Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Bancada feminina da Alerj lança campanha “Violência contra a mulher não tem desculpa, tem lei”.

Nesta quinta-feira, a bancada feminina da Alerj lançou a campanha “Violência contra a mulher não tem desculpa,tem lei”. As deputadas vestiram camiseta com o tema da ação, exibiram cartazes repudiando o crime de estupro e leram um manifesto durante a sessão plenária.

Deputada Zeidan em Defesa dos Direitos da Mulher 1 As Deputadas Zeidan (foto), Ana Paula Rechuan (PMDB), Cidinha Campos (PDT), Daniele Guerreiro (PMDB), Lucinha (PSDB), Márcia Jeovani (DEM), Martha Rocha (PDT), Tia Ju (PRB) realizam, na próxima segunda-feira, 6/06, uma audiência pública conjunta para debater a cultura do estupro.Deputada Zeidan em Defesa dos Direitos da Mulher 2 “Violência contra a mulher não tem desculpa, tem lei” campanha lançada pela bancada feminina da ALERJ

Um dos convidados a prestar esclarecimentos será o delegado de Repressão aos Crimes de Informática, Alessandro Thiers, afastado da investigação do caso de estupro coletivo de uma jovem de 16 anos no último domingo. A titular da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), Cristiana Bento, que assumiu o caso, também deverá ser convidada.
As deputadas darão entrada num projeto de lei que multa e retira do ar toda e qualquer veiculação publicitária misógina, sexista ou estimuladora da agressão e violência sexual”

Anúncios

Junho 2, 2016 Posted by | direitos humanos, jornalismo, política | , , | Deixe um comentário

Jandira Feghali assume vice-liderança do governo

5 de Abril de 2016 – 14h18

A presidenta Dilma Rousseff indicou à Câmara dos Deputados os parlamentares Jandira Feghali (PCdoB-RJ) e Roberto Góes (PDT-AP) para exercerem a função de vice-líderes do governo na Casa, em substituição, respectivamente, aos deputados Antônio Bulhões (PRB-SP) e Luiz Carlos Busato (PTB-RS). As indicações estão publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (5).

 Jandira Feghali assume vice-liderança do governo na CâmaraFoto: Ananda Borges/ Agência Câmara, Jandira Feghali assume vice-liderança do governo na Câmara

Jandira assumiu papel protagonista na defesa do governo enquanto esteve à frente da Bancada do PCdoB, entre 2014 e 2015. Em seu sexto mandato, a parlamentar reforça seu compromisso com o governo.
“Continuarei na defesa de um projeto popular, que aponte para avanços e pela manutenção da democracia”, afirma a deputada comunista.

Abril 6, 2016 Posted by | jornalismo, política | , | Deixe um comentário

Atos em defesa da democracia mobilizam milhares de pessoas em todo o país

Largo da Carioca, centro do Rio, tomado por pessoas de todas as tribos, partidos e classes sociais. Nosso mandato marcou presenca pra dizer (foto mídia Ninja) No Rio de Janeiro, aproximadamente 50 mil manifestantes ocuparam o Largo da Carioca, na capital fluminense. O cantor Chico Buarque foi um dos artistas que participou do ato pela democracia no Rio. Junto aos milhares de manifestantes, ele cantou a música "Admirável Gado Novo".

Chico Buarque no Largo da Carioca contra o golpe 

Chico Buarque no ato contra o golpe do Largo da Carioca O cantor e compositor Chico Buarque participou do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca, no centro do Rio, e repetiu para a multidão que “não vai ter golpe”. Chico chegou ao palco por volta das 19h30 desta quinta-feira (31), sendo ovacionado por gritos de “Chico, guerreiro do povo brasileiro”.

“Eu vim aqui dar um abraço nas pessoas das mais variadas tribos, das mais variadas convicções políticas. Gente que votou no PT, gente que não gosta do PT, gente que foi do PT, que se desiludiu com o partido, gente que votou na Dilma, mas sobretudo, gente que não pode por em dúvida a integridade da presidente Dilma Rousseff.”

