Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Lula aceitou convite da Dilma

Dilma-Lula-posse O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) poderá ser o mais novo Ministro da Casa Civil, ou assumir a secretaria do governo da presidenta Dilma Rousseff (PT)

Lula é considerado o melhor presidente do Brasil de todos os tempos e o maior político brasileiro do período do golpe militar de 1964 até hoje.

LULA ESTÁ ENTRE A CASA CIVIL E A SECRETARIA DE GOVERNO

  Numa decisão de alto impacto, a presidente Dilma Rousseff decide nomear o ex-presidente Lula em seu gabinete, fazendo parte do núcleo duro do governo; nesta posição, e também como candidato à presidência da República em 2018, Lula tentará organizar medidas para a retomada do crescimento e também para re-aglutinar a base de sustentação do governo no Congresso; oposição deverá criticar decisão, que dá ao ex-presidente o foro privilegiado e o retira do alcance da força-tarefa paranaense; Lula, no entanto, poderá ser investigado na Lava Jato pelo STF; Lula está a caminho de Brasília

A militância faz vigília no Planalto à espera de Lula.

 O dia de amanhã poderá ser marcado pelo início de um novo pacto de governabilidade no país.

Anúncios

Março 15, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , , | Deixe um comentário

VIOLÊNCIA CONTRA LULA AFRONTA O PAÍS E O ESTADO DE DIREITO

Chico Lopes (PCdoB-CE): ex-presidente (foto) vem sendo alvo de uma caçada

A violência praticada hoje (4/3) contra o ex-presidente Lula e sua família, contra o Instituto Lula, a ex-deputada Clara Ant e outros cidadãos ligados ao ex-presidente, é uma agressão ao estado de direito que atinge toda sociedade brasileira. A ação da chamada Força Tarefa da Lava Jato é arbitrária, ilegal e injustificável, além de constituir grave afronta ao Supremo Tribunal Federal.

1) Nada justifica um mandado de condução coercitiva contra um ex-presidente que colabora com a Justiça, espontaneamente ou sempre que convidado. Nos últimos meses, Lula prestou informações e depoimentos em quatro inquéritos, inclusive no âmbito da Operação Lava Jato. Dezenas de testemunhas foram ouvidas sobre estes fatos alegados pela Força tarefa, em depoimentos previamente marcados. Por que o ex-presidente Lula foi submetido ao constrangimento da condução coercitiva?

2) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do Instituto Lula e da empresa LILS Palestras. A Lava Jato já recebeu da Receita Federal, oficialmente, todas as informações referentes a estas contas, que foram objeto de minuciosa autuação fiscal no ano passado.

3) Nada justifica a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente Lula, pois este sigilo já foi quebrado, compartilhado com o Ministério Público Federal e vazado ilegalmente para a imprensa, este sim um crime que não mereceu a devida atenção do Ministério Público.

4) Nada justifica a invasão do Instituto Lula e da empresa LILS, a pretexto de obter informações sobre palestras do ex-presidente Lula, contratadas por 40 empresas do Brasil e de outros países, entre as quais a INFOGLOBO, que edita as publicações da Família Marinho (http://www.institutolula.org/as-palestras-de-lula-a-violaca…). Todas as informações referentes a estas palestras foram prestadas à Procuradoria da República do Distrito Federal e compartilhadas com a Lava Jato. Também neste caso, o Ministério Público nada fez em relação ao vazamento ilegal de informações sigilosas para a imprensa.

5) Nada justifica levar o ex-presidente Lula a depor sobre um apartamento no Guarujá que não é nunca foi dele e sobre um sítio de amigos em Atibaia, onde ele passa seus dias de descanso. Além de esclarecer a situação do apartamento em nota pública – na qual chegou a expor sua declaração de bens – e em informações prestadas por escrito ao Ministério Público de São Paulo, o ex-presidente prestou esclarecimentos sobre o sítio de Atibaia em ação perante o Supremo Tribunal Federal, que também é de conhecimento público.

6) A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao STF para que decida o conflito de atribuições entre o Ministério Público de São Paulo e o Ministério Público Federal (Força Tarefa), para apontar a quem cabe investigar os fatos, que são os mesmos. Solicitou também medida liminar suspendendo os procedimentos paralelos até que se decida a competência conforme a lei. Ao precipitar-se em ações invasivas e coercitivas nesta manhã, antes de uma decisão sobre estes pedidos, a chamada Força Tarefa cometeu grave afronta à mais alta Corte do País, afronta que se estende a todas as instituições republicanas.

7) O único resultado da violência desencadeada hoje pela Força Tarefa é submeter o ex-presidente a um constrangimento público. Não é a credibilidade de Lula, mas da Operação Lava Jato que fica comprometida, quando seus dirigentes voltam-se para um alvo político sob os mais frágeis pretextos.

O Instituto Lula reafirma que Lula jamais ocultou patrimônio ou recebeu vantagem indevida, antes, durante ou depois de governar o País. Jamais se envolveu direta ou indiretamente em qualquer ilegalidade, sejam as investigadas no âmbito da Lava Jato, sejam quaisquer outras.

