Noticiário RJ on line

As melhores notícias com Rosely Pellegrino

Campeã das Enquetes – No Grupo “C” deu UNIÃO DE MARICÁ, Parabéns!!!

RESULTADO OFICIAL DA ENQUETE QUEM SERÃO AS CAMPEÃS DO CARNAVAL DE 2016, na passarela da Estrada Intendente Magalhães, Rio de Janeiro

Quem é a escola favorita para vencer o Grupo C no Carnaval de 2016

CAMPEÃ: UNIÃO DE MARICÁ – 419 VOTOS

VICE-CAMPEÃ: VIZINHA FALADEIRA – 286 VOTOS

3º LUGAR: COROADO DE JACAREPAGUÁ – 242 VOTOS

4º LUGAR: VILA SANTA TEREZA – 141 VOTOS

5º LUGAR: LINS IMPERIAL – 85 VOTOS

6º LUGAR: MOC. U. DA CIDADE DE DEUS – 33 VOTOS

7º LUGAR: BOCA DE SIRI – 32 VOTOS

8º LUGAR: ARRASTÃO DE CASCADURA  – 26 VOTOS

9º LUGAR: SERENO DE CAMPO GRANDE – 18 VOTOS

10º LUGAR: AC. DO DENDÊ – 12 VOTOS

11º LUGAR: ROSA DE OURO – 09 VOTOS

12º LUGAR: VILA KENNEDY – 05 VOTOS

13º LUGAR: AC. DA ABOLIÇÃO – 02 VOTOS

TOTAL DE VOTOS: 1.310

Anúncios

Janeiro 18, 2016 Posted by | Carnaval, Carnaval 2016, enquete, GRES União de Maricá, jornalismo | , | Deixe um comentário

Maricá marca presença na feira Carnavália-Sambacon

Texto: Jorge André (edição: Gisele Paiva) | Fotos: Clarildo Menezes

GRES União de Maricá participou de evento que mostra a força do carnaval

A cidade de Maricá participa da segunda edição do Carnavália-Sambacon. O evento, que começou nesta quinta-feira (18/06) e segue até sábado (20), reúne a cadeia produtiva do carnaval no Rio de Janeiro e, em paralelo, promove o Encontro Nacional do Samba. Realizado no Centro de Convenções SulAmérica, na Cidade Nova, a feira reúne mais de 70 stands e, segundo os organizadores, deve atrair um público de mais de 10 mil pessoas.

No stand de Maricá, representantes do governo, sambistas e integrantes do GRES União de Maricá apresentaram um pouco das belezas da cidade aos visitantes. O sambista Dudu Nobre comentou sobre a importância da feira e da nova agremiação da cidade. “Fiquei muito feliz em saber da fundação de uma escola de samba em Maricá. Espero em breve voltar à cidade”, disse. O presidente do GRES União de Maricá, Mauro Ramos, destacou a representatividade do município por meio da União de Maricá. “Fomos enredo do GRES Acadêmicos do Grande Rio no ano passado e acho que Maricá merece uma escola de samba que represente o município. Quem sabe em breve estaremos na Sapucaí”, afirmou.

O sambista e compositor maricaense Amarildo Moreno, que ano passado concorreu à escolha do samba enredo da Grande Rio, acrescentou que a cidade tem todo o potencial para fazer uma escola de samba com qualidade. “Temos a oportunidade de colocar Maricá definitivamente no mapa do samba no país”, pontuou.

O evento, pioneiro no país, mostrou a força do carnaval e a importância de se realizar eventos como este para movimentar esse mercado. A noite foi dedicada ao samba e contou com participação de Alcione, que cantou seus maiores sucessos.