Chico continuou sua fala dizendo que estavam todos unidos na defesa intransigente da democracia. “Eu vejo gente aqui na praça, da minha geração, que viveu o 31 de março de 1964. Mas vejo sobretudo a imensa juventude que não era então nem nascida, mas que conhece a história do Brasil.”

Por fim, o cantor e compositor agradeceu a todos e repetiu que não haverá golpe: “Eu quero aqui agradecer a vocês que me animam a acreditar que não, de novo não, não vai ter golpe”. Em seguida, Chico deixou o palco e o ato, sendo muito festejado pelos presentes.

Quaquá fala no ato contra o golpe no Largo da Carioca 31.03.2016 Presidente do PT RJ, Washington Quaquá e a Deputada Estadual Rosangela Zeidan também participaram do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca

Discurso de Quaquá no ato contra o golpe Largo da Carioca Presidente do PT do Rio de Janeiro Washington Quaquá,  “Hoje lavamos a nossa alma de democracia e resistência popular no Largo da Carioca, Rio de Janeiro. Com uma certeza de que NÃO VAI TER GOLPE!

Fora Cunha e Temer! Vocês não vão roubar a faixa presidencial.

Agora é o povo nas ruas construindo uma nova esquerda popular, mais criativa, militante, rebelde!”

Quaquá e Zeidan no palco do ato do Largo do Machado contra o golpe 31.03.2016 Deputada Estadual (PT) Rosangela Zeidan comentou em sua página pessoal: Largo da Carioca, Centro do Rio, tomado por pessoas de todas as tribos, partidos e classes sociais. Nosso mandato marcou presença pra dizer‪#‎NaoVaiTerGolpe‬ 

Quaquá no Largo da Carioca contra o golpeAto no Largo da Carioca 2Ato no Largo da Carioca 3Ato no Largo da Carioca foto Paulo PolonioLindberg, Zeidan, Wadih no ato contra o golpe Largo da CariocaLurian no ato do Largo da Carioca

A mobilização foi convocada pelas Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo; em São Paulo, ato na Praça da Sé reuniu 60 mil manifestantes

Milhares de pessoas participaram da Jornada Nacional em Defesa da Democracia nesta quinta-feira (31) em diversas cidades brasileiras. Os atos foram organizados pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo, com o objetivo de defender a democracia contra o golpe e de lutar por uma outra política econômica.

A manifestação fez parte de um conjunto de ações unitárias convocadas pela Frente Brasil Popular epela Frente Povo Sem Medo em todo o país. Foto: José Eduardo Bernardes / Brasil de Fato.

Além dos atos nacionais, brasileiros que moram em outras partes do mundo também se manifestam contra a tentativa de golpe em curso no Brasil. Foram registrados atos em Bogotá (Colômbia), Paris (França), Munique (Alemanha), Copenhagen (Dinamarca), Coimbra (Portugal) e Barcelona (Espanha).

São Paulo

O ato desta quinta-feira (31) reuniu cerca de 60 mil pessoas na Praça da Sé, no Centro da cidade. Bandeiras foram hasteadas na praça, local simbólico por ter sido palco das lutas do movimento Diretas Já, que exigiu eleições presidenciais no Brasil entre 1983 e 1984. Entre as baterias que entoavam palavras de ordem contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o juiz Sergio Moro, os manifestantes denunciaram a tentativa de golpe em curso no país, com o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Com os últimos desdobramentos da política, como a saída do PMDB da base do Governo, a confiança de muitos ali reunidos era de uma guinada do Governo à esquerda. Esse era o sentimento do casal Arlete, 65, dona de casa; e Paulo Brota, 71, bancário aposentado. "Ela [Dilma] não conseguia mais governar, acho que agora vai melhorar", disse Brota.

Eles lembraram do regime militar que há exatos 52 anos – no dia 31 de março de 1964 – se iniciava. "Em 1964, eu era bancário em Minas Gerais e posso dizer que o clima era bem parecido, este sentimento anticomunista, por exemplo", disse. No entanto, ele diferencia os dois momentos por causa das grandes mobilizações de rua que acontecem atualmente contra o impeachment. "Isso eu já não vi na época. Com certeza, 2016 não é igual", argumentou. "Se realmente haver um golpe, também haverá muita resistência", completa Arlete.

A atriz do Grupo 59 de Teatro, Nilceia Maria Vicente, 37, afirma que saiu de casa contra uma articulação que, na sua visão, privará muitos direitos sociais futuramente. Ela, que declarou voto em Dilma no segundo turno das últimas eleições, afirmou que não está satisfeita com a presidente, mas que a questão "extrapolou os limites de ser partidária". "A gente entende que, ela permanecendo, os nossos direitos vão estar garantidos”, declarou.

Passada essa turbulência, diz Nilceia, a presidenta deveria liderar um processo de reforma política no país. “A gente está aqui brigando por ela e ela precisa estar lá brigando por nós também”, disse.

Confira como foi a cobertura em tempo real em diversas cidades do país e do mundo.

Cerca de 200 mil pessoas participaram do ato em Brasília (DF).

Foto: Rafael Tatemoto / Brasil de Fato.

Juventude

Assim como na última manifestação, a participação de jovens foi visível. Os amigos Pedro, 14; Lucas, 15 e André, 15, compareceram sozinhos de bairros nobres da Zona Oeste. "Minha mãe acha muito errado. Ela xinga o [ex-presidente Luiz Inácio] Lula pela TV (…), mas [diz que] ele ajudou muita gente", contou Pedro. "Somos contra a Rede Globo, que manipula e é totalmente partidária", pontuou André. "A gente é a favor da diminuição das desigualdades, mas muita gente é contra", afirmou Lucas.

Já a estudante de pedagogia Barbara, 22, disse que a vontade de sair às ruas em defesa da democracia vem de família. "Meus avós lutaram contra a ditadura e minha mãe soube que estava grávida de mim logo após uma manifestação contra a privatização do Banespa, onde ela levou borrachada da polícia", contou.

Ela afirmou que, por mais que ainda não concorde com muitas medidas tomadas pelo Governo, estava ali por defesa de um projeto político que, segundo ela, retrocederia muito em caso de destituição da presidente. Além disso, Barbara disse ter ficado assustada com o avanço de discursos de ódio contra o Partido dos Trabalhadores (PT), inclusive propagado por seus alunos de apenas sete anos. "Tenho amigo que apanhou por estar vestindo vermelho, alguns professores que deixaram de falar comigo por eu não ter vestido vermelho, a situação tá muito complicada", disse.

Já quase no final do ato, o Grupo Angola Sim Senhô fez uma roda de capoeira contra o golpe. "O mestre apresentou suas convicções políticas e quem concordava veio se expressar contra o golpe", explica Livia, integrante do grupo. Cerca de 20 capoeiristas compareceram e cantaram em tom de ironia: "não, não, não, não vai ter golpe…. Só de capoeira!".

Pelo país

Mais de 700 mil pessoas em mais de de 100 municípios, em 26 estados e no Distrito Federal, também participaram da Jornada Nacional em Defesa da Democracia nesta quinta-feira (31).

 Manifestantes também saíram às ruas de Washington, D.C., para protestar contra o golpe e defender a democracia brasileira. Foto: Reprodução.

A maior manifestação aconteceu em Brasília (DF), com 200 mil participantes. O ato se concentrou em frente ao estádio Mané Garrincha e seguiu até o Congresso Nacional. Mais de 750 ônibus de todos os estados brasileiros foram à capital federal.Além dos atos nacionais, brasileiros que moram em outras partes do mundo também se manifestam contra a tentativa de golpe em curso no Brasil. Já foram registrados atos em Bogotá (Colômbia), Paris (França), Munique (Alemanha), Copenhagen (Dinamarca), Coimbra (Portugal) e Barcelona (Espanha).

Confira as ações por estado:

AL

Cinco mil pessoas estiveram no ato em Maceió, onde foi preparado um grande cortejo artístico e cultural para defender a democracia, contando com a diversidade popular da região. Movimentos populares do campo e da cidade, partidos, artistas e intelectuais cantam a uma só voz a defesa do estado democrático de direito.

BA

A marcha pelo centro de Salvador começou na Piedade e seguiu até o Campo da Pólvora com a participação de mais de 30 mil pessoas.

Cidades do interior também se organizaram. Araci, de 50 mil habitantes, reuniu cerca de 500 pessoas e, em Feira de Santana, no recôncavo baiano, mais de 3 mil trabalhadores se concentraram na Praça do Nordestino saíram em marcha pelo centro da cidade na parte da tarde.

CE

Em Fortaleza, cerca de 50 mil pessoas participaram do ato, que começou na Praça da Bandeira e seguiu até o Dragão do Mar.

GO

Em Goiânia, cerca de 2 mil pessoas participaram do ato, que se concentrou na Praça Cívica.

MA

Na capital, São Luís, a organização divulgou que mil pessoas participaram do ato. Já no município de Imperatriz, a estimativa é de que 500 pessoas manifestaram seu apoio à democracia na Praça de Fátima.

MG

Em Belo Horizonte, o ato reuniu cerca de 40 mil na Praça da Estação. A população de outras cidades, como Juiz de Fora, Montes Claros, Poços de Caldas, São Lourenço e Varginha também participaram da manifestação.

MT

Em Cuiabá, o palco das manifestações contra o golpe foi a a Praça Alencastro, ocupada por cerca de 400 pessoas contra o processo de impeachment.

PA

A concentração do ato em Belém começou às 16h na Praça da Leitura e, até o final da noite, reuniu aproximadamente 30 mil pessoas.

PE

O Ato pela Democracia reuniu 40 mil em Recife durante a tarde desta quinta. No agreste pernambucano, movimentos populares, sindicatos e militantes sociais também realizaram uma mobilização contra o golpe.

Na cidade de Garanhuns, por exemplo, trabalhadores do MST e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape) e integrantes da Frente Brasil Popular marcharam nesta manhã pelas ruas da cidade, no agreste pernambucano. As cidade de Floresta e Ouricuri também foram palco de mobilizações na manhã desta quinta.

PB

Pela tarde, um ato aconteceu em João Pessoa e reuniu cerca de 10 mil. Em Campina Grande, cerca 15 mil pessoas participaram no centro da cidade.

Na cidade paraibana de Cajazeiras, o ato convocado pela Frente Brasil Popular levou cerca de 1,2 mil pessoas às ruas contra o golpe na manhã de hoje. Participam da mobilização representantes de 12 municípios do alto sertão paraibano.

PI

Em Teresina, o ato começou com um "bandeiraço" no cruzamento da avenida Frei Serafim com a avenida Coelho de Rezende.  Em seguida, houve uma vigília na escadaria da igreja São Benedito, com a participação de 1000 pessoas.

PR

No Paraná, os maiores atos foram em Curitiba e Cascavel, com cinco mil manifestantes cada. Outras cidades também registraram manifestações contra o golpe: Londrina, com mais de mil pessoas nas ruas, e  Quedas do Iguaçu, pelo menos 2 mil pessoas se posicionando contra o impeachment da presidenta da República.

Pela manhã na capital paranaense, a fachada do Instituto GRPCOM, pertencente à RPC (afiliada da Rede Globo no Paraná), amanheceu pichada com referências aos 52 anos do golpe militar, que se completa nesta quarta.

RN

Na capital, a organização estima que pelo 20 mil pessoas participaram do ato, que se concentrou na frente do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). Em Mossoró, 3,5 mil trabalhadores participam de manifestação pela democracia.

RO

Pelo menos mil pessoas se reuniram em frente à praça Matriz em Ji-Paraná para se manifestar pela democracia no final da tarde desta quinta. Na capital Porto Velho, a estimativa da organização foi de 100 pessoas.

RR

Os atos se concentraram na Praça do Centro Cívico, na capital Boa Vista. A organização contabilizou 700 participantes.

RS

Somente em Porto Alegre, cerca de 70 mil pessoas protestaram desde a "esquina democrática" até o  Largo Zumbi dos Palmares, no bairro da Cidade Baixa. No interior, cerca de 30 mil pessoas se mobilizaram em 20 municípios, totalizando mais de 100 mil participantes em todo o estado.

