Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Primeiro Ato à Favor do Vermelhinho reúne mais de 300 pessoas em Maricá

texto: Mídia Ninja, Fotos: Rosely Pellegrino

Maricá-RJ: Justiça proíbe ônibus gratuitos e população protesta

75% dos moradores da cidade, localizada da Região do Lagos, ganham entre um e três salários mínimos

A catraca é símbolo da cobrança de tarifa no transporte público brasileiro, mas em Maricá, município fluminense na Região dos Lagos, o lugar do cobrador é vazio. Em setembro de 2013, a prefeitura local implementou o sistema Tarifa Zero, que tornou-se referência nacional no debate sobre o direito à mobilidade.

O objetivo, do prefeito Washington Quaquá (PT-RJ) foi de “quebrar o monopólio” das empresas que detêm o serviço há pelo menos 25 anos na cidade. Esse medida sempre foi um campo de tensão no município e, por meio de uma ação judicial promovida pelas empresas de ônibus Nossa Senhora do Amparo e Viação Costa Leste, através do Sindicato que às representa, foi suspendido o serviço atingindo diretamente a população carente da cidade, da qual 75% ganha entre 1 e 3 salários mínimos.

A população revoltada por não ter mais como se locomover inclusive para chegar no trabalho, nas escolas, nos hospitais se organizou na tarde desta quinta-feira, 04.11, realizando na Praça Doutor Orlando de Barros Pimentel, o primeiro Ato em Prol dos Vermelhinhos. Compareceram mais de 300 pessoas.

DSCN6370DSCN6377

DSCN6378DSCN6401

DSCN6404DSCN6452

DSCN6384DSCN6465

A decisão de proibir os ônibus da prefeitura foi tomada pela desembargadora Marília de Castro Neves Vieira, da 20ª Câmara Cível, em uma ação movida pelo Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (SETRERJ), representante das empresas Nossa Senhora do Amparo e Costa Leste, que operam em Maricá.

Novembro 4, 2016 Posted by | jornalismo, manifestação popular, Manifestações, Protestos, Maricá, transporte, Transporte Gratuito, Transporte Publico Gratuito de Maricá | | Deixe um comentário

Prefeito de Maricá abre oficialmente Festival Internacional da Utopia

Fonte: Texto: Willian Chaves (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Fernando Silva e Rosely Pellegrino

Na abertura do Festival Internacional da Utopia, evento realizado pela Prefeitura de Maricá na Barra de Maricá e em outros locais da cidade, o prefeito Washington Siqueira (Quaqua) deu as boas vindas às caravanas de todo país e da América Latina ao lado de Aleida Guevarra, médica cubana e filha de Ernesto Che Guevara, João Pedro Stédile, do MST, e da Deputada Estadual Rosângela Zeidan.

Serão cinco dias com a participação de pensadores internacionais, artistas, escritores, sindicalistas, movimentos sociais, populares e da juventude discutindo ações progressistas com uma programação distribuída em várias tendas pela cidade contemplando debates, feiras de literatura, feira da agricultura familiar, música e arte. Cerca de 1.500 pessoas acompanharam a abertura oficial do Festival, na tenda dos Pensadores.

DSCN8902DSCN8927

"Nós vivemos num tempo onde temos lutado por aquilo que é possível. Quando convocamos o Festival da Utopia foi para pensarmos e para provar para as pessoas que devemos lutar pelo impossível. E a nossa Utopia é ter uma escola de qualidade em tempo integral, distribuição de renda e riquezas, meios de comunicação democráticos e a participação popular efetiva. Essa é a Utopia da nova sociedade, essa é a nossa Utopia", disse Quaqua.

DSCN8939DSCN8955Aleida Guevara traçou uma análise etimológica da palavra utopia e defendeu posicionamentos importantes na inserção social das pessoas. “É necessário que tenhamos uma Utopia Socialista de discussão com as pessoas com uma distribuição igualitária de bens para que os cidadãos desempenhem, em harmonia, os trabalhos. O povo nos reconhece com dignidade e transparência quando agimos em sintonia e com a participação dele. Assim, ganhamos o respeito. Utopia é como a fome zero no Brasil. Ela não acontece ser não fizermos uma reforma agrária. A terra é do povo. Temos de fazer da nossa terra uma propriedade coletiva”, afirma Guevara que também lembrou emocionada a participação de um médico cubano na condução da tocha olímpica na cidade de Lagoa Grande (PE). Aleida Guevara também é medica pediatra.