A violência praticada nesta manhã – injusta, injustificável, arbitrária e ilegal – será repudiada por todos os democratas, por todos os que têm fé nas instituições e do estado de direito, no Brasil e ao redor do mundo, pois Lula é uma personalidade internacional que dignifica o País, símbolo da paz, do combate à fome e da inclusão social.

É uma violência contra a cidadania e contra o povo brasileiro, que reconhece em Lula o líder que uniu o Brasil e promoveu a maior ascensão social de nossa história.

Nota do advogado de Lula sobre denúncia do MP-SP

A íntegra do pedido de prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgada pela mídia revela que os promotores de Justiça Cássio Roberto Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique de Moraes Araújo fundamentaram tal requerimento principalmente nas seguintes alegações:

1) Lula teria feito críticas à atuação do Ministério Público e a decisões judiciais;

2) Lula “poderia inflamar a população a se voltar contra as investigações criminais”;

3) Lula usou de seus “parceiros políticos” para requerer ao CNMP medida liminar para suspender a sua oitiva durante as investigações;

4) Lula se colocaria acima da lei.

Essa fundamentação claramente revela uma tentativa de banalização do instituto da prisão preventiva, o que é incompatível com a responsabilidade que um membro do Ministério Público deve ter ao exercer suas funções.

Buscou-se, de fato, amordaçar um líder político, impedir a manifestação do seu pensamento e até mesmo o exercício de seus direitos. Somente na ditadura, quando foram suspensas todas as garantias do cidadão, é que opinião e o exercício de direitos eram causa para a privação da liberdade.

Lula jamais se colocou contra as investigações ou contra a autoridade das instituições. Mas tem o direito, como qualquer cidadão, de se insurgir contra ilegalidades e arbitrariedades. Não há nisso qualquer ilegalidade ou muito menos justificativa jurídica para um pedido de prisão cautelar.

Os promotores também não dispõem de um fato concreto para justificar as imputações criminais feitas ao ex-Presidente Lula e aos seus familiares. Não caminharam um passo além da hipótese. Basearam a acusação de ocultação de patrimônio em declarações opinativas que, à toda evidência, não podem superar o título de propriedade que é dotado de fé pública.

O pedido de prisão preventiva é a prova cabal de que a violação ao princípio do promotor natural — reconhecida no caso pelo Conselho Nacional do Ministério Público-CNMP — produz resultados nefastos para os envolvidos e para toda sociedade.

Por tudo isso, espera-se que a Justiça rejeite o pedido, mantendo-se fiel à ordem jurídica que foi desprezada pelos promotores de justiça ao formularem o pedido de previsão cautelar do ex-Presidente Lula.

Cristiano Zanin Martins

NOTA DA EXECUTIVA NACIONAL DO PT

O pedido de prisão feito pelo promotor de São Paulo, Cássio Conserino, que não é o promotor natural do caso, não tem base legal.

O pedido foi apresentado à Juiza Maria Priscila Veiga Oliveira, da 4ª Vara Federal Criminal de SP, que deve decidir sobre o caso, durante o final de semana.

É importante que todos e todas se mantenham mobilizados – sem se envolver nos atos convocados para o dia 13.

As sedes dos diretórios estaduais devem permanecer abertas, como é o caso da sede nacional, durante todo o final de semana.

O Presidente Rui Falcão, está neste momento falando com a militância que se mobilizou rapidamente ne frente da APEOESP em São Paulo.

Agradecemos a mobilização de todos e todas e o rápido atendimento ao chamado da Direção Nacional, estamos certos de que nossa base militante nunca faltará à defesa do Presidente Lula e de nosso projeto político.

Comissão Executiva Nacional do PT

NOTA Jandira Feghali – Deputada federal (PCdoB/RJ)

O pedido de prisão preventiva do ex-presidente Lula não tem qualquer base legal que o sustente. Não passa de um amontoado de inconsistências coroadas pelo item 127, que trata de vídeo por mim gravado. Sobre isso tenho a dizer que:

1. O ex-presidente Lula não dava, naquele momento, declaração à mim. Ele também não se dirigia ao público, não se tratava de uma coletiva;

2. Lula estava entre amigos, desabafando sobre as ilegalidades cometidas contra ele quando, para tranquilizar a militância, gravei um vídeo sem a intenção de captá-lo, o que acabou acontecendo sem seu conhecimento.