SC

A maior marcha do Estado foi na capital Florianópolis, com cerca de 3000 participantes. Eles saíram do Terminal de ônibus do centro e circularam pela cidade.

SP

Além da capital paulista, o ato também aconteceu no interior do Estado, como Campinas, Pindamonhagaba, Ribeirão Pires e São Carlos.

SE

Em Aracaju, a manifestação teve dois momentos. Às 15h, a atividade começou na Praça General Valadão, com um ato político para a concentração da marcha até a Orla do bairro industrial. No destino da caminhada, por volta das 19h, começaram intervenções artísticas sob o nome "Artistas pela Democracia".

TO

Em Palmas, 600 pessoas participaram das manifestações pela democracia.

Fonte Brasil De Fato *Colaborou Gisele Brito

Abril 1, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , , , , | Deixe um comentário

Chico Buarque: Ninguém pode questionar a integridade de Dilma

O cantor Chico Buarque participou, nesta quinta (31), do ato em favor da democracia, que ocorre no Rio de Janeiro; em sua fala, o artista disse que "ninguém pode por em dúvida a integridade da presidente Dilma Rousseff"; "Estamos todos aqui unidos em defesa da democracia. Pelo apreço da democracia, em defesa intransigente da democracia", disse; Chico destacou que estão presentes no ato pessoas que votaram e não votaram no PT, mas que como ele defendem a democracia; ele também lembrou ter vivido o 31 de março de 1964 e agradeceu o apoio de quem não quer reviver aquele momento e puxou o grito: "Não vai ter golpe"

Chico Buarque no Largo da Carioca contra o golpeChico Buarque no ato contra o golpe do Largo da Carioca

O cantor e compositor Chico Buarque participou do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca, no centro do Rio, e repetiu para a multidão que “não vai ter golpe”. Chico chegou ao palco por volta das 19h30 desta quinta-feira (31), sendo ovacionado por gritos de “Chico, guerreiro do povo brasileiro”.

“Eu vim aqui dar um abraço nas pessoas das mais variadas tribos, das mais variadas convicções políticas. Gente que votou no PT, gente que não gosta do PT, gente que foi do PT, que se desiludiu com o partido, gente que votou na Dilma, mas sobretudo, gente que não pode por em dúvida a integridade da presidente Dilma Rousseff.”

Chico continuou sua fala dizendo que estavam todos unidos na defesa intransigente da democracia. “Eu vejo gente aqui na praça, da minha geração, que viveu o 31 de março de 1964. Mas vejo sobretudo a imensa juventude que não era então nem nascida, mas que conhece a história do Brasil.”

Por fim, o cantor e compositor agradeceu a todos e repetiu que não haverá golpe: “Eu quero aqui agradecer a vocês que me animam a acreditar que não, de novo não, não vai ter golpe”. Em seguida, Chico deixou o palco e o ato, sendo muito festejado pelos presentes.

Presidente do PT RJ, Washington Quaquá e a Deputada Estadual Rosangela Zeidan também participaram do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca

Quaquá fala no ato contra o golpe no Largo da Carioca 31.03.2016 Discurso de Quaquá no ato contra o golpe Largo da Carioca Presidente do PT do Rio de Janeiro Washington Quaquá,  “Hoje lavamos a nossa alma de democracia e resistência popular no Largo da Carioca, Rio de Janeiro. Com uma certeza de que NÃO VAI TER GOLPE!

Fora Cunha e Temer! Vocês não vão roubar a faixa presidencial.

Agora é o povo nas ruas construindo uma nova esquerda popular, demais criativa, militante, rebelde!”

Quaquá e Zeidan no palco do ato do Largo do Machado contra o golpe 31.03.2016Deputada Estadual (PT) Rosangela Zeidan comentou em sua página pessoal: Largo da Carioca, Centro do Rio, tomado por pessoas de todas as tribos, partidos e classes sociais. Nosso mandato marcou presença pra dizer ‪#‎NaoVaiTerGolpe‬

Abril 1, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT | , , , , , | Deixe um comentário

Carta aberta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

LULA·QUINTA, 17 DE MARÇO DE 2016

foto internet

Carta na íntegra:

Creio nas instituições democráticas, na relação independente e harmônica entre os Poderes da República, conforme estabelecido na Constituição Federal.

