Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Prefeito de Maricá abre oficialmente Festival Internacional da Utopia

Fonte: Texto: Willian Chaves (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Fernando Silva e Rosely Pellegrino

Na abertura do Festival Internacional da Utopia, evento realizado pela Prefeitura de Maricá na Barra de Maricá e em outros locais da cidade, o prefeito Washington Siqueira (Quaqua) deu as boas vindas às caravanas de todo país e da América Latina ao lado de Aleida Guevarra, médica cubana e filha de Ernesto Che Guevara, João Pedro Stédile, do MST, e da Deputada Estadual Rosângela Zeidan.

Serão cinco dias com a participação de pensadores internacionais, artistas, escritores, sindicalistas, movimentos sociais, populares e da juventude discutindo ações progressistas com uma programação distribuída em várias tendas pela cidade contemplando debates, feiras de literatura, feira da agricultura familiar, música e arte. Cerca de 1.500 pessoas acompanharam a abertura oficial do Festival, na tenda dos Pensadores.

DSCN8902DSCN8927

"Nós vivemos num tempo onde temos lutado por aquilo que é possível. Quando convocamos o Festival da Utopia foi para pensarmos e para provar para as pessoas que devemos lutar pelo impossível. E a nossa Utopia é ter uma escola de qualidade em tempo integral, distribuição de renda e riquezas, meios de comunicação democráticos e a participação popular efetiva. Essa é a Utopia da nova sociedade, essa é a nossa Utopia", disse Quaqua.

DSCN8939DSCN8955Aleida Guevara traçou uma análise etimológica da palavra utopia e defendeu posicionamentos importantes na inserção social das pessoas. “É necessário que tenhamos uma Utopia Socialista de discussão com as pessoas com uma distribuição igualitária de bens para que os cidadãos desempenhem, em harmonia, os trabalhos. O povo nos reconhece com dignidade e transparência quando agimos em sintonia e com a participação dele. Assim, ganhamos o respeito. Utopia é como a fome zero no Brasil. Ela não acontece ser não fizermos uma reforma agrária. A terra é do povo. Temos de fazer da nossa terra uma propriedade coletiva”, afirma Guevara que também lembrou emocionada a participação de um médico cubano na condução da tocha olímpica na cidade de Lagoa Grande (PE). Aleida Guevara também é medica pediatra.

DSCN8942DSCN8948

DSCN8926DSCN8931O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stédile, defendeu mais ações efetivas para combater as desigualdades. “Temos que pensar alternativas para combater o capitalismo explorador. Não basta gritarmos “Viva o Socialismo”! Temos que ter propostas concretas para que o povo lute conosco para mudar as desigualdades”, assegura. 

As programações acontecem por toda cidade. Na Barra, concentram-se as tendas da diversidade, tenda dos trabalhadores e a tenda dos pensadores, além do palco principal para apresentações musicais. No centro, na Praça Orlando de Barros Pimentel, estão a feira de reforma agrária, a feira literária e o encontro internacional de teatro. A programação completa pode ser conferida pelo www.festivaldautopia.com.

 

Saiba mais:

Fonte Brasil de Fato: Rute Pina

Aleida Guevara: "Do que vale uma esquerda que não é reconhecida pelo povo?"

Durante a conferência de abertura do Festival da Utopia, a ativista também comentou a aproximação entre os EUA e Cuba

A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) - Créditos: Norma Odara/Brasil de Fato A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) / Norma Odara/Brasil de Fato

A fragilidade e fragmentação da esquerda na América Latina foi criticada pela ativista cubana Aleida Guevara durante seu discurso na conferência de abertura do 1º Festival Internacional da Utopia, que está acontecendo em Maricá (RJ) a partir desta quarta (22).

Para ela, a esquerda deve basear suas ações nas demandas concretas do cotidiano das pessoas e deve aprender com as populações mais carentes e com os povos tradicionais. “Temos que ser mais firmes, coerentes e responsáveis. (…) Temos que ganhar o respeito de quem nos escuta. Do que vale uma esquerda se ela não é reconhecida pelo povo?”, questionou.

