Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Denílson Bedin fala na “ACADEMIA BRASILEIRA DE BELAS ARTES – ABBA”

Acadêmico Denilson Bedin A Diretoria da ACADEMIA BRASILEIRA DE BELAS ARTES – ABBA, tradicional entidade carioca, convida a classe cultural do Rio de Janeiro para a palestra de outubro a ser proferida pelo Acadêmico Livre e Diretor de Área Cultural, Denílson Bedin, que apresentará o tema “AKASHA – CÓSMICO DO CONHECIMENTO”.

A palestra acontecerá na sede da FALB / FALARJ, Rua Teixeira de Freitas nº 5, 3º andar – Edifício do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Passeio Público, Rio de Janeiro, às 16 horas do dia 13 de outubro de 2016. Para esse momento é pedido o traje Social completo (convidados) e aos acadêmicos (as) a Diretoria solicita o uso do Medalhão, ‘joia da Academia’, reafirmando que não se faz necessário o uso da capa acadêmica. Em seu convite oficial, a atual presidente Vera Lúcia Gonzalez Teixeira, afirmou: “Certos de contarmos com sua participação, prestigiando nosso confrade e estreitando assim nossos laços Acadêmicos onde cada um de nós terá voz para lançar novas ideias contribuindo com projetos para engrandecimento de nossa Arcádia”.

Artista Plástico Denilson Bedin O artista Denílson Bedin começou a pintar de forma autodidata e iniciou o estudo de desenho no Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro, sendo aluno da Profª. Nilda Cognat.​ Paralelo ao desenho, estudava gravura na oficina do Liceu, com o gravador e pintor Edgard Cognat, tornando-se seu discípulo e indo estudar em seu atelier. Nesse período, seus trabalhos eram feitos segundo as regras da escola acadêmica, seguida por seu mestre. Atualmente ocupa a Cadeira nº15 da Academia Brasileira de Belas Artes – ABBA, que fundada a 20 de abril de 1948, é Órgão Consultivo do Governo Federal por força da Lei 1.101 de 12 de maio de 1950, e entidade de utilidade pública, pela Lei 837 do Município do Estado do Rio de Janeiro.

(Divulgação: Thiago de Menezes – Jornalista e Diretor de Área de Imprensa da Academia Brasileira de Belas Artes – ABBA).

Anúncios

Outubro 11, 2016 Posted by | ACADEMIA BRASILEIRA DE BELAS ARTES - ABBA, arte, cultura, jornalismo, palestra gratis, social | , , , | Deixe um comentário

ACM – Associação Comercial de Maricá convida “Um Dia de Empreendedorismo”

Foto de Acm - Associação Comercial de Maricá.

Com prazer convidamos aos nossos associados, empresariado em geral , estudantes ou postulantes ao empreendedorismo a participarem dos encontros do projeto " UM DIA DE EMPREENDEDORISMO" , que acontecerão no dia 27 de julho – quarta feira, em nossa sede.

7:30 às 9:00h – CAFÉ DA MANHÃ COM RODADA DE NEGÓCIOS:

Estamos convidando empresários, prestadores de serviços e representantes comerciais de Maricá para que produtos e serviços de nossa sejam conhecidos, objetivando a criação de uma rede comercial que trará o benefício de toda a cidade.

18:30 h – PALESTRA: Uma Escalada ao Sucesso do Negócio.

Prof. Ronaldo Abranches . Como palestrante motivacional, tem aproveitado as oportunidades para sensibilizar seu público em relação ás mudanças comportamentais necessárias para enfrentar os novos paradigmas deste mercado altamente competitivo.

Palestra interativa com efeitos audiovisuais na qual é simulada uma escalada na montanha em que o palestrante faz uma analogia e explora as atitudes que possibilitam o sucesso das micro e pequenas empresas. São utilizados vários efeitos audiovisuais para criar um ambiente mais envolvente e caracterizado para aumentar a sensibilização do público alvo.

