Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Maricá será tema do Cineclube Henfil de maio

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Clarildo Menezes

Documentário sobre as tribos indígenas do Xingu, no Mato Grosso, encerrou a programação de abril

Nesse mês, o Cineclube Henfil vai homenagear as iniciativas culturais desenvolvidas em Maricá. A programação "Maricá na tela do cinema" traz quatro documentários com um resumo das apresentações no projeto Sala Cult, na Festa Literária de Maricá (Flim), no próprio Cineclube e curtas-metragens sobre o Espraiado, localidade rural muito frequentada por turistas. As sessões são gratuitas e acontecem todas as quartas-feiras, a partir das 19h, na Casa de Cultura (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, Centro).

Na abertura, o publico poderá rever os melhores momentos do projeto Sala Cult, idealizado e realizado pela Secretaria Municipal de Cultura. A sessão acontece nesta quarta-feira (07/05) e 30 minutos antes serão distribuídas senhas de acesso a Sala Darcy Ribeiro. A programação contará ainda com documentários sobre a primeira Festa Literária de Maricá (14/05) e Cineclube Henfil (21/05), além de curtas sobre a cultura do Espraiado (debulhar o feijão guando, Carnaval, Casa de Farinha do Espraiado e Casa de Farinha da Serra do Camburi) que serão exibidos na última quarta desse mês (28/05).

Filme sobre cultura indígena encerra mês de abril

Um documentário sobre as cinco tribos indígenas do Parque Nacional do Xingu, no Mato Grosso, fechou a programação "O Brasil não conhece o Brasil" apresentada em abril, no Cineclube Henfil de Maricá. O diretor de fotografia do curta-metragem "Xingu – A Terra Mágica", Lula Araújo, participou do evento, realizado na última quarta-feira (30/04), na Casa de Cultura, no Centro. O projeto da Secretaria Municipal de Cultura apresentou histórias emblemáticas das regiões do país (Norte, Nordeste, Sul, Sudeste e Centro-Oeste).

O filme aborda os grupos indígenas Waurá, Kuikuro, Yawalapiti, Metuktire e Panará, que foram documentados, pela primeira vez, em 1984, e as principais transformações que o diretor Washington Novaes e sua equipe encontraram em 2006, quando visitaram as tribos novamente. "O que mais me chamou atenção é que agora eles usam poços artesianos. Isso não existia em 1984. As antenas de televisões, motos e roupas são outras mudanças nas aldeias", destacou o diretor de fotografia. "Quando fomos gravar pela primeira vez achávamos que eles eram selvagens. Mas, na verdade, a verdadeira civilização é dos índios. Eles têm consciência ecológica, não desmatam, não poluem e somente pescam peixes grandes", completou.

Lula Araújo também contou curiosidades desta convivência com as tribos do Xingu. "O índio Marika, da tribo Kuikuro, ficou surpreso quando disse que morava numa cidade com o mesmo nome que o dele", lembrou ele, acrescentando uma mudança em seu cotidiano após o período em que passou nas tribos indígenas. "Em 1984, fiquei dois meses só dormindo em rede. Quando voltei para casa não consegui mais dormir na cama e agora só durmo na rede", concluiu.

Moradora do Centro, a pensionista Terezinha de Jesus, de 73 anos, participou do Cineclube Henfil pela primeira vez e aprovou o projeto da Secretaria Municipal de Cultura. "Adorei este documentário sobre índios e é muito importante esse incentivo à cultura com filmes de qualidades e gratuitos", afirmou Terezinha.

Lula Araújo com o secretário Sérgio Mesquita e o subsecretário Zola Xavier

Lula Araújo disse que mudou hábitos após a convivência com os índios

Anúncios

Maio 7, 2014 Posted by | arte, cinema / produção, cultura, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto cultural | | Deixe um comentário

Cineclube Henfil de Maricá exibe filme sobre os índios do Xingu

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Divulgação
 

Documentário é sobre os povos indígenas do Parque Nacional do Xingu, no Mato Grosso

O Cineclube Henfil de Maricá exibe nesta quarta-feira (30/04) o último filme da programação "O Brasil não conhece o Brasil", que neste mês apresenta histórias emblemáticas das cinco regiões do país. A partir das 19h, o projeto da Secretaria Municipal de Cultura apresenta "Xingu – A Terra Mágica" (1984 – Brasil), documentário sobre os povos indígenas do Parque Nacional do Xingu, representando o Centro-Oeste do país. Após o filme, o diretor de fotografia Lula Araújo palestrará sobre o tema. O evento é gratuito e os interessados precisam chegar 30 minutos antes para garantir uma senha de acesso.

Dirigido pelo jornalista Washington Novaes, o curta-metragem, com 40 minutos de duração, mostra características marcantes de traços tradicionais de cinco grupos indígenas no Mato Grosso: Waurá, Kuikuro, Yawalapiti, Metuktire e Panará. Durante dois meses, o diretor registrou o cotidiano dos índios, seus hábitos, crenças, mitos e tradições.

Esse mês, o Cineclube Henfil levou ao frequentador da Sala Darcy Ribeiro, da Casa de Cultura, o contato com histórias emblemáticas do Sul, Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Thiago Cardoso, coordenador do projeto, explica que o tema do desconhecimento do Brasil surgiu após perceber que "a maioria das pessoas não conhece a história do próprio país e mesmo do próprio lugar". Foram exibidos "Gaijin" (representando o Sul), "Deus e o Diabo na Terra do Sol" (Nordeste), "Edifício Master" (Sudeste) e "Soldados da Borracha" (Norte).

A Casa de Cultura fica na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, Centro.​

Abril 30, 2014 Posted by | cinema / produção, cultura, jornalismo, Lazer, Maricá | | Deixe um comentário

Na Casa de Cultura de Maricá: Cineclube Henfil exibe o filme "O que é isso, companheiro?"

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Divulgação

Filme conta história dos estudantes que lutaram contra a repressão da ditadura. Sessão gratuita começa as 19h

Longa-metragem do diretor Bruno Barreto aborda a luta armada contra a ditadura militar e será apresentada nesta quarta-feira (19/03) na Casa de Cultura, no Centro

O Cineclube Henfil de Maricá desta quarta-feira (19/03) apresenta mais um filme sobre a ditadura militar – período de 1964 a 1985 em que o país viveu sob os anos de chumbo. O longa-metragem "O que é isso, companheiro?" (1997 – Brasil), do diretor Bruno Barreto, será exibido na Casa de Cultura, a partir das 19h. A sessão é gratuita, mas os interessados precisam chegar 30 minutos antes para garantir uma senha de acesso.

O longa recebeu duas indicações para premiações internacionais: Oscar de Melhor Filme Estrangeiro (1998) e Urso de Ouro do Festival Internacional de Berlim, Alemanha (1997). Já o diretor Bruno Barreto ganhou o prêmio American Film Institute (Instituto Americano do Cinema), na categoria Melhor Longa Metragem, em 1997. O elenco é repleto de estrelas consagradas do cinema nacional, como Fernanda Montenegro, Milton Gonçalves, Othon Bastos, Luiz Fernando Guimarães, Pedro Cardoso, Selton Mello, Fernanda Torres, Caio Junqueira, Matheus Nachtergaele, Marco Ricca, Cláudia Abreu, Eduardo Moscovis, além da participação especial do ator americano Alan Arkin.

Com 110 minutos de duração, a trama conta a história do jornalista Fernando (Pedro Cardoso) e do amigo César (Selton Mello), que abraçam a luta armada contra a ditadura militar após a promulgação do AI-5, em 1968, que acabava com a liberdade de imprensa e os direitos civis. Eles se alistam em um grupo guerrilheiro de esquerda e, em uma das ações do grupo, César é ferido e capturado pelos militares. Fernando então planeja o sequestro do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Charles Burke Elbrick (Alan Arkin), para negociar a liberdade de César e de outros prisioneiros políticos que eram torturados nos porões da ditadura.

O filme "O que é isso, companheiro?" foi inspirado no livro homônimo do político e escritor Fernando Gabeira. Uma curiosidade é que os nomes de alguns personagens ligados à guerrilha foram mantidos em sigilo e trocados por nomes fictícios.

Durante 21 anos, a ditadura restringiu o direito do voto, a participação popular e reprimiu com violência todos os movimentos de oposição. O regime teve fim somente em 1985, quando o governo pressionado pelo movimento "Diretas Já", que mobilizou a população em defesa do voto direto, escolheu indiretamente o deputado Tancredo Neves para presidência, por meio do Colégio Eleitoral formado por deputados federais e senadores. A partir daí, os sucessores à Presidência da República foram eleitos por votos diretos.

Sessão especial sobre Darcy Ribeiro

Neste mês, o Cineclube Henfil exibe mais um filme que aborda a ditadura militar. No dia 26, será apresentada a obra "O velho – a história de Luiz Carlos Prestes". Mas antes, no dia 25, a Secretaria de Cultura presenteia o público com uma sessão especial ao exibir o documentário "Darcy Ribeiro, o guerreiro sonhador". Com narração da atriz Cássia Kiss, a obra traz depoimentos de Oscar Niemeyer, Ziraldo, Leonel Brizola, entre outros, sobre a vida do educador. A Casa de Cultura fica na Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, no Centro.

MAIORES INFORMAÇÕES: 21. 3731.1432.

Março 19, 2014 Posted by | cinema / produção, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto cultural | , , , | Deixe um comentário

Filme “A noviça rebelde” é a atração desta quarta no Cineclube Henfil, na Casa de Cultura de Maricá

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Divulgação

 A sessão é gratuita e acontece às 19h, na Casa de Cultura

O Cineclube Henfil apresenta nesta quarta-feira (29/01) o último filme de janeiro em homenagem aos clássicos do cinema. A partir das 19h, o projeto da secretaria de Cultura de Maricá exibe o filme “A noviça rebelde” (1965 – EUA). O evento é gratuito e acontece na Casa de Cultura (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, Centro). Senhas de acesso à Sala Darcy Ribeiro serão distribuídas 30 minutos antes da sessão.

