Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Martinho da Vila eleito imortal na ACL

Martinho José Ferreira é cantor, compositor e músico brasileiro

O compositor e escritor Martinho da Vila acaba de ser eleito na
Academia Carioca de Letras para ocupar a Cadeira 6, cujo último titular
foi Fernando Segismundo, ex-presidente da ABI.
Martinho José Ferreira, 76 anos, foi eleito com 28 votos, em
apuração presidida pelo acadêmico Jonas Correia Neto, com os
escrutinadores Edir Meirelles e Adriano Espínola.
A posse do novo imortal da ACL deverá ocorrer nos próximos dois
meses.
Cadeira vaga de
RONALDO ROGÉRIO DE FREITAS MOURÃO
Também no mesmo dia da apuração, o presidente da Academia
Carioca de Letras, Ricardo Cravo Albin, declarou abertas as inscrições
para a vaga de Ronaldo Mourão, ocupante da Cadeira 14.
As inscrições serão recebidas na secretaria da ACL, por Maria José,
às segundas-feiras, das 15h30min às 19h até o dia 25 de setembro de
2014.
Ricardo Cravo Albin
Presidente

Anúncios

Agosto 30, 2014 Posted by | cultura, jornalismo, Maricá | | Deixe um comentário

Ultimo dia para inscrições – Educação abre processo seletivo para contratação temporária de profissionais.

Texto: Raquel Andrade

A Secretaria Municipal de Educação já deu início ao processo seletivo para a contratação temporária, no período de 12 meses, de Professor Docente II (Educação Infantil e Ensino Fundamental – anos iniciais); Professor Docente I (Disciplinas); Professor Docente I (Disciplinas do Curso Técnico de Nível Médio em Edificações); Orientador Pedagógico (OP); e Orientador Educacional (OE). Os interessados devem fazer a inscrição pelo site da Prefeitura (http://www.marica.rj.gov.br/educacao/?ed=contratotemporario​) até o dia 29/08 (sexta-feira).

Para participar do processo, os candidatos devem preencher um formulário virtual e, no período de 01 a 03/09, das 09h30 às 16h, comparecer à Secretaria Municipal de Educação com a documentação exigida (original e cópia): carteira de identidade; carteira de trabalho; CPF e regularidade do CPF; título de eleitor e comprovação de quitação eleitoral; PIS/PASEP; certificado de serviço militar (para homens); comprovante de naturalização; comprovante de residência; documentação comprobatória de experiência na área de atuação; documentação comprobatória dos títulos que possui; e documentação comprobatória da habilitação para função relativa à contratação. Vale ressaltar que os candidatos que não entregarem a documentação solicitada nos horários e datas previstos serão desclassificados automaticamente.

O resultado será disponibilizado no dia 05/09, a partir das 17h, no site da Prefeitura. Os selecionados deverão comparecer à secretaria no dia 08/09, também das 9h30 às 16h, para tomar conhecimento dos documentos necessários à contratação. Na ocasião, ainda será informado à unidade escolar que o profissional será lotado, assim como data de início das atividades.

A Secretaria Municipal de Educação fica na Rua Barcelar da Silva Bezerra, 105, no Centro de Maricá. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 2637-8817.​

Agosto 29, 2014 Posted by | Educação, emprego e oportunidade / vagas temporárias, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário

Prefeito de Maricá vai determinar a paralisação de obra do emissário do Comperj

Texto: Marcelo Ambrosio e Raquel Andrade

O prefeito de Maricá, Washington Quaquá, determinou nesta quarta-feira (27/08), que a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano suspenda as autorizações de trabalho dadas à Petrobras para a construção do emissário de efluentes do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) em Itaipuaçu. De acordo com o secretário Alan Novais, a ordem de paralisação das obras é uma resposta do município ao não cumprimento, por parte da empresa, das contrapartidas exigidas pela legislação para reduzir o impacto das obras na região.