A pediatra, que é filha do guerrilheiro Che Guevara, disse acreditar que o grande erro das esquerdas da região é se dividir “em pedacinhos”. “Há uns 20 partidos que se dizem de esquerda, mas que não se unem pelos objetivos comuns. Se não juntarmos nossas forças, não venceremos nunca”, afirmou.

Aleida ainda criticou a postura das forças progressistas que ocuparam o Estado. “Tomamos o poder e não mudamos as leis criadas pela burguesia. Assim, não conseguiremos fazer nenhuma transformação profunda”, criticou.

Na mesa também estava o dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile, e o prefeito do município de Maricá, Washington Quaquá (PT).

Relações entre Cuba e EUA

A ativista criticou ainda o governo estadunidense e a recente reaproximação dos EUA com Cuba, que ela classificou como uma “utopia do inimigo”.

“Eles têm, há séculos, a utopia de se unir à ilha. É seu sonho irrealizável. E agora estão mudando os métodos. Eles perceberam que cometeram erros com o povo cubano, trataram a revolução cubana com um bloqueio criminal. E agora falam de abrir novas negociações”, afirmou.

Aleida acredita que uma possível normalização da relação entre os dois países só será possível com a extinção da lei que facilita a permanência dos cidadãos cubanos ilegais, “os únicos no planeta que tem esse privilégio”, com o fim do bloqueio econômico e com o fechamento da base naval estadunidense em Guantánamo.

“Eles terão que seguir sonhando com essa utopia, porque não é possível de maneira alguma acabar com a revolução cubana”, sentenciou a ativista.

Aleida definiu a palavra utopia como "o desejo de dar sentido à vida e a busca por um mundo melhor, mais solidário e mais justo”.

Modelos de Estado

Durante sua fala, Stedile afirmou que o maior desafio para os setores progressistas é o questionamento do modelo de Estado que se deseja a partir de um debate que pense diferentes temas de maneira "correlata".

Para ele, o capitalismo enlatou questões, e a esquerda abandonou questões como a cultura e meio ambiente.

“Temos que apresentar uma formulação sobre o meio ambiente, por exemplo. Fomos salvos por um papa, que produziu a melhor conteúdo programático sobre essa questão”, brincou. "Uma sociedade utópica que é diferente de sonho. É uma sociedade baseada na justiça, na solidariedade e na igualdade", disse o dirigente.

Para o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, os setores progressistas têm lutado pelo possível, dada a injustiça e concentração de riqueza, mas são parte de uma esquerda “fez e questionou muito pouco”.

“Aquilo que queremos desenhar da nossa sociedade é possível se a gente se largar os horizontes utópicos. (…) Eles dizem que a história acabou, mas o socialismo nunca vai acabar enquanto pessoas morrerem nas ruas por causa de frio. Enquanto uma pessoa morrer por injustiça, o socialismo estará vivo”, disse.

Junho 23, 2016 Posted by | civismo, culinária, cultura, direitos humanos, Festival da Utopia, jornalismo, justiça, literatura, manifestação popular, Maricá, meio ambiente, moradia, musica, palestra gratis, projeto social, shows e eventos, social, turismo | | Deixe um comentário

Maricá abre atendimento do IPTU 2016 na Prefeitura a partir de segunda-feira

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Arte – Luiz Oswaldo Júnior

A partir da próxima segunda-feira (25/01), o atendimento para retirada do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de 2016 será realizado também no Paço Municipal (Rua Álvares de Castro, 346, Centro). A guia do imposto foi entregue pelos Correios e está disponível pelo Portal da Prefeitura de Maricá (http://www.marica.rj.gov.br/?s=iptu – usar preferencialmente os navegadores Mozila e Chrome) desde o dia 05/01. O pagamento em cota única com 15% de desconto poderá ser feito até sexta-feira (29/01). A Secretaria Municipal Adjunta de Receitas ainda oferece o parcelamento do imposto em até 10 vezes sem juros com vencimento da primeira parcela no dia 20/03. As datas serão publicadas no Jornal Oficial do Município (JOM) – a tabela inicial está disponível no JOM desde o dia 21/12.

