Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Atos em defesa da democracia mobilizam milhares de pessoas em todo o país

Largo da Carioca, centro do Rio, tomado por pessoas de todas as tribos, partidos e classes sociais. Nosso mandato marcou presenca pra dizer (foto mídia Ninja) No Rio de Janeiro, aproximadamente 50 mil manifestantes ocuparam o Largo da Carioca, na capital fluminense. O cantor Chico Buarque foi um dos artistas que participou do ato pela democracia no Rio. Junto aos milhares de manifestantes, ele cantou a música "Admirável Gado Novo".

Chico Buarque no Largo da Carioca contra o golpe 

Chico Buarque no ato contra o golpe do Largo da Carioca O cantor e compositor Chico Buarque participou do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca, no centro do Rio, e repetiu para a multidão que “não vai ter golpe”. Chico chegou ao palco por volta das 19h30 desta quinta-feira (31), sendo ovacionado por gritos de “Chico, guerreiro do povo brasileiro”.

“Eu vim aqui dar um abraço nas pessoas das mais variadas tribos, das mais variadas convicções políticas. Gente que votou no PT, gente que não gosta do PT, gente que foi do PT, que se desiludiu com o partido, gente que votou na Dilma, mas sobretudo, gente que não pode por em dúvida a integridade da presidente Dilma Rousseff.”

Chico continuou sua fala dizendo que estavam todos unidos na defesa intransigente da democracia. “Eu vejo gente aqui na praça, da minha geração, que viveu o 31 de março de 1964. Mas vejo sobretudo a imensa juventude que não era então nem nascida, mas que conhece a história do Brasil.”

Por fim, o cantor e compositor agradeceu a todos e repetiu que não haverá golpe: “Eu quero aqui agradecer a vocês que me animam a acreditar que não, de novo não, não vai ter golpe”. Em seguida, Chico deixou o palco e o ato, sendo muito festejado pelos presentes.

Quaquá fala no ato contra o golpe no Largo da Carioca 31.03.2016 Presidente do PT RJ, Washington Quaquá e a Deputada Estadual Rosangela Zeidan também participaram do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca

Discurso de Quaquá no ato contra o golpe Largo da Carioca Presidente do PT do Rio de Janeiro Washington Quaquá,  “Hoje lavamos a nossa alma de democracia e resistência popular no Largo da Carioca, Rio de Janeiro. Com uma certeza de que NÃO VAI TER GOLPE!

Fora Cunha e Temer! Vocês não vão roubar a faixa presidencial.

Agora é o povo nas ruas construindo uma nova esquerda popular, mais criativa, militante, rebelde!”

Quaquá e Zeidan no palco do ato do Largo do Machado contra o golpe 31.03.2016 Deputada Estadual (PT) Rosangela Zeidan comentou em sua página pessoal: Largo da Carioca, Centro do Rio, tomado por pessoas de todas as tribos, partidos e classes sociais. Nosso mandato marcou presença pra dizer‪#‎NaoVaiTerGolpe‬ 

Quaquá no Largo da Carioca contra o golpeAto no Largo da Carioca 2Ato no Largo da Carioca 3Ato no Largo da Carioca foto Paulo PolonioLindberg, Zeidan, Wadih no ato contra o golpe Largo da CariocaLurian no ato do Largo da Carioca

A mobilização foi convocada pelas Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo; em São Paulo, ato na Praça da Sé reuniu 60 mil manifestantes

Milhares de pessoas participaram da Jornada Nacional em Defesa da Democracia nesta quinta-feira (31) em diversas cidades brasileiras. Os atos foram organizados pela Frente Brasil Popular e pela Frente Povo Sem Medo, com o objetivo de defender a democracia contra o golpe e de lutar por uma outra política econômica.

A manifestação fez parte de um conjunto de ações unitárias convocadas pela Frente Brasil Popular epela Frente Povo Sem Medo em todo o país. Foto: José Eduardo Bernardes / Brasil de Fato.

Além dos atos nacionais, brasileiros que moram em outras partes do mundo também se manifestam contra a tentativa de golpe em curso no Brasil. Foram registrados atos em Bogotá (Colômbia), Paris (França), Munique (Alemanha), Copenhagen (Dinamarca), Coimbra (Portugal) e Barcelona (Espanha).

