Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Délcio Teobaldo em palestra “Palavra Puxa Prosa” na Casa de Cultura de Maricá

543142_189652201212753_889508956_n[1] A proposta é inovadora e convidativa. Uma palestra que trabalha a perspectiva do folclore através de um encontro de literatura oral e cinema. Délcio Teobaldo, jornalista, roteirista, etnomusicologo e cineasta, proporciona a reflexão sobre a relação e importância das literaturas oral e escrita com a relação humana, os diálogos existentes entre as várias culturas do mundo e principalmente a diversidade cultural.

Denominada “Palavra Puxa Prosa” a palestra irá acontecer no dia 27/08 (terça-feira) de 13h às 17h na Casa de Cultura de Maricá.

A Casa de Cultura de Maricá, fica na Praça Orlando de Barros Pimentel. Centro de Maricá – RJ.

Maiores Informações: Secretaria de Cultura de Maricá (21) 37311432

Entrada franca e lugares limitados. Venha participar!

Anúncios

Agosto 23, 2013 Posted by | cultura, jornalismo, Lazer, Maricá, palestra gratis | , | 1 Comentário

O maricaense de coração, Délcio Teobaldo, conquista mais um prêmio literário

Délcio Teobaldo Délcio Teobaldo é mineiro de Ponte Nova e vive há anos no Rio de Janeiro, na cidade de Maricá. Jornalista, produtor e diretor de cinema e televisão, artista plástico, etnomusicólogo, ele ainda é autor de livros de ensaio, contos e de obras  como Isto é coisa da idade e Quatro trancados no quarto. No ano de 2008, no 4º Prêmio Barco a Vapor de Literatura Infantil e Juvenil foi prêmiado com o romance Pivetim.
Em 2009 a Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) em 2009, na categoria Literatura, Délcio conquistou o maior prêmio brasileiro destinado a originais de literatura, com o  Pivetim – Um romance proibidão – A originalidade da obra do Délcio Teobaldo, reside na alternância de um ponto de vista mais documental e brutalista para retratar a vida na selva das cidades (com ênfase no problema da fome e da violência física e moral) e a fantasiosa ingenuidade da visão infantil. Dessa alternância, sem sentimentalismo, o autor soube retirar grande efeito expressivo, sobretudo pelo manejo da linguagem, porosa ao modo de falar dos malandros e desvalidos.
Este ano, no mês de março, no  III Concurso Cepe de Literatura Infantil e Juvenil, Délcio Teobaldo, conquistou o segundo lugar da categoria Juvenil, com a obra Contrato com Vampiros, e têm a chance de publicar a obra pela Cepe Editora.
Foram contemplados com os prêmios principais do Concurso Cepe , entre quase 900 concorrentes, os autores:

Infantil
Primeiro lugar: Ulisses – O computador que queria ser gente, de Homero Fonseca (PE)
Segundo lugar: O leopardo da Letícia, de Ana Margarida Mignone (RJ)
Terceiro lugar: Cadê a letra que estava aqui?, de Marco Aurélio Pinotti Catalão (SP).
Juvenil
Primeiro lugar: Plin, porompim, plaf, puft, de Cecy Fernandes de Assis (SP)
Segundo lugar: Contrato com vampiros, de Délcio Teobaldo de Sousa (RJ)
Terceiro lugar: Armadilhas do Sr. Distinto, de Vinícius Baldissera Ugolini (SC)

A avaliação das obras ficou a cargo da comissão julgadora composta pelas escritoras Luzilá Gonçalves Ferreira, Vanja Carneiro Campos, Maria Lenice Gomes da Silva e pelos professores universitários Haideé Camelo Fonseca e Janilto Andrade.

Maio 17, 2013 Posted by | cultura, jornalismo, literatura | , , , | Deixe um comentário

Documentário e palestra encerram Semana de Consciência Negra em Maricá

Texto: Jorge André | Fotos: Rosely Pellegrino

Coube ao diretor de cinema e televisão, jornalista e produtor Délcio Teobaldo, encerrar com uma palestra na noite de sexta-feira(23/11), a Semana de Consciência Negra em Maricá. O tema escolhido foi “Afro Jornalismo” e Délcio, que não estabeleceu um roteiro prévio, afirmou ter ficado feliz por dar continuidade à “fala” da pesquisadora Nádia Povoa Chaia – cuja apresentação versou sobre a herança negra e a generalização da cultura.

