Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Di Bonilho expõe telas de alunos do CEU de Maricá

Fonte texto: Fernando Uchôa. PMM, fotos: Rosely Pellegrino

Com apoio da Fundação Nacional de Artes (Funarte), do Ministério da Cultura, e da Prefeitura de Maricá, foi aberta neste sábado (24/01), às 19h, no Centro de Artes e Esportes Unificados  (CEU), a ”, resultado do trabalho de alunos da oficina de pintura a óleo do artista Di Bonilho.

Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (16)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (2)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (4)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (5)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (6)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (7)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (23)

São peças de tamanho 12 cm X 12 cm a 40 cm X 60 cm, em sua maioria. Durante três meses, Di Bonilho ensinou os rudimentos técnicos da pintura a óleo para 14 alunos com idade entre 14 e 60 anos. “Trabalhamos com pessoas interessadas em aprender, independente da idade. Nesta turma, tivemos donas de casa e estudantes, pintando com a mesma dedicação e entusiasmo. Um marinheiro mercante de 40 anos foi uma revelação para nós”, diz o professor.

Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (20)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (10)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (11)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (17)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (19)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (3)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (11)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (12)Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (8)

A mostra faz parte da programação anual da Fundação “É tudo Cena” – A Cena Brasileira na Cultura de Maricá -, vencedora da licitação para ocupação do espaço das artes no CEU. “Esta é mais uma ação da nossa produtora, com destaque na programação do espaço que representamos. Maricá tem um potencial cultural enorme que precisa ser conhecido. Nossa proposta é apresentar um leque cultural dinâmico com projetos e atividades em artes plásticas, música, teatro e dança, enfocando principalmente a cultura africana, seu resgate e divulgação”, diz a diretora artística e produtora cultural Aduni Benton.

Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (22) A exposição ficará no espaço até 18/02. Todas as peças, inclusive a tela “Iansã”, de autoria de Di Bonilho, com 100 cm X 70 cm, foram doadas para o acervo da Fundação “É Tudo Cena”.  O Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) fica na Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106), km. 27,5 – Maricá.

O artista

Exposição de Di Bonilho e seus alunos na oficina de pintura do CEU Mumbuca 24.01.2015. foto Rosely Pellegrino (13) O paulista Di Bonilho tem 54 anos e mora há cinco em Maricá. Morador de Bambuí, o artista trabalha o estilo figurativo contemporâneo. Com formação acadêmica em Artes Plásticas na Escola de Belas Artes de São Paulo, também estudou Moda e Designer na École du Berçot, em Paris (França), e Pintura na Escola Van Gogh, em Bruxelas (Bélgica). Di Bonilho já realizou três exposições individuais em Maricá: "As Marias de Maricá" (2013), na Casa de Cultura; "200 anos de Maricá" (2014), em que retrata cenas dos séculos XVIII e XIX do município; e “199 anos", com paisagens e sítios históricos de Maricá.​

Anúncios

Janeiro 25, 2015 Posted by | arte, cultura, Exposições, jornalismo, Lazer, Maricá | , , , , , | Deixe um comentário

Senador Eduardo Suplicy participa de evento comemorativo de um ano de implantação do Programa Social Moeda Mumbuca

Visita do Senador Eduardo Suplicy ao CEU – Centro de Artes e Esportes Unificados " Marco Antônio Cardoso Siqueira"

Fonte PMM – Fotos: Rosely Pellegrino e Fernando Silva

Senador Eduardo Suplicy em visita a Maricá. fotos Rosely Pellegrin 15.12 (109) O Senador Eduardo Suplicy participou, na manhã desta segunda-feira (15/12), do evento comemorativo de um ano de implantação no município de Maricá do Programa Social Moeda Mumbuca – primeira moeda social eletrônica do país criada para combater a pobreza extrema na cidade. O programa foi um dos cinco finalistas da 2ª edição do prêmio “Governarte: A Arte do Bom Governo”, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que premiou as melhores iniciativas de inclusão social por meio da tecnologia. O evento foi realizado no CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados) de Maricá e contou com a presença de diversos secretários municipais e de beneficiários do programa.

