Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Projetos para recursos hídricos passam de US$ 8 bi em um ano

Em 2011, 29 países investiram em mais de 205 iniciativas, diz organização.
Brasil tem desafio com aproximação da Copa do Mundo, afirma ONG.

Rafael Sampaio Do Globo Natureza, em São Paulo

Um estudo inédito com dados de 29 países, inclusive o Brasil, aponta que o investimento na proteção de rios, riachos, bacias hidrográficas e demais recursos hídricos chegou a US$ 8,17 bilhões (cerca de R$ 16,5 bilhões) em todo o mundo em 2011.

No total, 205 projetos públicos e privados de proteção aos recursos hídricos pelo mundo foram identificados pela ONG americana Forest Trends, sendo 28 deles na América Latina. Desses, o Brasil responde por quatro. Outros nove programas brasileiros foram citados pela Forest Trends, totalizando 13 no país, mas a ONG não obteve dados sobre eles em seu levantamento, então os deixou de fora da lista de projetos ativos.

Rafael Lima elegeu o Rio Negro como seu lugar favorito (Foto: Rafael Lima/VC no G1)Embarcações navegam pelo no Rio Negro, na região da Amazônia (Foto: Rafael Lima/VC no G1)

O relatório, publicado pela organização na quinta-feira (17), aponta iniciativas brasileiras consideradas positivas, como as políticas do projeto "Produtores de Água", realizado pela Agência Nacional de Águas (ANA).

A ANA criou um modelo de compensações e de ajuda financeira para pequenos produtores rurais que trabalham com proteção a matas ciliares e vegetação nativa, de maneira que esta preservação também ajude a manter os recursos hídricos da região. O modelo se espalhou para estados como Espírito Santo, Rio de Janeiro, Goiás e outros.

Outro destaque do estudo é o Projeto Oásis, que mobiliza produtores rurais para proteger áreas nos arredores de bacias hidrográficas no estado paulista. Mais de US$ 120 mil (R$ 245 mil, aproximadamente) foram pagos a agricultores que preservam a mata em suas propriedades rurais ou no entorno delas em 2011, segundo o relatório.

saiba mais

Desafios

Apesar dos dados positivos, o presidente da Forest Trends, Michael Jenkins, apontou em entrevista ao G1 que o país tem pela frente grandes desafios na proteção dos recursos hídricos, tanto na preservação quanto na despoluição e recuperação de áreas degradadas.

É possível investir mais e otimizar os projetos, aproveitando principalmente a aproximação da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, diz Jenkins. "A Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, é por exemplo um local bem poluído, é uma área que precisa ser limpa. Então existe uma oportunidade real de fazer as coisas funcionarem", afirma.

"Hoje há muito interesse no Brasil na questão da preservação ambiental", pondera o dirigente da organização.

Crescimento
Os investimentos globais na proteção das bacias hidrográficas e recursos hídricos passaram de US$ 6,10 bilhões (cerca de R$ 12,4 bilhões) em 2008 para US$ 8,17 bilhões (cerca de R$ 16,5 bilhões) em 2011, um crescimento de 32% no período, segundo o relatório.

Além disso, o número de programas de proteção aos rios, riachos, córregos e nascentes dobrou no mesmo intervalo de tempo – passou de 103 projetos, em 2008, para 205 em 2011.

A estimativa tanto dos recursos aplicados quanto no número de programas para proteção às bacias hidrográficas é conservadora, diz Jenkins. Ele pondera que só foram considerados os projetos que responderam às perguntas feitas pela ONG durante o levantamento. "É provável que o número de investimentos chegue a ser até o dobro disso", ressaltou.

‘Infraestrutura natural
Para o presidente da ONG, o resultado do estudo é positivo e mostra uma preocupação crescente com a "infraestrutura natural" dos países, como ele chama florestas, pântanos, matas ciliares e demais trechos de biomas integrados com as bacias hidrográficas, que ajudam em sua preservação.

"Mesmo com isso, estamos no meio de uma enorme crise com relação à água em várias partes do mundo. A população está crescendo, há mudanças climáticas, secas constantes em alguns países, tempestades em outros", disse Jenkins. "O que nós queremos incentivar é a preservação das estruturas naturais que ajudam a manter a água limpa."

Anúncios

Janeiro 19, 2013 Posted by | água, Ecologia, jornalismo, meio ambiente, Planeta Terra | | Deixe um comentário