DSCN8942DSCN8948

DSCN8926DSCN8931O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stédile, defendeu mais ações efetivas para combater as desigualdades. “Temos que pensar alternativas para combater o capitalismo explorador. Não basta gritarmos “Viva o Socialismo”! Temos que ter propostas concretas para que o povo lute conosco para mudar as desigualdades”, assegura. 

As programações acontecem por toda cidade. Na Barra, concentram-se as tendas da diversidade, tenda dos trabalhadores e a tenda dos pensadores, além do palco principal para apresentações musicais. No centro, na Praça Orlando de Barros Pimentel, estão a feira de reforma agrária, a feira literária e o encontro internacional de teatro. A programação completa pode ser conferida pelo www.festivaldautopia.com.

 

Saiba mais:

Fonte Brasil de Fato: Rute Pina

Aleida Guevara: "Do que vale uma esquerda que não é reconhecida pelo povo?"

Durante a conferência de abertura do Festival da Utopia, a ativista também comentou a aproximação entre os EUA e Cuba

A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) - Créditos: Norma Odara/Brasil de Fato A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) / Norma Odara/Brasil de Fato

A fragilidade e fragmentação da esquerda na América Latina foi criticada pela ativista cubana Aleida Guevara durante seu discurso na conferência de abertura do 1º Festival Internacional da Utopia, que está acontecendo em Maricá (RJ) a partir desta quarta (22).

Para ela, a esquerda deve basear suas ações nas demandas concretas do cotidiano das pessoas e deve aprender com as populações mais carentes e com os povos tradicionais. “Temos que ser mais firmes, coerentes e responsáveis. (…) Temos que ganhar o respeito de quem nos escuta. Do que vale uma esquerda se ela não é reconhecida pelo povo?”, questionou.

A pediatra, que é filha do guerrilheiro Che Guevara, disse acreditar que o grande erro das esquerdas da região é se dividir “em pedacinhos”. “Há uns 20 partidos que se dizem de esquerda, mas que não se unem pelos objetivos comuns. Se não juntarmos nossas forças, não venceremos nunca”, afirmou.

Aleida ainda criticou a postura das forças progressistas que ocuparam o Estado. “Tomamos o poder e não mudamos as leis criadas pela burguesia. Assim, não conseguiremos fazer nenhuma transformação profunda”, criticou.

Na mesa também estava o dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile, e o prefeito do município de Maricá, Washington Quaquá (PT).

Relações entre Cuba e EUA

A ativista criticou ainda o governo estadunidense e a recente reaproximação dos EUA com Cuba, que ela classificou como uma “utopia do inimigo”.

“Eles têm, há séculos, a utopia de se unir à ilha. É seu sonho irrealizável. E agora estão mudando os métodos. Eles perceberam que cometeram erros com o povo cubano, trataram a revolução cubana com um bloqueio criminal. E agora falam de abrir novas negociações”, afirmou.

Aleida acredita que uma possível normalização da relação entre os dois países só será possível com a extinção da lei que facilita a permanência dos cidadãos cubanos ilegais, “os únicos no planeta que tem esse privilégio”, com o fim do bloqueio econômico e com o fechamento da base naval estadunidense em Guantánamo.

“Eles terão que seguir sonhando com essa utopia, porque não é possível de maneira alguma acabar com a revolução cubana”, sentenciou a ativista.

Aleida definiu a palavra utopia como "o desejo de dar sentido à vida e a busca por um mundo melhor, mais solidário e mais justo”.

Modelos de Estado

Durante sua fala, Stedile afirmou que o maior desafio para os setores progressistas é o questionamento do modelo de Estado que se deseja a partir de um debate que pense diferentes temas de maneira "correlata".

Para ele, o capitalismo enlatou questões, e a esquerda abandonou questões como a cultura e meio ambiente.

“Temos que apresentar uma formulação sobre o meio ambiente, por exemplo. Fomos salvos por um papa, que produziu a melhor conteúdo programático sobre essa questão”, brincou. "Uma sociedade utópica que é diferente de sonho. É uma sociedade baseada na justiça, na solidariedade e na igualdade", disse o dirigente.