Senador Eduardo Suplicy em visita a Maricá. fotos Rosely Pellegrin 15.12 (116)

Há 24 anos eleito senador pelo estado de São Paulo, Suplicy elogiou a cidade pela iniciativa de criação da moeda social. "Maricá está dando uma lição de cidadania para outros municípios do país, contribuindo para retirar pessoas sofridas da extrema pobreza, assim como ocorreu em Fortaleza com o Banco Palmas", avaliou. "A criação do banco permitiu um crescimento de 40% do comércio local em cerca de cinco anos. Hoje vim aqui para conhecer mais detalhes da iniciativa de Maricá e também apresentar outras experiências de economia solidária, como o renda básica da cidadania", completou. Derrotado por José Serra nas eleições ao Senado em outubro último, Suplicy afirmou que, mesmo fora do Legislativo, continuará defendendo a implantação desse programa – principal projeto da sua vida política e pelo qual vem lutando desde 1991. A lei que o institui foi aprovada pelo Congresso e sancionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2004, mas nunca foi colocado em prática. Segundo Eduardo Suplicy, o programa prevê transferência mensal a todos os cidadãos residentes no Brasil, inclusive estrangeiros com mais de cinco anos de permanência, a fim de que “possam viver com mais liberdade, justiça e fraternidade”. “Esta continuará a ser uma das minhas principais lutas. De onde estiver continuarei a batalha pela renda básica de cidadania”, disse.

Senador Eduardo Suplicy em visita a Maricá. fotos Rosely Pellegrin 15.12 (25)Senador Eduardo Suplicy em visita a Maricá. fotos Rosely Pellegrin 15.12 (114)

O senador citou antigos pensadores, como o inglês Thomas More, considerado um dos grandes humanistas do Renascimento, e o britânico Thomas Paine, a quem se atribui a origem do conceito de igualitarismo. Paine lançou, em 1795, um estudo intitulado “A justiça agrária” (“Agrarian Justice”), segundo o qual o direito à propriedade deveria ser universalizado aos homens, assim como os direitos políticos. Também falou sobre a experiência da "Renda Básica de Cidadania" implantada no início dos anos 60 no Alasca, considerado o mais desigual dos 50 estados americanos.  “O então prefeito do Distrito de Bristol Bay, Jay Hammond, observou que, mesmo com a grande riqueza proveniente da pesca local, seus moradores continuavam pobres. Ele propôs um imposto de 3% sobre o valor da pesca para um fundo de investimento que pertenceria à comunidade e que seria distribuído a todos de forma igualitária. Inicialmente, sofreu grande resistência, mas depois de implantada a medida foi tão bem-sucedida que, em 1974, Hammond se tornou governador do Estado do Alasca”, contou.

Ainda segundo Suplicy, nessa época o governo americano havia descoberto reservas de petróleo no estado do Alasca. “Entendendo que o petróleo pertencia aos cidadãos do estado, o governo do estado determinou que fosse instituída uma taxa sobre o lucro da exploração. “Assim, Hammond sancionou um projeto, que depois de algumas modificações fazia com que 50% dos royalties do petróleo fossem destinados ao Fundo Permanente do Alasca (Alaska Permanent Fund), instituindo-se um pagamento igual, anualmente, a todos os habitantes do estado”, explicou.

Senador Eduardo Matarazzo Suplicy e o Secretário Municipal de Cultura de Maricá Sergio Mesquita Tais experiências, na opinião de Suplicy, mostram um caminho para a erradicação da pobreza extrema e absoluta. “Se quisermos erradicar a pobreza desse país, temos que construir uma sociedade justa e igualitária. Em 1996, éramos o terceiro país mais desigual do mundo; hoje, melhoramos muito, somos o 16º, mas ainda podemos avançar com a implantação do renda básica. Quem sabe a cidade de Maricá não se torna pioneira também com mais essa iniciativa”, acrescentou.