Segundo o secretário, a Petrobras havia apresentado ao município uma proposta de contrapartida – em termos urbanísticos – no valor de R$ 20 milhões, com o seguinte desembolso plurianual: R$10 milhões em 2014; R$8 milhões em 2015; e R$ 2 milhões em 2016. A verba seria repassada à cidade, que definiria os locais beneficiados e a forma de sua aplicação – a ideia é direcionar sobretudo para obras de infraestrutura e na aquisição de massa asfáltica para o programa de pavimentação. O prazo para a apresentação final por parte da Petrobras encerrou-se há dez dias e, nesta quarta-feira (27/08), representantes da petrolífera entregaram à secretaria um documento com teor diferente do original. "Na primeira versão, a verba seria aplicada em locais definidos pela cidade, de acordo com as suas prioridades. No documento que me trouxeram hoje", prossegue Alan, "os R$ 20 milhões devem ser aplicados em uma rua de Itaipuaçu. Isso é inconcebível", protesta.

Ainda de acordo com o secretário, os impactos das obras do emissário atingem todo município e a Petrobras tem de entregar a rua da maneira que encontrou ao iniciar a obra, como consta no contrato, indepententemente de qualquer contrapartida. "O povo todo tem que ser contemplado e, por este motivo, a proposta deles não foi aceita pela Prefeitura. O valor não pode ser destinado apenas em obras de calçamento num lugar só", finalizou, lembrando que parte da via já é asfaltada. Nesta quinta-feira (28/08), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano enviará a intimação à Petrobras, solicitando a paralisação imediata das obras, sem data prevista de retorno.

Agosto 28, 2014 Posted by | COMPERJ, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário

Prefeitura leva Educação a índios em Maricá

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Fernando Silva

Cacique Darci Tupã participará do processo seletivo da Prefeitura para ministrar aulas a 26 índios da aldeia da Restinga

Os índios Tupi-Guarani M’Bya, que vivem na Restinga de Maricá, serão alfabetizados pela Secretaria Municipal de Educação. As aulas, previstas para começarem já no próximo mês, serão realizadas na própria aldeia e beneficiarão, inicialmente, 26 pessoas, entre crianças e adultos. Os últimos detalhes do projeto foram definidos nesta quarta-feira (27/08), entre a Prefeitura e os índios, em visita a aldeia Tekoa Ka’aguy Hovy Porã ("Mata Verde Bonita", em língua indígena).

Segundo a secretária de Educação, Adriana Luiza da Costa, a princípio serão formadas duas turmas – uma de crianças e adolescentes e outra de adultos – com aulas do 1º segmento (Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental). Em uma segunda etapa, serão oferecidas aulas, sob responsabilidade do estado, para alunos do 2º segmento (6º ao 9º ano do Ensino Fundamental). “O cacique Darci Tupã é professor bilíngue (Português e Guarani) e participará do processo seletivo da Prefeitura para dar aulas na aldeia, já que a cultura indígena não permite um educador de outra etnia. Vamos garantir o ensino aos índios”, declarou a secretária, que estava acompanhada da subsecretária Mariane da Fonseca.

O cacique Darci Tupã comemorou a abertura da escola na aldeia. “Estamos muito felizes por este apoio e acolhimento que recebemos da Prefeitura. Todos estão ansiosos para aprender a ler e escrever o próprio nome”, destacou o cacique. Os índios, originais de Parati, na Costa Verde do Estado do Rio, estão na região da restinga de Maricá desde abril de 2013. Antes ocuparam por sete anos um espaço na Praia de Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói.

A reunião também contou com a participação de Célia Virmond e Penha Nunes, da Coordenação de Diversidade e Inclusão Educacional do estado, especializada em Educação Indígena.

Tribo de Itaipuaçu

O projeto de alfabetização da secretaria também será estendido para os índios Tupi-Guarani, instalados recentemente em uma aldeia no distrito de Itaipuaçu, na localidade de São Bento da Lagoa. A turma será formada por nove crianças e as aulas acontecerão na aldeia a partir de setembro. O índio Vanderlei da Silva também é professor bilíngue (Português e Guarani) e participará do processo seletivo da secretaria.