Para o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, os setores progressistas têm lutado pelo possível, dada a injustiça e concentração de riqueza, mas são parte de uma esquerda “fez e questionou muito pouco”.

“Aquilo que queremos desenhar da nossa sociedade é possível se a gente se largar os horizontes utópicos. (…) Eles dizem que a história acabou, mas o socialismo nunca vai acabar enquanto pessoas morrerem nas ruas por causa de frio. Enquanto uma pessoa morrer por injustiça, o socialismo estará vivo”, disse.

Junho 23, 2016 Posted by | civismo, culinária, cultura, direitos humanos, Festival da Utopia, jornalismo, justiça, literatura, manifestação popular, Maricá, meio ambiente, moradia, musica, palestra gratis, projeto social, shows e eventos, social, turismo | | Deixe um comentário

Abertas as Inscrições para o Concurso Rainha e Rei Momo do Carnaval de Maricá 2015

Estão abertas as inscrições para a eleição do Rei Momo e Rainha do Carnaval de Maricá, realizada pela Secretaria Municipal de Turismo e Lazer. Beleza, simpatia, e, claro, samba no pé são os principais requisitos do concurso que vai premiar com R$3 mil os vencedores da categoria Rei Momo e Rainha e com R$ 1,5 mil a categoria Princesa.

As inscrições seguem até o dia 21/01.

Como pré-requisito imprescindível para a participação no concurso é necessário ser brasileiro nato ou naturalizado, ter mais de 18 anos, morar em Maricá e não ser funcionário público municipal (nem concursado e nem comissionado).

rei momo rainha

Janeiro 5, 2015 Posted by | Carnaval de Maricá 2015, jornalismo, Lazer, manifestação popular, Maricá, shows e eventos, social, turismo | , , | Deixe um comentário

Maricá Carnaval 2014: Prefeitura divulga esquema especial para folia

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Paulo Polônio

Tradicional Bloco do Beijo desfila pelas ruas do Centro. Prefeitura reforçou equipes para garantir a folia na cidade

Está tudo pronto para o Carnaval em Maricá. Para que os foliões aproveitem a festa popular mais conhecida do mundo, a Prefeitura montou um esquema especial de segurança, saúde e trânsito. A expectativa da prefeitura é receber um público superior ao do ano passado, quando cerca de 500 mil pessoas curtiram os quatro dias de folia na cidade.

Ao todo, serão 14 palcos e 77 shows gratuitos, além do desfile de 80 blocos carnavalescos. Para garantir que a festa seja realizada com tranquilidade e conforto aos foliões, o município reforçou as equipes das secretarias de Segurança e de Trânsito e Transporte. Por dia, serão 160 guardas municipais e agentes de segurança, além de 100 agentes de trânsito, controlando as vias do município e atuando nos locais com grande concentração, como praias e palcos dos shows. A Polícia Militar vai disponibilizar 110 policiais para o Carnaval e equipes do Corpo de Bombeiros ficarão de prontidão na sede do órgão, às margens da RJ-106.

O Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro, o posto de saúde de Santa Rita, em Itaipuaçu, e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã funcionarão 24 horas por dia. Ao todo, serão seis postos médicos próximos aos palcos com maior concentração – Casa Digital, na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, no Centro; na quadra do Dínamo Futebol Clube, em São José do Imbassaí; nas praias de Cordeirinho e de Ponta Negra; e na Rua Professor Cardoso de Menezes (antiga Rua Um) e Praça dos Gaviões, ambas em Itaipuaçu. Em cada posto, haverá uma ambulância com equipe especializada.

Equipes da prefeitura irão coibir o acampamento (camping) em área de preservação ambiental. A legislação municipal (decreto nº 009/2011) torna ilegal o uso de faixas marginais de proteção do mar, rios, lagoas e reservatórios de água da cidade como ‘camping’. Agentes da Defesa Civil, com um barco de apoio, ficarão de prontidão na lagoa de Maricá, do Boqueirão a Barra, para impedir o uso de jet skis.

Reforço nas praias

Os banhistas poderão aproveitar as praias com tranquilidade. Por dia, 35 salva-vidas da Defesa Civil irão trabalhar em postos de atendimentos em Cordeirinho (ruas 90 e 107), Itaipuaçu (ruas 53, 70 e 83), Barra de Maricá (ruas 4 e 13), Ponta Negra (em frente ao terceiro quiosque da praia) e na Lagoa do Boqueirão. Já o Corpo de Bombeiros vai reforçar a equipe com mais 20 salva-vidas, totalizando 28. Eles ficarão nos postos de Ponta Negra e Itaipuaçu (Rua Um, Avenida Um e Recanto).

O subsecretário de Defesa Civil, coronel Jorge Braga, informou que o Corpo de Bombeiros vai instalar até quatro novos postos em locais com maior concentração. "Os banhistas também precisam respeitar as sinalizações nas praias para evitar acidentes. O município possui 47 km de orla de Jaconé a Itaipuaçu e o mar de Maricá é muito perigoso por causa das fortes correntezas e das valas formadas pelas ondas. Por isso, é fundamental as pessoas seguirem as orientações dos salva-vidas", alerta o subsecretário, acrescentando que sete viaturas ficarão à disposição das equipes no Carnaval.

Interdição de ruas

Os moradores e turistas precisam ficar atentos aos fechamentos de ruas durante o Carnaval em Maricá. A prefeitura organizou um esquema especial com interdição de vias próximo aos 14 palcos onde serão realizados os shows de grandes nomes da música nacional. Nos locais onde as vias estarão parcialmente fechadas, o trânsito de veículos será proibido das 07h às 02h. Somente moradores terão acesso livre. A Guarda Municipal e agentes das secretarias de Trânsito e Transporte e de Segurança irão sinalizar as regiões e orientar os motoristas. O estacionamento é permitido próximo aos locais de interdições.

A maior intervenção será em Ponta Negra com o fechamento total da ponte (via de acesso à praia), durante os cinco dias de folia, e parcial da Rua São Pedro Apóstolo (em frente ao DPO) até a curva do S, das 07h às 02h. "A opção para chegar à praia é acessar a Estrada Antônio Callado, na RJ-106, no bairro Manoel Ribeiro e seguir por Bambuí até Ponta Negra. O acesso é livre para os pedestres e iremos organizar o estacionamento nas vias próximas ao palco", destaca o secretário de Segurança, Fabrício Bittencourt. "Os moradores precisam apresentar uma conta de luz ou telefone aos agentes de trânsito para ter acesso livre", completa.

Outra interdição importante será na Rua Professor Cardoso de Menezes (antiga Rua Um), em Itaipuaçu. A prefeitura irá fechar totalmente o trecho após a ponte, na altura da Rua 37. Já no Recanto, a interdição será parcial (das 14h às 22h) porque os shows serão à tarde. No palco de Cordeirinho, haverá interdição parcial no trecho entre as ruas 90 e 92, na altura da Avenida Maysa, próximo a orla. Em Barra de Maricá, as ruas 10, 11, 12 e 13 ficarão fechadas parcialmente. No Centro, a Secretaria de Trânsito e Transporte irá fechar, parcialmente, a Rua Domício da Gama, entre as ruas Senador Macedo Soares e Alferes Gomes, e da Ribeiro de Almeida até a esquina da Rua Carlos Rangel. Nos demais locais de shows (Divineia, São José do Imbassaí, Inoã e Santa Paula), a prefeitura irá fechar os acessos no entorno dos palcos e o trânsito será desviado por ruas paralelas.

Fevereiro 28, 2014 Posted by | Carnaval 2014, cultura, jornalismo, Lazer, manifestação popular, Maricá, musica, segurança pública, shows e eventos, social, turismo | | Deixe um comentário

Dilma anuncia encontro com o presidente do Senado para discutir proposta de convocação de plebiscito

A Agência Brasil publicou às 7h21 desta terça-feira (25) que a presidente Dilma Rousseff tem uma série de reuniões hoje com o objetivo de discutir soluções para encerrar a onda de manifestações no país. Estão marcadas conversas ao longo do dia com os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius Furtado Coelho, e do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa. Nessas reuniões será debatida a proposta de convocação de um plebiscito para instalar uma Assembleia Constituinte exclusiva para discutir a reforma política.

Este é o segundo de reuniões da presidente com vistas a discutir formas de atender as reivindicações "das ruas". Na tarde de segunda (24) ela recebeu no Palácio do Planalto representantes do Movimento Passe Livre (MPL) de São Paulo, governadores e prefeitos.

Junho 26, 2013 Posted by | jornalismo, manifestação popular | , , | Deixe um comentário

Niterói tem mais de 7h de protesto, apesar de redução da tarifa de ônibus

Passagem voltará a custar R$ 2,75, segundo informou a prefeitura.
Nem a notícia, durante a manifestação, impediu que houvesse confronto.

Priscilla Souza e Tássia Thum Do G1 Rio

 (Foto: G1) Manifestantes se concentraram por volta das 16h na Praça Araribóia, no Centro de Niterói (Foto: G1)

Nem mesmo o anúncio da redução do valor da tarifa de ônibus em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, feito pela assessoria do prefeito Rodrigo Neves por volta das 19h, acalmou o protesto na cidade nesta quarta-feira (19).

A manifestação, que chegou causar a interdição da Ponte Rio-Niterói preventivamente, durou mais de 7 horas — a maior parte do tempo pacífica — e atraiu cerca de 5 mil pessoas, segundo a NitTrans. Ao final, os manifestantes entraram em confronto com a polícia e chegaram a invadir a estação das Barcas na cidade.

A exemplo do que vem ocorrendo nos demais protestos pelo país, jovens reclamavam do transporte público e dos gastos com a Copa do Mundo.

Começo pacífico
As primeiras informações sobre a mudança no valor da passagem, que voltou ao valor antigo — baixando de R$ 2,95 para R$ 2,75 —, chegaram aos ouvidos dos manifestantes quando eles estavam em frente à Câmara Municipal de Niterói.

Grupo de manifestantes marcou protesta contra aumento das passagens de ônibus na Praça Arariboia (Foto: Priscilla Souza/ G1)Grupo de manifestantes protesta contra aumento
da tarifa de ônibus (Foto: Priscilla Souza/ G1)

saiba mais

Manifestante defende aplicação do dinheiro na Saude (Foto: Priscilla Souza/ G1) Manifestante defende aplicação do dinheiro na
Saúde (Foto: Priscilla Souza/ G1)

Os jovens saíram da Praça Arariboia por volta de 17h e seguiram pelas avenidas Visconde de Rio Branco e Ernani Amaral Peixoto, duas das principais vias do Centro, até a Câmara Municipal. O comércio, na região, foi fechado, apesar do clima de paz. Os ânimos se exaltavam quando pessoas eram flagradas com camisas ou bandeiras de grupos políticos. "Sem partido", gritavam alguns.

O estudante de Administração Luiz Fernando Pereira, de 19 anos, participou do ato pela segunda vez. "A minha expectativa é que tenha menos violência e mais mobilização. Acho um absurdo um país como o nosso gastar tanto dinheiro com a Copa enquanto tem gente passando fome. Esse movimento já saiu do Facebook, veio pra rua e se nacionalizou", afirmou o manifestante.

Tensão
O primeiro momento de tensão foi quando manifestantes exaltados queriam furar o bloqueio do Batalhão de Choque na Avenida Visconde de Sepetiba, onde fica a prefeitura da cidade. Um deles chegou a jogar uma pedra em um policial, enquanto outra participante do protesto interveio para tentar acalmar os ânimos. Ana Beatriz Vilela, estudante de Relações Internacionais, tentou dispersar os manifestantes.

“A gente não quer violência. Isso atrapalha. O problema é que a gente chegou num ponto de heterogeneidade. Tem muita gente de todos os tipos e fica difícil segurar", disse. O grupo, então, retornou à Avenida Ernani do Amaral Peixoto.

Por volta das 19h, um pequeno grupo se descolou da maioria dos manifestantes seguindo em direção à Ponte Rio-Niterói com o objetivo de fechar a via. No entanto, o grupo foi surpreendido no meio do caminho, na Rua Marquês de Paraná, um dos acessos à Ponte, pelo Batalhão de Choque.

Batalhão de Choque entra em confronto com manifestantes (Foto: Priscilla Souza/G1) Batalhão de Choque entra em confronto com
manifestantes (Foto: Priscilla Souza/G1)

Confronto
Em razão da movimentação dos manifestantes, a Polícia Rodoviária Federal, por segurança, fechou a Ponte Rio-Niterói nos dois sentidos.

O enfrentamento começou na esquina da Rua Marquês de Paraná com a Rua Andrade Pinto. Os manifestantes atiraram pedras e pedaços de madeira nos policiais, que revidaram com dezenas de bombas de efeito moral e disparos de bala de borracha.

O Batalhão de Choque avançou pela via, que ficou interditada ao trânsito nos dois sentidos, para que o grupo recuasse. Um manifestante tentou conversar com a polícia, e foi atingido por spray de pimenta no rosto, sem que tivesse agredido os agentes.

Em meio ao confronto, uma mulher grávida passou mal. Mônica Nascimento da Silva, que estava com as três filhas, foi socorrida por um morador da região e recebeu atendimento de médicos voluntários, que pediram apoio da ambulância do Batalhão de Choque, o que foi negado. "A gente estava lá na passeata tranquilamente. Quando chegamos aqui perto, começou a confusão e nós ficamos no meio", disse a filha de Mônica, Larissa.

Mulher é atendida por médicos durante confronto em manifestação em Niterói, no RJ (Foto: Priscilla Souza/G1)Mulher é atendida por médicos durante confronto
em protesto em Niterói (Foto: Priscilla Souza/G1)

No momento do atendimento, os policiais jogaram uma bomba de gás lacrimogêneo na direção dos médicos e da imprensa que acompanhava o socorro. "A gente estava prestando atendimento à vitima que passou mal possivelmente por uma crise de ansiedade. Eu fui até os policiais solicitar uma ambulância e, na hora que eu retornei, nós fomos covardemente atacados com bombas de gás e spray de pimenta enquanto ainda realizávamos o atendimento médico. Não conseguimos sequer chegar ao Copo de Bombeiros para transportar a vitima de maneira adequada. Agora, eu quero saber da polícia o motivo desta atitude arbitrária”, contou Marcelo Sá, médico e professor do Hospital Universitário Antônio Pedro da Universidade Federal Fluminense.

Os manifestantes ainda tentaram resistir, colocando fogo em entulho no meio da via. O mesmo aconteceu na Avenida Ernani Amaral Peixoto. O G1 presenciou o momento em que um dos manifestantes foi detido. No entanto, até 22h30 a polícia não havia divulgado o balanço de detidos no protesto.

Correria nas Barcas
Por volta das 21h, manifestantes invadiram a estação das barcas, na Praça Arariboia. A PM interveio usando spray de pimenta e a CCR Barcas interrompeu, por medida de segurança, a circulação de embarcações no trajeto Rio-Niterói por cerca de 20 minutos. Funcionários da concessionária chegaram a liberar a entrada de passageiros, sem necessidade de compra de bilhetes, já que muitos entraram em pânico. A operação foi retomada às 21h03.

Vândalos tentam virar ônibus em Niterói (Foto: G1)Manifestantes radicais tentam virar ônibus durante protesto em Niterói, no Rio de Janeiro (Foto: G1)

Junho 20, 2013 Posted by | jornalismo, manifestação popular, transporte | | Deixe um comentário

13 de maio é mais liberdade apresentou exposição com ícones das religiões afro na Casa de Cultura de Maricá

Texto: Valéria Vianna Fotos: Clarildo Menezes

A feijoada, iguaria preferida do orixá Ogum (no candomblé) e dos pretos velhos (na umbanda) deu o sabor da exposição “13 de maio é mais liberdade”, que aconteceu nesta segunda-feira, na Casa de Cultura de Maricá. Com apresentação de ícones religiosos afro-brasileiros, teve como principal objetivo capacitar representantes de terreiros da cidade, através da entrega de minutas de leis que regulamentam direitos e deveres relacionados à religião, e também o cadastramento desses mesmos terreiros.

Pai Liminha abrindo a exposição.A chegada dos primeiros convidados

Para o superintendente municipal de Assuntos Religiosos, Antônio Jonas Chagas Marreiros – babalorixá Jonas de Jagun, mais conhecido como Pai Liminha de Maricá – esta é uma grande oportunidade que o Governo Municipal concede a todos os segmentos religiosos. “Em especial no dia 13, por ter tudo a ver com a resistência e vitória dos povos de terreiros de tradição africana”, ressalta.