Julho 26, 2016 Posted by | Associações, jornalismo, Maricá, palestra gratis | , , | Deixe um comentário

Prefeito de Maricá abre oficialmente Festival Internacional da Utopia

Fonte: Texto: Willian Chaves (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Fernando Silva e Rosely Pellegrino

Na abertura do Festival Internacional da Utopia, evento realizado pela Prefeitura de Maricá na Barra de Maricá e em outros locais da cidade, o prefeito Washington Siqueira (Quaqua) deu as boas vindas às caravanas de todo país e da América Latina ao lado de Aleida Guevarra, médica cubana e filha de Ernesto Che Guevara, João Pedro Stédile, do MST, e da Deputada Estadual Rosângela Zeidan.

Serão cinco dias com a participação de pensadores internacionais, artistas, escritores, sindicalistas, movimentos sociais, populares e da juventude discutindo ações progressistas com uma programação distribuída em várias tendas pela cidade contemplando debates, feiras de literatura, feira da agricultura familiar, música e arte. Cerca de 1.500 pessoas acompanharam a abertura oficial do Festival, na tenda dos Pensadores.

DSCN8902DSCN8927

"Nós vivemos num tempo onde temos lutado por aquilo que é possível. Quando convocamos o Festival da Utopia foi para pensarmos e para provar para as pessoas que devemos lutar pelo impossível. E a nossa Utopia é ter uma escola de qualidade em tempo integral, distribuição de renda e riquezas, meios de comunicação democráticos e a participação popular efetiva. Essa é a Utopia da nova sociedade, essa é a nossa Utopia", disse Quaqua.

DSCN8939DSCN8955Aleida Guevara traçou uma análise etimológica da palavra utopia e defendeu posicionamentos importantes na inserção social das pessoas. “É necessário que tenhamos uma Utopia Socialista de discussão com as pessoas com uma distribuição igualitária de bens para que os cidadãos desempenhem, em harmonia, os trabalhos. O povo nos reconhece com dignidade e transparência quando agimos em sintonia e com a participação dele. Assim, ganhamos o respeito. Utopia é como a fome zero no Brasil. Ela não acontece ser não fizermos uma reforma agrária. A terra é do povo. Temos de fazer da nossa terra uma propriedade coletiva”, afirma Guevara que também lembrou emocionada a participação de um médico cubano na condução da tocha olímpica na cidade de Lagoa Grande (PE). Aleida Guevara também é medica pediatra.

DSCN8942DSCN8948

DSCN8926DSCN8931O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stédile, defendeu mais ações efetivas para combater as desigualdades. “Temos que pensar alternativas para combater o capitalismo explorador. Não basta gritarmos “Viva o Socialismo”! Temos que ter propostas concretas para que o povo lute conosco para mudar as desigualdades”, assegura. 

As programações acontecem por toda cidade. Na Barra, concentram-se as tendas da diversidade, tenda dos trabalhadores e a tenda dos pensadores, além do palco principal para apresentações musicais. No centro, na Praça Orlando de Barros Pimentel, estão a feira de reforma agrária, a feira literária e o encontro internacional de teatro. A programação completa pode ser conferida pelo www.festivaldautopia.com.

 

Saiba mais:

Fonte Brasil de Fato: Rute Pina

Aleida Guevara: "Do que vale uma esquerda que não é reconhecida pelo povo?"

Durante a conferência de abertura do Festival da Utopia, a ativista também comentou a aproximação entre os EUA e Cuba

A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) - Créditos: Norma Odara/Brasil de Fato A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) / Norma Odara/Brasil de Fato

A fragilidade e fragmentação da esquerda na América Latina foi criticada pela ativista cubana Aleida Guevara durante seu discurso na conferência de abertura do 1º Festival Internacional da Utopia, que está acontecendo em Maricá (RJ) a partir desta quarta (22).

Para ela, a esquerda deve basear suas ações nas demandas concretas do cotidiano das pessoas e deve aprender com as populações mais carentes e com os povos tradicionais. “Temos que ser mais firmes, coerentes e responsáveis. (…) Temos que ganhar o respeito de quem nos escuta. Do que vale uma esquerda se ela não é reconhecida pelo povo?”, questionou.

A pediatra, que é filha do guerrilheiro Che Guevara, disse acreditar que o grande erro das esquerdas da região é se dividir “em pedacinhos”. “Há uns 20 partidos que se dizem de esquerda, mas que não se unem pelos objetivos comuns. Se não juntarmos nossas forças, não venceremos nunca”, afirmou.

Aleida ainda criticou a postura das forças progressistas que ocuparam o Estado. “Tomamos o poder e não mudamos as leis criadas pela burguesia. Assim, não conseguiremos fazer nenhuma transformação profunda”, criticou.

Na mesa também estava o dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile, e o prefeito do município de Maricá, Washington Quaquá (PT).

Relações entre Cuba e EUA

A ativista criticou ainda o governo estadunidense e a recente reaproximação dos EUA com Cuba, que ela classificou como uma “utopia do inimigo”.

“Eles têm, há séculos, a utopia de se unir à ilha. É seu sonho irrealizável. E agora estão mudando os métodos. Eles perceberam que cometeram erros com o povo cubano, trataram a revolução cubana com um bloqueio criminal. E agora falam de abrir novas negociações”, afirmou.

Aleida acredita que uma possível normalização da relação entre os dois países só será possível com a extinção da lei que facilita a permanência dos cidadãos cubanos ilegais, “os únicos no planeta que tem esse privilégio”, com o fim do bloqueio econômico e com o fechamento da base naval estadunidense em Guantánamo.

“Eles terão que seguir sonhando com essa utopia, porque não é possível de maneira alguma acabar com a revolução cubana”, sentenciou a ativista.

Aleida definiu a palavra utopia como "o desejo de dar sentido à vida e a busca por um mundo melhor, mais solidário e mais justo”.

Modelos de Estado

Durante sua fala, Stedile afirmou que o maior desafio para os setores progressistas é o questionamento do modelo de Estado que se deseja a partir de um debate que pense diferentes temas de maneira "correlata".

Para ele, o capitalismo enlatou questões, e a esquerda abandonou questões como a cultura e meio ambiente.

“Temos que apresentar uma formulação sobre o meio ambiente, por exemplo. Fomos salvos por um papa, que produziu a melhor conteúdo programático sobre essa questão”, brincou. "Uma sociedade utópica que é diferente de sonho. É uma sociedade baseada na justiça, na solidariedade e na igualdade", disse o dirigente.

Para o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, os setores progressistas têm lutado pelo possível, dada a injustiça e concentração de riqueza, mas são parte de uma esquerda “fez e questionou muito pouco”.

“Aquilo que queremos desenhar da nossa sociedade é possível se a gente se largar os horizontes utópicos. (…) Eles dizem que a história acabou, mas o socialismo nunca vai acabar enquanto pessoas morrerem nas ruas por causa de frio. Enquanto uma pessoa morrer por injustiça, o socialismo estará vivo”, disse.

Junho 23, 2016 Posted by | civismo, culinária, cultura, direitos humanos, Festival da Utopia, jornalismo, justiça, literatura, manifestação popular, Maricá, meio ambiente, moradia, musica, palestra gratis, projeto social, shows e eventos, social, turismo | | Deixe um comentário

“Novas Formas de Educação” foi o tema da terceira palestra da Jornada Educação e Utopia em Maricá

Texto: Sergio Renato (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Clarildo Menezes

O terceiro dia da Jornada Educação e Utopia, evento preparatório do Festival Internacional da Utopia – que acontece em Maricá entre os dias 22 e 26 de junho – foi marcado por debates e pela grande participação dos estudantes presentes. O evento foi realizado na noite desta quarta-feira (08/06) na quadra de esportes da Associação de Moradores e Amigos do Recanto de Itaipuaçu, ao lado da Escola Municipal João Monteiro, e teve a presença de alunos desta e de outras unidades da região, como a E.M. Marquês de Maricá (no Jardim Atlântico) e também do curso de Edificações da E.M. Joana Benedicta Rangel, no Centro.

