventos, Habitação, jornalismo, Lazer, Maricá, Mercado Imobiliário, moradia, shows e eventos, turismo | | Deixe um comentário

Expo Maricá irá acontecer de 5 a 8 de Julho no Esporte Clube Maricá

Grandes negócios prometem nascer na Costa do Sol

Fonte: O Dia

Expo Maricá começa na quinta-feira e contará com cerca de 100 estandes, debates sobre petróleo e pré-sal, além do 3º Feirão de Imóveis da Caixa

Rio – O mês de julho começa inserindo Maricá no eixo dos grandes negócios. Uma das maiores feiras comerciais da Região dos Lagos, a Expo Maricá acontece entre 5 e 8 de julho, no Esporte Clube Maricá, no Centro. O evento, que é uma promoção de O DIA, conta com o apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Turismo e Lazer.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O projeto Expo Maricá começou em 2004 e é reconhecido como um dos maiores projetos empresariais da região da Costa do Sol, não apenas pelo público e o potencial de negócios, mas, principalmente, pela qualidade e volume de informação sobre os parceiros para toda a população. Este ano, haverá ainda uma novidade: o Fórum ‘Maricá, a cidade que eu quero!’, um espaço de debates sobre os projetos da indústria petrolífera e do pré-sal para a região. Paralelamente, no mesmo local, acontecerá também o 3º Feirão de Imóveis, Construção e Reforma, este com apoio da Caixa Econômica Federal.
Na edição 2012, a Expo Maricá contará com quase 100 estandes, incluindo uma praça de alimentação, distribuídos por quatro pavimentos no pavilhão de 2.800 metros quadrados, montado no campo society do clube. O objetivo é o de promover e diversificar as atividades econômicas da região.
“Vamos contar com inovações não só em termos de estrutura, como também na programação”, explica o organizador da feira, Delfim Moreira. “Nossa expectativa é a de receber entre 6 e 8 mil pessoas por dia no local”, acrescenta.
Uma informação importante para o público é a de que haverá um espaço para o recebimento de currículos de interessados em trabalhar nas empresas participantes do evento.A programação da Expo Maricá não se resumirá apenas à discussão de negócios. Haverá, também, uma tenda multiuso para outras atividades.
Secretário de Turismo demonstra otimismo
No estande ‘Redes Culturais’, estão previstos shows com artistas locais, apresentação de peças teatrais e outras iniciativas. O projeto Samba de Boteco, da secretaria de Turismo, terá uma apresentação no dia 8. Para o secretário municipal de Turismo, Amaury Vicente, a feira certamente trará visibilidade ao município: “É uma boa oportunidade para trazermos operadores de viagens e até proporcionar encontros de executivos do setor”.

Junho 30, 2012 Posted by | Exposições, Feiras e Eventos, Habitação, jornalismo, Lazer, Maricá, Mercado Imobiliário, shows e eventos, turismo | | Deixe um comentário

Demanda habitacional do Município de Maricá será tema de audiência pública

Texto: Valéria Vianna

Resultado de estudo realizado pela empresa Urbes, que mapeou a cidade investigando a demanda de casas para famílias com renda de zero a três salários mínimos, o Plano Local de Habitação e Interesse Social (PLHIS) de Maricá será tema de audiência pública no dia 8 de maio. A consulta aos moradores pretende confirmar a procura habitacional na cidade e os possíveis locais de moradia que a pesquisa apontou.

“Esse estudo vai ser pré-requisito para que o município consiga recursos junto ao Ministério das Cidades com o propósito de construir casas populares. Daí a importância da participação de todos no debate”, explicou a subsecretária municipal de Assuntos Federativos, Clesirlene de Oliveira.

O prazo para enviar o PLHIS ao ministério termina em dezembro, mas a prefeitura quer encaminhá-lo no final de junho. “Trata-se de um plano, como o nome já diz, de interesse social, e que precisa da colaboração dos moradores para identificarmos, juntos, se as áreas indicadas são de fato para construções ou para regularização fundiária”, finalizou. A audiência acontece, às 18h, na Casa Digital, que fica na Praça Orlando de Barros Pimentel, s/nº.

Texto: Valéria Vianna

Abril 25, 2012 Posted by | Habitação, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário