Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Oportunidade de aprender aquaponia em Maricá, em julho, dias 29 e 30, Maricá

Inscrições Abertas. Vagas Limitadas

O que é Aquaponia
Aquaponia é a criação de peixes integrada ao cultivo de plantas. De forma simbiótica, as plantas usam as sobras e os excretos dos peixes como alimento, limpando novamente a água para os mesmos. Assim, temos a produção de plantas e peixes de forma mais econômica e orgânica, sem descartar ou trocar a água. O sistema fica mais eficiente a cada ano, sem necessidade de limpeza dos tanques de cultivo!
Não há necessidade do uso de terra, o cultivo é feito em água, usando como mídia de sustentação, entre outros, a argila expandida, brita ou fibra vegetal. Este meio de cultivo oferta economia, preservação ambiental e saúde. O cultivo pode ser realizado em pequenos locais como quintais, varandas, corredores, lages e outros. Caso a produção tenha excedentes, há possibilidades de distribuição local para os moradores da própria região, gerando economia solidária, saúde, educação e muito mais.
Na Aquaponia, se manejada com responsabilidade e em condições favoráveis, há uma eficácia de até 50% no cultivo, isso significa mais produção em menos tempo, o que se resume em economia de recursos e energia, todo sistema é 100% livre de tóxicos, uma vez que qualquer químico tóxico causaria a morte dos peixes, a fonte de nutrientes principal. Este sistema é, DE FATO, orgânico e inovador.

Conteúdos | Programa (inclui teoria e prática)
APRESENTAÇÃO E OBJETIVOS
INTRODUÇÃO
O que é a aquaponia
História da aquaponia
Porquê a aquaponia
Aplicabilidade da aquaponia
Vantagens/benefícios da aquaponia
PRINCÍPIOS TEÓRICOS FUNDAMENTAIS
O ciclo biológico da aquaponia
O ciclo do azoto
AS PLANTAS
As necessidades das plantas
Macronutrientes primários e secundários e micronutrientes
Cultivo de plantas de folha vs. Cultivo de frutos
Germinação
A FAUNA
Noções da biologia dos peixes
A seleção de espécies: opções, vantagens, desvantagens
Ornamentais e não ornamentais
Requisitos alimentares (herbívoros, omnívoros e carnívoros)
Espécies aquícolas mais comuns em aquaponia
O SISTEMA AQUAPONICO
A aquaponia é biológica/orgânica?
Alguns Parâmetros físico-químicos
Principais componentes do sistema de aquaponia
Opções de sistemas (DWC; NFT; EBB & FLOW)
Foco do curso – EBB & FLOW / Fluxo e Refluxo
EQUIPAMENTOS PARA AQUAPONIA
Principais equipamentos
DIMENSIONAMENTO DO SISTEMA DE AQUAPONIA
Equilíbrio entre dimensionamento da produção aquícola e da produção hidropónica
Alimentação
Perspectivas de evolução da aquaponia

Custo: R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais) incluso alimentação.

inscrições: contato@institutonos.org

Anúncios

Julho 4, 2016 Posted by | cursos, jornalismo, Maricá, meio ambiente | , , , | Deixe um comentário

Maricá + Verde ganha reforço do Viveiro Florestal Municipal com a produção de mudas

Texto: Willian Chaves (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Fernando Silva

O projeto “Maricá + Verde” ganhou um importante reforço. Na manhã desta sexta-feira (01/07), a Secretaria Adjunta de Meio Ambiente inaugurou o Viveiro Florestal Municipal no bairro Caxito. O canteiro fica num espaço dentro da Secretaria Executiva de Infraestrutura e tem capacidade para produzir 35 mil mudas por ano. O funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h, e espaço servirá como ponto de apoio para a população retirar mudas gratuitas para plantio. São mais de 40 espécies de árvores nativas. A estimativa é de que mil mudas sejam doadas por mês.