Ao todo, 131,1 mil carnês foram emitidos pela secretaria – em 2014 foram 93 mil, o que é um indicador do forte crescimento da cidade em um ano. Não houve aumento do imposto – somente a correção monetária de 9,9% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), entre os meses de outubro de 2014 a setembro de 2015. A Central de Atendimento no Paço Municipal funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Outras informações através dos telefones 2637-2053, 2637-2054 ou 2637-2055.

Janeiro 22, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | | Deixe um comentário

Prefeito de Maricá define estratégias para os condomínios do MCMV

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Fernando Silva

O prefeito de Maricá Washington Quaquá, acompanhado do secretário executivo de Gabinete e Articulação Governamental, Carlos Manoel, do deputado federal licenciado, Fabiano Horta, e da deputada estadual, Rosangela Zeidan, se reuniu na manhã desta segunda-feira (09/11), na Casa Digital, no Centro, com os demais secretários municipais executivos e adjuntos para tratar das ações do governo dos condomínios do Minha Casa Minha Vida, uma das prioridades prioridade desta administração. O prefeito reforçou que as cerca de três mil famílias beneficiadas com apartamentos nos residenciais Carlos Marighella (Itaipuaçu) e Carlos Alberto Soares de Freitas (Inoã) terão acesso aos serviços municipais ao lado de suas casas.

Cada condomínio receberá um Centro da Cidadania e Cultura Popular (CCCP), com término das obras previsto para final de 2016, com um Posto da Guarda Municipal Cidadã (guardas treinados para garantir a segurança da comunidade), teatro, salão de festas e oficinas e espaço da Economia Solidária (Moeda Social Mumbuca), além de quadra poliesportiva, pista de skate, academia para todas as idades e uma pista de corrida. O CCCP abrigará também com um Posto de Saúde da Família (PSF) e um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). Outra iniciativa já implementada são as atividades culturais que integram o pré-lançamento do Festival Internacional da Utopia, iniciado em Itaipuaçu – com ações recreativas diversificadas a cada 15 dias de saúde, teatro, literatura, esporte, dança e música – e que também será direcionado aos moradores de Inoã.

O prefeito também reforçou que o abastecimento de água nos condomínios foi regularizado após pressão do governo municipal, vem acompanhando de perto a situação dos moradores e cobra intensivamente da Cedae e da Caixa Econômica (gestora das construções dos condomínios) para que o fornecimento continue de forma ininterrupta e que todos os problemas estruturais dos condomínios sejam sanados. Justamente por isso, não vai considerar a obra entregue enquanto tudo não estiver solucionado, o que significa autorizar o pagamento das últimas parcelas.

Novembro 11, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | Deixe um comentário

Síndicos tomam posse no condomínio Carlos Marighella

Texto: Tiago Campello e Kelly Rodrigues | Fotos: Clarildo Menezes

Deputado licenciado Fabiano Horta prestigiou o evento no domingo

O domingo foi de festa no Condomínio Carlos Marighella, do programa “Minha Casa Minha Vida”, em Itaipuaçu. Em dia de posse dos síndicos, a Prefeitura de Maricá realizou atividades esportivas e culturais para os moradores do residencial, como torneio de futebol e queimado; e atividades com lápis e tintas, onde crianças fizeram arte em telões para decoração do condomínio. Equipes do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) atenderam cerca de 160 famílias sobre a importância de manter os dados atualizados do Cadastro Único e esclareceram dúvidas com relação à campanha nacional “Disque 100”, serviço de denuncias de violência contra crianças, e das oficinas geradoras de renda oferecidas pelos equipamentos como corte de cabelo, manicure, maquiagem, jardinagem, biscuit, entre outros, além de orientações sobre os grupos de convivência para crianças, adolescentes, adultos e idosos.

Presente no evento, o deputado federal licenciado Fabiano Horta destacou os investimentos do município para garantir moradia a quase 1500 famílias. “É uma alegria participar deste dia com atividades de lazer e de posse dessas pessoas que ajudarão a dirigir o condomínio para melhorar o cotidiano de cada um”, disse o deputado licenciado. “Vocês estão vivendo em uma casa nova, um bairro que surgiu dentro da cidade, onde novas relações devem ser construídas e hoje (domingo) a Prefeitura deu um importante passo para isso. Parabéns síndicos e demais moradores do Carlos Marighella”, completou.