Senador Eduardo Suplicy em visita a Maricá. fotos Rosely Pellegrin 15.12 (107)Mediador do encontro, o Secretário Municipal de Direitos Humanos, Miguel Moraes, destacou a importância do Bolsa Mumbuca para a população carente. "Mais de 70% das famílias maricaenses recebem menos que três salários mínimos e mais de 15 mil ganham até um salário mínimo. Queremos oferecer condições mais dignas às famílias carentes, melhorando a renda da população. Mais de R$ 1.400 mil estão sendo injetados na economia local para a construção de uma política pública de transferência de renda", salientou o secretário, ressaltando que o projeto da Bolsa Mumbuca foi aprovado por unanimidade pelos atuais vereadores, após a realização de diversas audiências públicas e reuniões com os principais segmentos envolvidos. Para o próximo ano, numa segunda fase do programa, serão concedidas linhas de empréstimo, por meio do banco comunitário, de até R$ 15 mil para as famílias e para microempreendedores, agricultores familiares, pescadores, artesãos e pequenos comerciantes, além de produtos como seguros e cursos de capacitação.

Beneficiários do cartões

DSC_0170 FOTO FERNANDO SILVAPresente no encontro, Irene Francisca dos Santos, de 65 anos, recebeu o seu cartão das mãos do senador Suplicy. Ela vive graças à aposentadoria do marido com um salário mínimo por mês. “Só quem passa por dificuldades reconhece o valor desse programa. O dinheiro sempre falta, vai ser uma ajuda e tanto, principalmente para comprar frutas e legumes”, agradeceu. (foto: Fernando Silva)

DSC_0182 FOTO FERNANDO SILVAO servente de obras Luiz Carlos da Silva, de 52 anos, recebe por mês em torno de R$ 500 para alimentar sua esposa e dois filhos. "Não tenho renda fixa porque trabalho por conta própria. Sofro de pressão alta e gasto muito com a compra de remédios. Com certeza esse benefício vai ajudar e muito nos gastos com a farmácia", declarou Luiz. (foto Fernando Silva)

Momentos do evento nos clicks de Rosely Pellegrino

Dezembro 15, 2014 Posted by | direitos humanos, jornalismo, Maricá, Moeda Social Mumbuca | , , , | Deixe um comentário

A Cena Brasileira na Cultura de Maricá vai ocupar o CEU da Mumbuca

Atividades oferecem 14 Oficinas temáticas, 07 Exposições, 20 Sessões de Cinema Adulto, 20 Sessões de Cine Infantil, 06 Lançamentos de Livros, 10 Sextas Musicais, 22 apresentações Teatrais.

A ocupação para o CEU das Artes "A Cena Brasileira na Cultura de Maricá", tem como objetivo ampliar e disseminar um leque de informações e ações sócio-culturais afirmativas valorizando a cultura local, com seus fazedores de arte, expositores e especialista, e dialogando com a cultura brasileira no tocante à sua diversidade presente na cidade de Maricá. 

Partindo de macro ações sócio-culturais, para o micro, procura-se deixar um legado para a cidade no que concerne no fortalecimento de sua produção artística, de seus artistas, e de bens simbólicos, além da proteção da diversidade dessas expressões culturais presentes na cidade, com uma atenção mais significativa para as diversidades étnicas, raciais e de gênero. 

Essas ações procurarão atender a todos os públicos e serão disseminadas através de exposições, filmes, músicas, teatro, dança e literatura, buscando legitimar essa interação sócio-cultural.

​Objetivamos transformar o CEU das Artes Maricá, em um espaço vivo, e além daquele criado com suas expectativas. Um espaço que tenha uma referência positiva de popularização das culturas, com as diversas atividades de ocupação, e suas especialidades, de acordo com atenção aos interesses​ sociais e que seja de acesso a todos para que experimentem diversas experiências, acumulem conhecimentos valiosos para o seu crescimento e fortalecimento na troca de impressões e informações.

INSCRIÇÕES ESTARÃO ABERTAS DO DIA 27 DE OUTUBRO ATÉ O DIA 14 DE NOVEMBRO DE 2014.

Horário: das 10h às 16h

VAGAS: 20 ALUNOS POR CADA OFICINA

FAIXA ETÁRIA: Consultar cada oficina

LANÇAMENTO DAS ATIVIDADES:

DIA 14 DE NOVEMBRO DE 2014

17H ABERTURA OFICIAL COM A PRESENÇA DE AUTORIDADES LOCAIS

18H INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO DE MATRIZ AFRICANA

19H APRESENTAÇÃO DO CORAL IYÚN ASÉ ORIN

SERVIÇO:

14 Oficinas temáticas: teatro infantil com o Grupo DJOTA, teatro negro com a Cia. É Tudo Cena!, perna-de-pau com o Grupo LATEX, capoeira com os Filhos da Lua, percussão de instrumento e corporal com o Mestre Paulistano Nego Zara, balé clássico com a Cia. Vida de Teatro e Dança, pintura com óleo sobre tela com o artista plástico Di Bonilho, pintura contemporânea com artista Felipe Benicá, tatoo de henna com o artista Felipe Benicá, beleza afrobrasileira com o cabeleireiro Luizmarck Girão, contação de história com a Profa. Lucinha Pessoa, arte de brincar sobre os vídeos infantis com a Psicopedagoga Fátima Reis, cestaria de taboa – arte caiçara com a artesã Benedita Rosa e sinos dos ventos com a artesã Paula Regina.

Horários:  As oficinas variam nos horários da manhã – 09 as 12h ou a tarde 14h as 16:30 e a noite das 18h as 22h. verificar em cada programação

07 Exposições: Indumentária e objetos de Povos Tradicionais de Matriz Africana; Quadros de òleo sobre tela; quadros de pintura contemporânea dos títulos de filmes, fotografias de beleza negra, fotografias de tatoo; cestaria de taboa e sino dos ventos.

20 Sessões de Cinema Adulto:

20 Sessões de Cine Infantil:

06 Lançamentos de Livros:

10 Sextas Musicais com artistas locais e incluindo 1 lançamento de CD do Cantor José Araújo do RJ e o Coral Iyún Asé Orin que fará a abertura.

22 apresentações Teatrais

Apoio Cultural: Sá Rego Materiais de Construção; Gabriel da Sá Rego; Sec. de Comunicação; Sec. de Cultura e Sec. de Turismo

Patrocínio: FUNARTE/MINC

Gestão: Prefeitura de Maricá

Realização: Cia. de Teatro É Tudo Cena!

Fonte: Aduni Benton

Diretora Artística​

clip_image002

Outubro 16, 2014 Posted by | arte, cinema / produção, cultura, cursos, Dança, Exposições, jornalismo, Lazer, literatura, Maricá, musica, Oficinas, palestra gratis, projeto cultural, social, Teatro | , , , , | Deixe um comentário

Oficina de orientação para editais do MinC acontece em Maricá

A Representação MinC Rio de Janeiro e o CEU – Centro de Artes e Esportes Unificados de Maricá organizam o evento no dia 21 de outubro

O CEU de Maricá vai receber oficina de orientação para editais do Ministério da Cultura no próximo dia 21, às 13h30m. O encontro tem por finalidade promover a circulação, o diálogo e a divulgação de ações e projetos do MinC. Vão ser abordados os editais: Bolsa Funarte de Artistas e Produtores Negros, Prêmio de Culturas Afro-brasileiras, Comunica Diversidade, Prêmio Culturas Ciganas e Prêmio Pontos de Memória.

A dinâmica do encontro segue um roteiro previamente combinado. Há previamente uma seleção de dúvidas sobre os editais que são apresentadas por aqueles interessados em participar. Todavia, é possível também que se faça a leitura dos termos de cada edital, quando necessário. O chefe da Representação MinC RJ ES, Fábio Lima, explica que “é importante observar que atuamos de acordo com a demanda apresentada pelos agentes culturais de cada território, respeitando a realidade, as tradições e o tempo de cada um deles.”

A experiência desse modelo de circulação tem possibilitado ampliar a presença do MinC nas diferentes regiões e consolidar um importante processo de escuta que serve de feedback para reflexões acerca das políticas públicas desenvolvidas. Além disso, é a oportunidade de promover a articulação institucional com cada governo local e movimentos sociais de cultura.

Para mais informações sobre os editais, a Representação do MinC RJ ES disponibiliza os seguintes número: (21) 3733-7123 e 3733-7104 e o e-mail diversidadeecidadania.rjes@cultura.gov.br

Oficina Cultural:

Dia: 21/10

Hora: 13h30m

Local: CEU de Maricá, Rodovia Amaral Peixoto, Km 27,5 – Mumbuca

Outubro 16, 2014 Posted by | arte, cinema / produção, cultura, Dança, jornalismo, literatura, Maricá, musica, Oficinas, projeto cultural, Teatro | , , | Deixe um comentário