Na plateia estavam representantes de movimentos afro e estudiosos do tema.

DSC02639DSC02640DSC02648DSC02642

A programação, realizada pela Secretaria Municipal de Cultura, faz parte das comemorações do Dia da Consciência Negra (20 de novembro). Entre outras ações, durante a semana foi exibido na sala Darcy Ribeiro – reinaugurada com o evento – o documentário “Abdias do Nascimento 90 anos – História Viva”. Para Délcio Teobaldo, o curta foi fundamental para estimular a luta pela igualdade dos direitos. O “morador do Caxito”, como gosta de ser chamado, afirmou que a cultura negra está em alta em termos de consumo, o que, para ele, é um demonstrativo de valor. “Eles comem da nossa comida, vestem nossas roupas e colares, ouvem nossas músicas”, afirmou, como forma de mostrar que a influência negra na cultura é inegável.

O diretor de cinema indicou a tatuagem como uma das heranças da cultura negra no Brasil. Para o jornalista, marcas no corpo eram um registro das lutas dos guerreiros que saiam para caçar. “Eles poderiam até voltar de mãos vazias, mas as cicatrizes mostravam que fizeram de tudo para trazer alimento para seu povo”. Ainda de acordo com Délcio, os motivos das marcas eram contados em histórias para os mais jovens, em uma clara demonstração da importância da luta para a sobrevivência.

Outro ponto importante no debate foi a importância da adoção de políticas públicas que possam atender efetivamente o negro e as minorias. Para os presentes, por exemplo, desenvolver projetos que tratem da história da África em sala de aula é fundamental para criar cidadãos mais esclarecidos sobre o valor dos africanos na construção da nação brasileira. “Temos de desfazer o medo que as pessoas têm dos símbolos negros. Vários países trabalham na tentativa de embranquecer nossa cultura”, destacou Délcio.

Para a professora e pesquisadora Márcia Passos, estes encontros deveriam ser sempre realizados e ampliados. “Achei maravilhosa a iniciativa. Acho este trabalho deveria ser levado para as salas de aula e para as comunidades”, avaliou. Há mais de 37 anos estudando a cultura Banto, Nádia Povoa Chaia é contra uma data especifica para homenagear a herança negra. “Sou contra a realização de uma Semana da Consciência Negra. Não deve ser uma vez por ano, e sim o tempo inteiro, devemos sempre refletir sobre a importância desta cultura para a formação da nossa”, acrescentou.

O Subsecretário Municipal de Difusão Cultural, Zola Xavier, comentou que o trabalho foi iniciado e será continuado. “O prefeito tem falado insistentemente da importância de oferecer ferramentas como o cinema para ampliar os saberes de nossa cultura”. E acrescenta: “Aproveitamos a data para reinaugurarmos a Sala Darcy Ribeiro. Iremos realizar exibições de filmes e documentários toda semana”, finalizou.

Nas fotos de Rosely Pellegrino, momentos da noite que encerrou a Semana da Consciência Negra em Maricá

DSC02622DSC02623DSC02624DSC02627DSC02633DSC02634DSC02638DSC02641DSC02642DSC02649DSC02650DSC02656DSC02651DSC02655DSC02652DSC02653

Novembro 27, 2012 Posted by | cultura, direitos humanos, jornalismo, Maricá, palestra gratis | , | Deixe um comentário

Nesta Sexta – Documentário de Abdias Nascimento e palestra com Délcio Teobaldo encerram a Semana da Consciência Negra na Casa de Cultura de Maricá

Programação da Semana da Consciência Negra na Casa de Cultura de Maricá

DSCF1940  Exibição do documentário “Abdias do Nascimento 90 anos – História Viva” as 19:30h

Nesta sexta feira 23.11.2012, na Casa de Cultura de Maricá, acontece a sessão do filme documentário de Abdias, as 19:30h, seguido de Bate-Papo com mais um ícone da defesa e exposição da cultura negra no país. Jornalista, produtor, diretor de cinema e televisão, artista plástico, etnomusicólogo, Délcio Teobaldo que encerrará a noite falando sobre o "Afro jornalismo".