Representantes do governo, sambistas e integrantes do GRES União de Maricá apresentaram um pouco das belezas da cidade

A noite foi dedicada ao samba e contou com participação de Alcione

Junho 23, 2015 Posted by | Carnaval, cultura, Feiras e Eventos, jornalismo, Lazer, turismo | Deixe um comentário

Carnaval 2015: mais de 500 mil pessoas em Maricá

Texto: Rafael Zarôr, Raquel Andrade e Marcelo Ambrosio | Fotos: Fernando Silva

Mais de 500 mil pessoas, segundo a Secretaria Municipal Adjunta de Turismo, curtiram os seis dias de folia na cidade

Quem percorreu Maricá durante o Carnaval percebeu que as expectativas de público anunciadas pela Prefeitura foram superadas. Nos shows gratuitos promovidos pelo município em 10 palcos, nas praias e nos desfiles de 80 blocos, milhares de turistas, hóspedes nas 27 pousadas (todas com 100% da capacidade ocupada) e foliões puderam curtir a folia com segurança e conforto.  Ao todo, de acordo com estimativas da Secretaria Municipal Adjunta de Turismo e Lazer, mais de 500 mil pessoas estiveram na cidade nos seis dias de festa – de 13 a 18 de fevereiro.

Nem mesmo o forte temporal de domingo (15/02) e a longa interrupção no fornecimento de energia elétrica em toda a região ofuscaram o bom resultado, medido também no retorno do comércio. Alguns estabelecimentos procurados pela Prefeitura por atenderem nos fins de semana e feriados confirmaram o aumento de vendas, como o Mercado Jolumar (Centro), onde frutas, legumes e itens para churrasco foram os produtos mais procurados. “Vendemos 800 kg de carne e 200 sacos de carvão no Carnaval. Em média, vendemos 1,5 toneladas de carnes por mês”, contou a proprietária Lucia Maria Policarpo. Em Cordeirinho, o Mercado Sol Mar bateu 80% da previsão de vendas para o primeiro mês de funcionamento. “Foram 450 caixas com latas de cerveja de 473 ml e 200 sacos de carvão”, informou o proprietário, André Freitas, que investiu em um gerador e evitou os prejuízos decorrentes da falta de luz. Efeito do calor, na Padaria Pão Quente, na Barra de Maricá, em vez de pães, os foliões também queriam bebidas. “Vendemos 120 pacotes de cerveja de 200 que recebemos”, afirmou a proprietária Maria Lúcia Lemos de Souza. 

Esquema reforçado garantiu tranquilidade e conforto

Por toda a cidade, o contingente de diversas secretarias atuou garantindo segurança, conforto e tranquilidade aos visitantes. A operação com os dois reboques da Secretaria Municipal Adjunta de Segurança, iniciada no mês passado, atuou pela primeira vez em um período de grande movimentação de veículos no município. Ao todo, foram apreendidos e levados para o depósito de São José do Imbassaí 63 motos e 27 carros. As infrações mais comuns foram o estacionamento em local proibido e o uso de som automotivo em alto volume – ultrapassando o limite legal de 80 decibéis. 

O serviço com os ônibus gratuitos da Prefeitura é outro indicador da procura por Maricá como destino turístico no Carnaval. Ao todo, os “vermelhinhos” transportaram quase 58 mil pessoas operando em horário menor, das 7h às 16h30. Nas praias, as equipes da Defesa Civil Municipal também tiveram trabalho, registrando 175 resgates, sem nenhum óbito. Já de acordo com a Secretaria Municipal Adjunta de Saúde, o Hospital Conde Modesto Leal contabilizou 2.001 atendimentos, enquanto a UPA de Inoã teve 1.799 registros. No posto de saúde de Santa Rita, 226 pacientes foram atendidos no período carnavalesco e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), por sua vez, atendeu 32 chamados. Além disso, a secretaria montou seis postos médicos em palcos do Centro, São José do Imbassaí, Barra de Maricá, Ponta Negra, Cordeirinho e Itaipuaçu, com equipes especializadas (médicos, técnicos de enfermagem e enfermeiros) e ambulâncias.​

Houve espaço, ainda, para ações de conscientização, como a realizada pela Secretaria Municipal Adjunta do Ambiente, que distribuiu 1500 sacolas biodegradáveis para o recolhimento de lixo no Espraiado, Barra de Maricá e Recanto de Itaipuaçu, além de canecas para as crianças. Na outra ponta da questão, a coleta de lixo também foi eficiente, com as equipes da empresa terceirizada contratada pela Prefeitura tendo recolhido 1,3 toneladas de lixo nos seis dias de festa.