Ele explica que a Fonte para Orientação Religiosa das Matrizes Africana (FORMA), da qual é presidente, ficou responsável pela capacitação, enquanto a Superintendência de Assuntos Religiosos se ocupou de cadastrar os terreiros.

Convidados aguardando para entrar na Sala Darcy Ribeiro, onde aconteceram as projeções dos vídeos.Uma pequena curiosa assinando o livro de visitas.

Sala Darcy Ribeiro lotada de pessoas para assistir aos vídeos e participar das palestras.Pai Liminha comentando sobre o projeto da Praça Escrava Anastácia.

O evento contou ainda com apresentação de dois vídeos, que mostraram ações afirmativas da FORMA, como lavagens de escadaria, meio ambiente, personalidades ligadas ao mundo do candomblé e da umbanda, além de trechos do filme “Amistar”, de Spielberg, baseado em fatos reais: cenas dos últimos navios vindos do continente africano trazendo negros para o trabalho escravo.

Liminha servindo a feijoada, iguaria preferida do Orixá Ogum e dos Pretos VelhosSecretário de Cultura, Sérgio Mesquita (esq), aprovou a feijoada.

Além das secretarias de Cultura e de Assuntos Religiosos, a iniciativa da FORMA teve também apoio das secretarias de Turismo, de Direitos Humanos, da subsecretaria de Políticas para Mulheres e da superintendência da Diversidade Racial.

 

Maio 17, 2013 Posted by | cultura, direitos humanos, esportes, Exposições, jornalismo, Lazer, manifestação popular, Maricá, religioso | , , | Deixe um comentário

Carnaval 2013: trios elétricos também vão animar foliões em Maricá

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Divulgação

Trios elétricos vão "arrastar" os foliões pelas ruas da Barra de Maricá e Itaipuaçu

Além dos shows em 15 palcos distribuídos pela cidade, o Carnaval em Maricá também terá dois trios elétricos para animar o público durante os quatro dias de folia pelas ruas de Barra de Maricá e Itaipuaçu. Os shows comandados por bandas da região começam às 12h, mas desde as 10h DJs estarão agitando os moradores e turistas.

A banda de axé Me Puxa vai “arrastar” os foliões em Barra de Maricá no sábado (09/02) e em Itaipuaçu no domingo (10). No trio elétrico de Barra ainda haverá shows de Amarildo com banda da Barra (domingo), Mirene Alves e Dalva (segunda-feira) e Maestro Dedé e banda Carnaval Folia (terça-feira). Já em Itaipuaçu os shows serão comandados pelos grupos Tatudoemcasa, To Kerendo e Samba.com, nos dias 9, 11 e 12, respectivamente.

Na Barra, o trio sairá todos os dias da quadra de esportes da Zacarias – entre rua 0 e rua 2. Já em Itaipuaçu, o trio ficará parado em diferentes trechos da avenida da praia em cada dia de Carnaval. No sábado, o local será a avenida da praia com a rua 83; no domingo na altura do quiosque Conchas; na segunda próximo ao quiosque da rua 70 (Quiosque do Bigode); e na terça próximo ao quiosque "Sobre as Ondas".

Fevereiro 8, 2013 Posted by | Carnaval 2013, Carnaval 2013 em Maricá, jornalismo, Lazer, manifestação popular, Maricá, shows e eventos, turismo | Deixe um comentário

Prefeitura Municipal de Maricá comunica: Abaixo-assinado não terá ato de lançamento

Texto: Divulgação

A Prefeitura Municipal de Maricá cancelou o ato público programado para esta sexta-feira (02/02), nas dependências da nova Rodoviária do Povo de Maricá. O ato marcaria o lançamento oficial do abaixo-assinado organizado pelo município para exigir a quebra do monopólio do transporte público coletivo da cidade, a aceleração dos trabalhos de expansão da captação e distribuição da água encanada por parte da Cedae e pela implantação de um batalhão da PM em Maricá.