O secretário adjunto de Meio Ambiente, Guilherme Di César da Mota e Silva, ressaltou a importância da produção de mudas na cidade. “Com as mudas produzidas na região de plantio temos menos perdas. Elas são cultivadas aqui e passam por um processo de rotatividade dentro do viveiro que melhora a adaptação climática”, disse. A irrigação do canteiro é toda automatizada, dispensando a necessidade de funcionários para molhar as mudas. Todo o procedimento é controlado por um timer que irriga automaticamente o viveiro.

O projeto será ampliado para alunos da rede municipal de ensino como parte de uma parceria de Educação Ambiental nas escolas. Um cronograma de visitas ao viveiro municipal será programado.

Julho 2, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, meio ambiente | , | Deixe um comentário

Permajornada em Maricá: Aprenda tudo sobre Permacultura Urbana

Programação e horário das atividades:
09:00 as 09:30 – Recepção e preparo Chapati e Pesto Maluco
09:30 as 10:00 – Apresentação Instituto Nos
10:00 as 12:00 – Troca semente e mudas
12:00 as 14:00 – Preparo coletivo da nossa refeição
14:00 as 15:00 – Roda conversa sobre tipo e design de hortas urbanas
15:00 as 17:00 – Montagem de horta lazanha e plantio, Manutenção Agrofloresta
18:00 as 20:00 – Opcional, Fogueira
Facilitadores:
Tom Lima – Permacultor, Empreendedor e Diretor da ONG Instituto Nos
Ricardo Bortolato – Formado em Comercio exterior, Permacultor formado pela UMAPAZ e Gaia Education 2009, Empresário e Empreendedor Social
Serviço:

Endereço: Sede do Instituto Nos, Rua Bosque Fundo, Lote 09, Inoã, Marica-RJ
Quando: 09, 16 e 23 de Julho, de 2016
Objetivo:
Fortalecer o coletivo local, agregar mais pessoas a rede permacultura e abrir possibilidades de parcerias e negócios locais com o Instituto nos.
Investimento:
R$20,00 cada
Email para contato@institutonos.org

• Crianças, Melhor Idade, Pessoas com Necessidades Especiais não pagam nada.

A casa estará aberta para visitação e um bom bate papo sobre permacultura, agende sua visita.
Inscrições:

Como chegar:
Descer no Km. 15, na frente do Habibs da Rodovia Amaral Peixoto, ao descer do ônibus, atravessar a passarela para o outro lado sentido Rio, seguir pela rua do UPA INOÃ, passar a ponte e seguir pela primeira rua a direita, Rua Bosque Fundo, Lote 09, tem um lagarto no muro em barro cimento.

Venha para Roda de Conversa, trocar experiências, ideias, saberes, o Instituto Nos está aberto para te receber, venha fazer uma visita, conhecer nosso espaço, nosso filtro lento para águas cinzas, a BET que trata nossa águas negras, uma pequena floresta urbana, muitos pássaros, hortas, duendes e surpresas, apareça…..

Julho 1, 2016 Posted by | cursos, jornalismo, Maricá, meio ambiente | , , , , , , | Deixe um comentário

Prefeito de Maricá abre oficialmente Festival Internacional da Utopia

Fonte: Texto: Willian Chaves (edição: FSB Comunicação) | Fotos: Fernando Silva e Rosely Pellegrino

Na abertura do Festival Internacional da Utopia, evento realizado pela Prefeitura de Maricá na Barra de Maricá e em outros locais da cidade, o prefeito Washington Siqueira (Quaqua) deu as boas vindas às caravanas de todo país e da América Latina ao lado de Aleida Guevarra, médica cubana e filha de Ernesto Che Guevara, João Pedro Stédile, do MST, e da Deputada Estadual Rosângela Zeidan.

Serão cinco dias com a participação de pensadores internacionais, artistas, escritores, sindicalistas, movimentos sociais, populares e da juventude discutindo ações progressistas com uma programação distribuída em várias tendas pela cidade contemplando debates, feiras de literatura, feira da agricultura familiar, música e arte. Cerca de 1.500 pessoas acompanharam a abertura oficial do Festival, na tenda dos Pensadores.