3. Lula usou expressão informal em sua conversa;

4. O ex-presidente Lula não se referiu ao processo, mas sim ao acervo presidencial.

5. Indignação não é crime. O uso do vídeo mostra a má fé e a falta de qualquer prova contra ele.

Março 11, 2016 Posted by | jornalismo, política | , , , , | Deixe um comentário

JANDIRA APONTA GOLPE E ESTADO DE EXCEÇÃO NO PAÍS

 

:  "Sem provas, Polícia Federal amanhece com mais uma operação, desta vez o alvo é o ex presidente Lula. O maior líder popular que o Brasil já teve. O presidente que tirou o país do mapa da fome. Nossa indignação não será silenciosa. Vamos às ruas defender o estado democrático de direito. Contra as arbitrariedades. Golpe não!!!!!", avisou a deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ); esquerda se mobiliza para defender o ex-presidente Lula, levado a depor coercitivamente por decisão do juiz Sergio Moro, que deflagrou operação contra todos os familiares do presidente mais popular da história do País e que foi reconhecido globalmente como um dos maiores líderes da história

4 DE MARÇO DE 2016 ÀS 08:23

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) foi a primeira a denunciar um golpe e um estado de exceção no País, após a decisão do juiz Sergio Moro, voltada contra o ex-presidente Lula e toda a sua família.

"Mais um passo na consolidação do estado de exceção. Sem provas, Polícia Federal amanhece com mais uma operação, desta vez o alvo é o ex presidente Lula. O maior líder popular que o Brasil já teve. O presidente que tirou o país do mapa da fome. Nossa indignação não será silenciosa. Vamos às ruas defender o estado democrático de direito. Contra as arbitrariedades. Golpe não!!!!!"

Março 4, 2016 Posted by | jornalismo, política, Policia Federal, PT | , , , , , , , , | Deixe um comentário

CPI alerta para aumento de violência contra a mulher no Brasil

fonte: Marcelo Remigio – O Globo

"Meu filho me protegia, acho que todo filho não gostaria de ver a mãe sendo agredida por ninguém, principalmente pelo pai. Como ele (ex-marido) não conseguiu fazer nada comigo, ele me atingiu onde mais ia me doer: que foi o meu filho. Ele desferiu um tiro só (no meu filho). Fatal. Foi na nuca". A história faz parte de depoimentos apurados pela CPI na Assembleia Legislativa do Estado do Rio(Alerj) que investigou a violência contra a mulher. O relato é de uma ex-moradora de São Paulo, nordestina, que fugiu da capital paulista para o Rio para se proteger das agressões e ameaças de morte por parte do ex-marido, que não aceita a separação. Segundo ela, seu filho mais velho, de 19 anos, a protegia contra os espancamentos: "Mãe, a senhora tem que ir embora daqui, a senhora não pode ficar aqui. O meu pai está descontrolado e vai acabar fazendo uma besteira, fazer alguma coisa com a senhora”, diz a mulher, ao lembrar das palavras do filho.

Aprovado relatório final da CPI da Vilência Contra Mulher Relatório da CPI, apresentando nesta terça-feira, aponta que, no ano passado, o total de mulheres assassinadas no estado aumentou 18% se comparado ao ano de 2013. Foram 420 vítimas de homicídios dolosos (com intenção de matar). As tentativas de homicídio chegaram a 781 casos. Cerca de 56 mil mulheres foram vítimas de algum tipo de violência no Rio. O número mostra uma tendência nacional de crescimento de agressões contra as mulheres. Outro estatística que chama a atenção é o número de casos de estupros no estado: a média em 2014 foi de 15 ocorrências por dia registradas nas delegacias. Das 5.676 vítimas que fizeram o registro, 4.725 eram mulheres, 83,2% do total.

"Ele (ex-marido) ligou e falou que ia me esperar lá, em São Paulo, que ia me matar em cima do caixão do meu filho. E aí a minha família não deixou que eu fosse (no enterro do meu filho). Ele ficou ameaçando o tempo todo. (…) Eu não sou acompanhada por nenhuma instituição (de rede de proteção às mulheres), (…) nem eu nem meus filhos temos nenhum acompanhamento psicológico," relata a ex-moradora de São Paulo, que não pode ser identificada.

REDE ESTADUAL PRECISA DE MELHORIAS

O relatório da CPI ainda faz um alerta sobre a rede de proteção às mulheres no estado. Embora o Rio tenha a maior rede entre os estados, o atendimento é concentrado na capital e na Região Metropolitana, excluindo mulheres que moram em cidades do interior. O documento aprovado faz 42 sugestões aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, como a criação de uma secretaria estadual para o desenvolvimento de políticas públicas para o tratamento de dependência química — um dos motivos apontados pelas mulheres como agravante nas situações de violência —, e o pagamento de aluguel social para as vítimas com risco de vida.

Deputada Rosangela Zeidan, durante a leitura do relatório final da CPI da Vilência Contra a Mulher — A rede disponível no estado do Rio de Janeiro é a maior dentre os estados. No entanto, os serviços estão muito concentrados na capital e na Região Metropolitana. Falta interiorizar mais os serviços. Há regiões, como a Centro Sul Fluminense, onde não há nenhum serviço especializado de atendimento à mulher — disse a relatora da CPI, Rosângela Zeidan.

Cabo Frio, na Região dos Lagos, é a comarca que lidera no Estado do Rio o número de processos de violência contra a mulher. O município somou 10.763 processos, segundo levantamento feito em março. São João do Meriti, na Baixada Fluminense, soma 9.923 processos, seguido das comarcas de Jacarepaguá, Zona Oeste da capital, 9.906; Duque de Caxias, na Baixada, 9.530; Itaboraí, na Região Metropolitana, 8.000; e Queimados, também na Baixada, com 7. 900.