No mercado Jolumar, carnes, sacos de carvão, bebidas e produtos de hortifruti foram os mais vendidos

Quase todo estoque de cerveja foi vendido na Padaria Pão Quente, na Barra

Caixas de cervejas foram os produtos mais vendidos no mercado de Cordeirinho

Fevereiro 24, 2015 Posted by | Carnaval, Carnaval de Maricá 2015, jornalismo, Lazer, Maricá, turismo | Deixe um comentário

Maricá Carnaval 2015: Bailes infantis serão realizados no domingo e terça-feira no Centro

Texto: Leandra Costa (edição: Raquel Andrade) | Fotos: Fernando Silva

Bailes infantis serão realizados no domingo e terça-feira no Centro

Uma novidade promete animar o Carnaval das crianças em Maricá. A Secretaria Municipal Adjunta de Turismo e Lazer irá realizar bailes infantis, no domingo (15/02) e terça-feira (17/02), no palco principal da Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel. O evento contará com o show do Maestro Dedé e Banda Carnaval Folia, a partir das 17h.

No repertório estão incluídas as marchinhas eternizadas nos antigos bailes, tradicionais sambas-enredo, além de atuais sucessos da MPB em ritmo de samba, que farão a alegria de crianças e adultos, num verdadeiro encontro de gerações com a apresentação de clássicos que certamente já embalaram os carnavais de pais e avós. Com 14 integrantes, o grupo é formado por músicos oriundos de bandas militares há mais de 30 anos, em sua maioria, moradores de São Gonçalo. O maestro Dedé explicou que, geralmente, a banda se reúne durante o ano em apresentações esporádicas, mas que a especialidade da banda são os shows durante a folia momesca.

O maestro falou também sobre a expectativa de se apresentar na cidade. “É sempre uma honra participar do Carnaval em Maricá. Esse será o ano terceiro Carnaval na cidade e estamos muito animados para contagiar as famílias que sempre comparecem para nos prestigiar”, declarou. ​

No repertório estão incluídas as marchinhas eternizadas nos antigos bailes e tradicionais sambas-enredo

Fevereiro 12, 2015 Posted by | Carnaval, Carnaval de Maricá 2015, jornalismo, Lazer, Maricá, shows e eventos | , | Deixe um comentário

Nota do prefeito de Maricá Washington Quaquá sobre Carnaval de 2014

A Câmara Municipal de Maricá aprovou nesta quarta-feira (27/03), em segunda e última votação, a lei que autoriza a subvenção do município ao Carnaval da Escola de Samba Acadêmicos do Grande Rio. Leia em seguida a nota do prefeito Washington Quaquá sobre a aprovação:

“A lei permitirá que o potencial turístico de Maricá seja visto e avaliado por um público superior a 1 bilhão de espectadores, no Brasil e em quase 200 países para os quais o desfile das escolas de samba do Grupo Especial é transmitido. Ou seja, o investimento é mais que justificado e faz parte de uma estratégia do governo municipal voltada para vender ainda mais a imagem da cidade no Brasil e no exterior, o que já vem atraindo grandes investimentos e gerado empregos no município.

Levantamento feito por especialistas de mídia para a Prefeitura apontam que, para cada real aplicado na escola, o retorno em imagem (pelo tempo de exposição) representa outros 12,6 – de R$ 3 milhões gastos, para R$ 38 milhões em equivalência na mídia.

Para o momento em que a cidade se encontra, chamando a atenção pelo seu enorme potencial para a implantação de projetos geradores de emprego, renda e com sustentabilidade, a exposição contínua, em horário nobre, é um aporte mais do que proveitoso. É através dessa estratégia que o município está recebendo investimentos como o do porto, ou da construção do shopping-center, ou ainda hotéis, resorts, lojas de grandes marcas, indústrias e grifes imobiliárias de grande porte, etc.

A partir desse instrumento legal, a Prefeitura fará um investimento da ordem de R$ 3 milhões no desenvolvimento do enredo, recursos esses que não virão da verba de repasse de royalties ou de qualquer outra pasta prioritária para a administração, como Saúde e Educação – que mereceram no orçamento de 2013 um volume de recursos em média 30% maior. O aporte – que é uma forma legítima de alavancar o interesse de investidores externos para aplicação no município – tem retorno garantido e mais do que comprovado.