DSCN8902DSCN8927

"Nós vivemos num tempo onde temos lutado por aquilo que é possível. Quando convocamos o Festival da Utopia foi para pensarmos e para provar para as pessoas que devemos lutar pelo impossível. E a nossa Utopia é ter uma escola de qualidade em tempo integral, distribuição de renda e riquezas, meios de comunicação democráticos e a participação popular efetiva. Essa é a Utopia da nova sociedade, essa é a nossa Utopia", disse Quaqua.

DSCN8939DSCN8955Aleida Guevara traçou uma análise etimológica da palavra utopia e defendeu posicionamentos importantes na inserção social das pessoas. “É necessário que tenhamos uma Utopia Socialista de discussão com as pessoas com uma distribuição igualitária de bens para que os cidadãos desempenhem, em harmonia, os trabalhos. O povo nos reconhece com dignidade e transparência quando agimos em sintonia e com a participação dele. Assim, ganhamos o respeito. Utopia é como a fome zero no Brasil. Ela não acontece ser não fizermos uma reforma agrária. A terra é do povo. Temos de fazer da nossa terra uma propriedade coletiva”, afirma Guevara que também lembrou emocionada a participação de um médico cubano na condução da tocha olímpica na cidade de Lagoa Grande (PE). Aleida Guevara também é medica pediatra.

DSCN8942DSCN8948

DSCN8926DSCN8931O líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stédile, defendeu mais ações efetivas para combater as desigualdades. “Temos que pensar alternativas para combater o capitalismo explorador. Não basta gritarmos “Viva o Socialismo”! Temos que ter propostas concretas para que o povo lute conosco para mudar as desigualdades”, assegura. 

As programações acontecem por toda cidade. Na Barra, concentram-se as tendas da diversidade, tenda dos trabalhadores e a tenda dos pensadores, além do palco principal para apresentações musicais. No centro, na Praça Orlando de Barros Pimentel, estão a feira de reforma agrária, a feira literária e o encontro internacional de teatro. A programação completa pode ser conferida pelo www.festivaldautopia.com.

 

Saiba mais:

Fonte Brasil de Fato: Rute Pina

Aleida Guevara: "Do que vale uma esquerda que não é reconhecida pelo povo?"

Durante a conferência de abertura do Festival da Utopia, a ativista também comentou a aproximação entre os EUA e Cuba

A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) - Créditos: Norma Odara/Brasil de Fato A ativista Aleida Guevara (ao centro) em mesa de abertura do Festival da Utopia, em Maricá (RJ) / Norma Odara/Brasil de Fato

A fragilidade e fragmentação da esquerda na América Latina foi criticada pela ativista cubana Aleida Guevara durante seu discurso na conferência de abertura do 1º Festival Internacional da Utopia, que está acontecendo em Maricá (RJ) a partir desta quarta (22).

Para ela, a esquerda deve basear suas ações nas demandas concretas do cotidiano das pessoas e deve aprender com as populações mais carentes e com os povos tradicionais. “Temos que ser mais firmes, coerentes e responsáveis. (…) Temos que ganhar o respeito de quem nos escuta. Do que vale uma esquerda se ela não é reconhecida pelo povo?”, questionou.

A pediatra, que é filha do guerrilheiro Che Guevara, disse acreditar que o grande erro das esquerdas da região é se dividir “em pedacinhos”. “Há uns 20 partidos que se dizem de esquerda, mas que não se unem pelos objetivos comuns. Se não juntarmos nossas forças, não venceremos nunca”, afirmou.

Aleida ainda criticou a postura das forças progressistas que ocuparam o Estado. “Tomamos o poder e não mudamos as leis criadas pela burguesia. Assim, não conseguiremos fazer nenhuma transformação profunda”, criticou.

Na mesa também estava o dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stedile, e o prefeito do município de Maricá, Washington Quaquá (PT).

Relações entre Cuba e EUA

A ativista criticou ainda o governo estadunidense e a recente reaproximação dos EUA com Cuba, que ela classificou como uma “utopia do inimigo”.

“Eles têm, há séculos, a utopia de se unir à ilha. É seu sonho irrealizável. E agora estão mudando os métodos. Eles perceberam que cometeram erros com o povo cubano, trataram a revolução cubana com um bloqueio criminal. E agora falam de abrir novas negociações”, afirmou.

