Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Prefeitura de Maricá encerra Projeto Cultural GOLPE DE 64: A história que não foi contada

Fotos de Fernando Silva, Rodrigo Farias Noronha e Rosely Pellegrino

Vídeo Jorge André Batista Dé

Por Sérgio Mesquita (Secretário Muniipal de Cultura de Maricá)

Depois de três cancelamentos fechamos o Projeto Cultural Golpe de 64 – História que não foi contada, com o excelente show multimídia na Praça Orlando de Barros Pimentel neste 1º de maio. Aconteceram alguns problemas de iluminação e som por conta da decisão de realizarmos em cima da hora o show, em um evento patrocinado pela Secretaria do Trabalho, ossos do ofício. Só podemos agradecer a oportunidade que nos deu a Secretaria do Trabalho e o apoio das Secretarias de Turismo, Educação e Direitos Humanos.

Durante um mês, foram cinco filmes com palestras e debates com a plateia, uma Batalha de MC`s, o Dia Internacional da Poesia e o show de encerrando o Projeto. Uma verdadeira aula sobre o período negro de nossa recente história.

O objetivo foi o de resgatar nossos verdadeiros heróis e apresentar para as gerações que não viveram aqueles momentos de terror ( 80 para cá), como aconteceu e as estratégias aplicadas para o sucesso do Golpe: o desmantelamento da Educação e a concentração dos meios de comunicação nas mãos das famílias que apoiaram o Golpe. Tínhamos o dever de denunciar estas estratégias, pois elas são as mesmas utilizadas até hoje.

Muito timidamente conseguimos alguns avanços na questão da Educação, notadamente nos últimos 10 anos. Na questão da mídia a situação só não é pior por conta do advento da Internet que permite um contraponto à mídia “democrática”, mais com alcance limitado e com riscos de ser abafado por conta das propostas de controle pelo Estado (França, Inglaterra, EUA e outros),que em nome da segurança querem o controle total da Internet e nos calar mais.

Hoje praticamente só temos a Internet para denunciar as mesmas manipulações que aconteceram em 1954 (contra Getúlio) e 1964 (contra Jango), através das mesmas fórmulas. Mentiras, ocultação do que não é de interesse e desvirtuação dos fatos são práticas comuns nas grandes redes de televisão e mídia impressa. Verdades viram mentiras e mentiras viram verdades. Condena-se e inocenta-se com a mesma desfaçatez e cinismo, e preparam um novo Golpe nos dias de hoje. Não existe “interesse em acabar a corrupção” existe o interesse de retomar o poder. Não pelas elites – não os são, mais pelas classes que ainda dominam o país e não admitem a distribuição do que acreditam serem “suas” rendas.

Na realidade não são as questões religiosas, de liberdade ou não, que movem o mundo para as guerras de “libertação”. Foram e sempre serão lutas pelo capital e sua concentração. O bem contra o mal se traduz em mais dinheiro no bolso a qualquer custo.

Por isso fizemos questão de realizar este projeto pela Casa de Cultura e pretendemos fazer muito mais. Como cita Raul Castro: “devagar mais sem pausa”.

No mais só posso agradecer a equipe de colaboradores da Cultura e aos nossos amigos que incentivaram, criaram e discutiram o show em sua forma e conteúdo e, claro, ao nosso Governo Municipal.

IMG_3191

IMG_3195IMG_3200IMG_3208IMG_3209IMG_3212

DSCF7441DSCF7447

IMG_3225IMG_3226IMG_3227DSCF7460IMG_3258DSCF7467DSCF7469DSCF7471DSCF7476DSCF7485DSCF7499IMG_3259DSCF7500

IMG_3263IMG_3264IMG_3265

IMG_3271IMG_3272

IMG_3280DSCF7509DSCF7513

IMG_3289IMG_3298DSCF7520IMG_3300DSCF7523IMG_3304DSCF7539DSCF7540IMG_3318

IMG_3310DSCF7542

DSCF7555DSCF7565DSCF7566DSCF7568

DSCN1369IMG_3397

DSCN1370DSCN1361

Nota desta editora:

No vídeo produzido e editado pelo jornalista Jorge André, um resumo do que foi apresentado no dia 1 de Maio. tp://www.facebook.com/photo.php?v=517972338263335