Dos membros do Poder Judiciário espero, como todos os brasileiros, isenção e firmeza para distribuir a Justiça e garantir o cumprimento da lei e o respeito inarredável ao estado de direito.

Creio também nos critérios da impessoalidade, imparcialidade e equilíbrio que norteiam os magistrados incumbidos desta nobre missão.

Por acreditar nas instituições e nas pessoas que as encarnam, recorri ao Supremo Tribunal Federal sempre que necessário, especialmente nestas últimas semanas, para garantir direitos e prerrogativas que não me alcançam exclusivamente, mas a cada cidadão e a toda a sociedade.

Nos oito anos em que exerci a presidência da República, por decisão soberana do povo – fonte primeira e insubstituível do exercício do poder nas democracias – tive oportunidade de demonstrar apreço e respeito pelo Judiciário.

Não o fiz apenas por palavras, mas mantendo uma relação cotidiana de respeito, diálogo e cooperação; na prática, que é o critério mais justo da verdade.

Em meu governo, quando o Supremo Tribunal Federal considerou-se afrontado pela suspeita de que seu então presidente teria sido vítima de escuta telefônica, não me perdi em considerações sobre a origem ou a veracidade das evidências apresentadas.

Naquela ocasião, apresentei de pleno a resposta que me pareceu adequadapara preservar a dignidade da Suprema Corte, e para que as suspeitas fossem livremente investigadase se chegasse, assim, à verdade dos fatos.

Agi daquela forma nãoapenas porque teriam sido expostas a intimidade e as opiniões dos interlocutores.

Agi por respeito à instituição do Judiciário e porque me pareceu também a atitude adequada diante das responsabilidades que me haviam sido confiadas pelo povo brasileiro.

Nas últimas semanas, como todos sabem, é a minha intimidade, de minha esposa e meus filhos, dos meus companheiros de trabalho que tem sido violentada por meio de vazamentos ilegais de informações que deveriam estar sob a guarda da Justiça.

Sob o manto de processos conhecidos primeiro pela imprensa e só depois pelos diretamente e legalmente interessados, foram praticado atos injustificáveis de violência contra minha pessoa e de minha família.

Nesta situação extrema, em que me foram subtraídos direitos fundamentais por agentes do estado, externei minha inconformidade em conversas pessoais, que jamais teriam ultrapassado os limites da confidencialidade, se não fossem expostas publicamente por uma decisão judicial que ofende a lei e o direito.

Não espero que ministros e ministras da Suprema Corte compartilhem minhas posições pessoais e políticas.

Mas não me conformo que, neste episódio, palavras extraídas ilegalmente de conversas pessoais, protegidas pelo Artigo 5o. da Constituição, tornem-se objeto de juízos derrogatórios sobre meu caráter.

Não me conformo que se palavras ditas em particular sejam tratadas como ofensa pública, antes de se proceder a um exame imparcial, isento e corajoso do levantamento ilegal do sigilo das informações.

Não me conformo que o juízo personalíssimo de valores se sobreponha ao direito.

Não tive acesso agrandes estudos formais, como sabem os brasileiros. Não sou doutor, letrado, jurisconsulto. Mas sei, como todo ser humano, distinguir o certo do errado; o justo do injusto.

Os tristes e vergonhosos episódios das últimas semanas não me farão descrer da instituição do Poder Judiciário. Nem me farão perder a esperança no discernimento, no equilíbrio e no senso de proporção de ministros e ministras da Suprema Corte.

Justiça, simplesmente justiça, é o que espero, para mim e para todos, na vigência plena do estado de direito democrático.

Março 18, 2016 Posted by | jornalismo, política | , | Deixe um comentário

Lula aceitou convite da Dilma

Dilma-Lula-posse O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) poderá ser o mais novo Ministro da Casa Civil, ou assumir a secretaria do governo da presidenta Dilma Rousseff (PT)

Lula é considerado o melhor presidente do Brasil de todos os tempos e o maior político brasileiro do período do golpe militar de 1964 até hoje.