De acordo com a CPI, que teve como presidente a deputada do PSD delegada Martha Rocha, 64,2% das mulheres vítimas de estupro no Rio tinham até 17 anos, sendo o maior percentual entre 12 e 17 anos (33,3%); 31,3% dos casos ocorreram no âmbito de violência doméstica e familiar. Esse universo representa 1.478 mulheres vítimas em contextos passíveis de aplicação da Lei Maria da Penha.

Dos 98.869 casos de violência física no Rio (somando homicídios dolosos, tentativa de homicídios e lesão corporal dolosa), as mulheres aparecem com 57,8% do total das vítimas. Quanto à violência psicológica, as ameaças contabilizaram 87.399 registros, sendo que as mulheres representam 65,5% das vítimas.

"Eu sofria violência doméstica há seis anos, foi em 2009. E, infelizmente, acho que, como a maioria das mulheres, ainda não entendia o que era violência doméstica e achava que alguns sinais, que depois eu percebi, que eram de alguém que poderia estar usando uma violência maior, que seria física, entendi, mas infelizmente depois que eu já estava no CTI", afirma em depoimento à CPI outra vítima de violência, que faz parte das estatísticas do Estado do Rio: "Ele puxou a garrafa e apertou. E foi direto no meu rosto. A gasolina explode, então, foi aquela explosão. Nessa hora, gente, eu já vi isso em filme, já vi em televisão. Eu preciso me apagar, eu não quero morrer. Aí, eu saí e num segundo assim, a minha vida passou. (…) Eu tenho que correr, eu tenho que me jogar no chão, eu tenho que rolar no chão porque é assim que a gente apaga. Aí eu pensei, como foi bem no meu rosto, eu já não enxergava direito, mas eu sabia o caminho. Bom, aqui está a porta, eu vou correr. Corri, corri para a rua", lembrava a vítima de queimaduras graves provocadas pelo ex-marido.

Entre as sugestões propostas pela CPI estão a de interiorizar os Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher; a melhor divulgação dos contatos e serviços prestados pelos Centros Especializados de Atendimento à Mulher e a implantação de parceria com as Guardas Municipais para o "acompanhamento do cumprimento das medidas protetivas deferidas em favor das mulheres em situação de violência, e outros projetos que tenham como foco a prevenção e a redução das ocorrências de violência contra a mulher."

— Não podemos fingir que nada está acontecendo. É inadmissível que , ainda hoje, com a importância das mulheres no mercado de trabalho, com a alta escolarização e com tantas leis, principalmente a do Feminicídio que a presidente Dilma Rousseff sancionou, além da Maria da Penha, que a sociedade permita e ainda que alguns conservadores reclamem nas redes sociais quando uma prova do Enem toca num ponto tão importante quanto esse da violência contra a mulher — afirma Zeidan.

VIOLÊNCIA CRESCENTE NO PAÍS

De acordo com o Mapa da Violência divulgado pelo Instituto Sangari, entre 1980 e 2010 foram assassinadas mais de 92 mil mulheres no país, sendo 48 mil somente na última década desse período. O número de mortes passou de 1.353 para 4.465, o equivalente a um crescimento de 230% de 1980 a 2010. O índice de homicídios de mulheres aumentou 17,2% entre 2001 e 2011. Das 48 mil mulheres vítimas no período, 4,5 mil foram assassinadas em 2011.

Já o balanço de 2014 dos registros feitos pela Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180) da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República mostra que 43% das mulheres vítimas violência sofrem agressões diárias e 35%, semanais. Das 52,9 mil denúncias de violência, 27,3 mil corresponderam a denúncias a violência física; 16,8 mil de violência psicológica; 5,1 mil de violência moral; 1,5 mil de violência sexual; 1,02 mil de violência patrimonial; 931 de cárcere privado e 140 envolvendo tráfico de drogas.

Novembro 4, 2015 Posted by | jornalismo, Legislativo | , , , | Deixe um comentário

Deputada Zeidan presta homenagem as mulheres na ALERJ

Fotos Rosely Pellegrino texto: Fonte ALERJ

DSCN9928

DSCN9921DSCN9933DSCN9972DSCN0049 Homenageadas com Moção de Aplauso

Quatro mulheres receberam moções na segunda-feira (16/03) por reconhecimento de suas atuações em prol dos direitos femininos no estado. A deputada Rosangela Zeidan (PT), membro efetivo da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), comandou o evento que celebra o mês em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher (8 de março). "As homenageadas são de municípios diferentes do Estado. Nada melhor do que este mês para prestigiá-las, mas ainda há muito a ser feito, principalmente pelas cidadãs que estão fora do mercado de trabalho e pelas negras, que, em geral, estão em nossas periferias, sofrendo diversos tipos de violência", comentou. A cerimônia foi realizada no Plenário Barbosa Lima Sobrinho, do Palácio Tiradentes.

