Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

CRAS de Maricá promove palestra sobre Reeducação Alimentar

Texto: Fernando Uchôa (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Clarildo Menezes

O Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), da região central, promoveu nesta quinta-feira (21/07), em sua sede, palestra sobre Reeducação Alimentar com a nutricionista Patrícia Teixeira, do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social. O evento reuniu integrantes do Grupo de Mulheres assistidas pelo CRAS, familiares e servidores. A palestra foi ministrada de forma interativa, com participação aberta do público todo o tempo. A palestrante apresentou a Pirâmide de Alimentos, projeção atualizada com os gêneros alimentares – carboidratos e massas (base da pirâmide), legumes, verduras, frutas e grãos (2º degrau), leite, queijos e derivados (3º degrau), açúcares e óleos (topo da pirâmide), e suas quantidades indicadas para consumo.

“Para se ter uma boa saúde, a reeducação alimentar é essencial", definiu a nutricionista. "Uma boa alimentação previne, via de regra, várias doenças e sua medicação. Muitas enfermidades acontecem por desequilíbrio alimentar e hormonal. O ideal é que cada pessoa faça seis refeições ao dia – café da manhã, colação, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia – em quantidades menores que o habitual. Crianças e idosos comem menos, adolescentes mais, e pessoas que praticam exercícios regularmente, ainda mais", acrescentou. "Parece caro e difícil, mas não é, pois as porções são pequenas”, completou Patrícia, para quem é importante saber o valor nutricional dos alimentos, de forma prática, para a reeducação alimentar. "O feijão preto (um carboidrato, base da pirâmide), por exemplo, pode ser trocado por outro tipo de feijão, grão de bico e outros. É rico em ferro e vitamina K, sendo base importante na alimentação”, comentou.

As carnes vermelhas podem ser substituídas pelas carnes brancas, peixes e até por verduras escuras, como couve, brócolis e outras. As castanhas, por exemplo, possuem um óleo que ajuda o trato digestivo, a circulação e a oxigenação do sangue. O adulto deve beber leite desnatado, por ter menos lactose e exigir menos do organismo para processar o alimento. O ovo não é mais o vilão de anos atrás, e pode ser consumido mais regularmente. “Os alimentos cozidos e grelhados são os mais indicados para o consumo, pois evitam a ingestão de gorduras saturadas, prejudiciais ao organismo. O azeite virgem, deve ser consumido in natura no pão. Algumas verduras e legumes, podem ser comidos crus. O consumo de frutas deve ser controlado, por causa da frutose (açúcar da fruta). Dois litros de água por dia são necessários para uma melhor digestão”, descreveu Patricia. Foi servido aos presentes um lanche com bolo de trigo integral e açúcar mascavo, com água aromatizada (um frasco com água, laranja, canela e hortelã; e outro, com limão, gengibre, e alecrim. Janete Eloy, 53 anos, moradora do Saco das Flores, disse que gostou bastante. “Vou seguir a orientação que aprendi aqui, e trocar a quantidade pela qualidade”, declarou. A dona de casa Leny Marques da Cunha, 65, moradora do Flamengo, disse que vai se reeducar. “Preciso emagrecer e acho que essa é a maneira mais saudável de conseguir”, disse.

A coordenadora do CRAS, Karina Damasceno, informou que o Grupo de Mulheres do CRAS-Centro trabalha semanalmente com atividades como artesanato e participa de palestras mensalmente. Já a coordenadora do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Luana Menezes, declarou que a informação é importante para um grupo de convivência. “Orienta e ajuda no ajuste da convivência familiar e social”, completa.

Anúncios

Julho 22, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, projeto social, saúde | , | Deixe um comentário

Alieda Chevara visita as obras do futuro Hospital Ernesto Che Guevara em Maricá

Foto de Prefeitura Municipal de Maricá.

Foto de Prefeitura Municipal de Maricá. 

A filha do revolucionário Ernesto Che Guevara, Alieda Chevara, visitou as obras do nosso novo hospital Dr. Ernesto Che Guevara que leva o nome de seu pai, em Maricá. Aleida Guevara ouviu um panorama sobre como será a nova unidade, ao lado do prefeito Washington Siqueira da deputada estadual Rosângela Zeidan e outras autoridades.

Foi inaugurada ainda uma estátua de bronze do líder revolucionário argentino "Che", na entrada do canteiro.

Junho 26, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | , | Deixe um comentário

Saúde aplica vacinas nas aldeias indígenas de Maricá

Texto: Amanda Neto | Fotos: Clarildo Menezes

A Secretaria Municipal Adjunta de Saúde realizou nesta quinta-feira (12/05), vacinação contra a gripe (Influenza) nas aldeias indígenas de Maricá – como parte da campanha do Ministério da Saúde que acontece em todo o país. Segundo a coordenadora do Programa de Saúde Indígena no município, Rosane Neves, foram imunizadas 19 pessoas na aldeia de Itaipuaçu e 26 na aldeia de São José, no total de 45 pessoas. Durante a ação, os profissionais orientaram sobre diversos assuntos de saúde, tais como diabetes e planejamento familiar. “Esse trabalho é muito gratificante e feito com amor e carinho. Ainda mais sabendo das necessidades e dificuldades que eles tinham com relação à saúde. Com o apoio da prefeitura essas dificuldades não existem mais”, declarou a coordenadora do programa de saúde indígena de Maricá.

Cacique da aldeia Ará Hovy (Céu azul), de Itaipuaçu, Felix Karai aprovou a prefeitura levar a vacinação até a aldeia. “É muito bom. Tenho de agradecer ao município que atende nossas crianças e todos aqui com médico, remédios e vacinas”, disse Felix. Na aldeia Mata verde bonita em São José não foi diferente. O cacique Darci Tupã Nunes elogiou a ação. “As condições do índio hoje não são as mesmas. Com as mudanças das nossas vidas, com a distância da nossa cultura é muito difícil o cuidado da saúde. Por isso é muito importante fazer exames e tomar as vacinas. Essa parceria com a prefeitura fortalece o conhecimento que a gente tem e a nossa saúde”, disse o cacique.

 

Maio 12, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | Deixe um comentário

Obras no Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara andam em ritmo acelerado

Texto: Willian Chaves | Fotos: Fernando Silva

A construção do Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, localizado no Km 22 da Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), em São José do Imbassaí, no sentido Niterói, pela Prefeitura de Maricá, está em ritmo avançado. De acordo com a Secretaria Municipal de Gestão e Infraestrutura, após a colocação dos pilares em concreto, foi iniciada a concretagem da laje do piso do bloco A. Já foram lançados 200m³ de concreto que corresponde a 50% do total. O novo hospital terá uma área construída de 10 mil m². Cerca de 80 pessoas trabalham no canteiro de obras entre engenheiros, mestres de obras, administrativo e funcionários de campo. Nove máquinas operam diariamente. O projeto compreende uma estrutura mista com pilares de concreto e vigas metálicas.

Além do piso, foi iniciado também o escoramento da laje de cobertura do bloco. Já foram executados 100% das obras de fundações e da colocação dos pilares (476 no total). Numa área ao lado do hospital, estão em execução obras de terraplanagem que abrigará o estacionamento e o controle técnico do hospital. A previsão é que as obras sejam concluídas em setembro deste ano.

Com investimento de R$ 45 milhões, custeado integralmente pela prefeitura, o novo Hospital Dr. Ernesto Che Guevara terá 10 leitos de UTI (totalizando 76 vagas), 19 enfermarias (com três leitos cada), seis salas de observação para adultos e mais três alas de observação para pediatria. A unidade será dividida em três blocos: A, B e C. No bloco A ficarão os consultórios médicos e a recepção onde acontecerão os primeiros atendimentos à população. O bloco B é o coração do hospital, com o centro cirúrgico e as UTIs. Esse é o local onde se consumirá mais energia e gases. Já no bloco C, funcionará a área de serviços como refeitórios, vestiários, administração e salas de TI. As enfermarias serão distribuídas pelos três blocos.