IMG_3416Agora com o a palavra o Diretor Álvaro Ferreira

“Há determinados momentos da vida em que nos atiramos de cabeça num mar de idéias misturados com sonhos e coisas que deixamos de fazer. Foi assim que aconteceu com o “SHOW DO GOLPE DE 64” uma idéia que surgiu do coletivo, mais precisamente da roda que realizamos todas as manhãs e que criou corpo numa mente cheia de vontade de voltar a fazer o que gosta. Construímos assim um espetáculo multimídia com Teatro, Dança, Música, Vídeo que passo a passo, pedra por pedra foi sendo construído, ensaiado e revelado num emaranhado de cenas cercadas de muita emoção, não somente pelo tema, mas também pela vontade de uma equipe de atores, não atores, músicos, bailarinos, coreógrafo, amigos e pessoas que contribuíram para a construção desse espetáculo. Foi muito bom exercitar meus conhecimentos e ver que tudo deu certo, apesar de alguns bons tropeços, que nos servem somente para que não venhamos a cometer os mesmos erros. Eu ainda acredito, e muito, num trabalho em equipe, pois somente dessa forma podemos crescer aprendendo. Obrigado a todos que fizeram comigo esse real momento de sonhos”.

Nota desta editora: Vale lembrar que a Prefeitura de Maricá ofereceu ao trabalhador uma noite memorável com show histórico e sinfônica

A união e parceria das secretarias de Cultura, Trabalho, Educação, Turismo e Direitos Humanos, proporcionou uma festa ao trabalhador que já entrou para história do um município.

No Dia do Trabalho foi apresentado na Praça Orlando de Barros Pimentel, o encerramento do Projeto Cultural Golpe de 64, dirigido pelo professor Álvaro Jorge Coutinho Ferreira, que no elenco e na produção contou com a participação da equipe da secretaria municipal de cultura, e de amigos da Cultura, a apresentação do Show Multimídia que também foi um marco do resgate da história cultural e política do nosso município, arrancou aplausos da numerosa platéia que se surpreendeu com os depoimentos sobre o que aconteceu na vida das tradicionais famílias maricaenses durante o período da repressão.

Finalizando a noite com chave de ouro, e dando vivas à liberdade e a vida, a Sinfônica Ambulante, realizou uma apresentação que envolveu a praça e o publico em um clima de musicalidade, harmonia, sintonia, liberdade e felicidade. A festa terminou com uma grande confraternização.

DSCN1374DSCN1375DSCN1379DSCN1386DSCN1388DSCN1423DSCN1424 

Sinfônica Ambulante é um  bloco inovador de Niterói, onde o som dos bateristas e percussionistas se junta ao sopro dos metais! Saxofones, trompetes, trombones e flautas se unindo ao ritmo de surdos, caixas, repique, alfaia, derbake… com eclético repertório que toca desde sambas consagrados ao bom e velho rock and roll, passando por diversos ritmos diferentes, dentre eles a funky music, o forró, o maracatu, a salsa, o jazz, e sempre com muito espaço pra descontração entre os integrantes e liberdade para improvisos, o que torna cada apresentação uma enorme diversão!

Maio 6, 2013 Posted by | cultura, Dança, direitos humanos, Educação, jornalismo, Lazer, literatura, Maricá, musica, política, projeto cultural, shows e eventos, Teatro, trabalho e renda, turismo | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Prefeito de Maricá Washington Quaquá reeleito apresenta equipe do segundo governo

Texto: Marcelo Ambrosio e Rafael Zarôr (edição: Marcelo Moreira) | Fotos: Fernando Silva

Da esquerda para direita: vice-prefeito Marcus Ribeiro; prefeito Washington Quaquá; primeira-dama Rosangela Zeidan e vereador Fabiano Horta.

O prefeito reeleito, Washington Quaquá, apresentou nesta sexta-feira (14/12), durante coletiva de imprensa na sede da prefeitura, a equipe de trabalho para o novo governo (2013 a 2016).

Além de adiantar nomes de algumas pastas e de apresentar o vice-prefeito, Marcos Ribeiro, como o coordenador-geral do governo – “nosso time agora terá dois atacantes, em vez de um”, brincou Quaquá – anunciou projetos prioritários para os próximos quatro anos e destacou que o foco será a eficiência e o aproveitamento de bons quadros da administração pública da própria cidade. “Não vamos tolerar funcionários que não produzam. Esse governo será marcado por serviços de qualidade”, afirmou o prefeito. “Essa é uma inovação em Maricá e ser o coordenador significa ajudar a máquina a funcionar, se mover, ir sempre à rua ver o que as secretarias precisam”, completou Marcos Ribeiro.

O prefeito também enumerou as bandeiras de luta da gestão 2013-2016. A principal é acabar com o monopólio do transporte de ônibus na região, trazendo novas empresas para melhorar a concorrência e os serviços prestados. Outro ponto essencial é o da segurança pública, com a instalação de um batalhão da PM na cidade. “O 12º BPM não consegue cuidar nem de Niterói. O que o comandante do batalhão faz com Maricá é uma irresponsabilidade”, atacou Quaquá, lembrando que o efetivo local é de 30 policiais, “para um município de 360 km quadrados de área”.