Para o secretário adjunto de Assistência Social, Jorge Castor, este evento foi de extrema importância para os residentes do condomínio. “É primordial a realização atividades para as famílias e trazer orientações sobre seus direitos", destacou o secretário adjunto. Durante o dia, a Secretaria Adjunta de Políticas Especiais disponibilizou um olheiro profissional para avaliar as crianças no torneio de futebol. “Nossa intenção é filtrar futuros talentos do esporte para testes nos clubes”, disse o secretário adjunto Amílcar Carvalho. Artistas da Companhia de Teatro (formada por alunos da rede municipal de 9 a 17 anos) realizaram o divertido espetáculo de esquetes “Companhia de Palhaço”, animando a criançada. A famosa “Batalha do Passinho” foi realizada no condomínio, onde os jovens dos 5 setores mostraram seu talento com a dança.

À noite, os cinco síndicos eleitos para os setores A, B, C, D e E foram empossados para o primeiro mandato (o tempo de gestão ainda será definido entre a Prefeitura e a Caixa Econômica). Os novos responsáveis pelos interesses dos condôminos são: Rogério Cardoso (setor A), Gualter Ribeiro (B), Paulo Sérgio Maquiera (C), Carlos Henrique Soares (D) e Jorge dos Santos (E).

Crianças fizeram artes com tintas e lápis coloridos

Torneio de futebol no Condomínio Carlos Marighella

Síndicos dos cinco setores tomaram posse no domingo

Amigos da Cultura tocaram sucessos da MPB

Prefeitura promoveu atividades culturais e de lazer aos moradores do Condomínio Carlos Marighella, em Itaipuaçu

Novembro 11, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | , | Deixe um comentário

Pressão da Prefeitura faz Cedae levar água ao MCMV de Inoã

Texto: Marcelo Ambrosio

A Prefeitura de Maricá informa que o fornecimento de água para o Condomínio Carlos Alberto Soares de Freitas, em Inoã, começou a ser feito pela Cedae na manhã desta quinta-feira (29/10). A concessionária havia informado publicamente que o abastecimento no residencial do programa federal Minha Casa Minha Vida só seria feito com o término de obras na rede, previsto para março do ano que vem. Ocorre que documentos relativos ao processo de construção, como a DPA 129/11, recebidos pela Prefeitura, não mencionavam esse prazo. Ao contrário, em 25/06 deste ano a Cedae emitiu documento – declaração de aceite – informando do cumprimento de todas as premissas para a efetiva ocupação dos imóveis. O município só autorizou as mudanças quatro meses depois.

Desde junho de 2014, a Cedae já opera as linhas de distribuição, que alegava não estarem prontas. Tanto estavam que o abastecimento começou a ser feito graças às pressões da Prefeitura, junto à empresa e a Caixa Econômica Federal, gestora da construção. O município continuará exercendo seu papel de defesa dos interesses dos moradores e cobrando a solução definitiva de todos os problemas, inclusive o vazamento na tubulação que levou à paralisação do fornecimento, recém iniciado poucas horas depois.

Outubro 31, 2015 Posted by | água, jornalismo, Maricá, moradia | , | Deixe um comentário

Libertação de livros marca pré-lançamento do Festival Internacional da Utopia

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Divulgação

Em comemoração ao Dia do Professor (15/10), crianças, jovens e adultos participaram nesta quinta-feira do projeto “Libertação de Livros”, iniciativa da Secretaria Adjunta de Políticas Especiais de Maricá em parceria com a Secretaria Executiva de Políticas Sociais. O evento integra o pré-lançamento do Festival Internacional da Utopia e foi realizado no Condomínio Carlos Marighella, do programa “Minha Casa, Minha Vida”, em Itaipuaçu. Ao todo, 1500 livros de todos os tipos de literatura foram libertados. Segundo a organização do evento, cerca de 800 pessoas participaram da atividade.