DSCF1973 O subsecretrário Municipal de Cultura de Maricá Zola Xavier, e os palestrantes da Semana da Consciência Negra na Sala Darcy Ribeiro, da Casa de Cultura de Marícá, Délcio Teobaldo palestrante de hoje, e Nadia Povoa Chaia, que abriu a sessão de palestras com sucesso.

Entrada franca. Estão todos convidados.

A casa de Cultura de Maricá,  está localizada na Praça Orlando de Barros Pimentel, Centro – Maricá – RJ

maiores informações (21) 37311432

Novembro 23, 2012 Posted by | cultura, direitos humanos, jornalismo, Lazer, Maricá, palestra gratis, projeto cultural, social | , , | Deixe um comentário

Na Casa de Cultura a pesquisadora Nadia Chaia é aplaudida por seleta platéia em sua palestra “Um olhar sobre as culturas negras”

Fotos e texto: Rosely Pellegrino

Nesta sexta feira 23.11.2012, além da sessão do filme as 19:30, acontece um bate-papo com outro ícone da defesa e exposição da cultura negra no país. Jornalista, produtor, diretor de cinema e televisão, artista plástico, etnomusicólogo, Délcio Teobaldo que encerrará a noite falando sobre o "Afro jornalismo".

DSCF1934 Programação da Semana da Consciência Negra na Casa de Cultura de Maricá

DSCF1940  Exibição do documentário “Abdias do Nascimento 90 anos – História Viva”

DSCF1944 A palestrante da noite de abertura, Nadia Povoa Chaia membro da Academia de Ciências e Letras de Maricá e pesquisadora da cultura bantu, ao lado do subsecretário Municipal de Cultura de Maricá, Zola Xavier

Em comemoração à Semana de Consciência Negra, a secretaria municipal de Cultura de Maricá, reinaugurou a sala Darcy Ribeiro, na noite desta quinta feira 21.11.2012, com a exibição do documentário “Abdias do Nascimento 90 anos – História Viva”, seguida de palestra com Nadia Povoa Chaia membro da Academia de Ciências e Letras de Maricá e pesquisadora da cultura bantu, que foi recebida com muito carinho pelo subsecretário Municipal de Cultura Zola Xavier, que conduziu os trabalhos da mesa, e foi muito aplaudida pela seleta platéia presente, ao falar sobre música, religião e igualdade racial. Sempre muito simpatica e atenciosa para com a platéia, Nadia remontou a história, formeceu dados com informações importantes sobre a vinda dos negros para o Brasil, seu destinos e etnias.

DSCF1938 DSCF1962.

DSCF1970 Reinaugurando sala Darcy Ribeiro, o Subsecretário Municipal de Cultura de Maricá Zola Xavier, deu as boas vindas aos presentes, e apresentou a palestrante da noite de abertura da Semana da Conscência Negra, Nadia Povoa Chaia

DSCF1965 DSCF1945 Nadia Povoa Chaia membro da Academia de Ciências e Letras de Maricá e pesquisadora da Cultura Bantu, com sua sabedoria e simpatia, conquistou o público presente e foi aplaudida por todos

DSCF1974 Nadia Povoa Chaia recebeu elogios do radialista Sergio Mesquita, pela qualidade informativa de sua palestra

Dentre os presentes destacamos a presença da secretária Municipal de Metas do Governo Janete Valadão, do radialista Sergio Mesquita, do Jornalista, produtor, diretor de cinema e televisão, artista plástico, etnomusicólogo, Délcio Teobaldo, de Mestre Dico da Capoeira, da presidente da Academia Ciências e Letras de Maricá, Meg Carvalho, do Assessor da Subsecretaria Municipal das Diversidades Religiosa, Liminha, do Superintendente do Museu de Maricá, Professor de História Cesar Brum, amigos da cultura, além de alunos e ex alunos do Colégio Estadual Elisiário Matta que prestigiaram e elogiaram o evento.