Sob o tema “Novas Formas de Educação”, a palestra foi conduzida por Cláudio Prado, um dos líderes do grupo de produção cultural Fora do Eixo. Na mesa diretora estavam o secretário adjunto de Educação de Maricá, Daniel Neto, a nadadora de maratonas aquáticas Mariana Mello e a diretora da E.M. João Monteiro, Ana Paula Barreto Altoé. Já na abertura, Cláudio Prado contestou o atual sistema escolar do Brasil que, segundo ele, não observa os regionalismos nacionais. “Um currículo escolar único é uma enorme bobagem num país deste tamanho. Desconsidera as coisas que estão no entorno social e regional de cada parte distinta, e isso tem de ser tratado de forma adequada”, frisou ele, que foi seguido pelo secretário de Educação. “Temos mesmo de rever esse modelo secular de escola, em nome de algo que busque a singularidade de cada um. É um momento de construção, as escolas do futuro serão o fruto da participação de cada um de nós”, afirmou Daniel Neto. Para Mariana Mello, esse futuro pode estar na internet. “A rede fará com que o acesso ao conhecimento seja quase inteiramente ‘on line’, o que será um facilitador para todos”, avaliou ela, que convidou os alunos a participarem do Sarau da Juventude, que acontece nesta quinta-feira (09/06) na Praça Orlando de Barros Pimentel. 

Alunos e professores que estavam na plateia tiveram a oportunidade de fazer diferentes colocações e opiniões sobre o tema, mas sem esquecer as demandas do sistema atual. Foram muitos os questionamentos sobre como melhorar o desempenho e despertar o interesse dos estudantes. “Será que os professores são extraterrestres?”, questionou Rodrigo Eusébio, que leciona Geografia da E.M. João Monteiro, sobre a dificuldade de sintonia que ocorre muitas vezes. “Nós também aprendemos com nossos alunos e, como eles, nos questionamos se vale realmente a pena estar ali por tanto tempo”, ressaltou.

"Você aprende a dar valor e a melhorar a escola. Lá dentro fizemos reuniões e conseguimos atender à maioria das pautas listadas. Foi bem produtivo para nós”, relatou Gabriela Ferreira, aluna do 4º ano de Edificações sobre a participação em uma ocupação de escola. Sobre o modelo atual, o aluno Jean Felipe Wyatt, de apenas 12 anos, deixou sua sugestão para solucionar a eventual falta de professores na rede. “Poderia haver um grupo de professores substitutos ou até um sistema de aulas extras, para não deixar ninguém sem aprender”, opinou ele, que é do 6º ano fundamental da E.M. Marquês de Maricá.

A Jornada Educação e Utopia continua nesta quinta-feira na E.M. CAIC Elomir Silva, em São José de Imbassaí. As palestrantes Márcia Ramos e Carolina Dias vão tratar do tema “A Juventude Pode Ensinar a si Mesma”. Na sexta-feira (10/06), o evento retorna ao CEM Joana Benedicta Rangel para a última palestra da série, sob o tema “Da Porta para Fora: Cultura e Escola”, com Kleybson Ferreira e Sérgio Aranda.

Junho 9, 2016 Posted by | Educação, Festival da Utopia, jornalismo, Maricá, palestra gratis | Deixe um comentário

A Cena Brasileira na Cultura de Maricá vai ocupar o CEU da Mumbuca

Atividades oferecem 14 Oficinas temáticas, 07 Exposições, 20 Sessões de Cinema Adulto, 20 Sessões de Cine Infantil, 06 Lançamentos de Livros, 10 Sextas Musicais, 22 apresentações Teatrais.

A ocupação para o CEU das Artes "A Cena Brasileira na Cultura de Maricá", tem como objetivo ampliar e disseminar um leque de informações e ações sócio-culturais afirmativas valorizando a cultura local, com seus fazedores de arte, expositores e especialista, e dialogando com a cultura brasileira no tocante à sua diversidade presente na cidade de Maricá. 