O formulário do abaixo-assinado já está circulando pela cidade e pode ser encontrado em todas as repartições públicas autarquias municipais. Qualquer cidadão poderá aderir, basta preencher a folha com nome e número de documento de identidade. O objetivo é reunir pelo menos 70 mil assinaturas.

Clique aqui e conheça em detalhes as reinvindicações do documento – elaborado a partir das prioridades de governo do prefeito reeleito Washington Quaquá.

Fevereiro 1, 2013 Posted by | jornalismo, manifestação popular, Maricá | Deixe um comentário

Carnaval 2013: Martinho da Vila anima festa em Maricá neste sábado

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Divulgação

O Carnaval em Maricá terá um esquenta especial. Neste sábado (02/02), às 23h, o cantor e compositor Martinho da Vila comanda o "Baile Municipal", num show gratuito organizado pela prefeitura na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro. A programação do evento, que começa às 21h, também inclui a apresentação da banda Olodumaré e a entrega da chave do Carnaval para o Rei Momo, que abre oficialmente a folia na cidade.

Aos 76 anos, 45 de carreira, Martinho vai apresentar na cidade o CD “4.5 Atual” – regravação de seu primeiro disco (Martinho da Vila, de 1969). Entre os sucessos, destaque para as canções “Casa de Bamba”, “O Pequeno Burguês” e “Tom Maior”. A ideia do álbum, segundo o sambista, foi revisitar as músicas que fizeram sucesso em 1969, mas com uma nova qualidade sonora, possível a partir do uso de novas tecnologias. O CD possui também três gravações que não estavam no repertório de 1969: as inéditas “Partido-alto de Roda” e “Samba dos Passarinhos” e a regravação de “Pãozinho de Açúcar”, que ele compôs para sua mulher, Cléo.

O sambista foi o primeiro músico da categoria a ultrapassar a marca de um milhão de cópias vendidas com o álbum "Tá delícia, tá gostoso", lançado em 1995 no Brasil. O sambista também é nacionalmente conhecido pela autoria dos principais e mais famosos enredos e sambas-enredo da Unidos de Vila Isabel. Em 1988, ele criou “Kizomba, a festa da raça” e garantiu para a escola da Zona Norte o campeonato daquele Carnaval, um dos mais consagrados por ter sido conquistado no centenário da abolição da escravatura.

Prefeitura de Maricá monta esquema especial para show de Martinho da Vila

Texto: Rafael Zarôr

A prefeitura de Maricá montou um esquema especial para o show de Martinho da Vila, no sábado (02/02), como ponto alto do “Baile Municipal” que abre oficialmente o Carnaval da cidade. As ruas no entorno da Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro, serão fechadas a partir das 19h e não será permitido o estacionamento de veículos nessas vias.

Das 19h de sábado (02/02) até às 2h de domingo (03), as ruas Domício da Gama (na esquina com a Rua Senador Soares da Costa), Abreu Rangel, Alferes Gomes, Álvares de Castro (altura do Esporte Clube Maricá) e Barão de Inoã (até a esquina com a Rua Prefeito Hilário da Costa e Silva) serão fechadas pela prefeitura. Não será permitido o estacionamento de veículos nessas vias. Sessenta guardas municipais e 15 agentes da secretaria municipal de Trânsito e Transporte vão orientar os motoristas e desviar o trânsito para ruas paralelas.

Para garantir a segurança dos foliões, o efetivo da Polícia Militar será reforçado no sábado e equipes do Corpo de Bombeiros ficarão de prontidão na sede do órgão, às margens da RJ-106. Já a secretaria municipal de Saúde disponibilizou duas ambulâncias: uma ficará próxima ao palco e outra baseada no Hospital Municipal Conde Modesto Leal.

A venda de bebidas e alimentos por ambulantes também está proibida no Carnaval. Somente é permitida a comercialização de produtos nas barracas no entorno da Praça Orlando de Barros Pimentel. Fiscais da subsecretaria de Posturas, da secretaria de Desenvolvimento Urbano, irão apreender as mercadorias em caso de vendas de produtos sem autorização.

Fevereiro 1, 2013 Posted by | Carnaval 2013, Carnaval 2013 em Maricá, jornalismo, Lazer, manifestação popular, Maricá, musica, shows e eventos, turismo | Deixe um comentário