São Paulo

O ato desta quinta-feira (31) reuniu cerca de 60 mil pessoas na Praça da Sé, no Centro da cidade. Bandeiras foram hasteadas na praça, local simbólico por ter sido palco das lutas do movimento Diretas Já, que exigiu eleições presidenciais no Brasil entre 1983 e 1984. Entre as baterias que entoavam palavras de ordem contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o juiz Sergio Moro, os manifestantes denunciaram a tentativa de golpe em curso no país, com o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Com os últimos desdobramentos da política, como a saída do PMDB da base do Governo, a confiança de muitos ali reunidos era de uma guinada do Governo à esquerda. Esse era o sentimento do casal Arlete, 65, dona de casa; e Paulo Brota, 71, bancário aposentado. "Ela [Dilma] não conseguia mais governar, acho que agora vai melhorar", disse Brota.

Eles lembraram do regime militar que há exatos 52 anos – no dia 31 de março de 1964 – se iniciava. "Em 1964, eu era bancário em Minas Gerais e posso dizer que o clima era bem parecido, este sentimento anticomunista, por exemplo", disse. No entanto, ele diferencia os dois momentos por causa das grandes mobilizações de rua que acontecem atualmente contra o impeachment. "Isso eu já não vi na época. Com certeza, 2016 não é igual", argumentou. "Se realmente haver um golpe, também haverá muita resistência", completa Arlete.

A atriz do Grupo 59 de Teatro, Nilceia Maria Vicente, 37, afirma que saiu de casa contra uma articulação que, na sua visão, privará muitos direitos sociais futuramente. Ela, que declarou voto em Dilma no segundo turno das últimas eleições, afirmou que não está satisfeita com a presidente, mas que a questão "extrapolou os limites de ser partidária". "A gente entende que, ela permanecendo, os nossos direitos vão estar garantidos”, declarou.

Passada essa turbulência, diz Nilceia, a presidenta deveria liderar um processo de reforma política no país. “A gente está aqui brigando por ela e ela precisa estar lá brigando por nós também”, disse.

Confira como foi a cobertura em tempo real em diversas cidades do país e do mundo.

Cerca de 200 mil pessoas participaram do ato em Brasília (DF).

Foto: Rafael Tatemoto / Brasil de Fato.

Juventude

Assim como na última manifestação, a participação de jovens foi visível. Os amigos Pedro, 14; Lucas, 15 e André, 15, compareceram sozinhos de bairros nobres da Zona Oeste. "Minha mãe acha muito errado. Ela xinga o [ex-presidente Luiz Inácio] Lula pela TV (…), mas [diz que] ele ajudou muita gente", contou Pedro. "Somos contra a Rede Globo, que manipula e é totalmente partidária", pontuou André. "A gente é a favor da diminuição das desigualdades, mas muita gente é contra", afirmou Lucas.

Já a estudante de pedagogia Barbara, 22, disse que a vontade de sair às ruas em defesa da democracia vem de família. "Meus avós lutaram contra a ditadura e minha mãe soube que estava grávida de mim logo após uma manifestação contra a privatização do Banespa, onde ela levou borrachada da polícia", contou.

Ela afirmou que, por mais que ainda não concorde com muitas medidas tomadas pelo Governo, estava ali por defesa de um projeto político que, segundo ela, retrocederia muito em caso de destituição da presidente. Além disso, Barbara disse ter ficado assustada com o avanço de discursos de ódio contra o Partido dos Trabalhadores (PT), inclusive propagado por seus alunos de apenas sete anos. "Tenho amigo que apanhou por estar vestindo vermelho, alguns professores que deixaram de falar comigo por eu não ter vestido vermelho, a situação tá muito complicada", disse.

Já quase no final do ato, o Grupo Angola Sim Senhô fez uma roda de capoeira contra o golpe. "O mestre apresentou suas convicções políticas e quem concordava veio se expressar contra o golpe", explica Livia, integrante do grupo. Cerca de 20 capoeiristas compareceram e cantaram em tom de ironia: "não, não, não, não vai ter golpe…. Só de capoeira!".

Pelo país

Mais de 700 mil pessoas em mais de de 100 municípios, em 26 estados e no Distrito Federal, também participaram da Jornada Nacional em Defesa da Democracia nesta quinta-feira (31).

 Manifestantes também saíram às ruas de Washington, D.C., para protestar contra o golpe e defender a democracia brasileira. Foto: Reprodução.

A maior manifestação aconteceu em Brasília (DF), com 200 mil participantes. O ato se concentrou em frente ao estádio Mané Garrincha e seguiu até o Congresso Nacional. Mais de 750 ônibus de todos os estados brasileiros foram à capital federal.Além dos atos nacionais, brasileiros que moram em outras partes do mundo também se manifestam contra a tentativa de golpe em curso no Brasil. Já foram registrados atos em Bogotá (Colômbia), Paris (França), Munique (Alemanha), Copenhagen (Dinamarca), Coimbra (Portugal) e Barcelona (Espanha).

Confira as ações por estado:

AL

Cinco mil pessoas estiveram no ato em Maceió, onde foi preparado um grande cortejo artístico e cultural para defender a democracia, contando com a diversidade popular da região. Movimentos populares do campo e da cidade, partidos, artistas e intelectuais cantam a uma só voz a defesa do estado democrático de direito.

BA

A marcha pelo centro de Salvador começou na Piedade e seguiu até o Campo da Pólvora com a participação de mais de 30 mil pessoas.

Cidades do interior também se organizaram. Araci, de 50 mil habitantes, reuniu cerca de 500 pessoas e, em Feira de Santana, no recôncavo baiano, mais de 3 mil trabalhadores se concentraram na Praça do Nordestino saíram em marcha pelo centro da cidade na parte da tarde.

CE

Em Fortaleza, cerca de 50 mil pessoas participaram do ato, que começou na Praça da Bandeira e seguiu até o Dragão do Mar.

GO

Em Goiânia, cerca de 2 mil pessoas participaram do ato, que se concentrou na Praça Cívica.

MA

Na capital, São Luís, a organização divulgou que mil pessoas participaram do ato. Já no município de Imperatriz, a estimativa é de que 500 pessoas manifestaram seu apoio à democracia na Praça de Fátima.

MG

Em Belo Horizonte, o ato reuniu cerca de 40 mil na Praça da Estação. A população de outras cidades, como Juiz de Fora, Montes Claros, Poços de Caldas, São Lourenço e Varginha também participaram da manifestação.

MT

Em Cuiabá, o palco das manifestações contra o golpe foi a a Praça Alencastro, ocupada por cerca de 400 pessoas contra o processo de impeachment.

PA

A concentração do ato em Belém começou às 16h na Praça da Leitura e, até o final da noite, reuniu aproximadamente 30 mil pessoas.

PE

O Ato pela Democracia reuniu 40 mil em Recife durante a tarde desta quinta. No agreste pernambucano, movimentos populares, sindicatos e militantes sociais também realizaram uma mobilização contra o golpe.

Na cidade de Garanhuns, por exemplo, trabalhadores do MST e da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco (Fetape) e integrantes da Frente Brasil Popular marcharam nesta manhã pelas ruas da cidade, no agreste pernambucano. As cidade de Floresta e Ouricuri também foram palco de mobilizações na manhã desta quinta.

PB

Pela tarde, um ato aconteceu em João Pessoa e reuniu cerca de 10 mil. Em Campina Grande, cerca 15 mil pessoas participaram no centro da cidade.

Na cidade paraibana de Cajazeiras, o ato convocado pela Frente Brasil Popular levou cerca de 1,2 mil pessoas às ruas contra o golpe na manhã de hoje. Participam da mobilização representantes de 12 municípios do alto sertão paraibano.

PI

Em Teresina, o ato começou com um "bandeiraço" no cruzamento da avenida Frei Serafim com a avenida Coelho de Rezende.  Em seguida, houve uma vigília na escadaria da igreja São Benedito, com a participação de 1000 pessoas.

PR

No Paraná, os maiores atos foram em Curitiba e Cascavel, com cinco mil manifestantes cada. Outras cidades também registraram manifestações contra o golpe: Londrina, com mais de mil pessoas nas ruas, e  Quedas do Iguaçu, pelo menos 2 mil pessoas se posicionando contra o impeachment da presidenta da República.

Pela manhã na capital paranaense, a fachada do Instituto GRPCOM, pertencente à RPC (afiliada da Rede Globo no Paraná), amanheceu pichada com referências aos 52 anos do golpe militar, que se completa nesta quarta.

RN

Na capital, a organização estima que pelo 20 mil pessoas participaram do ato, que se concentrou na frente do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). Em Mossoró, 3,5 mil trabalhadores participam de manifestação pela democracia.

RO

Pelo menos mil pessoas se reuniram em frente à praça Matriz em Ji-Paraná para se manifestar pela democracia no final da tarde desta quinta. Na capital Porto Velho, a estimativa da organização foi de 100 pessoas.

RR

Os atos se concentraram na Praça do Centro Cívico, na capital Boa Vista. A organização contabilizou 700 participantes.

RS

Somente em Porto Alegre, cerca de 70 mil pessoas protestaram desde a "esquina democrática" até o  Largo Zumbi dos Palmares, no bairro da Cidade Baixa. No interior, cerca de 30 mil pessoas se mobilizaram em 20 municípios, totalizando mais de 100 mil participantes em todo o estado.

SC

A maior marcha do Estado foi na capital Florianópolis, com cerca de 3000 participantes. Eles saíram do Terminal de ônibus do centro e circularam pela cidade.

SP

Além da capital paulista, o ato também aconteceu no interior do Estado, como Campinas, Pindamonhagaba, Ribeirão Pires e São Carlos.

SE

Em Aracaju, a manifestação teve dois momentos. Às 15h, a atividade começou na Praça General Valadão, com um ato político para a concentração da marcha até a Orla do bairro industrial. No destino da caminhada, por volta das 19h, começaram intervenções artísticas sob o nome "Artistas pela Democracia".

TO

Em Palmas, 600 pessoas participaram das manifestações pela democracia.

Fonte Brasil De Fato *Colaborou Gisele Brito

Anúncios

Abril 1, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , , , , | Deixe um comentário

Chico Buarque: Ninguém pode questionar a integridade de Dilma

O cantor Chico Buarque participou, nesta quinta (31), do ato em favor da democracia, que ocorre no Rio de Janeiro; em sua fala, o artista disse que "ninguém pode por em dúvida a integridade da presidente Dilma Rousseff"; "Estamos todos aqui unidos em defesa da democracia. Pelo apreço da democracia, em defesa intransigente da democracia", disse; Chico destacou que estão presentes no ato pessoas que votaram e não votaram no PT, mas que como ele defendem a democracia; ele também lembrou ter vivido o 31 de março de 1964 e agradeceu o apoio de quem não quer reviver aquele momento e puxou o grito: "Não vai ter golpe"

Chico Buarque no Largo da Carioca contra o golpeChico Buarque no ato contra o golpe do Largo da Carioca

O cantor e compositor Chico Buarque participou do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca, no centro do Rio, e repetiu para a multidão que “não vai ter golpe”. Chico chegou ao palco por volta das 19h30 desta quinta-feira (31), sendo ovacionado por gritos de “Chico, guerreiro do povo brasileiro”.

“Eu vim aqui dar um abraço nas pessoas das mais variadas tribos, das mais variadas convicções políticas. Gente que votou no PT, gente que não gosta do PT, gente que foi do PT, que se desiludiu com o partido, gente que votou na Dilma, mas sobretudo, gente que não pode por em dúvida a integridade da presidente Dilma Rousseff.”

Chico continuou sua fala dizendo que estavam todos unidos na defesa intransigente da democracia. “Eu vejo gente aqui na praça, da minha geração, que viveu o 31 de março de 1964. Mas vejo sobretudo a imensa juventude que não era então nem nascida, mas que conhece a história do Brasil.”

Por fim, o cantor e compositor agradeceu a todos e repetiu que não haverá golpe: “Eu quero aqui agradecer a vocês que me animam a acreditar que não, de novo não, não vai ter golpe”. Em seguida, Chico deixou o palco e o ato, sendo muito festejado pelos presentes.

Presidente do PT RJ, Washington Quaquá e a Deputada Estadual Rosangela Zeidan também participaram do Ato pela Democracia, no Largo da Carioca

Quaquá fala no ato contra o golpe no Largo da Carioca 31.03.2016 Discurso de Quaquá no ato contra o golpe Largo da Carioca Presidente do PT do Rio de Janeiro Washington Quaquá,  “Hoje lavamos a nossa alma de democracia e resistência popular no Largo da Carioca, Rio de Janeiro. Com uma certeza de que NÃO VAI TER GOLPE!

Fora Cunha e Temer! Vocês não vão roubar a faixa presidencial.

Agora é o povo nas ruas construindo uma nova esquerda popular, demais criativa, militante, rebelde!”

Quaquá e Zeidan no palco do ato do Largo do Machado contra o golpe 31.03.2016Deputada Estadual (PT) Rosangela Zeidan comentou em sua página pessoal: Largo da Carioca, Centro do Rio, tomado por pessoas de todas as tribos, partidos e classes sociais. Nosso mandato marcou presença pra dizer ‪#‎NaoVaiTerGolpe‬

Abril 1, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT | , , , , , | Deixe um comentário

VIOLÊNCIA CONTRA LULA AFRONTA O PAÍS E O ESTADO DE DIREITO

Chico Lopes (PCdoB-CE): ex-presidente (foto) vem sendo alvo de uma caçada

A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal.

1) Nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça, espontaneamente ou sempre que convidado. Nos últimos meses, Lula prestou informações e depoimentos em quatro inquéritos, inclusive no âmbito da Operação Lava Jato. Dezenas de testemunhas foram ouvidas sobre estes fatos alegados pela Força tarefa, em depoimentos previamente marcados. Por que o ex-presidente Lula foi submetido ao constrangimento da condução coercitiva?

2) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do Instituto Lula e da empresa LILS Palestras. A Lava Jato já recebeu da Receita Federal, oficialmente, todas as informações referentes a estas contas, que foram objeto de minuciosa autuação fiscal no ano passado.

3) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula, pois este sigilo já foi quebrado, compartilhado com o Ministério Público Federal e vazado ilegalmente para a imprensa, este sim um crime que não mereceu a devida atenção do Ministério Público.

4) Nada justifica a invasão do Instituto Lula e da empresa LILS, a pretexto de obter informações sobre palestras do ex-presidente Lula, contratadas por 40 empresas do Brasil e de outros países, entre as quais a INFOGLOBO, que edita as publicações da Família Marinho (http://www.institutolula.org/as-palestras-de-lula-a-violaca…). Todas as informações referentes a estas palestras foram prestadas à Procuradoria da República do Distrito Federal e compartilhadas com a Lava Jato. Também neste caso, o Ministério Público nada fez em relação ao vazamento ilegal de informações sigilosas para a imprensa.

5) Nada justifica levar o ex-presidente Lula a depor sobre um apartamento no Guarujá que não é nunca foi dele e sobre um sítio de amigos em Atibaia, onde ele passa seus dias de descanso. Além de esclarecer a situação do apartamento em nota pública – na qual chegou a expor sua declaração de bens – e em informações prestadas por escrito ao Ministério Público de São Paulo, o ex-presidente prestou esclarecimentos sobre o sítio de Atibaia em ação perante o Supremo Tribunal Federal, que também é de conhecimento público.

6) A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao STF para que decida o conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal (Força Tarefa), para apontar a quem cabe investigar os fatos, que são os mesmos. Solicitou também medida liminar suspendendo os procedimentos paralelos até que se decida a competência conforme a lei. Ao precipitar-se em ações invasivas e coercitivas nesta manhã, antes de uma decisão sobre estes pedidos, a chamada Força Tarefa cometeu grave afronta à mais alta Corte do País, afronta que se estende a todas as instituições republicanas.

7) O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público. Não é a credibilidade de Lula, mas da Operação Lava Jato que fica comprometida, quando seus dirigentes voltam-se para um alvo político sob os mais frágeis pretextos.

O Instituto Lula reafirma que Lula jamais ocultou patrimônio ou recebeu vantagem indevida, antes, durante ou depois de governar o País. Jamais se envolveu direta ou indiretamente em qualquer ilegalidade, sejam as investigadas no âmbito da Lava Jato, sejam quaisquer outras.

A violência praticada nesta manhã – injusta, injustificável, arbitrária e ilegal – será repudiada por todos os democratas, por todos os que têm fé nas instituições e do estado de direito, no Brasil e ao redor do mundo, pois Lula é uma personalidade internacional que dignifica o País, símbolo da paz, do combate à fome e da inclusão social.

É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro, que reconhece em Lula o líder que uniu o Brasil e promoveu a maior ascensão social de nossa história.

Nota do advogado de Lula sobre denúncia do MP-SP

A íntegra do pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgada pela mídia revela que os promotores de Justiça Cássio Roberto Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo fundamentaram tal requerimento principalmente nas seguintes alegações:

1) Lula teria feito críticas à atuação do Ministério Público e a decisões judiciais;

2) Lula “poderia inflamar a população a se voltar contra as investigações criminais”;

3) Lula usou de seus “parceiros políticos” para requerer ao CNMP medida liminar para suspender a sua oitiva durante as investigações;

4) Lula se colocaria acima da lei.

Essa fundamentação claramente revela uma tentativa de banalização do instituto da prisão preventiva, o que é incompatível com a responsabilidade que um membro do Ministério Público deve ter ao exercer suas funções.

Buscou-se, de fato, amordaçar um líder político, impedir a manifestação do seu pensamento e até mesmo o exercício de seus direitos. Somente na ditadura, quando foram suspensas todas as garantias do cidadão, é que opinião e o exercício de direitos eram causa para a privação da liberdade.

Lula jamais se colocou contra as investigações ou contra a autoridade das instituições. Mas tem o direito, como qualquer cidadão, de se insurgir contra ilegalidades e arbitrariedades. Não há nisso qualquer ilegalidade ou muito menos justificativa jurídica para um pedido de prisão cautelar.

Os promotores também não dispõem de um fato concreto para justificar as imputações criminais feitas ao ex-Presidente Lula e aos seus familiares. Não caminharam um passo além da hipótese. Basearam a acusação de ocultação de patrimônio em declarações opinativas que, à toda evidência, não podem superar o título de propriedade que é dotado de fé pública.

O pedido de prisão preventiva é a prova cabal de que a violação ao princípio do promotor natural — reconhecida no caso pelo Conselho Nacional do Ministério Público-CNMP — produz resultados nefastos para os envolvidos e para toda sociedade.

Por tudo isso, espera-se que a Justiça rejeite o pedido, mantendo-se fiel à ordem jurídica que foi desprezada pelos promotores de justiça ao formularem o pedido de previsão cautelar do ex-Presidente Lula.

Cristiano Zanin Martins

NOTA DA EXECUTIVA NACIONAL DO PT

O pedido de prisão feito pelo promotor de São Paulo, Cássio Conserino, que não é o promotor natural do caso, não tem base legal.

O pedido foi apresentado à Juiza Maria Priscila Veiga Oliveira, da 4ª Vara Federal Criminal de SP, que deve decidir sobre o caso, durante o final de semana.

É importante que todos e todas se mantenham mobilizados – sem se envolver nos atos convocados para o dia 13.

As sedes dos diretórios estaduais devem permanecer abertas, como é o caso da sede nacional, durante todo o final de semana.

O Presidente Rui Falcão, está neste momento falando com a militância que se mobilizou rapidamente ne frente da APEOESP em São Paulo.

Agradecemos a mobilização de todos e todas e o rápido atendimento ao chamado da Direção Nacional, estamos certos de que nossa base militante nunca faltará à defesa do Presidente Lula e de nosso projeto político.

Comissão Executiva Nacional do PT

NOTA Jandira Feghali – Deputada federal (PCdoB/RJ)

O pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula não tem qualquer base legal que o sustente. Não passa de um amontoado de inconsistências coroadas pelo item 127, que trata de vídeo por mim gravado. Sobre isso tenho a dizer que:

1. O ex-presidente Lula não dava, naquele momento, declaração à mim. Ele também não se dirigia ao público, não se tratava de uma coletiva;

2. Lula estava entre amigos, desabafando sobre as ilegalidades cometidas contra ele quando, para tranquilizar a militância, gravei um vídeo sem a intenção de captá-lo, o que acabou acontecendo sem seu conhecimento.

3. Lula usou expressão informal em sua conversa;

4. O ex-presidente Lula não se referiu ao processo, mas sim ao acervo presidencial.

5. Indignação não é crime. O uso do vídeo mostra a má fé e a falta de qualquer prova contra ele.

Março 11, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , | Deixe um comentário

“Não falo com mídia golpista”, diz filha de Lula

"É pro Estadão?" Ele afirmou e eu continuei, então faz a foto! É obviamente taquei um sorriso na cara, afinal você pode ser grossa e fofa ao mesmo tempo….

:  

Presente em protesto contra a Rede Globo, no Rio de Janeiro, neste domingo, a filha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Lurian Cordeiro Lula da Silva, se recusou a falar com o ‘Estado de S. Paulo’ e acenou com o dedo do meio. "Aqui para vocês, eu não falo com mídia golpista"; manifestação também declarou apoio a seu pai, alvo de uma condução coercitiva na última sexta-feira (4) em operação da Polícia Federal

Na manhã, desta segunda-feira, 07.03, em sua página pessoal do Face, Lurian postou a seguinte nota sobre o acontecido:

“Vamos lá…. Estava no ato, como uma militante qualquer, conversando com amigos… O fotógrafo do Estadão desencadeou a tirar fotos minha… Dias antes do sequestro do meu pai pela PF, eles já tinham tentando me abordar em Maricá durante a abertura do canal. Como qualquer ser humano, a gente tem um limite pra tudo na vida…. Chamei o rapaz e disse: "É pro Estadão?" Ele afirmou e eu continuei, então faz a foto! É obviamente taquei um sorriso na cara, afinal você pode ser grossa e fofa ao mesmo tempo…. Ele imediatamente me perguntou se eu não dava uma palavra a eles…. Eu dei uma frase inteira: "Eu não falo com mídia golpista!"… Ao menos ele teve caráter e repercutiu a foto com a minha fala… Aí vem milhares de postagem de uma elite escrota, de uma classe média manipulada, dizer sobre a minha falta de educação…. Essa mesma gente que manda Lula e Dilma tomar no cu na abertura da Copa, nas avenidas da zona sul do Rio e SP…..Essa mesma gente que ameaça a democracia brasileira, que xinga a presidente de puta, de vaca, que ameaça qualquer pessoa que defende o governo de morte… É pra finalizar, queria que essa gentinha me mostrasse dentro do manifesto comunista onde está escrito que não se pode beber coca cola…. ! Se informa minha gente, leiam mais livros sobre a história, mais biografias, e formem suas opiniões sobre fatos concretos…”
‪#‎Bomdia‬

Março 7, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , | Deixe um comentário

LÍDERES MUNDIAIS LANÇARÃO MANIFESTO EM DEFESA DE LULA

 

:  

Integrantes do governo e do PT articulam um manifesto de líderes mundiais em apoio ao ex-presidente Lula; além de mandatários do Cone Sul, políticos que presidiram seus países no mesmo período em que o petista governou o Brasil estão sendo contatados; o uruguaio Pepe Mujica e o francês Nicolas Sarkozy serão dois dos possíveis signatários procurados

6 DE MARÇO DE 2016 ÀS 08:11

Fonte jornalismo 247

Integrantes do governo e do PT articulam um manifesto de líderes mundiais em apoio ao ex-presidente Lula. Além de mandatários do Cone Sul, políticos que presidiram seus países no mesmo período em que o petista governou o Brasil estão sendo contatados. O uruguaio Pepe Mujica e o francês Nicolas Sarkozy serão dois dos possíveis signatários procurados.