Ainda serão disponibilizados à população: pronto atendimento 24 horas para politraumatizados e pacientes referenciados da rede. Clínicos gerais, cirurgiões gerais, pediatras, anestesistas, ortopedistas e especialistas (urologia, cardiologia, vascular, bucomaxilofacial, neurologia, infectologia) trabalharão na unidade, que incluirá dois Centros de Tratamento Intensivo (CTI) – adulto e infantil, laboratório de análises clínicas e central de material esterilizado. No Centro Cirúrgico terão três salas de cirurgia de grande porte e uma de médio. Nas enfermarias serão sete enfermarias femininas e sete masculinas de clínica médica, emergência clínica pediátrica, isolamentos pediátricos e salas de observação. O refeitório terá capacidade para 192 lugares. O auditório terá capacidade para 72 pessoas e salas de administração.

 

Maio 4, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | | Deixe um comentário

Obras do Hospital Municipal Dr. Che Guevara prosseguem em ritmo acelerado

Texto: Amanda Neto (edição: Marcelo Ambrosio) | Fotos: Fernando Silva

Enquanto em várias outras cidades do estado o cenário da Saúde é de crise, com unidades sendo fechadas e crescentes dificuldades de atendimento à população, em Maricá o quadro é outro: custeadas inteiramente pelo tesouro municipal as obras do novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, em São José do Imbassaí, prosseguem em ritmo acelerado e quem passa pelo canteiro, no km 22 da rodovia Amaral Peixoto, percebe claramente a movimentação intensa de homens e máquinas. Concluída a fase de terraplanagem e nivelamento do terreno, as equipes de trabalho agora já estão finalizando o alicerce de concreto dos blocos A e B. "Em dez dias foram executadas mais de 150 sapatas (alicerce de coluna) e estamos com efetivo de 60 homens trabalhando", afirma o engenheiro e coordenador de obra Flávio Almeida. "Ao terminarmos a fundação começaremos a estrutura com pilares, vigas e lajes. Serão 10 mil metros quadrados de área construída”, destacou o engenheiro.

O mestre de obras José Balbino também está feliz em participar. “Os blocos A e B já estão com as sapatas 70% realizadas. No bloco C estamos na escavação para a construção delas”, disse. De acordo com o secretário municipal executivo de Infraestrutura, Fernando Rodovalho, a obra está dentro do cronograma – que prevê a finalização dentro do segundo semestre desse ano. O valor do investimento do município é de R$ 45 milhões apenas para a parte de construção civil. Tomógrafos, aparelhos de Raios-X e outros equipamentos serão adquiridos com recursos provenientes de emenda parlamentar no valor de R$ 3,1 milhões. "Trata-se de um marco histórico para a cidade que nos últimos oito anos avançou em infraestrutura e o hospital coroa esse avanço. Enquanto o Estado fecha unidades e reduz serviços na área de Saúde, estamos investindo milhões de reais de recursos próprios nessa construção”, observa o secretário municipal adjunto de Saúde, Peterson Cabral. A primeira-dama e deputada estadual Rosangela Zeidan também destaca o esforço municipal. “Esse projeto é algo esperado por toda a população há anos. Isso será de um impacto para a região já que vemos hoje a saúde pública sendo sucateada no Estado por falta de investimentos", acrescenta.   

O novo hospital terá ao todo 138 leitos, com dez enfermarias de urgência e emergência; 14 de clínica médica mais três de isolamento adulto; 7 enfermarias pediátricas mais 4 de isolamento infantil e 5 enfermarias de clínica cirúrgica. Também quatro centros cirúrgicos, sendo três de grande e um de médio porte. O Centro de Terapia Intensiva (CTI) será adulto e pediátrico e o serviço de diagnóstico por imagem compreenderá tomografia, Raio-X Digital, colonoscopia, endoscopia digestiva, eletrocardiograma, eletroencefalograma, eco cardiograma e ultrassonografia. A unidade terá também, além do atendimento de urgência e emergência adulto e pediátrico, o odontológico.  “O Che Guevara foi projetado para atendimento completo e humanizado à população. Também pensamos na valorização profissional e para isso teremos uma área administrativa moderna e confortável. Me emociona acompanhar a velocidade e a eficiência da obra e ver que o nosso sonho saiu do papel”, avalia Fernanda Spitz.

Os usuários da Atenção Básica igualmente serão beneficiados. “A necessidade de um novo hospital municipal é evidente porque a cidade cresceu. A estrutura do Conde Modesto Leal já não comporta as especialidades médicas que trouxemos e as que traremos no futuro, como por exemplo, os exames complementares de colonoscopia e endoscopia", afirma a subsecretária de Atenção Básica, Cláudia Souza. "Esses serviços serão ampliados e o tempo de espera diminuirá”, acrescenta.   

Abril 6, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | Deixe um comentário

Justiça brasileira legaliza maconha para uso medicinal

Fonte: JusBrasil

Publicado por Pedro Magalhães Ganem

BOMBA Justia brasileira legaliza maconha para uso medicinal Decisão de ontem da Justiça Federal do DF deu prazo de dez dias para a Agência de Vigilância Sanitária, que regula os medicamentos no país, retirar o THC da lista negra das substâncias proibidas. Isso já foi feito com o Canabidiol (CBD), em janeiro de 2015, por iniciativa da própria Anvisa. Mas o THC, princípio ativo responsável pelo barato da maconha, continua banido.

A outra novidade é que, segundo a sentença, estão autorizadas a prescrição e a importação de Cannabis sativa L. “Agora, um médico pode prescrever a planta in natura“, diz Emílio Figueiredo, consultor jurídico do Growroom, associação que defende o cultivo para uso pessoal.

A decisão é uma tutela antecipada: ou seja, o juiz ainda não proferiu sua decisão final sobre todos os pontos da ação. Mas antecipou a decisão sobre pontos que considera urgentes. Que são:

  • Reclassificar o THC. “Transferir, em dez dias, o THC da lista F2 do anexo da lei de drogas, que contém as substâncias psicoativas banidas, para uma lista de substâncias sujeitas à notificação de receita” – ou seja, ele passa a ser autorizado mediante prescrição médica.
  • Mudar, em dez dias, a portaria 344/98 para “permitir, por ora, a importação, exclusivamente para fins medicinais, de medicamentos e produtos que possuam como princípios ativos os componentes THC (TETRAHIDROCANNABINOL) e CDB (CANNABIDIOL), mediante apresentação de prescrição médica e assinatura de termo de esclarecimento e responsabilidade pelo paciente”.
  • Permitir a pesquisa e a prescrição “da Cannabis sativa L. E de quaisquer outras espécies ou variedades de cannabis, bem como dos produtos obtidos a partir destas plantas, desde que haja prévia notificação à ANVISA e ao Ministério da Saúde”.

A ação do MPF também pediu a autorização de importação de sementes e do cultivo pessoal para uso medicinal. Essas demandas estão entre as que ainda não foram julgadas pelo juiz Marcelo Rebello, da 16a Vara de Justiça Federal do DF.

Consultada, a Anvisa disse por meio de sua assessoria de imprensa que ainda não sabe se vai recorrer. “Não sabemos ainda. A Diretoria vai avaliar os efeitos da decisão e possíveis ações da Anvisa. Não temos uma resposta, até porque na verdade ainda não fomos sequer notificados, embora tenhamos acesso à decisão na internet.”

Em janeiro, quando a Anvisa reclassificou o CBD, o então presidente da Anvisa Jaime Oliveira disse a este blog que “Sem dúvida nenhuma, a situação do THC tem que ser explorada e analisada“.