Partindo de macro ações sócio-culturais, para o micro, procura-se deixar um legado para a cidade no que concerne no fortalecimento de sua produção artística, de seus artistas, e de bens simbólicos, além da proteção da diversidade dessas expressões culturais presentes na cidade, com uma atenção mais significativa para as diversidades étnicas, raciais e de gênero. 

Essas ações procurarão atender a todos os públicos e serão disseminadas através de exposições, filmes, músicas, teatro, dança e literatura, buscando legitimar essa interação sócio-cultural.

​Objetivamos transformar o CEU das Artes Maricá, em um espaço vivo, e além daquele criado com suas expectativas. Um espaço que tenha uma referência positiva de popularização das culturas, com as diversas atividades de ocupação, e suas especialidades, de acordo com atenção aos interesses​ sociais e que seja de acesso a todos para que experimentem diversas experiências, acumulem conhecimentos valiosos para o seu crescimento e fortalecimento na troca de impressões e informações.

INSCRIÇÕES ESTARÃO ABERTAS DO DIA 27 DE OUTUBRO ATÉ O DIA 14 DE NOVEMBRO DE 2014.

Horário: das 10h às 16h

VAGAS: 20 ALUNOS POR CADA OFICINA

FAIXA ETÁRIA: Consultar cada oficina

LANÇAMENTO DAS ATIVIDADES:

DIA 14 DE NOVEMBRO DE 2014

17H ABERTURA OFICIAL COM A PRESENÇA DE AUTORIDADES LOCAIS

18H INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO DE MATRIZ AFRICANA

19H APRESENTAÇÃO DO CORAL IYÚN ASÉ ORIN

SERVIÇO:

14 Oficinas temáticas: teatro infantil com o Grupo DJOTA, teatro negro com a Cia. É Tudo Cena!, perna-de-pau com o Grupo LATEX, capoeira com os Filhos da Lua, percussão de instrumento e corporal com o Mestre Paulistano Nego Zara, balé clássico com a Cia. Vida de Teatro e Dança, pintura com óleo sobre tela com o artista plástico Di Bonilho, pintura contemporânea com artista Felipe Benicá, tatoo de henna com o artista Felipe Benicá, beleza afrobrasileira com o cabeleireiro Luizmarck Girão, contação de história com a Profa. Lucinha Pessoa, arte de brincar sobre os vídeos infantis com a Psicopedagoga Fátima Reis, cestaria de taboa – arte caiçara com a artesã Benedita Rosa e sinos dos ventos com a artesã Paula Regina.

Horários:  As oficinas variam nos horários da manhã – 09 as 12h ou a tarde 14h as 16:30 e a noite das 18h as 22h. verificar em cada programação

07 Exposições: Indumentária e objetos de Povos Tradicionais de Matriz Africana; Quadros de òleo sobre tela; quadros de pintura contemporânea dos títulos de filmes, fotografias de beleza negra, fotografias de tatoo; cestaria de taboa e sino dos ventos.

20 Sessões de Cinema Adulto:

20 Sessões de Cine Infantil:

06 Lançamentos de Livros:

10 Sextas Musicais com artistas locais e incluindo 1 lançamento de CD do Cantor José Araújo do RJ e o Coral Iyún Asé Orin que fará a abertura.

22 apresentações Teatrais

Apoio Cultural: Sá Rego Materiais de Construção; Gabriel da Sá Rego; Sec. de Comunicação; Sec. de Cultura e Sec. de Turismo

Patrocínio: FUNARTE/MINC

Gestão: Prefeitura de Maricá

Realização: Cia. de Teatro É Tudo Cena!