LULA ESTÁ ENTRE A CASA CIVIL E A SECRETARIA DE GOVERNO

  Numa decisão de alto impacto, a presidente Dilma Rousseff decide nomear o ex-presidente Lula em seu gabinete, fazendo parte do núcleo duro do governo; nesta posição, e também como candidato à presidência da República em 2018, Lula tentará organizar medidas para a retomada do crescimento e também para re-aglutinar a base de sustentação do governo no Congresso; oposição deverá criticar decisão, que dá ao ex-presidente o foro privilegiado e o retira do alcance da força-tarefa paranaense; Lula, no entanto, poderá ser investigado na Lava Jato pelo STF; Lula está a caminho de Brasília

A militância faz vigília no Planalto à espera de Lula.

 O dia de amanhã poderá ser marcado pelo início de um novo pacto de governabilidade no país.

Março 15, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , , | Deixe um comentário

Quaquá leva seu apoio a Lula

O presidente Regional do PT RJ, Washington Quaquá, acompanhado da Deputada Estadual Zeidan (PT), do Deputado Federal licenciado Fabiano Horta, e de Lurian Silva, foram recebidos pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante um café, eles tiveram a oportunidade de reafirmar o apoio político e externar a indignação com os últimos acontecimentos.

Em sua página pessoal no Facebook, Quaquá escreveu:  

“Estivemos ontem em um café com nosso líder maior, o presidente Lula.

O maior líder popular da história do país, o homem que mudou para melhor a vida de milhões de Brasileiros, acabando com a fome no Brasil.

O que estão fazendo contra o Lula aos 70 anos de idade e uma covardia e uma maldade! Tanta manipulação, tanta mentira, tanto complô contra este homem do povo que mudou a vida dos brasileiros!

Seguimos com Lula pro que der e vier, no sol e na tempestade, como deve ser entre companheiros e gente de caráter!

Viva Lula! Guerreiro do povo brasileiro!

Foto de Washington Siqueira. Ex – Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente Regional do PT RJ, Washington Quaquá

  Ex – presidente Lula, com sua filha Lurian Silva (dir da foto) acompanhados do Deputado Federal Fabiano Horta, da Deputada Estadual Rosangela Zeidan, (esq.), e do Presidente Regional do PT RJ, Washington Quaquá

Março 11, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT, PT RJ | , , , , , , | Deixe um comentário

Pedido de prisão de Lula é medida midiática, critica Rui Falcão

Presidente nacional do PT diz confiar que a juíza Maria Priscila Veiga Oliveira, de São Paulo, não atenderá a esse pedido "transloucado"

 

Pedido de prisão de Lula é medida midiática, critica Rui Falcão Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, Foto: Paulo Pinto/Agência PT

Postado por Agência PT, em 10 de março de 2016

O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Rui Falcão, classificou como “medida midiática” o pedido de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por parte do Ministério Público de São Paulo. Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (10), os promotores José Carlos Blat, Cássio Conserino e Fernando Henrique Araújo informaram que ofereceram a denúncia contra o ex-presidente.
“O pedido de prisão preventiva vai na linha daquilo que já estava sendo feito por esse promotor (Conserino) e seus parceiros, de, sem provas, denunciar o presidente Lula”, criticou, ao dizer que a medida causa “indignação”.
Em entrevista a jornalistas em São Paulo, Falcão disse estar “confiando” que a juíza Maria Priscila Veiga Oliveira, de São Paulo, não atenderá a esse pedido “transloucado”. “Essa é a nossa expectativa. O presidente está muito tranquilo e nós estamos muito tranquilos”, reforçou. Ele participou, na tarde desta quinta, de reunião do Instituto Lula com dirigentes do PT, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa.
“Eu não tenho preocupação porque seria um contrassenso, uma ignomínia, qualquer juiz que fosse, conceder esse pedido sem qualquer fundamento, simplesmente para criar um fato midiático”, completou, ao dizer que não há nenhum “cabimento” no pedido. 
O presidente do PT voltou a criticar a conduta do promotor responsável pelo caso. “Um procurador que antes mesmo de ouvir qualquer pessoa já tinha dito para uma revista que iria denunciar o ex-presidente não merece credibilidade, não tem imparcialidade e portanto acho que nenhum juiz vai atender esse pedido”, afirmou.