Novembro 11, 2015 Posted by | jornalismo, Judiciário, saúde | Deixe um comentário

UPA de Maricá fará manutenção no sábado e não haverá atendimento

UPA de Inoã

Em virtude da necessidade de manutenção, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Inoã não fará atendimentos no próximo sábado (07/11) entre 8h e 20h. Segundo a Secretaria Adjunta de Saúde de Maricá, a interrupção será feita para a substituição do castelo de água – a estrutura que recebe a entrada da rua e a distribui internamente para a unidade. Após o encerramento do trabalho, durante o qual não haverá água disponível nas instalações, o atendimento será retomado normalmente.

A secretaria também informa que no período em que a UPA não estará operando, a equipe médica da própria UPA fará as avaliações e encaminhará os casos mais graves – traumas por acidentes, por exemplo – diretamente para o Hospital Municipal Conde Modesto Leal, que estará preparado para atender às eventuais demandas provenientes de Inoã – com reforço no corpo clínico. Os demais serão orientados a procurarem diretamente o hospital e as unidades básicas de Saúde do município. Além dessa medida, a ambulância utilizada para transportar pacientes que vão fazer exames de tomografia em outro município será igualmente deslocada para a UPA, deixando a unidade com dois veículos para as transferências que se fizerem necessárias.

Novembro 5, 2015 Posted by | Maricá, saúde | | Deixe um comentário

Maricá faz atendimento para cirurgia odontológica no hospital municipal

A Secretaria Adjunta de Saúde iniciou no sábado (17/10), no Hospital Municipal Conde Modesto Leal (HMCML), por meio do Programa de Saúde Bucal de Maricá, atendimento para quem precisa de intervenções odontológicas em centro cirúrgico. O serviço é destinado a usuários que tenham qualquer comprometimento sistêmico no qual não seja possível fazer o atendimento odontológico na cadeira do dentista convencional.

Atendimento para quem precisa de intervenções odontológicas em centro cirúrgico são feitas no hospital

Alex Torturella Vidal é bucomaxilofacial da equipe e explica que há uma demanda de pacientes com deformidades esqueléticas faciais e que necessitam de intervenções odontológicas em centro cirúrgico. “Realizamos cirurgias ortognáticas (indicada para pessoas que tenham deformidades nos ossos da face e nos dentes) e cirurgia de lábio leporino também. Além disso, a maioria dos nossos pacientes tem cardiopatia ou algum problema neurológico. Por isso usamos o centro cirúrgico junto ao anestesiologista e atendemos assim os pacientes, oferecendo segurança”, analisa.

Para a coordenadora do Programa Municipal de Saúde Bucal, Márcia Serafim, o objetivo do serviço é atender pacientes que necessitem de sedação, sejam diabéticos, hipertensos, que tenham problemas neurológicos. “Atenderemos todos os sábados e realizaremos cirurgias e ambulatório. Os pacientes que necessitarem desse tipo de serviço serão encaminhados pelos dentistas da rede, ou seja, pelos postos, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou pelo Centro de Especialidades Odontológicas (CEO). A equipe é composta de uma dentista clínica, dois especialistas em bucomaxilofacial e um anestesiologista. “As pessoas precisavam sair daqui e ir para o Rio com o filho deficiente, por exemplo. Isso é muito difícil para os pais", afirma a subsecretária de Urgência e Emergência, Nilcinea Ferreira. "Além disso, para que as cirurgias aconteçam as crianças precisam estar em jejum. Às vezes não eram atendidos na hora. Então fazer isso aqui no município em que eles moram é um ganho que não se pode medir”, diz.

A população aprovou o serviço. Rafaela Ribeiro da Silva, 27 anos, mora no bairro da Amizade. Trouxe o filho Patrick de 9, para iniciar o tratamento. “É difícil andar com criança em cadeira de roda. Aqui é mais perto para gente. Eu acho muito bom ter esse atendimento aqui no hospital”, disse. "Trouxe meus dois netos que são especiais para tratar, pois aqui vão induzir o sono. Estou atrás desse serviço há muitos anos”, emendou Tânia Mara Rodrigues Vieira, 53 anos, que mora em Itaipuaçu. Já Cátia Cristina Bernardo da Silva, 36 anos e moradora de Araçatiba, levou a filha Natália, de 10 anos. “Ela faz uso de cadeira de rodas e precisa do tratamento. Já estão pedindo os exames. Na próxima vez farão a sedação. Dessa maneira, conseguiremos tratar”, disse a mãe de Natália. “Esse tipo de tratamento era feito fora e isso causava um transtorno para pacientes e familiares. Montamos esse serviço aqui dentro do hospital a fim de proporcionar mais qualidade de vida, dignidade e respeito aos nossos pacientes”, declarou o secretário municipal adjunto de Saúde, Peterson Cabral.