A ideia é orquestrar a reação “de fora para dentro”, com o intuito de induzir uma onda de apoios para além da militância petista.

Já na sexta-feira (4), sindicalistas brasileiros se articularam com a Central Sindical Internacional e com a Confederação Sindical de Trabalhadores das Américas para um manifesto em defesa de Lula.

Março 6, 2016 Posted by | jornalismo, política, Política Nacional e Internacional | , , | Deixe um comentário

Lula adverte em nota: Entenda como a Globo constrói sua tentativa de massacre midiático diário

Em nota publicada em sua página pessoal, na manhã deste domingo, 06 de março, o ex-presidente Lula escreveu:

“Na noite de ontem o Jornal Nacional mais uma vez fraudou uma nota de resposta do Instituto Lula e apresentou um "outro lado". Entenda como a Globo constrói sua tentativa de massacre midiático diário:

Leia abaixo a íntegra da nota enviada pelo Instituto Lula ao Jornal Nacional para ser lida na edição de sábado (5/03). Entre colchetes, os trechos censurados pela Globo.

“1)O ex-presidente Lula sempre esteve à disposição das autoridades para esclarecer a verdade e repudia qualquer insinuação diferente disso. O Instituto Lula e a LILS forneceram voluntariamente todos os dados solicitados pelo Ministério Público Federal e pela Receita Federal, que recebeu todas as informações em janeiro. [A firme reação da sociedade aos abusos cometidos ontem pela Operação Lava Jato deve servir de alerta aos investigadores para que não persistam em atuar fora da lei.]

[2) A Operação Lava Jato prestará um serviço ao estado de direito se apurar e punir o vazamento do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula e dos Instituto Lula para a revista Veja e para as Organizações Globo.]

3) [O Instituto Lula e a empresa LILS Palestras não têm apenas receitas, também têm despesas, como qualquer instituição. A insistência dos procuradores da Lava Jato] em divulgar apenas parte da contabilidade, misturando entidades e recursos distintas, com clara intenção difamatória, [é uma vergonha para a instituição do Ministério Público.”]

Não é a primeira vez que o telejornal da Família Marinho censura, distorce e frauda as manifestações do Instituto Lula apresentadas, cinicamente, como “outro lado” de seu noticiário faccioso em relação ao ex-presidente Lula.

Na edição deste sábado, a Globo dedicou 4 minutos e 15 segundos a um vídeo que misturava fofocas de policiais anônimos com acusações sem fundamento do Ministério Público Federal (Força Tarefa) ao ex-presidente.

Estas acusações, levianas e irresponsáveis, foram lidas pela repórter, sobre uma reprodução cinematográfica do texto.

Em mais uma exibição de sua falsa imparcialidade, seguiu-se um vídeo de menos de 30 segundos com cenas do ex-presidente Lula, durante os quais se informou laconicamente que o ex-presidente “negou todas as acusações”.

Mas negou como? Com que argumentos, se eles foram omitidos na reportagem? Que espécie de “outro lado” é esse, onde o Ministério Público fala o que quer, pela voz da repórter, pela reprodução de seus documentos, pelas cenas exibidas ao longo de 4 minutos e 30 segundos de acordo com o enredo da acusação, e Lula simplesmente “nega”?

Além disso, se o Jornal Nacional dá tanta importância ao vazamento de informações na Operação Lava jato, por que não mencionou em sua reportagem principal, de 5 minutos e meio, o twitter do editor ególatra da revista Época, que antecipou a 24a. fase na madrugada de sexta-feira?

Mais do que manipulador, o jornalismo da Globo é desonesto. Ao solicitar manifestação da assessoria do Instituto Lula, a produção do Jornal Nacional escondeu o inteiro teor da reportagem, prática antijornalistica que também se tornou habitual. É o que se pode comprovar no email enviado pela produção à assessoria do Instituto Lula:

——— Mensagem encaminhada ———-

De:

Data: 5 de março de 2016 19:10

Assunto: NOTA PARA O JORNAL NACIONAL DE HOJE

Para: "IMPRENSA@INSTITUTOLULA.ORG"

Boa noite

O Jornal Nacional está fazendo uma reportagem que vai tratar sobre a busca e apreensão no Instituto Lula.