Vencedor de cinco Oscar (melhor filme, direção, edição, som e trilha sonora) e de dois Globos de Ouro (comédia/musical e atriz Julie Andrews), o longa “A noviça rebelde” é considerado pela crítica especializada como um dos maiores musicais já produzidos em Hollywood e que faturou mais de US$ 160 milhões. Dirigido por Robert Wise, o filme originou-se de um musical da Broadway, baseada na história real da família de cantores austríacos de Von Trapp.

Com 2h54 de duração, a trama é passada na Áustria, no fim da década de 30. Quando o pesadelo nazista estava prestes a se instaurar no país, uma noviça (Julie Andrews), que vive em um convento e não consegue seguir as rígidas normas de conduta religiosas, resolve ir trabalhar como governanta na casa do capitão Von Trapp (Christopher Plummer). Viúvo e pai de sete filhos, o capitão educa as crianças com forte disciplina. A chegada da noviça muda totalmente o padrão da família, trazendo alegria novamente ao lar. Mas a noviça termina se apaixonando pelo capitão, que está comprometido com uma rica baronesa (Eleanor Parker).

Em janeiro, o Cineclube Henfil abriu espaço para os clássicos do cinema. O público também assistiu, gratuitamente, aos filmes “E o vento levou”, “Ben-Hur” e “Casablanca”.

Carnaval é o tema da programação de fevereiro

A secretaria municipal de Cultura preparou para o mês de fevereiro quatro filmes sobre o Carnaval com músicas de Chico Buarque de Holanda. Na próxima semana, o Cineclube Henfil exibe “Bye Bye Brasil” (05/02). Também serão apresentados os filmes “Vai trabalhar, vagabundo” (12/02), “Ópera do Malandro” (19/02) e “Quando o Carnaval chegar” (25/02).

Janeiro 28, 2014 Posted by | cinema / produção, cultura, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto cultural | , | Deixe um comentário

Cineclube Henfil homenageia Antônio Callado na semana do aniversário de Maricá

Texto: Leandra Costa (Marcelo Ambrosio) | Fotos: Divulgação

Cineclube Henfil, fica na Casa de Cultura de Maricá, Praça Orlando de Barros Pimentel, centro. – Foto: Fernando Silva

Na semana de comemoração do aniversário da cidade, o Cineclube Henfil presta uma homenagem a um dos mais importantes nomes da literatura nacional e visitante ilustre de Maricá, Antônio Callado, com a exibição, no dia 22/05, do documentário “A Paixão segundo Callado”. O cineclube, uma realização da secretaria municipal de Cultura, funciona na Casa de Cultura e as sessões são sempre às quartas-feiras, às 19h. A casa fica na praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro.

Sob a direção de José Joffily, o documentário, de 52 minutos, relembra a trajetória do jornalista e escritor, falecido em 1997. Inclui a participação como correspondente durante a II Guerra Mundial e no Vietnã do Norte em luta contra os EUA, as viagens ao Xingu dos índios Uialapiti e Kamaiurá e ao Nordeste das Ligas Camponesas. Detalha sua obra, dedicada à descoberta do Brasil e a denunciar injustiças contra índios, negros, camponeses e mulheres. O filme mescla depoimentos de amigos e conhecedores do universo literário do escritor com sequências de imagens que levam o espectador ao rico imaginário de sua literatura. A obra jornalística e literária de Callado – o documentário contém depoimentos de Carlos Heitor Cony, Fernanda Montenegro, Moacyr Werneck de Castro, Frei Betto, Ferreira Gullar, João Ubaldo, Villas Bôas Corrêa, entre outros – permanece como uma incursão ao Brasil real e ao desejo daquilo que o país ainda pode ser.

Segundo o secretário municipal de Cultura, Sérgio Mesquita, a secretaria aproveita a proximidade com o aniversário do município, comemorado no dia 26/05, para propor homenagear Callado que visitava frequentemente Maricá. Com Maysa, João Saldanha e Darcy Ribeiro, Callado integra a escultura instalada na área de convivência do Canal da Cidade, no Centro, próximo à sede da Prefeitura.

Cineclube Henfil
Como as vagas são limitadas por sessão (40 lugares), a secretaria distribui senhas 30 minutos antes da exibição do filme. Informações pelo telefone 3731-1432 ou pelo e-mail cineclubehenfilmarica@gmail.com.

Já próxima semana, dia 29/05, encerrando a programação do mês de maio, será a vez da exibição do filme brasileiro “Xica da Silva”, de 1976.

Antônio Callado, um dos mais importantes nomes da literatura nacional e visitante ilustre de Maricá

No dia 22/05, às 19h, será a exibição do documentário “A Paixão segundo Callado”

Maio 22, 2013 Posted by | cinema / produção, jornalismo, Maricá, projeto cultural | | Deixe um comentário