Nesta quinta (dia 22.11.2012), a partir de 19:30h, acontece a segunda exibição do documentário “Abdias do Nascimento 90 anos – História Viva”. Político, artista plástico, poeta e escritor. A história de Abdias confunde-se com as próprias raízes do movimento negro no país e no mundo. Ele, foi o líder político que formou a primeira geração de atores e atrizes dramáticos negros do teatro brasileiro. Professor emérito da Universidade do Estado de Nova York, ex-deputado federal, senador e secretário de Estado do Governo do Rio de Janeiro, Abdias foi também criador do Teatro Experimental do Negro e do Museu de Arte Negra, e pioneiro na formulação de políticas de igualdade racial e ação afirmativa. O ativista do Movimento ao Negro, Abdias Nascimento faleceu em 24 de Maio de 2011, aos 97 anos.

DSCF1973 O subsecretrário Municipal de Cultura de Maricá Zola Xavier, e os palestrantes da Semana da Consciência Negra na Sala Darcy Ribeiro, da Casa de Cultura de Marícá, Délcio Teobaldo e Nadia Povoa Chaia.

Amanhã, sexta feira 23.11.2012, além da sessão do filme as 19:30, acontece um bate-papo com outro ícone da defesa e exposição da cultura negra no país. Jornalista, produtor, diretor de cinema e televisão, artista plástico, etnomusicólogo, Délcio Teobaldo que encerrará a noite falando sobre o "Afro jornalismo".

Entrada franca. Estão todos convidados.

Novembro 22, 2012 Posted by | arte, cultura, direitos humanos, jornalismo, Lazer, Maricá, palestra gratis, projeto cultural | , , , , | Deixe um comentário

Mundeiro, viagem por culturas que partiu de Maricá

Texto: Jorge André

Ele nasceu em Ponte Nova (MG) e vive há 18 anos em Maricá. Jornalista, produtor, diretor de cinema e televisão, artista plástico, etnomusicólogo, Délcio Teobaldo apresenta nesta quinta-feira (01/11), no Teatro Municipal de Niterói, o espetáculo “Mundeiro”. A apresentação será única, com o lançamento de um CD referente ao projeto, que existe há 15 anos e faz incursões em culturas orais e rítmicas do Brasil e do mundo. Nele Délcio exibe sua herança musical, passeia pelas literaturas oral e escrita e pelo diálogo intercultural que já o levou dos lugares mais remotos do Brasil ao The Vortex Jazz Club, em Londres e a Maharashtra, na Índia.

Maricá estimulou a criatividade do artista

A pesquisa não se restringe à música. Desde a chegada a Maricá, Délcio já escreveu 10 livros. Um deles, “Pivetim”, recebeu em 2008 o Prêmio Barco a Vapor de Literatura Infantil e Juvenil pelo Grupo SM de São Paulo. “Minha produção intelectual foi praticamente desenvolvida aqui. com mais tempo escrevi todos os meus livros e comecei o Projeto Mundeiro”, comenta o artista.

Acompanhado pelos percussionistas Pedro Lima, Lucá Rodrigues e Toni Nogueira; pelas cordas de Alexandre Guichard, vozes de Aline Paes e danças de Ana Paula Dias, Délcio mostra em “Mundeiro” como os cantos de fé, de trabalho e de folia organizam seus sotaques e harmonias, em todas as culturas populares do mundo, já que a palavra se refere aos peregrinos e aos libertários. “O fato de abrir o Mês da Consciência Negra, no dia 1º de novembro, dia de “Todos os Santos” e véspera de “Finados”, condiz com a ideia do trabalho que faz um diálogo entre o sagrado e o profano”, conclui.

O espetáculo começou a ser formatado em 1997, segundo Délcio Teobaldo, durante temporada no Rio Jazz Club, no Rio de Janeiro. “Na época já tinha um desenho de produção do espetáculo, com as vozes múltiplas e percussões dos batuques de rua da cidade, em conexão com os ofícios de fé de Minas, onde nasci”, conta o artista.