Sobre mobilizações em defesa do ex-presidente e da democracia, Rui ressaltou que a legenda trabalha, neste momento, com os atos dos dias 18 e 31 de março, convocados pela Frente Brasil Popular.

“Temos dito aos militantes para não aceitarem provocações e não entrarem em confronto”.

Da Redação da Agência PT de Notícias

Março 11, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT, PT RJ | , , , | Deixe um comentário

Para Dalmo Dallari, pedido de prisão de Lula desmoraliza Ministério Público

Jurista acredita que órgão não está se orientando por critério jurídico e que a medida é um "ato político"; Frente Brasil Popular convocou sua militância para uma ação na noite desta quinta-feira (10)

por Rute Pina publicado 10/03/2016 20:07

ROBERTO PARIZOTTI/CUT

dal1.jpg Dallari afirma que se juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira acatar o pedido do MP caberá habeas corpus

Brasil de Fato – O pedido do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é "totalmente absurdo" e não possui "fundamentação jurídica", afirma o jurista da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), Dalmo Dallari.

"Eu acho que isso é desmoralizante para o Ministério Público porque mostra que ele não está se orientando por critério jurídico, mas político", comenta Dallari. Ele enxerga a prisão preventiva como "um ato político e nada mais".

O MP-SP, por meio dos promotores José Carlos Blat, Cássio Conserino e Fernando Henrique Araújo, pediu a prisão preventiva do ex-presidente pelos crimes de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica em relação ao triplex localizado no Guarujá (SP).

Os promotores alegam que por ser ex-presidente, a possibilidade de evasão de Lula "seria extremamente simples" e que a prisão seria necessária para garantir "a ordem pública, a instrução do processo e a aplicação da lei penal". Além disso, o texto ainda afirma que as condutas de Lula ‘certamente deixariam Marx e Hegel envergonhados.’"

"O presidente Lula está no Brasil, vive aqui e tem sua família aqui no Brasil e poderá ser processo normalmente, sem necessidade da prisão. Não há a mínima justificativa para uma prisão preventiva”, afirma o jurista.

Segundo Dallari, se a juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, da 4ª Criminal da Justiça, acatar o pedido do MP-SP, caberá um habeas corpus; e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ou qualquer cidadão poderia ingressar com o pedido. A matéria, então, seguiria para o Supremo Tribunal Federal (STF). Procurada, a assessoria do Tribunal de Justiça estadual informou que não há uma declaração oficial da juíza se o caso será julgado nesta quinta-feira.

Março 11, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT | , , , | Deixe um comentário

Frente Brasil convoca militância contra pedido de prisão de Lula

Diante do pedido de prisão preventiva feito pelo Ministério Público de São Paulo contra o ex-presidente Lula nesta quinta-feira (10), a Frente Brasil Popular em São Paulo convoca com urgência toda a militância para se reunir neste momento, na Apeoesp, na Praça da República, 282, no centro da cidade de São Paulo.

  “É preciso resistir. A derrota de Lula e da esquerda e do povo brasileiro. É o fim do sonho e milhões de brasileiros que passaram a experimentar uma nova condição a partir das conquistas sociais, dos programas sociais, um período longo de valorização da renda e da geração de emprego e que hoje sofre as consequências da entrada em cena de um elemento político que quer antecipar a batalha política eleitoral. Mas estaremos nas ruas esclarecendo o povo sobre os reais interesses e denunciando as mentiras”, declarou Adilson Araújo, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Mobilização para resistir ao golpe contra Lula

Dia: quinta-feira (10 de março)

Hora: 18h

Local: Apeoesp, na Praça da República, 282, Centro.

Março 11, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , | Deixe um comentário