Quem quiser informações pode procurar o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO Maricá), de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, que fica à Rua Ivan Mundi, 737, Boqueirão. O telefone é 3731 2061. Ou então procurar a Coordenação de Saúde Bucal do Município que fica à Rua Roberto Silveira, 43, Centro. O telefone é 2634 7965.

Outubro 21, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | | Deixe um comentário

Novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara será referência em Maricá

Texto: Marcelo Ambrosio | Fotos: Fernando Silva

Previsão é a de que as obras sejam concluídas no segundo semestre de 2016 – Foto: Divulgação

Uma das maiores, senão a maior, demanda da área de Saúde em Maricá começa a ser solucionada definitivamente.

A Prefeitura deu início às obras de construção do novo Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, com trabalhos de terraplenagem e nivelamento de terreno na área de 128,9 mil metros quadrados localizada no Km 22 da Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), em São José do Imbassaí, no sentido Niterói. O projeto prevê um Hospital Geral num complexo de 38 mil metros quadrados, com 10,4 mil metros quadrados de área construída em três blocos, com total de 138 leitos para internação. O investimento da Prefeitura na obra é de aproximadamente R$ 40 milhões – incluindo os aportes federais e a contrapartida municipal – e a previsão é a de que as obras estejam concluídas no segundo semestre de 2016. A nova unidade, além de servir de referência na região, vai aliviar a demanda do atual Hospital Municipal Conde Modesto Leal (HMCML), no Centro.

Segundo a coordenadora do projeto no município, Fernanda Spitz, o HMECG terá seus blocos interligados, sendo o principal (A), no centro, e dois laterais (B e C). Além de um moderno setor de pronto atendimento 24h para politraumatizados e pacientes referenciados da rede (enviados pela central municipal de regulação), a unidade contará com clínicos gerais, cirurgiões gerais, pediatras, anestesistas, ortopedistas e especialistas de sobreaviso (urologia, cardiologia, vascular, bucomaxilofacial, neurologia, infectologia). “O novo hospital virá para transformar o conceito de atendimento em urgência e emergência na cidade”, afirma Fernanda Spitz. “Terá uma estrutura moderna e uma filosofia de assistência pautada na política de humanização”, completa.  Ainda de acordo com a coordenadora, a unidade será um importante componente na Rede de Urgência e Emergência (RUE) com leitos de retaguarda clínica e referência para cirurgia ortopédica e pediátrica. “Estamos muito felizes com o projeto, que foi aprovado pelas secretarias do estado e pelo ministério da Saúde”, completa Fernanda.

O Centro Cirúrgico será um complexo com três salas de cirurgia de grande porte e uma sala de cirurgia de médio porte e a unidade contará também com dois Centros de Tratamento Intensivo (CTI), um adulto para nove pacientes mais um de isolamento, e outro pediátrico, com 10 leitos normais e um de isolamento. O atendimento contará também com um moderno parque de medicina diagnóstica com Imagenologia (radiologia digital, tomografia, ultrassonografia, ecocardiografia, eletrocardiografia, endoscopia digestiva e colonoscopia) e laboratório de análises clínicas. O setor atenderá indiscriminadamente a todos os usuários do HMECG, adultos e crianças. O projeto igualmente prevê uma central de material esterilizado.