Os livros, recebidos por doação, foram colocados em estantes e qualquer pessoa pode ler e levar os livros, sem precisar de cadastro. A única exigência é não deixar o livro guardado. “A pessoa lê e passa o livro adiante para um irmão, amigo ou conhecido. O importante é espalhar o conhecimento. Afinal, livro na gaveta não tem utilidade”, destacou o secretário adjunto de Políticas Especiais, Amilcar Carvalho. “Esse é um processo de ocupação cultural dos condomínios do Minha Casa Minha Vida e iremos criar uma biblioteca permanente de libertação de livros”, acrescentou. O evento também teve contação de histórias e teatro para as crianças.

 

Outubro 16, 2015 Posted by | Educação, jornalismo, Maricá, moradia | , , , | Deixe um comentário

Em ação inédita no país, Prefeitura de Maricá coordena eleição de síndicos de condomínio Minha Casa Minha Vida

Texto: Tiago Campello (edição: Marcelo Ambrosio) | Fotos: Fernando Silva

Moradores aprovaram regimento interno com procedimentos aos quais todos que utilizem o condomínio são subordinados

Moradores do condomínio Carlos Marighella (Itaipuaçu), construído pela Prefeitura através do programa federal “Minha Casa, Minha Vida”, participaram no sábado (03/10) da primeira plenária proposta pela Caixa Econômica Federal, organizada pelo município, para a discussão de regras do regimento interno. Foram eleitos síndicos, subsíndicos e conselheiros, representando os cinco setores do residencial. Ao todo, quase 600 votos foram computados – quorum considerado bastante alto. Segundo a CEF, a participação de uma Prefeitura na intermediação dessa participação dos moradores na aprovação da proposta de regimento interno, como foi feito em Maricá, não é considerada comum. O documento estabelece normas de disciplina, procedimentos e comportamentos às quais todos os moradores e visitantes que utilizem o condomínio são subordinados.

Os moradores votaram de forma democrática para decidir o que manter e também enviaram contrapropostas para alteração dos itens. Ao todo, foram aprovados 100 artigos, divididos em 11 capítulos (disposições gerais, proibições no interesse comum, uso do salão de festas, tráfego e parqueamento de veículos no condomínio, descarte do lixo, uso do salão de jogos e das quadras do condomínio, circulação de animais de estimação em áreas comuns no condomínio, aplicação de indenização por danos causados, regras para entrada e saída de mudanças e penalidades). Entre outras coisas, os moradores decidiram vetar o uso dos apartamentos em qualquer tipo de atividade comercial, aprovaram a obrigatoriedade do uso de focinheira em cães quando transitando nas áreas comuns, velocidade máxima de 10 km/h dentro do condomínio, proibição de furar poços dentro do empreendimento, dias e horários para mudanças que deverão ser comunicadas no dia anterior para a zeladoria e também o pagamento de um pro labore para os síndicos. 

William Campos, coordenador do Comitê de Defesa dos Bairros (CDB) do município salientou a importância da participação dos moradores. “Fizemos história. Os condomínios do programa Minha Casa Minha Vida de Maricá não são apenas prédios, mas um movimento social de inclusão, democracia e participação popular na cidade", defendeu. "A participação das pessoas resultará em um condomínio mais harmonioso”, completou.

A coordenadora do programa “Minha Casa Minha Vida” de Maricá, Lene Oliveira elogiou a participação e o empenho dos moradores. “A participação dos condôminos foi fundamental para o sucesso do dia de hoje. Vê-los reivindicando, fazendo propostas e demonstrando zelo pelo condomínio nos prova que estamos no caminho certo. Estão todos de parabéns”, disse.

Após a plenária, os moradores elegeram síndicos, subsíndicos e conselheiros. “Foi um ganho para todos nós. Ver o empenho do povo é algo que nos motiva. Vim para somar”, disse Gualter Ribeiro, síndico do setor B. Jorge dos Santos, que foi eleito síndico do setor E, não conteve a emoção. “Fico feliz em ser o porta voz do meu setor, ajudar ao próximo é gratificante”, disse. Também foram eleitos os síndicos Rogério Cardoso (Setor A), Paulo César Maqueira (C) e Carlos Henrique Soares (D).