Aleida acredita que uma possível normalização da relação entre os dois países só será possível com a extinção da lei que facilita a permanência dos cidadãos cubanos ilegais, “os únicos no planeta que tem esse privilégio”, com o fim do bloqueio econômico e com o fechamento da base naval estadunidense em Guantánamo.

“Eles terão que seguir sonhando com essa utopia, porque não é possível de maneira alguma acabar com a revolução cubana”, sentenciou a ativista.

Aleida definiu a palavra utopia como "o desejo de dar sentido à vida e a busca por um mundo melhor, mais solidário e mais justo”.

Modelos de Estado

Durante sua fala, Stedile afirmou que o maior desafio para os setores progressistas é o questionamento do modelo de Estado que se deseja a partir de um debate que pense diferentes temas de maneira "correlata".

Para ele, o capitalismo enlatou questões, e a esquerda abandonou questões como a cultura e meio ambiente.

“Temos que apresentar uma formulação sobre o meio ambiente, por exemplo. Fomos salvos por um papa, que produziu a melhor conteúdo programático sobre essa questão”, brincou. "Uma sociedade utópica que é diferente de sonho. É uma sociedade baseada na justiça, na solidariedade e na igualdade", disse o dirigente.

Para o prefeito de Maricá, Washington Quaquá, os setores progressistas têm lutado pelo possível, dada a injustiça e concentração de riqueza, mas são parte de uma esquerda “fez e questionou muito pouco”.

“Aquilo que queremos desenhar da nossa sociedade é possível se a gente se largar os horizontes utópicos. (…) Eles dizem que a história acabou, mas o socialismo nunca vai acabar enquanto pessoas morrerem nas ruas por causa de frio. Enquanto uma pessoa morrer por injustiça, o socialismo estará vivo”, disse.

Junho 23, 2016 Posted by | civismo, culinária, cultura, direitos humanos, Festival da Utopia, jornalismo, justiça, literatura, manifestação popular, Maricá, meio ambiente, moradia, musica, palestra gratis, projeto social, shows e eventos, social, turismo | | Deixe um comentário

Prefeitura reabre o canal da Barra de Maricá

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Paulo Polônio

As equipes da Secretaria Municipal Adjunta de Obras do Município de Maricá reabriram na manhã de terça-feira (08/03), o canal da Barra de Maricá, depois de ter sido fechado no sábado (05/03) pela própria natureza. A medida é necessária para o escoamento e renovação das águas da lagoa que teve o nível aumentado por conta das chuvas do dia 29/02. “Mais uma vez as águas escoam e continuamos a nossa luta”, declarou o prefeito Washington Quaquá que, a exemplo da primeira abertura, também acompanhou o trabalho desta terça-feira. “Mais água escoando e mais vida entrando nas lagoas”, completou.

No sábado, a passagem ficou aberta por 12 horas e nesse período o canal drenou 7 cm de todo complexo lagunar. A Prefeitura informa que continuará mantendo a passagem aberta até que o nível da lagoa retorne à normalidade. Por conta do forte temporal na semana passada, 12 rios da cidade transbordaram e nível da lagoa chegou a 75 cm, limite máximo, e a abertura entre a lagoa e o mar foi a medida emergencial adotada pelo município para escoar a água da cidade. Os técnicos do Inea, órgão estadual responsável pela abertura, só apareceram na cidade alagada quando o prefeito já havia decidido, unilateralmente, abrir o canal da Barra e desobstruir todos os outros pontos de estrangulamento. E o município, assim mesmo, não recebeu o documento oficial, tendo obtido uma cópia quase 24 horas depois – e por muita insistência. “Em janeiro mandei abrir a barra. Depois, um fiscal do Inea veio aqui e, por boicote político, mandaram fechar. Era para este canal estar aberto no dia da tragédia e o impacto ter sido menor”, reforça o prefeito.

 

Março 11, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, meio ambiente | , , | Deixe um comentário

Canal da Barra foi aberto e nível da lagoa desce

Em nota o Secretário Municipal do Governo de Maricá Fernando Rodovalho informou no início da tarde, deste domingo, 06.03.