Aldeia turística

Além de garantir o ensino ao povo indígena, a Prefeitura planeja ainda construir uma aldeia turística com a construção de ocas hotéis e um teatro arena para apresentações da cultura indígena. No local, localizado numa área de 93 hectares, entre São José do Imbassaí e Itaipuaçu, os índios construirão a estrutura rústica (feita com argila, bambu e palha) e a Prefeitura destinará recursos para manutenção do espaço. Ao todo, 65 índios, sendo três crianças nascidas em Maricá, moram na aldeia. Pelo projeto inicial, os visitantes conhecerão a cultura indígena, por meio das danças, artesanato e comidas típicas, e poderão se hospedar na própria aldeia.

Secretária Adriana Luiza participou da reunião com índios e equipe do estado

Índios comemoraram o início das aulas na aldeia

Agosto 28, 2014 Posted by | Educação, Maricá | | Deixe um comentário

Agências bancárias em Maricá são multadas por demora no atendimento

Texto: Rafael Zarôr | Fotos: Fernando Silva

Banco do Brasil disponibilizou banheiro e água aos moradores, mas foi multada novamente pela demora no atendimento

Nova blitz da Prefeitura e Câmara Municipal flagrou irregularidades no Banco do Brasil e Itaú. Caixa Econômica também foi multada por falta de alvará de funcionamento

A Prefeitura de Maricá multou novamente, nesta segunda-feira (25/08), as agências do Banco do Brasil e Itaú por demora no atendimento – ultrapassa o limite de 20 minutos por cliente previsto na Lei Municipal 2.478/2013. Esta foi a terceira fiscalização realizada este mês por equipes da Secretaria de Fazenda, Procon e Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal. O objetivo é adequar as instituições bancárias à legislação do município, que também determina disponibilização de assentos, banheiros e bebedouros com água gelada à população.

No Banco do Brasil, os fiscais multaram a agência em mais 50 Ufimas (Unidade Fiscal de Maricá), equivalente a R$ 5.657,50, pela demora no atendimento, e 20 Ufimas (R$ 2.263) por não ter autorização da Prefeitura para instalação de placas de publicidade externa. No entanto, algumas adequações à lei municipal foram encontradas pelos fiscais nesta segunda blitz – a primeira aconteceu dia 1º de agosto. “O atendimento ainda está fora do padrão, mas eles legalizaram o alvará de funcionamento, instalaram placas de atendimento prioritário e disponibilizaram bebedouro com água gelada aos consumidores. No acesso ao banheiro, substituíram a placa de acesso restrito por outra de uso permitido à população”, declarou Renata Dácio, subsecretária de Atendimento e Empresarial, da Secretaria de Fazenda.

A demora no atendimento no Banco do Brasil também foi criticada pelo empresário italiano Antonino Vaianella, de 55 anos. “O atendimento aqui é muito ruim. O município precisa de uma agência em Itaipuaçu para evitar esse deslocamento até o Centro”, afirmou o empresário.

A agência do Itaú, localizada na Rua Ribeiro de Almeida com Rua Senador Macedo Soares, também foi multada em 50 Ufimas (R$ 5.657,50) pela demora no atendimento e em 20 Ufimas (R$ 2.263) porque não possui alvará de funcionamento. Na Caixa Econômica Federal, da Avenida Roberto Silveira, os fiscais aplicaram multa triplicada no valor de 40 Ufimas (R$ 4.526) porque a agência também não possui a alvará de funcionamento. Outro problema registrado foi à falta de sistema de internet que gerou transtornos a população. “Estou aqui a 1h30 e preciso pagar a prestação de minha casa que vence hoje direto no caixa, já que perdi o meu cartão. Isso é um desrespeito”, reclamou Lilian Fontoura, moradora do Centro.

Denúncias no Procon

O presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, vereador Marcelo Vianna, que participou das ações, disse que agendará uma reunião com os gerentes dos bancos, com a participação da Secretaria de Fazenda e Procon, para aumentar o horário de atendimento em Maricá. “Recebemos muitas reclamações da população insatisfeita com o atendimento nos bancos. Uma delas é o horário de fechamento, que encerra às 15h. O Banco Central determina cinco horas de atendimento ao público e está em estudo à criação de uma normativa para estender esse horário até às 16h. Queremos fazer isso em acordo com as agências”, adiantou Vianna, acrescentando que também fazem parte da comissão os vereadores Frank Costa, Aldair de Linda, Felipe Bittencourt e Helter Ferreira.