Uma das homenageadas, a secretária de Saúde de Niterói, Solange Regina de Oliveira, ressaltou que ainda há um longo caminho a percorrer: "A mulher recebe hoje um valor diferenciado graças a um longo histórico de lutas e uma homenagem como essa reforça o nosso trabalho".

DSCN0032Além das moções, houve homenagens a outras mulheres. As homenageadas foram: a agente comunitária de Nova Iguaçu, Ana Cláudia Oliveira; a enfermeira Cristina Mariade Souza; a representante do Sindicato dos Metroviários, Helena Famadas; em caráter postmortem, Márcia Regina Marçal; a merendeira de Quissamã, Maria da Conceição do Espírito Santo; a militante social de Nova Iguaçu, Maria de Albuquerque; a artesã de Bom Jesus do Itabapoana, Nelly de Carvalho; a professora de Campos dos Goytacazes, Norma Costa; a representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Neuza Pinto; a militante do Movimento Unindo Forças, Severina da Silva; a militante social de Maricá, Ione Siqueira; a professora e advogada, Tânia Maria Mussi e a advogada Vera Maria dos Santos.

DSCN0109 Mulheres de Maricá marcaram presença

DSCN0138DSCN0143

DSCN0077 - Copia

Compareceram ao evento a vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, deputada Martha Rocha (PSD); a presidente do Conselho Estadual de Mulheres (Condim/RJ), Marisa Chaves; Carla Machado, ex-prefeita de São João da Barra; a representante da CUT, Virgínia Berriel; e a jornalista Lurian Silva, entre diversos representantes de municípios e instituições.

Março 20, 2015 Posted by | jornalismo, Legislativo, política | , , , , , | Deixe um comentário

RESPOSTA DO PT A AÉCIO

 

RESPOSTA DO PT A AÉCIO
"Vitimado pelas lutas internas de seu partido e pelo descrédito junto ao povo brasileiro, o candidato tucano Aécio Neves decidiu partir para a agressão rasteira contra o Partido dos Trabalhadores. Em vídeo gravado na tarde de hoje, em que demonstra descontrole, Aécio faz coro a denúncias sem provas veiculadas pela imprensa a partir de um processo de delação premiada, que, em si, já carrega toda a suspeição comum a esses procedimentos.
Por outro lado, é cômico ouvir alguém do PSDB falar em “dinheiro sujo da corrupção” justamente às vésperas do julgamento do “mensalão mineiro” e quando a imprensa nacional noticia um pesado esquema de corrupção nas obras do Metrô de São Paulo. Sem esquecer, obviamente, do absurdo uso de dinheiro público para construir um aeroporto na fazenda de um parente do candidato.
Ao contrário do que diz o candidato, o PT não precisa de subterfúgios para se manter no poder. Nossa luta é na rua, batalhando voto a voto a preferência dos eleitores. Se quer realmente nos “tirar do poder de forma definitiva”, como afirmou no vídeo, deve seguir o consagrado caminho do debate democrático de alto nível, e não usar acusações chulas e sem fundamento.
A gravidade das acusações do candidato tucano não podem ficar sem a resposta cabível. O vídeo está sendo analisado pelos advogados do nosso partido e as devidas providências jurídicas serão tomadas. O candidato Aécio, até pelo sobrenome que carrega, deveria pelo menos manter a dignidade enquanto caminha para a irrelevância.
Rui Falcão,
presidente nacional do PT"
Leia mais em www.dilma.com.br

Outubro 14, 2014 Posted by | eleições, Eleições 2014, jornalismo, política | | Deixe um comentário