Vale dizer que nosso investimento, que tornará a cidade conhecida em todo o mundo, é apenas um grão de areia diante dos que estão sendo realizados no município: no tratamento de esgoto serão aplicados R$ 93 milhões já em início e mais R$ 150 milhões do novo PAC, no tratamento e distribuição de água serão R$ 78 milhões em fase final e mais R$ 200 milhões do novo PAC, na construção do novo hospital municipal serão aplicados outros R$ 20 milhões, há R$ 40 milhões do orçamento para a Saúde este ano, outros R$ 80 milhões para a Educação, R$ 40 milhões para a pavimentação. Enfim, é uma cidade que investe nas diversas áreas, cresce e aparece para o mundo graças à ousadia do seu governo municipal”.

Rafael Zarôr

FSB COMUNICAÇÕES

Março 28, 2013 Posted by | Carnaval, jornalismo | , | Deixe um comentário

Presidente da Grande Rio fecha com Fabio Ricardo e elogia carnavalesco

Fonte: O DIA

Em 2014, o enredo da Grande Rio vai exaltar os 200 anos na cidade de Maricá.

Fabio Ricardo é o novo carnavalesco da Grande Rio | Foto: Diego Mendes / Divulgação

Rio – Fabio Ricardo é o novo carnavalesco da Grande Rio. Horas depois de deixar oficialmente a São Clemente, onde ficou três anos, o artista assinou com a tricolor de Caxias nesta segunda-feira. Fabinho, como é conhecido no mundo do Carnaval, assumiu a vaga que era de Roberto Szaniecki. Em 2014, o enredo da Grande Rio vai exaltar os 200 anos na cidade de Maricá.

"Ele (Fabinho) é um grande carnavalesco e fez um grande trabalho na São Clemente. Já acompanhava o trabalho dele", disse Edson Alexandre, presidente da escola, em entrevista ao DIA na Folia.

Sexta colocada no último desfile, a agremiação da Baixada também contratou Ricardo Fernandes para o cargo de diretor de Carnaval. Ele assume o lugar de Tavinho Novello, que foi dispensado na semana passada.

Experiente, Ricardo tem passagens por Imperatriz Leopoldinense, Vila Isabel e Unidos da Tijuca, onde estava desde 2009.

Desde o desfile das Campeãs, a Grande Rio já havia anunciado que faria "grandes mudanças" em seus quadros.

Thiago Monteiro, que foi diretor de Carnaval do Império da Tijuca, e ainda integrava a equipe de Harmonia da Unidos da Tijuca, também foi contratado pela Grande Rio nesta segunda.

Fevereiro 26, 2013 Posted by | Carnaval, jornalismo | | Deixe um comentário

Carnaval de Maricá terá Diogo Nogueira, Neguinho da Beija-Flor, Martinho da Vila e Sambô entre as atrações

 

Texto: Marcelo Moreira | Fotos: Divulgação

Diogo Nogueira se apresenta no Centro, no sábado de Carnaval (09/02)

Desfile de estrelas da música brasileira consolida a cidade como um dos principais destinos turísticos do Estado durante a folia

Um festival de grandes shows da música popular brasileira no Carnaval deste ano promete consolidar a cidade de Maricá como um dos principais destinos da folia em todo o Estado. O desfile de estrelas terá Diogo Nogueira, Martinho da Vila, Armandinho, Neguinho da Beija-Flor, Fernanda Abreu, George Israel, Monarco, Nelson Sargento, Dorina, Marquinhos de Oswaldo Cruz, Eduardo Dusek e, ainda, a banda Farofa Carioca e o grupo Sambô – fenômeno de público e crítica e em todo o país.

Ao todo, quinze palcos vão reunir 67 shows gratuitos entre a sexta-feira que antecede o feriadão e a terça-feira de Carnaval, em todas as regiões da cidade, numa estratégia parecida com a que a prefeitura adota no réveillon e que garante diversão de qualidade e segurança para a população e para os turistas. A expectativa é atrair um número ainda maior de turistas do que em 2012, quando pelo menos 500 mil pessoas passaram por Maricá ao longo dos quatro dias de carnaval.