As denúncias de maus serviços prestados na cidade podem ser registradas nos postos do Procon no Centro e Itaipuaçu. Segundo a coordenadora Bianca Marques Migon, a agência central, que funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, registra 120 atendimentos por mês, entre abertura de reclamações, encaminhamentos ao judiciário e orientações aos consumidores. “Conseguimos resolver 70% dos casos sem a necessidade de acionar o judiciário”, afirmou a coordenadora, lembrando que ainda não existe um levantamento de Itaipuaçu porque o posto começou a funcionar na última semana. “Estamos com uma equipe de plantão todas as terças-feiras, das 9h às 17h, na Central de Atendimento da Prefeitura no terminal rodoviário do distrito”, acrescentou.

Serviço:

Procon Itaipuaçu – Terminal Rodoviário de Integração José Ferreira da Silva: Rua Professor Cardoso de Menezes, s/nº (antiga Rua Um). Terças-feiras, das 9h às 17h. Telefone: 2638-4982;

Procon Centro – Rua Abreu Rangel, 420, sala 111 (prédio da Casa & Vídeo). Segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Telefone: 2634-1342. E-mail – proconmarica@marica.rj.gov.br;

Comissão de Defesa do Consumidor – Avenida Nossa Senhora do Amparo, 57 (Câmara Municipal). Telefone: 2637-2105 ramal 218.

Agência do Itaú também foi multada por demora no atendimento

Caixa foi multada pela terceira vez por não ter alvará de funcioname

Agosto 26, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá | Deixe um comentário

Prefeitura de Maricá e Fiperj vistoriam área em Jaconé

Texto: Fernando Uchôa | Fotos: Divulgação

Técnicos da Federação de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj) e das secretarias municipais de Ambiente e de Pesca, Aquicultura, Agricultura e Pecuária de Maricá vistoriaram na sexta-feira (22/08) o loteamento Jardim Jaconé, onde surgiu água por afloramento do lençol freático. O pedido da visita partiu dos próprios moradores do local que identificam no fenômeno de nove mil metros quadrados uma oportunidade para a criação artificial de camarões ou peixes ornamentais. Os técnicos fizeram medição do espelho d’água, levando amostras para análise.

Segundo o extensionista da Fiperj, Thiago Modesto, será feito um estudo de viabilidade técnica com mapeamento via satélite, em que serão conferidas condições físico-químicas, como a profundidade do afloramento e o tipo de solo, para possível implantação de um projeto de carcinicultura (criação de camarões) ou piscicultura (peixes alimentícios ou ornamentais). O resultado do estudo deverá ficar pronto em 15 dias, aproximadamente.

Para o líder comunitário da região Henrique Alex, de 45 anos, mais conhecido como Aritana, a ideia é gerar e agregar renda para a comunidade, preservando também o patrimônio natural. "A água é doce, vindo de diversos veios. Um deles, inclusive, é aproveitado pela indústria de água mineral aqui da região. Já colocamos algumas espécies de peixes no lago, como tilápias, que se reproduziu bem. Outra espécie é a traíra, da fauna local, que é pescada com certa regularidade. Algumas são de bom tamanho", completou.

O subsecretário de Biodiversidade do município, Evandro Sathler, avaliou a possibilidade de uma parceria com a Fiperj. "De acordo com o resultado de viabilidade técnica, estudaremos uma parceria em que a Prefeitura de Maricá entrará com a área, que já é do município, e o financiamento. A prioridade do projeto é a produção de alimentos, visando inclusive a inclusão do peixe de água doce na merenda escolar. A Fiperj dará em contrapartida o suporte técnico e a comunidade dará a mão de obra. Um mutirão perfeito", concluiu.

Agosto 26, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá, meio ambiente | | Deixe um comentário

A força da onda vermelha caminha com Lindberg Farias em Maricá

Em Maricá e Alcântara, Lindberg Farias critica a migração da violência para a região metropolitana

O candidato da Frente Popular (PT, PV, PCdoB e PSB) ao governo do Rio de Janeiro, Lindberg Farias, fez campanha, neste sábado (23),na cidade de Maricá. Àpos a caminhada pelo calçadão de Alcântara, onde ficou mais de duas horas ouvindo e conversando com moradores e trabalhadores. O candidato encerrou o dia de campanha na Praça Orlando Pimentel, de Maricá. Centenas de militantes, agitando bandeiras e cantando o jingle da campanha, lotaram as arquibancadas do teatro de arena para saudar o candidato.