Zeidan PT candidata a deputada estadual é a mais votada em Maricá

A candidata do PT ZEIDAN 13103, obteve em Maricá 24.596 39,54 %

Justiça Eleitoral – Divulgação de Resultado das Eleições 2014 Pág. 1 de 3
Eleições Gerais 2014 1º Turno – Votação de candidatos por partido/coligação – Deputado Estadual 1.º Turno – Partido
dos Trabalhadores
55.ª ZONA – MARICÁ / RJ – 1.º TURNO Atualizado em
05/10/2014
Deputado Estadual 19:28:33
Seções (250) Partido dos Trabalhadores – (Vagas: 6)
Totalizadas Seq. Núm. Candidato Partido/Coligação Votação % Válidos
250 (100,00%) 0001 13103 ZEIDAN PT 24.596 39,54 %
Não Totalizadas 0002 13001 CARLOS MINC PT 1.300 2,09 %
0 (0,00%) 0003 13000 WALDECK PT 321 0,52 %
Eleitorado (92.344) 0004 13013 ROBSON LEITE PT 191 0,31 %
Não Apurado 0005 13333 ZAQUEU PT 152 0,24 %
0 (0,00%) 0006 13455 GILBERTO PALMARES PT 97 0,16 %
Apurado 0007 13567 ANDRE CECILIANO PT 76 0,12 %
92.344 (100,00%) 0008 13777 DR. SADINOEL PT 71 0,11 %
Abstenção 0009 13031 OCYR MONTEIRO PT 39 0,06 %
18.153 (19,66%) 0010 13444 ELTON BABÚ PT 38 0,06 %
Comparecimento 0011 13100 PAIVA PT 25 0,04 %
74.191 (80,34%) 0012 13535 LUCIANA NOVAES PT 24 0,04 %
Votos (74.191) 0013 13110 ANGELITA CARVALHO PT 21 0,03 %
em Branco 0014 13104 SALOMÃO PT 19 0,03 %
4.639 (6,25%) 0015 13123 KLEBER MACHADO PT 19 0,03 %
Nulos 0016 13113 LAERCIO ALVES PT 14 0,02 %
7.340 (9,89%) 0017 13012 IGOR SARDINHA PT 14 0,02 %
Pendentes 0018 13131 JOSÉ ALBUQUERQUE PT 13 0,02 %
0 (0,00%) 0019 13693 DRA. EDICLEA PT 9 0,01 %
Votos Válidos 0020 13011 ADELSON GUEDES PT 9 0,01 %
62.212 (83,85%) 0021 13913 DR. MARQUINHO PT 9 0,01 %
Nominais 0022 13222 LUIS FERNANDO PT 9 0,01 %
56.346 (90,57%) 0023 13789 ADALBERTO AMARAL PT 8 0,01 %
de Legenda # O candidato não teve seus votos totalizados devido a sua situação jurídica, à situação jurídica do seu partido
5.866 (9,43%) ou a falecimento.
ELEIÇÕES GERAIS 2014 1º TURNO – RESULTADO SUJEITO A ALTERAÇÃO

Outubro 5, 2014 Posted by | Eleições 2014, jornalismo, Maricá, política | , , | Deixe um comentário

Dilma é recebida com carinho em SG

Dilma ao lado de Lindberg faz campanha em São Gonçalo 12.09 (4) Milhares de pessoas participaram de caminhada e carreata petista no Calçadão de Alcântara no fim da tarde de ontem

DILMA NO RIO
A presidenta Dilma participou de caminhada em Alcântara, em São Gonçalo (RJ), onde pediu ajuda para que, até a data da eleição, a verdade fosse levada adiante para combater a mentira e a desinformação.
"Porque há muita desinformação nesse País. E a verdade é que esse País mudou. Agora as pessoas têm emprego e salário. Nesse lado de cá, estão aquelas pessoas que lutaram pelo #BolsaFamília, pelo#MinhaCasaMinhaVida, pelo direito do filho do trabalhador virar doutor", destacou.

Dilma ao lado de Lindberg faz campanha em São Gonçalo 12.09 (1)

A presidente Dilma Rousseff (PT), em campanha de reeleição, e o candidato petista ao Governo do Estado, Lindberg Farias, promoveram ontem uma caminhada e carreata no calçadão de Alcantâra, em São Gonçalo, diante de milhares de militantes do partido e a população da cidade. A presidente cumprimentou a população e elogiou a disposição da militância da legenda e a "boa energia" que recebeu das pessoas durante o trajeto.

Dilma ao lado de Lindberg faz campanha em São Gonçalo 12.09 (2)Dilma ao lado de Lindberg faz campanha em São Gonçalo 12.09 (3)

"Agradeço ao Lindberg e a toda essa maravilhosa militância de São Gonçalo que me passou este imenso calor humano e uma ‘boa energia’. Foi um imenso prazer voltar a esta cidade. Aqui mora o que há de melhor do nosso povo trabalhador e os pequenos empresários. Nesses próximos dias, todos nós temos que fazer com que a verdade vença a mentira. Estão neste palanque as pessoas que lutaram pelo Bolsa Família, pelo Minha Casa, Minha Vida", disse Dilma Rousseff.

(foto de arquivo)

Além de Dilma e Lindberg, outros políticos que apoiam a campanha petista estavam no palanque móvel, como o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, o presidente regional do PT, Washington Quaquá, que é prefeito de Maricá, e sua esposa, candidata à deputada estadual, Rosângela Zeidan. Também participaram deputados estaduais e candidatos de partidos que apoiam a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

 

Lindberg ressaltou que ainda faltam mais de duas semanas para as eleições e que é hora de criar uma "grande onda para virar as eleições no Rio de Janeiro".

"Queremos colocar o povo do Rio de Janeiro para refletir. O estado merece um governo que pense na qualidade de vida das pessoas, melhorando a Saúde, a Educação e o Transporte Público", declarou Lindberg.

Para Quaquá, a expectativa é de crescimento nas pesquisas tanto de Dilma, quanto de Lindberg.

"Dilma vem se recuperando e estes encontros no Rio vão trazer a arrancada dela, perante os outros candidatos e de Lindberg para que vá para o segundo turno", disse Quaquá.

Setembro 13, 2014 Posted by | Eleições 2014, jornalismo | , , , | Deixe um comentário

PT divulga balanço dos governos Lula e Dilma – Jornada Nacional de Formação

Apresentação

Este é o primeiro texto de um conjunto que integrará a análise dos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma. Futuramente, estes conteúdos farão parte do novo caderno 2 do módulo 2 da Jornada Nacional de Formação.