Fonte: Aduni Benton

Diretora Artística​

clip_image002

Outubro 16, 2014 Posted by | arte, cinema / produção, cultura, cursos, Dança, Exposições, jornalismo, Lazer, literatura, Maricá, musica, Oficinas, palestra gratis, projeto cultural, social, Teatro | , , , , | Deixe um comentário

Délcio Teobaldo em palestra “Palavra Puxa Prosa” na Casa de Cultura de Maricá

543142_189652201212753_889508956_n[1] A proposta é inovadora e convidativa. Uma palestra que trabalha a perspectiva do folclore através de um encontro de literatura oral e cinema. Délcio Teobaldo, jornalista, roteirista, etnomusicologo e cineasta, proporciona a reflexão sobre a relação e importância das literaturas oral e escrita com a relação humana, os diálogos existentes entre as várias culturas do mundo e principalmente a diversidade cultural.

Denominada “Palavra Puxa Prosa” a palestra irá acontecer no dia 27/08 (terça-feira) de 13h às 17h na Casa de Cultura de Maricá.

A Casa de Cultura de Maricá, fica na Praça Orlando de Barros Pimentel. Centro de Maricá – RJ.

Maiores Informações: Secretaria de Cultura de Maricá (21) 37311432

Entrada franca e lugares limitados. Venha participar!

Agosto 23, 2013 Posted by | cultura, jornalismo, Lazer, Maricá, palestra gratis | , | 1 Comentário

Prefeitura Municipal de Maricá abre 80 vagas para palestra sobre sistemas hidráulicos

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Ambrosio)

Palestra sobre sistemas hidráulicos tem 80 vagas

A secretaria municipal de Educação de Maricá oferece 80 vagas para a palestra técnica “Águas Quentes, Águas Frias, Esgoto e Saneamento”. Com duração de 4h, a capacitação vai explicar sobre o funcionamento do sistema hidráulico de uma casa e oferecer dicas para a instalação dos materiais mais adequados para evitar futuros problemas de vazamento, respeitando as exigências da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

O curso será oferecido pela empresa Tigre em dois dias, no dia 20 de maio (segunda-feira), ou no dia 24 de maio (sexta-feira), e em dois horários, na parte da tarde (13h às 17h), na Casa Digital (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel), e à noite (18h às 22), no CEM Joana Benedicta Rangel (Avenida Nossa Senhora do Amparo nº 57 – Centro).

Os interessados devem se inscrever até o dia 17 de maio, na secretaria municipal de Educação, localizada na Rua Barcelar da Silva Bezerra nº 105 – Centro. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (21) 2637-8817.

Maio 15, 2013 Posted by | construção civil, Educação, jornalismo, Maricá, palestra gratis | | Deixe um comentário

Casa de Cultura de Maricá no Cineclube Henfil exibe nesta quarta-feira “Cais do Valongo, sangra da terra”

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Ambrosio) | Fotos: Fernando Silva e Divulgação

“Cais do Valongo, sangra da terra” é a atração desta semana no Cineclube Henfil Nesta quarta-feira, dia 15 de maio, às 19h, o Cineclube Henfil, um projeto da secretaria municipal de Cultura de Maricá, exibe o documentário “Cais do Valongo, sangra da terra”, considerado um dos marcos de resgate na real história de miscigenação racial brasileira.

Sob a direção do cineasta Wavá de Carvalho, morador de Maricá, o filme narra a descoberta, em pleno século 21, no Rio, das ruínas de duas construções históricas: o Cais da Imperatriz, construído para receber Teresa Cristina – vinda da Europa para casar-se com Dom Pedro II – e o Cais do Valongo, considerado o maior porto de escravos das Américas do séc. XVIII. As redescobertas ocorreram durante as obras de drenagem da zona portuária, como parte do projeto Porto Maravilha. Após a exibição do documentário, o cineasta Wavá de Carvalho fará uma palestra sobre a produção.

A prefeitura dedicou o projeto do mês de maio para homenagear os negros. “É uma forma de refletirmos sobre a importância do negro na formação cultural e social do Brasil”, destacou o secretário municipal de Cultura, Sérgio Mesquita. Ainda no mês de maio, no dia 22, haverá a exibição do documentário “A Paixão segundo Callado”, que relembra a trajetória de vida do jornalista e escritor Antonio Callado (1917-1997). E, no dia 29, será a vez de “Xica da Silva”, de 1976, longa-metragem dirigido por Cacá Diegues, que conta a história de uma escrava que se torna uma dama na sociedade de Diamantina, após seduzir o milionário João Fernandes.