Lindberg e a força da onda vermelha caminham em Maricá com Zeidan para Deputada Estadual e Fabiano  para Deputado Federal (fotos Rosely Pellegrino) (119) “Foi uma grande festa, desta militância unida, aguerrida”, disse Lindberg, ao discursar para as pessoas. Ele manifestou otimismo e se posicionou como o candidato que fará as mudanças que a sociedade exige. Para enfrentar o aumento da violência em Maricá, o candidato se comprometeu a instalar um batalhão da polícia na cidade, melhorar o abastecimento de água e enfrentar o monopólio das empresas de ônibus.

“Não dá para entender o descaso da Cedae com a falta de água em Maricá. No caso do transporte, vamos fazer licitação para ter várias empresas de ônibus atendendo a população e acabar com o monopólio. E nosso compromisso final com Maricá será  investir muito na educação”, ressaltou, sendo bastante aplaudido.

Lindberg foi recebido pelo prefeito Washington Quaquá, presidente Estadual do PT do Rio de Janeiro, o candidato almoçou com militantes e os candidatos do partido,  Zeidan para deputado estadual e Fabiano Horta para deputado federal. Com o grupo seguiu para a caminhada, onde centenas de militantes já aguardavam o candidato.

Lindberg e a força da onda vermelha caminham em Maricá com Zeidan para Deputada Estadual e Fabiano  para Deputado Federal (fotos Rosely Pellegrino) (148)Lindberg e a força da onda vermelha caminham em Maricá com Zeidan para Deputada Estadual e Fabiano  para Deputado Federal (fotos Rosely Pellegrino) (151)

Na praça Conselheiro Macedo Soares, Lindberg foi recebido por uma onda vermelha, que invadiu o centro da cidade. Acompanhado por Zeidan e Fabiano Horta, Lindberg entrou em lojas, distribuiu cartões, posou para fotos e reafirmou que representa a alternativa de mudança política para unir o Rio do cartão postal e do Rio que mais precisa.

Lindberg e a força da onda vermelha caminham em Maricá com Zeidan para Deputada Estadual e Fabiano  para Deputado Federal (fotos Rosely Pellegrino) (147)Lindberg e a força da onda vermelha caminham em Maricá com Zeidan para Deputada Estadual e Fabiano  para Deputado Federal (fotos Rosely Pellegrino) (211)Lindberg e a força da onda vermelha caminham em Maricá com Zeidan para Deputada Estadual e Fabiano  para Deputado Federal (fotos Rosely Pellegrino) (110)

Agosto 24, 2014 Posted by | Eleições 2014, jornalismo, Maricá, política | , , , | Deixe um comentário

Separados por disputa judicial, herdeiros de Niemeyer prestam homenagem ao arquiteto

Institucional | O Globo Online | BR


Projeto de restaurante na Lagoa é um dos inéditos da mostra que começa hoje no Paço Imperial: iniciativa da fundação gerida pela neta – Divulgação

Projeto de Niemeyer para o Maracanã ficou em segundo lugar em concurso – Divulgação

Mostra no Paço Imperial reúne projetos clássicos e inéditos, enquanto revista traz textos jamais publicados

RIO – O escritório de Oscar Niemeyer na praia de Copacabana está do jeito que ele deixou ao morrer, em dezembro de 2012. As obras completas de Eça de Queirós e as centenas de livros fazem companhia ao busto de Lênin e à caixinha de música que tocava a Internacional Socialista, entre outros objetos repletos de lembranças. Apesar de brigarem na Justiça pela empresa e por outros bens deixados pelo arquiteto, os herdeiros agora tomam a iniciativa – separadamente, diga-se – de homenagear a memória de Niemeyer. Assim, velhos objetos, desejos interrompidos, projetos não concretizados e papéis nas gavetas voltam à tona.