TEXTO 1 – DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

O Brasil hoje

Nos últimos anos, o Brasil tem vivido a concretização de um projeto de desenvolvimento, com promoção da justiça social, fortalecimento da democracia e presença soberana no mundo.

Um desenvolvimento inclusivo e sustentável, que articula as dimensões social, econômica, cultural, ambiental e ética, a partir do fortalecimento do Estado e da democracia, que se apoia no equilíbrio macroeconômico e no crescimento, e tem promovido a distribuição de renda, visando à superação da histórica desigualdade social, ainda expressiva no Brasil.

Balizas que, nos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma, orientaram a concepção e implementação de políticas fundamentais para o desenvolvimento do País e que contribuíram para a redução das desigualdades regionais, como a produção de energia; infraestrutura; políticas agrária e agrícola, com ênfase na produção de alimentos; políticas de proteção ambiental e de produção sustentável; políticas industrial, naval e aeroespacial; políticas de segurança pública; o conjunto das políticas de proteção e desenvolvimento social; ampliação do direito à educação e novos padrões de produção de conhecimento e cultura.

São políticas públicas articuladas, de longo prazo, com solidez e continuidade, conformando parte do patrimônio político do Brasil.

Elaboradas a partir de princípios e conceitos que se pretendem tornar permanentes, como políticas de Estado, que possam constituir patamares de referência ao diálogo entre governantes e sociedade, estas políticas têm sido construídas nas discussões criativas e críticas com participação social, nas mais de 100 conferências realizadas nas esferas nacional, estadual e municipal e nos conselhos temáticos. Espaços institucionais, nos quais as mais diversas representações de interesses e opiniões são acolhidas e fomentam o debate e a pactuação de indicativos para os processos de tomada de decisões e o diálogo com o Congresso Nacional, com os governos estaduais e municipais.

O Brasil tem sido capaz de assegurar a estabilidade macroeconômica, a recuperação do crescimento e o controle inflacionário, com ampliação das taxas de investimento, tanto no setor público quanto privado. Houve investimentos em política industrial e agrícola; investimentos em infraestrutura econômica e social; investimentos em atividades intensivas em recursos naturais e a formação de um mercado interno de massas. A formalização nas relações de trabalho cresceu, o desemprego caiu e se encontra, hoje, em suas menores taxas históricas. A política de valorização do salário mínimo fez com que os salários tivessem expressivos aumentos, particularmente os dos trabalhadores e trabalhadoras de baixa renda. Os investimentos sociais têm assegurado e/ou ampliado direitos e contribuído para a superação das desigualdades sociais, culturais, étnicas e entre homens e mulheres.

Os governos do presidente Lula e da presidenta Dilma conduziram uma política de desenvolvimento social voltada à inclusão, à garantia de emprego e renda, ao acesso às políticas públicas e à universalização dos direitos, que possibilitou que  milhares de brasileiros e brasileiras saíssem da miséria. As brasileiras e os brasileiros beneficiários dos programas sociais têm tido oportunidades de trabalho e renda, acesso a cursos profissionalizantes e de elevação de escolaridade. A distribuição de renda tem sido efetiva e significativa.

Outra importante conquista para o Brasil é o planejamento integrado das políticas públicas do governo federal e o empenho no processo de planejamento destas políticas entre a União e os governos estaduais e municipais. Exemplo disso tem sido o processo de planejamento do desenvolvimento brasileiro pelo poder público, que introduziu a participação social e a perspectiva de integração na elaboração do Plano Plurianual – PPA.

O Plano Plurianual em escala federal tem sido produzido como um Plano Nacional, que visa se constituir em instrumento de planejamento estratégico do Estado brasileiro, estabelecendo metas que dialogam, por meio de avaliações, com as metas estabelecidas anteriormente.

O Plano Plurianual constitui-se em referência para os investimentos públicos e privados do País e para a elaboração dos PPAs Estaduais e Municipais, de acordo com as determinações constitucionais.

O governo federal elaborou, para esse fim, uma ousada ação de capacitação dos gestores e gestoras públicos em vários municípios do País, tendo como base o desenvolvimento das políticas no território, com suas características específicas, a articulação entre as políticas e a ampla participação da sociedade. Trata-se de articular o PPA Federal com os PPAs Municipais, de sorte a desenvolver uma cultura de planejamento estratégico e torná-la, de fato, uma questão nacional.

O Brasil antes

Antes dos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma, a situação no Brasil não era essa. Os governos de Collor e FHC dirigiram o País a partir das referências do programa neoliberal, cujas características são expressas em:

  • ajuste fiscal, beneficiando o mercado financeiro e provocando a concentração de renda, o aumento do desemprego e da pobreza;
  • subordinação aos interesses norte-americanos na política externa, consubstanciada, por exemplo, na discussão sobre a ALCA (Área de Livre Comércio das Américas);
  • “Estado Mínimo”, com a redução de direitos (diminuição do acesso e da qualidade dos serviços públicos) e de investimentos em políticas sociais e em infraestrutura do País e privatização das empresas estatais;
  • criminalização e desmoralização dos movimentos sociais;
  • redução das responsabilidades do Estado, transferindo suas funções para outras instituições;
  • interdição do debate sobre o desenvolvimento.