Lene Oliveira, William Campos e Sergio Mesquita coordenaram a plenária

Cerca de 600 votos foram computados para escolha de síndicos, subsíndicos e conselheiros

Moradores aprovaram regimento do condomínio Carlos Marighella (Itaipuaçu) no sábado

Em processo democrático e transparente, moradores votaram nos candidatos

Moradores decidiram o que é permitido e proibido no condomínio

Rogério Cardoso (camisa laranja) foi eleito síndico do Setor A

Gualter Ribeiro (camisa azul) sindico do Setor B

Paulo César Maqueira (camisa branca) síndico do Setor C

Carlos Henrique Soares (camisa azul) eleito síndico do Setor D

Jorge dos Santos (camisa azul) síndico do Setor E

Outubro 5, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | | Deixe um comentário

Comunicado para beneficiados do “Minha Casa, Minha Vida” em Maricá

Texto: Marcelo Ambrosio

Convocamos os beneficiários do Programa “Minha Casa, Minha Vida” abaixo relacionados para a assinatura do contrato. Para melhor atender a todos, a Caixa Econômica Federal colocou um funcionário à disposição para atender aos interessados na coordenadoria municipal do programa MCMV, localizado na Rua Homero de Queiroz da Silva, Lote 4, Quadra J, Casa 01, Parque Eldorado, até sexta-feira (14/08), das 10h às 15h.

O não comparecimento para a assinatura do contrato, no prazo estipulado, fará com que o contemplado perca o benefício da casa própria, a menos que compareça à Central de Atendimento do Programa no dia 17/08 e apresente um documento que justifique a não apresentação nas datas pré-determinadas. Quem estiver na listagem e porventura já tenha ido à coordenadoria, pode desconsiderar a mensagem.

Condomínio Carlos Marighella – Itaipuaçu

http://www.marica.rj.gov.br/pdfs/listagem_itaipuacu.pdf

Condomínio Carlos Alberto Soares de Freitas – Inoã

http://www.marica.rj.gov.br/pdfs/listagem_inoa.pdf

Agosto 12, 2015 Posted by | Maricá, moradia | , | Deixe um comentário

Presidente Dilma e prefeito Quaquá entregam 2,9 mil unidades habitacionais do Conjunto Minha Casa, Minha Vida em Maricá

Presidenta entregou apartamentos em dois residenciais em Maricá (RJ) nesta sexta-feira (31). Os residenciais Carlos Marighella e Carlos Alberto Soares, são os primeiros do programa para famílias de baixa renda em Maricá

A sexta-feira (31/07) ficará na história de Maricá. A presidente da República veio ao município, Dilma Rousseff participou, ao lado do prefeito Washington Quaquá, da primeira dama e Deputada Estadual Rosangela Zeidan, do governador Luiz Fernando Pezão, do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, da presidenta da CAIXA, Miriam Belchior, e demais autoridades, da entrega de 2.932 unidades do programa “Minha Casa Minha Vida” em Itaipuaçu. A cerimônia, realizada no Condomínio Carlos Marighella, reuniu em torno de 18 mil pessoas, entre convidados, beneficiados – em torno de 11 mil pessoas – e moradores da região. Bem humorada, a presidente e sua comitiva desembarcaram de helicóptero em uma área no fundo do condomínio por volta de 11h da manhã e de lá seguiram para o local da festa.

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (146)Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (136) O prefeito Washington Quaquá e a primeira-dama e deputada estadual Rosângela Zeidan a recepcionaram e a acompanharam em uma visita a um dos apartamentos do condomínio, formado de blocos de dois andares com oito apartamentos cada.

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (161)A presidenta Dilma Rousseff teve uma dia feliz, ela foi recebida com carinho por milhares de pessoas e se sentiu em casa aos gritos de "olê, olê, olê, olá, Dilma, Dilma".

O prefeito de Maricá, Washington Quaquá (PT) preparou uma surpresa para a presidenta, batizando os conjuntos habitacionais com nomes de dois de seus ex-companheiros na luta contra a ditadura militar: Carlos Alberto Soares de Freitas, o Beto, (1.460 unidades) e Carlos Marighella (1.472 unidades).