Além dos palcos, onde os shows começam às 22h, dois trios (um em Barra de Maricá e outro em Itaipuaçu) farão a festa dos foliões durante o dia, com shows da região, como as bandas Me Puxa, Banda Brasil e Garotos Sem Preconceito – que também vão marcar presença em alguns dos palcos fixos. A programação inclui ainda atrações preparadas especialmente para as crianças. O coreto da Praça Raul de Barros, no Centro, será palco de duas apresentações do baile infantil “Carnaval com Bia Bedran” – comandado pela cantora, escritora e contadora de histórias.

Martinho da Vila agita baile de pré-Carnaval no dia 02

Antes mesmo da chegada oficial do Carnaval, a folia em Maricá será anunciada por ninguém menos que Martinho da Vila – ícone de diversas gerações do samba. O show do cantor será realizado no dia 02 de fevereiro (sábado), às 23h, na Praça Orlando de Barros Pimente, no Centro.

Confira abaixo as atrações do palco principal, no Centro de Maricá (em breve a Prefeitura disponibilizará a programação completa nos demais palcos)

Sambô – o fenômeno da mistura de samba e rock

Eles transformaram pandeiro e cuíca em “estrelas do rock” e, sem preconceitos musicais, se tornaram fenômeno de venda e de público. Uma das principais atrações do Carnaval de Maricá (que se apresenta no dia 12/02 na Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro) é o grupo Sambô – formado por San nos vocais e percussão; Sudu Lisi na bateria; Ricardo Gama nos teclados; Júlio Fejuca no cavaquinho, guitarra, banjo e vocais; Max Leandro no surdo e Zé da Paz no pandeiro e vocais. A apresentação do grupo reúne pérolas do samba com agudos de rock’n’roll e releituras de clássicos do rock com o swing e a descontração das rodas de samba. Imperdível.

Diogo Nogueira – de Cuba para Maricá

Num repertório com os sucessos de sua carreira e as músicas de seu novo trabalho – fruto do DVD “Diogo Nogueira ao vivo em Cuba” – o filho do aclamado sambista João Nogueira anima a festa em Maricá no dia 09/02, no palco da Praça Orlando de Barros Pimentel, no Centro. O novo projeto do cantor chegou às lojas de todo o país em agosto de 2012 e após apresentações esgotadas em todo o país, chega a maricá para um show gratuito em pleno sábado de Carnaval.

Neguinho da Beija-Flor – o símbolo do carnaval carioca que dispensa apresentações

Símbolo maior da escola de samba Beija-Flor, onde é o intérprete oficial desde 1976, o sambista traz seu show para Maricá no domingo de Carnaval (10/02) para, na segunda-feira (11) lutar por mais um título da GRES Beija Flor de Nilópolis na Marquês de Sapucaí.

Farofa Carioca – a mistura com o melhor da música brasileira

Funk, jongo, rock, jazz, rap, reggae, xote e, principalmente, o samba fazem do Farofa Carioca um símbolo da combinação de influências que formam a democrática música brasileira. O grupo, criado em 1997, se apresenta no palco da Praça Orlando de Barros Pimentel na segunda-feira de Carnaval (11/02).

Domingo de Carnaval (10/02) terá Neguinho da Beija-Flor no palco da Praça Orlando de Barros Pimentel.

Também no Centro, sobe ao palco na segunda-feira (11/02) o grupo Farofa Carioca.

Janeiro 22, 2013 Posted by | Carnaval, Carnaval 2013, Carnaval 2013 em Maricá, jornalismo, Lazer, manifestação popular, Maricá, musica, shows e eventos, turismo | , , | Deixe um comentário

Carnaval do Rio de Janeiro está de luto pela morte de Delegado, presidente de honra da Estação Primeira de Mangueira