Uma das novidades é o retorno da revista "Nosso Caminho", que Niemeyer editava com Vera, sua mulher. Já hospitalizado, pouco antes de morrer, ele discutia com ela como ficaria a edição que estava prestes a sair – e que acabou sendo guardada. Só depois de quase dois anos de luto, Vera volta à publicação, que traz projetos e textos inéditos deixados pelo arquiteto. A ideia, a partir de agora, é lançar duas edições por ano.

– Precisei esperar esse tempo para conseguir mexer na revista novamente. Mas está tudo do jeito que ele queria – afirma Vera Niemeyer.

Ela conta que o marido escrevia tudo à mão e não gostava de palavra difícil. Niemeyer, diz Vera, buscava a simplicidade em seus textos. Os escritos inéditos vão das lembranças da primeira visita ao local onde Brasília seria construída às recordações de suas viagens de carro ao Planalto Central, quando olhava para as nuvens e via nelas catedrais enormes, guerreiros romanos, monstros desconhecidos – e mulheres, é claro. Entre os projetos não construídos, a "Nossa Caminho" traz centros culturais em Foz do Iguaçu e no Marrocos, além da sede de uma empresa e um parque aquático na Alemanha.

CONCURSO PARA A CONSTRUÇÃO DO MARACANÃ

A segunda homenagem ao arquiteto surge por iniciativa de outra parte da família.

A Fundação Oscar Niemeyer, cuja diretora executiva é Ana Lúcia, sua neta, inaugura hoje no Paço Imperial, para convidados, a exposição "Oscar Niemeyer – Clássicos e inéditos", que já passou por São Paulo e é produzida pelo Itaú Cultural. Com curadoria de Lauro Cavalcanti, diretor do Paço, e projeto cênico de Pedro Mendes da Rocha, a exposição nasceu da descoberta, pelo professor Fares El Dahdah, da Rice University, de cadernos guardados pela fundação, com projetos que não chegaram a ser realizados.

– Em geral, eles não foram construídos por conta da desistência de clientes, por motivos financeiros ou políticos, como trocas de governo, no caso das obras públicas – afirma Cavalcanti.

Entre os inéditos, está o desenho "Estádio Olímpico Nacional" (1941), que tirou o segundo lugar no concurso para a construção do Maracanã. Também há um conjunto de restaurante e espaços públicos na Lagoa Rodrigo de Freitas (1944), que ficaria em frente ao Cantagalo, e uma casa de praia que ele projetou para si mesmo, em Maricá. A exposição reúne ainda as residências de Oswald de Andrade (1938) e de Sérgio Buarque de Holanda (1953). Outro inédito é o projeto para a cidade de Negev, em Israel (1964), feito apenas três anos depois de Brasília e cuja ideia era permitir que todas as distâncias do local fossem percorridas a pé. Para a mostra, foram produzidas maquetes de alguns desses projetos.

– A ideia era fazer uma primeira exposição póstuma apenas com esses desenhos, mas também pensei que não seria justo sonegar, de uma pessoa que não conhecesse Niemeyer, informações sobre a grande obra que ele produziu – afirma Cavalcanti.

Por isso, a exposição traz uma linha do tempo que começa em 1936, com o prédio do Ministério da Educação e Cultura, no Rio, e termina em 2011, com o Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Avilés, na Espanha (2006/2011). Construções como o Conjunto Arquitetônico da Pampulha e os monumentos de Brasília, é claro, também ganham seu espaço. Assim, a mostra apresenta, com fotos, desenhos e detalhamento de cada projeto, a vasta obra do fundador da moderna arquitetura brasileira.

– Esta não é uma exposição apenas para arquitetos ou estudantes de Arquitetura – ressalta Cavalcanti. – É para o público amplo. A arquitetura não é uma coisa obscura, é algo fluido, para ser desfrutada pelas pessoas. Faz parte da vida de todo mundo.

Uma das grandes atrações da mostra é uma bobina de papel de 12,5 metros. Nela, o arquiteto demonstrou seu método de trabalho para o filme "Oscar Niemeyer – O filho da estrela" (2001), de Henri Raillard, que é exibido na exposição. Também será projetado "Oscar Niemeyer – A vida é um sopro" (2007), de Fabiano Maciel.