Como as vagas são limitadas por sessão (40 lugares), a secretaria distribui gratuitamente senhas 30 minutos antes da exibição do filme. Informações pelo telefone 3731-1432 ou pelo e-mail cineclubehenfilmarica@gmail.com.
O Cineclube Henfil é realizado todas as quarta-feiras, às 19h, na Casa de Cultura de Maricá (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel).

Maio 14, 2013 Posted by | cinema / produção, cultura, jornalismo, Lazer, Maricá, palestra gratis | Deixe um comentário

Palestra “A Identidade Brasileira e a MPB” com Ricardo Cravo Albin nesta segunda 29.04

Nesta segunda-feira, dia 29, o Instituto Cravo Albin, através de seu Presidente, o escritor Ricardo Cravo Albin, apresentará a palestra “Identidade Brasileira e a MPB”, às 17:30h na sede da Academia Carioca de Letras. A Academia fica no prédio do Instituto Histórico Geográfico na Rua Augusto Severo, Lapa – Glória.

Abril 27, 2013 Posted by | cultura, jornalismo, musica, palestra gratis, social | , , | Deixe um comentário

Projeto "Golpe de 64" começa com plateia cheia em exibição de filme seguida de debate em Maricá

Fonte PMM, fotos: Clarildo Menezes

Plateia acompanhou atenta a exibição do filme e participou de debate com o professor Marcos de Dios.

Professor Marcos de Dios contextualizou os principais fatos políticos que cercaram o episódio do Golpe Militar de 1964 no Brasil.

Dezenas de pessoas prestigiaram a estreia do Projeto “Golpe de 64: a história que não foi contada”, realizado na noite de quarta feira, dia 6 de março, pela secretaria municipal de Cultura, no auditório da Universidade Severino Sombra, no Centro de Maricá.

O evento contou com a exibição do documentário “O dia que durou 21 anos”, de Camilo Tavares, que defende, através de documentos e entrevistas, o envolvimento do governo americano no golpe militar de 1964, que deu origem à ditadura militar no Brasil.

Segundo o secretário de Cultura, Sérgio Luiz de Oliveira Mesquita, o resgate da história do Brasil é fundamental principalmente para que os mais jovens possam construir um novo olhar sobre o passado recente do país. "Temos que olhar para trás e tentar não repetir os mesmos erros no futuro", defendeu. Após a exibição do documentário, o público assistiu à palestra do professor de Filosofia e História Marcos de Dios, que contextualizou os momentos históricos apresentados no filme, com a participação ativa da plateia.

Outro momento marcante da noite foi o depoimento emocionado do jornalista Luiz Octávio Spinelli, preso político e que hoje vive em Maricá: “Minha vida política começou em 1958, no Partido Comunista Brasileiro. Passei pelo exército, pela revolução, fui preso, apanhei, fui torturado, fugi… Mas isso não importa muito. O que importa é que eu acredito ainda numa frase que ouvi há muitos anos atrás: ‘Nada travará a marcha inexorável da História’. Nós podemos fazer o que quisermos, basta nos unirmos’.

O artista plástico Sérgio Biff aprovou o projeto: “Hoje desfrutamos de uma liberdade que foi conquistada por essas pessoas que foram à luta. É importante que isso seja lembrado. Este evento em Maricá é maravilhoso!”, disse. Já o Subsecretário de Cultura, Zola Xavier, destacou a importância do debate: “Sinto que esta é uma reunião histórica. Quero saudar esta iniciativa oportuna e corajosa, porque o melhor caminho é sempre o debate”.

O projeto "Golpe de 64" se estende por todo o mês de março, com mais exibições de filmes e documentário, palestras, esquetes teatrais e outras atrações gratuitas.

Março 8, 2013 Posted by | cultura, jornalismo, Maricá, palestra gratis, projeto cultural | , | Deixe um comentário