“Barra de Maricá (06 e 07/03), conseguimos abrir um canal para saída das águas da lagoa.
Apesar das poucas horas que permaneceu aberto, o nível da lagoa desceu 7 centímetros, medição na régua utilizada pelo INEA”.

"DIVINEIA - desceu de 72 para 65" DIVINEIA – desceu de 72 para 65

"Em poucas horas o Mar praticamente retornou à faixa de areia que trabalhamos ao estado original. Será que o impacto ambiental é tão relevante, para um sofrimento tão grande de uma cidade?" 

Foto de Fernando Rodovalho. Em poucas horas o Mar praticamente retornou à faixa de areia que trabalhamos ao estado original. Será que o impacto ambiental é tão relevante, para um sofrimento tão grande de uma cidade? questionou o secretário.

Março 6, 2016 Posted by | jornalismo, Maricá, meio ambiente | , , | Deixe um comentário

Plano Municipal da Mata Atlântica é debatido na Casa Digital

Texto: Sérgio Renato | Fotos: Clarildo Menezes

As demandas coletadas na oficina vão ser cruzadas com as informações técnicas já de posse do Inea para listar as principais demandas da cidade

Uma reunião ocorrida na Casa Digital nesta segunda-feira (06/07) debateu as melhores formas de aplicação do Plano Municipal da Mata Atlântica em Maricá. A oficina foi organizada pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e pela Secretaria Adjunta de Meio Ambiente do município, com a participação de entidades ligadas ao setor. O objetivo era listar as principais demandas da cidade para inclui-las no documento final.

A equipe do Inea levou diversos mapas da cidade divididos por áreas de florestas, recursos hídricos e de aglomerados de população. Em cada um deles, os participantes puderam apontar os locais que necessitam de preservação ou recuperação, além dos espaços de interesse ecológico ou turístico. De acordo com a bióloga Renata Lopes, as demandas coletadas na oficina vão ser cruzadas com as informações técnicas já de posse do instituto.

Para quem participou do encontro, o discussão é de suma importância para a preservação deste ecossistema na cidade. “Agora temos que preservar o que ainda existe e recuperar o que acabou. Esse plano será nosso norte nessa missão”, disse Fátima Cristina Souza, coordenadora da Agenda 21 em Maricá.

O secretário municipal adjunto de Meio Ambiente, Guilherme Mota, lembrou que já havia estudos dentro do plano de manejo municipal que indicavam as áreas mais importantes a serem contempladas. “O que vamos fazer é ratificar esses locais dentro do plano municipal”, afirmou.

Equipe do Inea apresentou mapas da cidade divididos por áreas de florestas, recursos hídricos e de aglomerados de população para discutir propostas

Julho 8, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, meio ambiente | | Deixe um comentário

Programa “Maricá+Verde” realiza primeiro mutirão de reflorestamento do Rio Ubatiba

Texto: Tiago Campello (edição: Gisele Paiva)

Primeiro mutirão de reflorestamento do Rio Ubatiba contou com parceria com a Agenda 21 Maricá e moradores do bairro

A Secretaria Adjunta de Meio Ambiente de Maricá, através do programa “Maricá+Verde”, realizou no sábado (04/07) o primeiro mutirão de reflorestamento do Rio Ubatiba (trecho urbano). Em parceria com a Agenda 21 Maricá e moradores do bairro, a ação contou com o recolhimento de resíduos, distribuição de presentes sustentáveis e o plantio de 50 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, como Ipê amarelo (Tabebuia chrysotricha), Cedro (Cedrela fissilis) e Ingá (Inga vera).

O secretário adjunto municipal de Meio Ambiente, Guilherme Mota, destacou a importância da participação popular nas causas ambientais. “A proposta da secretaria é engajar ainda mais os moradores nas causas ambientais por ser fundamental a participação da comunidade na manutenção nas áreas do plantio”, disse.