Outubro 31, 2012 Posted by | cultura, jornalismo, Lazer, Teatro | , | Deixe um comentário

Alunos de creche municipal de Maricá participam de contação de histórias com educadora argentina

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Moreira) | Fotos: Fernando Silva

A contadora de histórias argentina Geraldina Rayo apresentou seu trabalho para o grupo de crianças, entre dois e três anos de idade.

Uma mistura de curiosidade e encanto marcou a participação de 20 crianças da creche municipal Estrelinhas do Amanhã na oficina "Para Despertar Orelhas", realizada nesta quarta-feira (12/09) na unidade de ensino infantil.

Numa parceria entre as secretarias de Educação, Cultura e o Projeto Beabá na Praça, idealizado pelo artista maricaense Délcio Teobaldo e que desde 2008 realiza ações de leitura e contação de histórias na Praça do Caxito, a educadora e contadora de histórias argentina Geraldina Rayo (que desde o início do mês de setembro está no Brasil), apresentou seu trabalho para o grupo de crianças, que possuem entre dois e três anos de idade.

Fruto de anos de pesquisa e experiência em narrativa oral para estímulo ao desenvolvimento de bebês e crianças, a técnica de contação de histórias usada por Geraldina inclui o uso de uso de penas, tapetes e outros acessórios coloridos e, mesmo com a barreira da lingua, encantou a todos graças à utilização de músicas e movimentos para atrair a atenção das crianças. “A intenção não é fazer a interpretação do conto para o português. Nossa proposta é mostrar que eles compreendem o que é dito independente da língua e da nacionalidade”, destacou a narradora, que possui formação nas áreas de educação e artes.

Também participou da oficina a contadora de histórias Luciana Zule, do Grupo Mosaicos, do Rio de Janeiro, que está colaborando com os trabalhos da narradora argentina durante sua passagem pelo Brasil.

Oficina “Para Despertar Orelhas"
Com os olhos arregalados à espera de uma surpresa, a turminha de 20 alunos sentou-se no tapete para ouvir os contos da narradora. A pequena Sarah Reis, de três anos, estranhou a movimentação e chegou a chorar no colo da professora. Aos poucos, no entanto, a menina se rendeu ao canto e aos contos de Geraldina. Assim como Sarah, os demais alunos interagiram e viajaram pelo mundo mágico das histórias apresentadas. No fim, sorrisos, aplausos e o olhar deslumbrado pela descoberta do poder da imaginação. A pequena Sarah, antes com medo, agora estava "mergulhada num mar de peixes coloridos". “Chorei porque senti falta da minha mãe, mas adorei o peixinho verde e queria brincar com ele”, disse a pequena aluna após a apresentação da oficina.

Começo em Buenos Aires
A narradora explicou a importância desse trabalho, iniciado em 2007, em Buenos Aires, em hospitais e em centros de educação infantil por meio do projeto Bebetecas, hoje desenvolvido com bebês a partir de 45 dias. “Nossa apresentação mexe com todos os sentidos humanos. Elas ouvem, sentem, falam. A minha intenção é despertar o olhar mágico que existe dentro de cada criança”, explicou Geraldina, que no próximo sábado, dia 15/09, das 9h às 13h, se apresentará na Universidade Estácio de Sá, no polo Uruguaiana, no Rio.

A diretora da creche, Maura, considerou a oficina uma excelente oportunidade por lançar um novo olhar sobre o projeto pedagógico voltado para arte. “Foi muito oportuno, pois daremos início a trabalhos voltados para produção artística. Mas o mais interessante foi permitir a esses alunos o contato direto com outra cultura, por meio da música, que é universal”, frisou a diretora, que há menos de um mês assumiu a direção da unidade, que conta com 205 alunos, de dois e três anos, atendidos em período parcial.

Os pequenos alunos viajaram pelo mundo mágico das histórias apresentadas.

A técnica de contação de histórias usada por Geraldina inclui o uso de uso de penas, tapetes e outros acessórios coloridos.

Setembro 13, 2012 Posted by | arte, cultura, Educação, jornalismo, Maricá | , | Deixe um comentário