O PT se posicionou publicamente contra essas medidas e apresentou outro projeto ao Brasil. Apoiando-se nas suas históricas bandeiras de lutas e nas conquistas inscritas na Constituição de 1988, defendeu as instituições públicas, o patrimônio do País, a prevalência da justiça social sobre a lógica do mercado e o fortalecimento dos movimentos sociais.

Atualmente, com a ampliação das oportunidades à sociedade, os brasileiros e brasileiras, especialmente os jovens, voltaram a sonhar com um futuro de acesso ao conhecimento, ao trabalho, aos direitos sociais.

Hoje, a maioria da sociedade sabe que tem o direito de querer mais. Direito que somente poderá ser realizado mediante a permanência e consolidação do projeto de desenvolvimento implementado pelos governos do presidente Lula e da presidenta Dilma.

Afinal de contas, como diz a presidenta Dilma, o fim da miséria é apenas o começo.

Agosto 12, 2014 Posted by | jornalismo, política, PT | , , | Deixe um comentário

Caravana da Cidadania chega a São Gonçalo

Caravana de Maricá marcou presença

Fotos: Araujo José, José Lucio e Rosely Pellegrino

Lindberg: "Precisamos combater a desigualdade"

Lindberg na mesa diretora, durante seu discurso na Caravana da Cidadania de São Gonçalo foto: Araujo José

Em visita a São Gonçalo, onde participou neste sábado (10/05) da Caravana da Cidadania, o senador Lindberg Farias defendeu a democracia participativa como forma de combater a desigualdade social. Diante de uma plateia formada por militantes de PT e PCdoB, que lotaram o clube social Embaixadores, no bairro Camarão, Lindberg criticou a falta de diálogo do atual governo do estado com a população e propôs a implantação do orçamento participativo e territorializado para que o povo possa decidir as prioridades de investimento.

"Não é possível que o governo invista quase R$ 8 bilhões para construir o metrô da Zona Sul até a Barra da Tijuca, a linha 4, enquanto a obra que ligaria o metrô de São Gonçalo a Niterói, a linha 3, continua parada. É necessário investir em mobilidade, as pessoas estão perdendo muito tempo no caminho entre a casa e o trabalho", disse o senador.

Lindberg enalteceu as realizações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, explicando que na administração do petista, houve crescimento econômico na região onde era mais preciso investir, o Nordeste. "O país inteiro cresceu cerca de 4%, mas o Nordeste cresceu 10% porque precisava mais, o Lula entendeu isso’, disse Lindberg.

Leci Alberti  e Carlos Alves na Caravana da Cidadania de São GonçaloO presidente da Câmara Municipal de Maricá Fabiano Horta, na Caravana da Cidadania em São Gonçalo.

O candidato do PT Lindberg Farias rumo a vitória para Governador do Rio de JaneiroMaricá marcou presença no evento

Lindberg exaltou a liderança politica da deputada federal Jandira Feghali, do PCdoB, também presente ao evento, ressaltando que o estado do Rio precisa de pessoas com sua capacidade. Ao final, Lindberg presenteou Jandira com uma rosa, homenagem ao Dia das Mães, que se comemora amanhã. "Jandira é uma pessoa de extrema confiança do presidente Lula, que transmite segurança à nossa aliança", disse ele, se referindo ao acordo com o PCdoB.

Também presente ao encontro, o ambientalista Roberto Rocco, do PV, exaltou a aliança de forças políticas que desejam a mudança no governo do estado. O PV anuncia oficialmente a aliança com PT e PCdoB nesta segunda-feira (12/05), no Hotel Windsor Guanabara, no Centro. "É um governo que não se preocupa com a qualidade de vida da população. São Gonçalo, por exemplo, 2% do esgoto tratado e cerca de 40% da população sofrendo com a falta d’água", afirmou.

Adolpho Konder, PCdoB, ex-candidato a prefeito de São Gonçalo, elogiou o caráter participativo da Caravana da Cidadania, enfatizando que o governo do estado não tem ouvido a população. "Não podemos ter a arrogância de não ouvir as pessoas, como este governo está fazendo", disse ele, acrescentando que São Gonçalo tem um déficit habitacional de mais de 25 mil moradias, sem que nenhum projeto de construção de casas tenha sido feito no município’, afirmou.

Caravana de Maricá marcou presença e recebeu elogios

Lideranças de Maricá participaram do evento

Maricá marcando presença na Caravana da Cidadania em São GonçaloMaricá marcando presença com alegria, na Caravana da Cidadania em São Gonçalo

Lindberg e Araujo José de MaricáMyrtes Almada e Lindberg, na Caravana da Cidadania em São Gonçalo

Jornalista Rosely Pellegrino com Lindberg, na Caravana da Cidadania em São Gonçalo

Maio 11, 2014 Posted by | Eleições 2014, jornalismo, política | , , , , , , | Deixe um comentário