O programa “Maricá+Verde” abre as portas para qualquer comunidade que deseja promover ações de reflorestamento. Os interessados deverão entrar em contato com a secretaria pelo telefone 2637-3835. A partir daí, será realizada uma vistoria no local para constatar a viabilidade do plantio e planejar as ações ambientais.

Ação contou com o recolhimento de resíduos, distribuição de presentes sustentáveis e plantio de 50 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica

Julho 7, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, meio ambiente | | Deixe um comentário

“Maricá+Verde” realiza plantio de mudas em Inoã

Texto: Tiago Campello (edição: Gisele Paiva) | Fotos: Divulgação

Alunos do CIEP 391, em Inoã, acompanharam o plantio de 29 mudas nativas da Mata Atlântica na região

O programa “Maricá+Verde” realizou mais uma ação decorrente de uma série de atividades em prol da sustentabilidade no município. Recuperando as áreas de Preservação Ambiental Permanente, a Secretaria Municipal Adjunta de Meio Ambiente esteve nessa segunda-feira (29/06) no CIEP 391, em Inoã, para realizar o plantio de mudas nativas da Mata Atlântica.

Alunos do 9º, 8º e 2º ano do Ensino Médio participaram do plantio de 29 mudas, como Ipê Amarelo (Tabebuia chrysotricha), Jacarandá (Jacaranda mimosaefolia) e Pitanga (Eugenia uniflora) em uma área que futuramente será transformada em um Espaço Verde, onde os alunos participarão de diversas atividades educacionais e de lazer.

A ação ambiental tem como objetivo estimular a conscientização dos alunos sobre a importância de arborizar áreas urbanas e gerar qualidade de vida para a cidade. De acordo com o secretário municipal adjunto de Meio Ambiente, Guilherme Mota, a aproximação dos alunos com a natureza é fundamental para a formação do indivíduo. “O contato com a natureza e a experiência de contribuir diretamente para a preservação através do plantio de árvores cria um vínculo de amor e respeito que influenciará na formação de cidadãos ainda mais preocupados com o futuro do município de Maricá”, disse.

Durante a ação, foram plantadas mudas de Ipê Amarelo, Jacarandá e Pitanga

Junho 30, 2015 Posted by | jornalismo, Maricá, meio ambiente | | Deixe um comentário

Obras de arte são expostas no Paço Municipal

Texto: Jorge André (edição: Gisele Paiva) | Fotos: Fernando Silva

Exposição apresenta obras de artistas plásticos da cidade, como Osias Silveira, J. Barros e Rafhael Cavalcanti

O Paço Municipal recebe, a partir desta segunda-feira (18/05), obras de artistas plásticos da cidade. O projeto é a contribuição de Maricá à 13ª Semana de Museus, evento nacional que tem como tema “Museus Para Uma Sociedade Sustentável” e é promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). No município, a iniciativa está sob responsabilidade do Museu Histórico de Maricá, vinculado à Secretaria Municipal Adjunta de Cultura.

O programa enfatiza a importância de maior conscientização do homem sobre o impacto das suas ações no planeta. A exposição, uma pequena mostra do potencial da cidade, apresenta obras de artistas locais, como Osias Silveira, J. Barros e Rafhael Cavalcanti, todas elaboradas com materiais reaproveitados.

Para o secretário municipal adjunto de Cultura, Romário Galvão, a Semana de Museus é uma ótima oportunidade para valorizar a expressão artística local, principalmente em artes plásticas. “A participação do município neste projeto mostra a preocupação do governo em valorizar o que é daqui”, avalia o secretário.

A Semana Nacional de Museus, que segue até domingo (24/05), é uma temporada cultural que acontece todo o ano em comemoração ao Dia Internacional dos Museus. Em todo o país, há 1.378 instituições culturais realizando mais de 4.500 atividades.

Projeto é a contribuição de Maricá à 13ª Semana de Museus, evento nacional que tem como tema “Museus Para Uma Sociedade Sustentável”

Programa enfatiza a importância de maior conscientização do homem sobre o impacto das suas ações no planeta.

Maio 19, 2015 Posted by | arte, cultura, Exposições, jornalismo, Maricá, meio ambiente, projeto cultural | | Deixe um comentário