A terceira bandeira, o abastecimento de água, também vai merecer pressão constante. “A Cedae ganhou a renovação do contrato de concessão aqui no apagar das luzes do mandato do meu antecessor e não está cumprindo o que deveria”, afirmou o prefeito. “A cidade está crescendo e, especialmente o Centro não pode ficar sem água como tem acontecido”, completou, lançando o mote da campanha: “ou a água entra, ou a Cedae sai”. Ao seu lado, a primeira-dama e suplente de deputada estadual pelo PT, Rosangela Zeidan, enfatizou: “Maricá vive o melhor momento econômico e contamos com a comunicação para que levar adiante essas bandeiras com sucesso”.

Mudanças na Saúde e na Cultura

Uma das mudanças de secretariado mais destacadas está na Saúde. A médica Janete Valadão, que já presidiu a associação médica de Maricá, deixa a extinta pasta de Gestão das Metas de Governo para assumir a secretaria municipal de Saúde, no lugar de Carlos Alberto Malta Carpi. Janete esteve recentemente com o prefeito em Cuba para implantar em Maricá um modelo de saúde próximo ao praticado no país caribenho. Uma das ações já planejadas é a vinda de vinte médicos brasileiros, treinados em Cuba, que atuarão como consultores da prefeitura. “Nós estivemos nas policlínicas cubanas, vimos o modelo deles e é isso que a Janete, que é uma médica respeitada no município, fará”, afirmou o prefeito. Outros projetos importantes, como a construção do novo hospital municipal Dr. Ernesto Che Guevara, continuam em andamento e serão retomados em janeiro, após o período de fechamento de contas.

Na cultura, o historiador de MPB Ricardo Cravo Albin deixa o cargo para dá lugar a Sérgio Mesquita, especialista em Tecnologia da Informação e em desenvolvimento de sistemas para TV. O novo secretário terá como prioridade, a pedido do prefeito, aproximar ainda mais a cultura das políticas de educação do governo, criando soluções intersetoriais que ampliem a difusão cultural nas escolas, por exemplo. Outra meta é ampliar a participação popular em projetos da área cultural.

Depois de netbooks para alunos, prefeitura irá distribuir tablets para profissionais da educação

Após distribuir 14 mil netbooks aos alunos da rede municipal de ensino, o prefeito vai ampliar o programa de inclusão digital na cidade com a distribuição de tablets aos professores, orientadores pedagógicos e monitores, com o equipamento sendo acompanhado dos programas de educação que permitem seu uso otimizado. A secretária de Educação, Marta Quinan, foi mantida no cargo para, segundo ele, continuar o excelente trabalho realizado, que culminou, recentemente, com a assinatura de um convênio com uma escola de hotelaria e o trabalho em torno da vinda de uma unidade do Senai para a cidade.

O prefeito também confirmou os entendimentos para a construção do Oceanário na lagoa de Ponta Negra, um dos últimos projetos assinados pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que faleceu na semana passada. O projeto será uma das principais missões do secretário de Turismo e Lazer, Amaury Vicente, mantido no cargo. Na secretaria de Trabalho, Patrícia Villela cede o posto a Rosana Horta, e a secretaria terá a importância estratégica no governo reforçada com uma nova sede e a ampliação dos serviços. “O trabalho de qualificação de mão de obra e de acesso ao trabalho feito pela secretaria foi tão eficiente que hoje Maricá seleciona pessoas pelo Sine para atender a empresas em outros municípios”, afirmou o prefeito.

Nas secretarias Executiva, de Assistência Social, de Controle Interno, de Desenvolvimento Econômico, Assuntos Federativos e de Obras não haverá mudanças. Continuam à frente os secretários Márcio Leite, Laura Maria Vieira da Costa, Joab Santana, Lourival Casula, Fabiano Filho e Fernando Rodovalho. A Procuradora Geral do Município Maria Inez Pucello também foi reconduzida. Já a secretaria de Urbanismo e Ambiente será desmembrada: na primeira permanece Celso Cabral, na segunda, o nome ainda será anunciado.

Foram apresentadas duas novas pastas: a secretaria do Idoso e a de Religiosidade (“o nome ainda é provisório", disse Quaquá). A primeira é um desmembramento das ações realizadas para a terceira idade pela assistência social. “O trabalho foi tão bem feito com as Casas da 1ª à 3ª Idade que vamos ampliar, agregando também mais serviços de saúde”, definiu o prefeito. Já a pasta ligada à religião é, na definição do Executivo, uma forma de aproveitar o papel das igrejas como núcleos de apoio social e de inclusão.

Obras terão ainda mais prioridade

Vice-prefeito Marcus Ribeiro e prefeito Washington Quaquá falam sobre projeto para o segundo mandato.