Segundo apuração da nossa reportagem em Curitiba, a Polícia Federal abriu um inquérito para apurar se houve vazamento de informações sobre a operação. O que o Instituto tem a dizer?

——————-

A reportagem vai abordar ainda os valores recebidos pela (LILS) empresa de palestras do Ex- Presidente Lula e pelo Instituto. São quase 30 milhões de reais, de seis empreiteiras entre 2011 e 2014. O que tem a dizer ?

A mensagem foi encaminhada às 19h10, faltando 1 hora e 20 minutos para o Jornal Nacional ir ao ar, a resposta precisaria ser dada até as 20h. Isso mostra que não houve a menor intenção de apurar seriamente os fatos, checar informações duvidosas, dar a Lula a mesma oportunidade de responder que a Lava Jato teve para acusar.

Isso não é, nunca foi e nunca será jornalismo. É o exercício cotidiano da censura, da manipulação e da fraude, numa concessionária de serviço público que constrange e envergonha os verdadeiros profissionais da imprensa.

Março 6, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT | , , , | Deixe um comentário

Advogados de Luiz Inácio Lula da Silva repudiam as declarações dos Procuradores da República integrantes da Força Tarefa Lava Jato

A condução coercitiva é medida que cerceia a liberdade de ir e vir e jamais poderia ter sido requerida ou autorizada nos termos em que se deu

Nota dos advogados do ex-presidente:

Os advogados de Luiz Inácio Lula da Silva repudiam as declarações dos Procuradores da República integrantes da Força Tarefa Lava Jato, que, em desesperada tentativa de legitimar a arbitrária condução coercitiva do ex-Presidente na sexta-feira 4/03/2016, emitiram ontem nota afirmando, com inegável desfaçatez, que a medida teve por objetivo atender a requerimento formulado pela defesa em habeas corpus impetrado perante o Tribunal de Justiça de São Paulo.

A defesa de Lula não deu procuração ao MPF e identifica claro desapego à realidade na afirmação de que o citado habeas corpus teria sido impetrado com o argumento de que o agendamento da oitiva do ex-Presidente poderia colocar em risco a sua segurança, a segurança pública e a de agentes públicos.

A verdade é que aquele habeas corpus foi impetrado com o argumento principal de que a condução coercitiva do ex-Presidente e de sua esposa, cogitada pelo Promotor de Justiça Cássio Roberto Conserino, do Ministério Público do Estado de São Paulo, não poderia ser admitida pois afrontaria a ordem jurídica. A Corte paulista acolheu o argumento da defesa para afastar a possibilidade da medida de força. O próprio membro do MP/SP reconheceu a ausência de amparo legal e acatou a decisão do TJSP.

Lula já prestou três depoimentos, dois à Polícia Federal e um ao Ministério Público Federal. Em nenhum destes houve qualquer confronto ou risco à ordem pública, porque marcados e realizados de forma adequada pelas autoridades envolvidas.

A condução coercitiva é medida que cerceia a liberdade de ir e vir e jamais poderia ter sido requerida ou autorizada nos termos em que se deu. A liberdade de locomoção é garantia fundamental, tanto que a legislação estabelece que configura abuso de autoridade qualquer ato de autoridade que possa restringi-la (Lei nº 4.898/65, art. 3º, "a").

O fato de a Operação Lava Jato já ter emitido 117 mandados de condução coercitiva não tem o condão de legitimar a ilegalidade agora praticada contra o ex-Presidente Lula, mas, ao contrário, serve de alerta para tantas outras arbitrariedades que poderão já ter sido praticadas nessa operação.

Não há que se cogitar em "cortina de fumaça" na presente discussão. Houve, inegavelmente, grave atentado à liberdade de locomoção de um ex-Presidente da República sem qualquer base legal. A tentativa de vincular Lula a "esquema de formação de cartel e corrupção da Petrobrás" apenas atende anseio pessoal das autoridades envolvidas na operação, além de configurar infração de dever funcional, na medida em que a nota emitida pelo MPF – tal qual a entrevista coletiva concedida pelo órgão – antecipou juízo de valor, o que é vedado pelo artigo 8º da Resolução 23/2007, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O MPF aposta na força das palavras em detrimento dos fatos. Lula jamais participou ou foi beneficiado, direta ou indiretamente, de qualquer ato ilegal.

Roberto Teixeira e Cristiano Zanin Martins

Março 6, 2016 Posted by | jornalismo, política, PT | , , , , | Deixe um comentário