Outra curiosidade fica por conta de um desenho feito pelo arquiteto em 1975, a pedido de uma publicação soviética, sobre a cidade do futuro. Lauro Cavalcanti lembra que Niemeyer não era muito dado a esse tipo de previsão, mas, "talvez por ser um pedido da URSS", criou uma cidade com habitações subaquáticas, novos transportes aéreos e aprendizado durante o sono. Nessa fantasia futurista, ninguém precisaria frequentar universidade, e as árvores cresceriam em questão de minutos.

ESCRITORIO EM BRASÍLIA NÃO FUNCIONA MAIS

As duas homenagens ilustram uma família dividida. De um lado, alguns dos netos e a Fundação Oscar Niemeyer; do outro, Vera Niemeyer e o escritório. Ao todo, são cinco herdeiros, representados por diferentes escritórios de advocacia. Vera, aliás, acaba de ser nomeada pela Justiça a inventariante do espólio do arquiteto. Isso quer dizer que, além de ser responsável pelo andamento legal do processo, ela se transformou na gestora da herança enquanto o processo do inventário durar.

Com essa mudança, o escritório do Rio de Janeiro, diz a viúva, passa a ser o único autorizado a negociar projetos de Oscar Niemeyer que ainda estejam em andamento. O escritório que o arquiteto chegou a ter em Brasília, portanto, não funciona mais. Entre os bens do inventário, estão ainda uma fazenda em Maricá, um apartamento no Rio e a Casa das Canoas, em São Conrado, que precisa de reforma.

– O Oscar não era uma pessoa mercenária, e acho que isso tem que ser respeitado durante esse processo. Acho que os herdeiros precisam respeitar os princípios dele – afirma Vera. – Nós temos conhecimento, de outros artistas, que muita coisa acontece após a morte, a obra não é respeitada conforme sua vontade. A coisa toma caminhos diferentes.

Desde 2006, quando o arquiteto caiu em casa, fraturou o fêmur e sua saúde se deteriorou, havia boatos de que Niemeyer não desenhava mais e apenas assinava os projetos. Vera nega.

– Ele desenhava, sim. O Jair Valera (arquiteto que trabalhou por 30 anos com Niemeyer) entendia nos mínimos detalhes o que o Oscar queria – defende. – Ele via o que Oscar queria, desenvolvia e mostrava para ele ver se era aquilo mesmo. Quando não era, o Oscar rasgava.

Enquanto a briga judicial não se resolve, a companheira de Niemeyer desde os anos 1970 diz que não tira um objeto do escritório do lugar. Vera calcula que tenha mais de cem textos inéditos do arquiteto e, agora que conseguiu finalmente mexer na papelada, quer levar outros projetos adiante.

Agosto 14, 2014 Posted by | Arquitetura, Arquitetura e Urbanismo, construção civil, Exposições, jornalismo, Lazer, projeto cultural, social | | Deixe um comentário

Prefeitura Municipal de Maricá atende sugestões e modifica trânsito no Centro

Texto: Rafael Zarôr (edição: Marcelo Ambrosio) | Fotos: Fernando Silva

Principal mudança foi a reabertura nesta quarta-feira do retorno da Praça Conselheiro Macedo Soares

Retorno da Praça Conselheiro Macedo Soares foi reaberto nesta quarta

Dentro da proposta de avaliar os impactos das alterações feitas pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes no Centro de Maricá, e com base nos primeiros retornos já recebidos, a Prefeitura já definiu alguns pontos onde as mudanças realizadas serão submetidas a algum tipo de adequação. Atendendo à avaliação dos técnicos e a sugestões da população, a Prefeitura fez novas alterações no trânsito do Centro de Maricá nesta quarta-feira (13/08). A principal modificação foi a reabertura do retorno da Praça Conselheiro Macedo Soares (sede da Secretaria Municipal de Turismo) em direção a Rua Ribeiro de Almeida – a via estava bloqueada desde junho com a implantação do sistema binário, mas a mudança acabou gerando mais retenções. Essa semana, a administração municipal iniciou uma pesquisa de opinião com os moradores e motoristas (nas ruas e nas redes sociais) para melhorar o trânsito na cidade.