Fonte: Obturador de História

Nascido no Morro da Mangueira em 29 de dezembro de 1921, cresceu na comunidade e começou a frequentar o samba ainda no colo da mãe, aos 3 anos. Ele integrou o bloco Unidos da Mangueira. Aos 17 anos começou a desfilar como mestre-sala, arte que aprendeu vendo Marcelino, um dos fundadores da atividade, que desfilava como baliza do Bloco dos Arengueiros, precursor da Estação Primeira de Mangueira.
Por 36 anos Delegado tirou a nota máxima no desfile, ao lado das portas-bandeiras Nininha, Neide e Mocinha. Considerado um “pé de valsa” frequentador de gafieiras, alto e esguio tinha um jeito elegante de dançar, e prendia atenção das moças, na época, o que lhe valeu o apelido de Delegado. Sempre com seu apito amarrado no pescoço, fazia questão de estar em todos os ensaios da Mangueira.
Em 2011, conquistou o título de presidente de honra da Mangueira.
O CARNAVAL ESTÁ DE LUTO MORRE DELGADO

Nascido no Morro da Mangueira em 29 de dezembro de 1921, cresceu na comunidade e começou a frequentar o samba ainda no colo da mãe, aos 3 anos. Ele integrou o bloco Unidos da Mangueira. Aos 17 anos começou a desfilar como mestre-sala, arte que aprendeu vendo Marcelino, um dos fundadores da atividade, que desfilava como baliza do Bloco dos Arengueiros, precursor da Estação Primeira de Mangueira.
Por 36 anos Delegado tirou a nota máxima no desfile, ao lado das portas-bandeiras Nininha, Neide e Mocinha. Considerado um “pé de valsa” frequentador de gafieiras, alto e esguio tinha um jeito elegante de dançar, e prendia atenção das moças, na época, o que lhe valeu o apelido de Delegado. Sempre com seu apito amarrado no pescoço, fazia questão de estar em todos os ensaios da Mangueira. 
Em 2011, conquistou o título de presidente de honra da Mangueira.

Foto: Delegado e Neide durante um desfile na década de 60. Foto: Delegado e Neide durante um desfile na década de 60.

Novembro 13, 2012 Posted by | Carnaval, jornalismo | , | Deixe um comentário

NOTA PARA A IMPRENSA DE RITA ALVES SOBRE O CARNAVAL

“Atendendo o pedido da amiga mangueirense, escritora e poeta Rita Alves divulgamos a nota abaixo” – Rosely Pellegrino

Ao longo da história da humanidade, aqueles que tiveram a coragem de ousar foram julgados sem piedade.

Em tempos passados, julgados pela Inquisição, atirados a fogueira, sentenciados por fazerem descobertas científicas ou apenas por questionarem a ordem, levantarem dúvidas sobre o formato da Terra, como Galileu Galilei, por se perguntarem sobre a existência de outros planetas…

Outros ainda foram desmoralizados e chamados de loucos, reduzidos a estigmas e estereótipos para que perdessem a credibilidade, como Beethoven, revolucionário em sua época, ou ainda o nosso brasileiríssimo Heitor Villa Lobos, que ousou usar uma folha de zinco numa sinfonia.

E já que falamos em Brasil, que tal os modernistas, que romperam com a estética padrão, propondo a brasilidade, comermos e digerirmos as várias culturas mas fazer desta “Antropofagia” o que é a nossa mais alta cultura, dando valor às expressões populares, retirando as rimas dos versos, a jaula da forma soneto, as harmonias aprisionadas em modelos europeus… a pintura romântica ou retratista que reverenciava mitos, heróis construídos, a alta burguesia e a aristocracia.

Mas foram justamente essas ousadias que moveram a ciência para frente, as conquistas, os avanços.

Não posso, portanto, aceitar que na expressão mais popular do planeta, o CARNAVAL, ainda haja esse ranço ultrapassado do conservadorismo, de homens munidos do poder de julgar – como inquisidores medievais – sentenciando à fogueira (das vaidades) a alta expressão, a coragem em romper padrões, o avanço no sentido de sedimentar a mais nobre expressão do que somos.

Cultura só se sedimenta quando temos CORAGEM de absorver tudo o que foi feito e transformamos não em algo NOVO ou outro, mas num processo de crescimento, de avanço no sentido de confirmar a tradição.