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (178)O prefeito lembrou que a luta pela inclusão dos menos favorecidos e por direitos iguais foi iniciada na década de 1960 por Carlos Marighella e Carlos Alberto Soares de Freitas, líderes e militantes que enfrentaram a ditadura militar. “Hoje é um dia histórico com a realização do sonho de três mil pessoas, mas é certo honrar o passado e por aqueles que lutaram por nós e pela inclusão do povo”, destacou Quaquá, que completou: “Dilma lutou pela erradicação da fome e é uma grande parceria do desenvolvimento de Maricá. Nossos governos incluíram povo na festa da democracia e hoje a presidenta entregas as chaves a esta famílias”, afirmou o prefeito e anfitrião da festa.

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (179) “Quem é contra a presidenta são as mesmas pessoas que gostavam do povo vivendo na senzala. Hoje o povo tem casa, tem acesso à universidade pública, anda de avião. Na época deles, era preciso fazer campanha Natal Sem Fome porque o povo passava fome. Em treze anos nós erradicamos a fome neste país”, completou Quaquá.

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (184) De acordo com o Ministério das Cidades, desde a criação do programa, em 2009, 2,3 milhões de moradias foram entregues, e 1,5 milhão de residências estão em construção. Na terceira etapa do programa, a meta é contratar mais 3 milhões de unidades habitacionais até 2018. “Nosso país fica melhor e a democracia fica mais forte quando se garante oportunidade para as pessoas; por isso, o governo está comprometido com este programa.”

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (226) O governador Luiz Fernando Pezão elogiou o programa federal e citou os equipamentos públicos que serão instalados pela Prefeitura ao lado dos condomínios, entre os quais creche, escola, posto da Guarda Municipal e um CRAS. “O apoio do município com essas atividades sociais é tudo que essas pessoas precisam, é uma bela parceria”, afirmou o governador. “Este é o melhor programa que existe. Antes muitas famílias nem tinham acesso ao crédito e agora pagarão R$ 50 por sua casa", completou Pezão.

Dilma Rousseffe Quaquá, entregam  2.932 unidades do programa “Minha Casa Minha Vida” em Maricá (108)Dilma Rousseffe Quaquá, entregam  2.932 unidades do programa “Minha Casa Minha Vida” em Maricá (111) 

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (263)Dilma elogiou a escolha dos nomes dos condomínios, batizados em homenagem a dois brasileiros que brigaram pelo fim da ditadura instalada no Brasil depois de 1964 e que vigorou até 1985. Emocionada, a presidenta agradeceu a surpresa feita por Quaquá, ao moradores de Maricá pela recepção calorosa e lembrou que Marighella “não era só lutador, mas uma grande pessoa humana”. Sobre Beto, seu amigo particular, Dilma, emocionada, disse que o ex-guerrilheiro foi “um irmão na juventude”.

“Lutamos juntos, queríamos um país em que as pessoas tivessem voz, vez, e sobretudo tivessem sua casa própria. Por isso me sinto mais que honrada, me sinto emocionada. Estar aqui toca lá no fundo do meu coração, porque me faz lembrar de toda a minha juventude”, disse a presidenta.

Presidente Dilma Rousseff ao lado do prefeito Washington Quaquá, entrega chaves de 2,9 mil unidades habitacionais do ´Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá (252) Acompanhada do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, e da presidenta da CAIXA, Miriam Belchior, a presidenta Dilma Rousseff garantiu, também, a continuidade do programa habitacional que é uma das marcas de seu governo e afirmou que o “Minha Casa, Minha Vida” é fundamental não apenas para as famílias beneficiadas, mas para o país voltar a crescer.

"Ficam falando assim: ‘estamos passando algumas dificuldades econômicas, o programa vai acabar’. Vou explicar para vocês por que não vai: primeiro porque é importante para o povo brasileiro, para aquela parte que não tinha oportunidades, para quem ninguém olhou. Mas não vai acabar também por outro motivo: porque, além de a gente construir casa, a gente cria emprego. Quando você vai fazer uma casa, precisa de tijolo, areia, cimento, alumínio. Cada uma dessas partes também contratou pessoas, criou empregos, pagou salários, gerou renda e fez a roda girar, a roda da economia girar", observou Dilma.