Enfermarias

Na área de enfermarias, o Che Guevara terá sete enfermarias femininas e sete masculinas de clínica médica, com três leitos em cada uma, sendo seis de cada para a retaguarda clínica regional, quatro de cada para emergência clínica (ao todo 12 leitos masculinos e 12 femininos nessa ala), três isolamentos clínicos, três enfermarias femininas e duas masculinas de clínica cirúrgica com três leitos em cada uma, sala de observação com seis leitos para adultos e quatro para a pediatria, além de RPA com seis leitos, sendo dois exclusivos para crianças. Há, ainda, duas enfermarias de emergência clínica pediátrica com três leitos cada (masculina e feminina), quatro enfermarias femininas e quatro masculinas de pediatria com três leitos em cada, dedicadas à internação de longa permanência. O projeto contempla também quatro isolamentos pediátricos. Os blocos de atendimento ainda terão salas de observação, com seis leitos para adultos e quatro pediátricos, salas de politrauma adulta e pediátrica, com dois leitos cada e salas de higienização adulta e pediátrica. Todas as unidades contam com serviços de apoio em psicologia, serviço social, fisioterapia e nutrologia, assim como outros setores que participam da assistência indireta.

No Bloco C ficará a área administrativa, com auditório, sala de tecnologia e informação (TI), recepção administrativa da fonoaudiologia e fisioterapia, administrativo da assistência social e psicologia, setor de contas médicas, Serviço de Arquivo Médico e Estatística (SAME) e as Comissões Intra hospitalares – Comissão de Infecção Hospitalar (CCIH); Comissão de Investigação de Óbito (CIO); Comissão Interna de Curativo (CIC) e Núcleo de Vigilância Hospitalar (NVE). Vale ressaltar que todo o hospital será informatizado. O software específico já contratado e em fase de implantação no município. 

Para completar, o projeto contempla ainda refeitório com 192 lugares, auditório com 72 lugares e salas de administração. A equipe de funcionários terá enfermeiros, técnicos de enfermagem, profissionais de apoio técnico, serviços gerais, administração e corpo diretor. “Teremos, ainda, assistentes sociais, nutricionistas, psicólogos, sanitaristas e fisioterapeutas, assistindo pacientes nas unidades intensivas e enfermarias”, acrescenta a coordenadora.

Unidade está em construção no km 22 da RJ-106, em São José – Foto: Fernando Silva

Hospital Geral terá três blocos, com total de 138 leitos para internação – Foto: Divulgação

Outubro 21, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá altera programação do Outubro Rosa

Texto: Rafael Zarôr

Exame preventivo acontece dia 24/10 e informativos serão distribuídos pela cidade. Shows gratuitos encerram programação

A Coordenação de Políticas para as Mulheres alterou o calendário (veja aqui) do “Outubro Rosa” de Maricá – campanha de prevenção e tratamento precoce do câncer de mama e colo do útero para mulheres em todo o país. A organização cancelou a caminhada no Centro, mas está confirmado o Dia D do exame preventivo Papanicolau (24/10), as distribuições de informativos na cidade desta segunda-feira (19/10) até o dia 23 e os shows de encerramento do projeto “Sob o Céu, Sob o Sol de Maricá”, da Secretaria Adjunta de Turismo, no dia 30/10, na Praça Conselheiro Macedo Soares, no Centro.

Em 2014, cerca de 700 exames preventivos (câncer de colo de útero ou papanicolau) foram realizados em Maricá e o objetivo é incentivar um número ainda maior de mulheres a participar. A campanha “Outubro Rosa – Maricá na luta contra o câncer de mama” está a cargo da Coordenação de Políticas para as Mulheres, que coordena várias outras pastas. O preventivo deste ano acontece dia 24/10, das 8h às 17h, nas Unidades de Saúde da Família e Postos de Saúde de Maricá (com exceção de Santa Paula que não fará a atividade) com a coleta do exame preventivo e exame físico das mamas. Neste dia, as unidades também aproveitarão para vacinar contra o Papilomavírus humano (HPV), das 8h às 16h. Para realizar o exame preventivo é preciso apresentar cartão do SUS e documento de identidade, já as vacinas contra HPV serão aplicadas mediante a apresentação da caderneta de vacinação.

Outubro 20, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, saúde | | Deixe um comentário