Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Secretaria Municipal Adjunta de Cultura leva música e exposição da história de Maricá ao Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu

Texto e fotos : Rosely Pellegrino

Prefeitura de Maricá leva exposição cultural e música para Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu

Ao longo desta semana, os moradores cadastrados pela Prefeitura de Maricá no programa federal “Minha Casa, Minha Vida” além de escolherem  os 1.472 apartamentos, das unidades habitacionais do Condomínio Carlos Marighella, em Itaipuaçu, estarão tendo a oportunidade de conhecer fatos históricos e curiosidades sobre Maricá, através das exposições “Das Simbólicas Sesmarias aos atuais Distritos de Maricá”,  e “Maricá 200 anos de Emancipação Política”, ambas sob a curadoria da historiada Maria Penha de Andrade Silva e da arquiteta urbanista Renata Aymoré Araújo Gama.

Um dos objetivos da Secretaria Municipal Adjunta de Cultura é levar à população o conhecimento da formação administrativa do município. "Muitos desconhecem a história de Maricá, suas curiosidades e infinitas belezas. E é isso que estamos resgatando, a identidade do povo maricaense”, frisou Renata, que para compor as exposições consultou acervos do Mosteiro de São Bento, Arquivo Nacional, Biblioteca Nacional, Biblioteca da Ajuda (Lisboa) e da arqueóloga Nanci Vieira de Oliveira.

Nos banners, instalados ao longo das tendas, estão retratados fatos e fotos  históricas, mapas e textos, que permitem viajar no tempo e conhecer alguns dos momentos mais marcantes da história do município, de 1755 a 2014.

Durante todo processo de sorteio das unidades, a banda Amigos da Cultura também estará marcando presença no evento, oferecendo aos futuros proprietários do Minha Minha Vida, música de qualidade.

DSCN8051

Banda Amigos da Cultura se apresentando na unidade habitacional Minha Casa Minha Vida de Itaipuaçu

DSCN8073

Anúncios

Janeiro 28, 2015 Posted by | cultura, Exposições, jornalismo, Maricá, musica | , , | Deixe um comentário

Casa de Cultura lança nesta quinta-feira nova exposição sobre história de Maricá

Texto: Marcelo Moreira (edição: Marcelo Ambrosio) | Fotos: Clarildo Menezes e Divulgação

Casa de Cultura lança nesta quinta-feira nova exposição sobre história de Maricá – Foto: Clarildo Menezes

Resgatando fatos históricos e curiosidades sobre Maricá, a prefeitura lança nesta quinta-feira, dia 20/06, a da exposição inédita “Das Simbólicas Sesmarias aos atuais Distritos de Maricá”. A abertura da exposição será às 17h, na Casa de Cultura (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel). A exposição é fruto de uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura e de Desenvolvimento Urbano, sob a curadoria da historiada Maria Penha de Andrade Silva e da arquiteta urbanista Renata Aymoré Araújo Gama.

A exposição surgiu das pesquisas para o Inventário do Patrimônio Histórico do Município de Maricá. De acordo com Maria da Penha, um dos objetivos é levar à população o conhecimento da formação administrativa do município. “Nossa história tem que ser valorizada e repassada para as novas gerações”, destacou a historiadora, que há mais de 30 anos pesquisa as origens da cidade.

Uma das curadoras da mostra, a arquiteta e urbanista Renata Gama, destaca que a cidade possui ampla riqueza tanto na área ambiental quanto histórica. “Muitos desconhecem a história de Maricá, suas curiosidades e infinitas belezas. E é isso que estamos resgatando, a identidade do povo maricaense”, frisou Renata, que consultou acervos do Mosteiro de São Bento, Arquivo Nacional, Biblioteca Nacional, Biblioteca da Ajuda (Lisboa) e da arqueóloga Nanci Vieira de Oliveira.

São 13 banners com fotos históricas, mapas e textos, que permitem ao visitante viajar no tempo e conhecer alguns dos momentos mais marcantes da história do município, como o mapa de 1574 da Baía de Guanabara arquivado na Biblioteca da Ajuda, em Lisboa, Portugal, que traz a primeira referência ao nome Maricá, citado com “Ylhas Maricaha ou de maricahaa”.

Outro fato marcante apresentado na exposição é o reconhecimento da Vila de Santa Maria de Maricá, por meio do alvará de 26 de maio de 1814. Segundo Renata Gama, o povoado era localizado no entorno da Fazenda de São Bento e era composto por 4.800 pessoas (em torno de 800 casas). Em reconhecimento ao crescimento do local, o príncipe regente da época reconheceu o espaço como vila, segundo documentos do acervo do Arquivo Nacional.
O público também terá acesso à evolução histórica dos distritos de Maricá, como a apresentação por meio de mapas da constituição por D João VI, em 1815, do distrito sede. Segundo Renata, a escolha dos locais-sede era definida de acordo com a importância do local naquele momento histórico. Em 1892, foi criado o 2º distrito, com sede em Ubatiba. Ao longo dos anos, a sede desse distrito passou por outros locais e atualmente é em Ponta Negra. Em 1926, foi criado o 3º distrito em Inoã e, em 1990, a lei orgânica municipal cria o 4º distrito com sede em Itaipuaçu.

Dentre outras curiosidades retratadas na exposição, conta-se que o índio tupinambá Inhampopoi tinha grande curiosidade em atravessar as águas avassaladoras do Boqueirão e que somente faria isso quando ouvisse o canto da ave Macaá, hoje extinta na região. Outro fato interessante é sobre a Pedra de Urubuqua, localizada no bairro Flamengo. Os tupinambás veneravam o espaço com rituais de dança no mês de abril por acreditarem que os espíritos do mal iriam para esta pedra em sinal de respeito.

A exposição “Das Simbólicas Sesmarias aos atuais Distritos de Maricá” ficará aberta para visitação até o dia 07 de julho, de segunda à sexta, das 9h às 17h, e às quartas-feiras, até às 21h.

Alvará de criação da Vila de Santa Maria de Maricá, de 26 de maio de 1814. Foto: Arquivo Nacional

Antiga Casa de Câmara e Cadeia. Hoje, Casa de Cultura que abriga esta exposição. Foto: INEPAC

Recanto de Itaipuaçu antes do loteamentos – Fotos: Cominat

Pedra de Urubuqua: os índios acreditavam que os espíritos do mal iriam para lá. Foto: Renata Gama

Mapa de 1574 arquivado em LiPortugal que traz a primeira referência ao nome Maricá

Junho 21, 2013 Posted by | cultura, Exposições, jornalismo, Lazer, Maricá, projeto social | | Deixe um comentário