A presidenta pediu que os moradores cuidassem dos condomínios e de suas unidades habitacionais. "Não estamos falando de concreto ou alumínio, estamos falando de vida melhor. Quem constrói as condições de moradia são as pessoas que vivem nela. Cuidem bem."

Apartamentos

As 2.932 unidades habitacionais devem beneficiar cerca de 12 mil pessoas, de acordo com o Ministério das Cidades. Cada apartamento tem área privativa de cerca de 45 metros quadrados, com dois quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço, com piso cerâmico em todos os ambientes.

Os empreendimentos receberam R$ 195 milhões do governo federal e têm área de lazer, centro comunitário, quiosque, parque infantil e quadra poliesportiva. Noventa apartamentos, 45 em cada residencial, estão adaptados para pessoas com deficiência.

A trabalhadora doméstica Maria Aurineide de Souza, de 53 anos, morava de favor há 13 anos em Maricá, desde que chegou do Recife. Ela tomava conta da casa de veraneio de uma família e agora comemora o fato de ter uma residência própria. "Vou poder receber amigos, receber minha família do Recife. Antes não dava", conta ela, que será vizinha da filha, contemplada com outro apartamento para morar com o marido e o filho. "Vou ajudar a cuidar do meu netinho", disse Maria Aurineide.

Já Sônia Costa, de 33 anos, morava na casa do irmão. Com o apartamento próprio, ela destaca a importância de deixar um patrimônio para o filho. "Estou muito feliz em saber que vou deixar uma casa. Tudo é para ele."

Nas fotos, você acompanha momentos que entram para a história de Maricá

Agosto 7, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Minha Casa Minha Vida entrega 2,9 mil apartamentos em Maricá (RJ)

Fonte: Habitação CAIXA RJ

Coletiva com imprensa foi realizada, na tarde do dia 30 de julho, no CEU Marco Antônio Cardoso Siqueira, contando com a presença do Secretário Chefe da Casa Civil de Maricá, Carlos Manoel, do Vice-prefeito, Marcos Ribeiro, da Coordenadora do Programa Minha Casa, Minha Vida em Maricá, Clesirlene (Lene) Silva de Oliveira e o Executivo da Caixa Econômica Federal, Pablo Sarmento

"A entrega traz mais dignidade para 11 mil pessoas", afirmou o gerente de Habitação da CAIXA no Centro Leste do Rio de Janeiro

A presidenta Dilma Rousseff, a presidenta da CAIXA, Miriam Belchior, e o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, entregam nesta sexta-feira (31), 2.932 apartamentos dos residenciais Carlos Alberto Soares de Freitas (1.460) e Carlos Marighella (1.472), em Maricá (RJ), a 63 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro.

"Essa entrega traz mais dignidade para 11 mil pessoas", afirmou o gerente de Habitação da CAIXA no Centro Leste do Rio de Janeiro, Pablo Sarmento. Os dois empreendimentos do Minha Casa Minha Vida são destinados a famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil e receberam R$ 195 milhões em investimentos com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR). Os apartamentos têm 44,7 metros quadrados divididos em dois quartos, sala, banheiro, cozinha e área de serviço.

DSCN4702DSCN4703DSCN4700Segundo o vice-prefeito de Maricá, Marcos Ribeiro, até 2008, antes do lançamento do Minha Casa Minha Vida, a cidade havia entregue somente 26 moradias populares. Dessa forma, as 2,9 mil unidades a serem entregues nesta sexta (31) têm significado simbólico.

"É uma carta de alforria. Muitos estão saindo do quintal da casa dos pais, de áreas de risco, do aluguel caro. Estamos cobrindo um atraso centenário, realizando o sonho da casa própria, o maior de qualquer pessoa", afirmou ele.

De acordo com o Ministério das Cidades, 91,8 mil famílias do Rio de Janeiro já foram beneficiadas pelo Minha Casa Minha Vida, melhorando a vida a 367 mil pessoas, 11,6 mil delas em Maricá.

Julho 30, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, moradia | , | Deixe um comentário