O estacionamento da Rua Domício da Gama, próximo ao Hospital Municipal Conde Modesto Leal também foi revisto. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes instalará placas com vagas a 45º, substituindo as de 90º (transversais à calçada), no lado esquerdo da via em frente à loja de rações. "As vagas de 45º ocupam menos espaço na rua e os motoristas tem melhor visão dos demais veículos durante as manobras", explica o secretário Leandro Costa. Do outro lado da via, onde hoje é proibido parar, e onde funciona uma clínica, embarques e desembarques passarão a ser permitidos. Em julho, a Prefeitura havia proibido o estacionamento no lado direito da Rua Domício da Gama para evitar congestionamentos naquele trecho.

A secretaria ainda fará a sinalização horizontal, com tachões, além das placas já instaladas, na Rua Clímaco Pereira que, desde julho, deixou de ser mão dupla entre as ruas Domício da Gama e Padre Arlindo Vieira. "Alguns condutores não estão respeitando as sinalizações e insistem em entrar à esquerda, na contramão, em vez de seguir o traçado correto", declarou o secretário. "Eles infringem as leis de trânsito e também podem causar acidentes", completou. Desde julho, quem trafega pela Rua Domício da Gama (via do hospital) segue, obrigatoriamente, até a Rua Padre Arlindo Vieira (rua do convento) e retorna na Rua Clímaco Pereira ou segue em direção ao bairro do Flamengo e Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106).

A terceira intervenção acontecerá na Rua Alferes Gomes (via do futuro Centro de Cultura Henfil), na esquina com a Avenida Nossa Senhora do Amparo. Neste trecho, a secretaria pintará a pista (o chamado "zebrado") antes do ponto de táxi, para impedir que motoristas estacionem no cruzamento, evitando congestionamentos e acidentes.

O programa de mobilidade urbana, que inclui as mudanças no trânsito do Centro da cidade, continuarão passando por readequações a partir das informações que a pesquisa junto à população reunir. Quem quiser participar pode enviar as sugestões, através da página oficial da Prefeitura no facebook (www.facebook.com/prefeiturademarica). Funcionários do município também percorrerão as ruas do Centro fazendo pesquisa e colhendo opiniões e sugestões.

Agosto 13, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá, transito | Deixe um comentário

Ruas do Centro de Maricá serão interditadas durante festa da padroeira

Texto: Raquel Andrade

Os moradores e turistas de Maricá precisam ficar atentos aos fechamentos das ruas do Centro da cidade durante a festa de Nossa Senhora do Amparo, padroeira do município, a ser realizada de 14 a 17/08 (de quinta-feira a domingo). A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes, organizou um esquema especial com interdição das vias, nos quatro dias, das 18h às 2h. Durante os fechamentos, guardas municipais e agentes de trânsito estarão nos locais para orientar a população.

As primeiras interdições acontecerão da Rua Abreu Rangel, no trecho da Senador Macedo Soares (esquina da Ampla), até a Rua Domício da Gama, na esquina com Alferes Gomes (futuro Centro Popular Henfil). A opção para quem vem da Barra de Maricá, Cordeirinho, Boqueirão e adjacências é entrar na Alferes Gomes até Rua do Canal da Cidade, com saída no Parque Eldorado. Já para quem faz o sentido contrário, a sugestão é entrar na Rua Athayde Parreira (rua da delegacia), seguindo pela Prefeito Hilário da Costa e Silva (rua do Colégio Cenecista), com saída no também Parque Eldorado.

Além destas, as vias no entorno da Igreja da Matriz serão bloqueadas, como a Avenida Nossa Senhora do Amparo até Rua Alferes Gomes; e trecho da Álvares Castro (rua da Prefeitura), entre Canal da Cidade e Rua Barão de Inoã. Os motoristas que estiverem na RJ-106 e precisarem ir a Araçatiba, Cordeirinho, Boqueirão, Barra de Maricá e adjacências, a Secretaria de Trânsito e Transporte de Maricá recomenda o acesso pela Mumbuca, entrada pela churrascaria Maminha de Ouro.

Agosto 13, 2014 Posted by | jornalismo, Maricá, religioso, transito, vias públicas | Deixe um comentário