Perguntado sobre as obras, o prefeito disse que vai dobrar as intervenções na cidade já em 2013. “Vou fazer mais obras no próximo ano do que realizei em 2012. As intervenções em andamento serão concluídas e darei prioridade à orla de Itaipuaçu”, adiantou Quaquá, que conta com o apoio da Câmara Municipal. “A perspectiva da Câmara é a da sinergia como a melhor palavra nessa relação com o governo. Teremos o olhar independente mas ciente da necessidade de contribuição”, descreveu o vereador reeleito Fabiano Horta, líder do governo na Casa. “Maricá vive um processo de transição entre cidade pequena para cidade média de forma muito acelerada e aos legisladores cabe um papel de pensar a cidade que queremos”, encerrou.

Dezembro 15, 2012 Posted by | jornalismo, Maricá | , , | Deixe um comentário

Referência nacional, gestão municipal de Maricá desperta interesse de municípios

Texto: Leandra Costa (edição: Marcelo Ambósio) | Fotos: Fernando Silva

  A secretária municipal Executiva e de Administração, Maria Helena Alves Oliveira, com representantes de Itabira e Rio das Ostras durante reunião realizada ontem (14/05) na sede da Prefeitura de Maricá

Desde a apresentação no II Encontro Nacional de Tecnologia da Informação em Municípios, em Brasília, em outubro passado, o programa de modernização administrativa implementado pela Prefeitura de Maricá vem servindo de referência para outras cidades. Depois do interesse das prefeituras de Almeirim (PA), Dias D´Ávila (BA) e São Francisco do Conde (BA), Maricá recebeu nesta segunda e terça-feira (14 e 15/05) técnicos e servidores municipais de Itabira (MG) e Rio das Ostras (RJ), que quiseram conhecer de perto os benefícios da iniciativa.

A secretária municipal Executiva e de Administração, Maria Helena Alves Oliveira, recebeu a equipe e mostrou os desafios enfrentados para modernizar a administração da cidade. “Tínhamos diversos problemas referentes à tecnologia, infraestrutura e armazenamento dos dados públicos. Existiam quatro sistemas administrativos alugados que não conversavam entre si e não garantiam a confiabilidade nas informações”, exemplificou a secretária, lembrando que agora, com a implantação do sistema e-Cidade, os dados ficam concentrados num banco único.

O projeto prevê o uso de softwares livres na gestão municipal, dentro do Programa de Modernização da Administração Tributária (PMAT) de Maricá, no valor de R$ 10,5 milhões, financiado com recursos do BNDES. “A modernização abrange a ferramenta de tecnologia. O e-cidade é a grande plataforma e 80% dos 48 módulos já estão implantados. Em Maricá, dos 98 prédios públicos, 48 estão integrados”, salientou. Com isso, rotinas administrativas como a emissão do Habite-se tornaram-se mais rápidas: o sistema permite emissão em 10 dias em lugar dos 60 dias do processo normal. Cerca de 120 documentos desse tipo já foram emitidos. O controle da frota da prefeitura também melhorou com o e-Cidade.

Entusiasmado com o sucesso, o analista de sistema da Prefeitura de Rio das Ostras, Marcos Machado, explicou que em sua cidade vários sistemas não são unificados e funcionam de forma independente. “Estou impressionado. Esse choque de gestão é o que precisamos para modernizar a administração de Rio das Ostras. Hoje, temos a infraestrutura, mas nos falta um programa integrado e livre como o e-cidade”, destacou o analista.

De Itabira, Minas Gerais, cidade com 120 mil habitantes, veio um grupo com onze técnicos. Aline Cristina Gonçalves Moreira, funcionária pública de Itabira há 21 anos, há 10 é gerente do departamento de informática. Para ela, os problemas encontrados são similares, mas considera que a grande vantagem de Maricá é o uso do software livre. “Em Itabira, trabalhamos com sistema proprietário sem acesso ao código fonte, ou seja, qualquer alteração tem que ser feita pela empresa que o administra. O e-cidade permite que a prefeitura tenha livre acesso e que seja adaptado à nossa realidade”, destacou. Aline, por sinal, viu a apresentação sobre Maricá em Brasília. “Já tinha ouvido falar nesse programa, mas foi com a explanação lá que me interessei pelo assunto. Conversei com diversos setores da prefeitura e decidimos vir para Maricá conhecer as especificidades desse modelo que deu tão certo aqui e poderá ser positivo lá também”, concluiu a gerente.

Maricá se tornou referência na modernização da gestão administrativa após implantação do PMAT.

Secretária de Administração explicou os êxitos e desafios do programa, que está informatizando a gestão em Maricá.

Maio 16, 2012 Posted by | jornalismo, Maricá | , , | Deixe um comentário