Foi isso o que aconteceu nesta terça-feira no Rio de Janeiro, na Sapucaí, durante a apresentação da escola de samba mais tradicional deste país. Cuja inquestionável importância deveria ser no mínimo respeitada e vista com olhos antropológicos e críticos de modo a constituir mais fortemente o nosso imaginário essencial de brasileiros.

Alguém se lembra de ter visto algum ano a Estação Primeira de Mangueira fazer UM carnaval que seja que não trouxesse à baila a nossa própria cultura? Enquanto outras “agremiações” se valem de enredos e temas mercadológicos, enquanto essas mesmas escolas se transferem de suas raízes do morro para espaços turísticos, quadras modernas e distantes de sua origem, a ESCOLA de samba Mangueira resiste. Resiste em seu espaço do morro, celebra nossa história (Enredo de 2009: “A Mangueira traz os Brasis do Brasil Mostrando a Formação do Povo Brasileiro – Darcy Ribeiro” enredo de 2010; “Mangueira é Música DO BRASIL”; enredo de 2011 “O Filho Fiel, sempre Mangueira – Nelson Cavaquinho”), sem sair do espaço geográfico do morro, junto a sua comunidade, berço dos mais nobres compositores de nossa história, como Cartola, Nelson Cavaquinho, Padeirinho, entre outros tantos nomes relevantes da poesia musical.

Então, tal qual Monteiro Lobato, ao recriminar a arte de Anita Malfatti, renega a sua criação, faz uma crítica destrutiva a pintora que, traumatizada deixa de pintar por um longo período, jurados formados – mal formados e mal informados – em cursos relâmpagos, sem a responsabilidade histórico-cultural, sem conhecer o que significa estética do rompimento como reforço de uma estrutura cultural (leiam Antonio Candido), sentenciam com suas canetas medievais a escola mais tradicionalmente ousada deste país a um sétimo lugar, indecorosamente.

A apresentação do Mestre Sala e Porta-bandeira foi primorosa nos quesitos que efetivamente deveriam ser julgados.

O carnavalesco ousou retirar as pompas coloniais das roupas do belo casal, tirou a camisa de Raphael Rodrigues, negro transformado antropofagicamente em índio, nossa essência cultural, colocou frente a frente na figura de Marcela Alves o Bloco Carnavalesco Bafo da Onça – rival histórico do Cacique de Ramos – numa dança harmônica simbólica, metáfora grandiosa do que significa ser brasileiro: conviver com a diversidade, e o júri simplesmente não ver beleza nas vestimentas por puro conservadorismo e falta de visão artística e estética?!

O que é o carnaval, senão a expressão da nossa mais profunda expressão cultural? Ou será que teremos que viver o sensacionalismo também em nossa expressão mais bela? Shows espetaculares, malabarismos e ousadias sem fundamentação antropológica?

A apresentação deste ano da escola foi um marco em nossa história cultural talvez do nível de uma Semana de Arte de 1922, tal qual os modernistas, que foram ousados em mostrar uma nova ordem, dando a cara ao tapa.

Mangueira teve CORAGEM de mostrar-se BRASILEIRA, reverenciar o mais tradicional bloco de carnaval, Cacique de Ramos, de modo a exaltar a comunidade do samba.

Mangueira – com sua histórica parada de bateria de mais de dois minutos – chamou a atenção para o fato de que não existe carnaval sem a comunidade cantando em uníssono o seu hino.

Mangueira chamou a atenção para a importância da BATERIA, justamente pela ausência dela – e sua volta triunfal, pois a percussão é o nosso instrumento ancestral brasileiro, onde trazemos a presença dos tambores indígenas e africanos… a bateria mais perfeita que já existiu no carnaval.

Peço atenção da crítica, dos historiadores, da imprensa como um todo, para esta séria questão.

Enquanto os tropicalistas diziam “Quero ver o Tio Sam de frigideira numa batucada brasileira”, nós vamos tornar a nossa expressão cultural ultra brasileira num espetáculo da Broadway?!

Certo estava Oswald de Andrade ao escrever que começamos errado a nossa história:

Fevereiro 26, 2012 Posted by | arte, Carnaval, cultura, jornalismo, literatura | | Deixe um comentário

Cerca de 500 mil pessoas aproveitaram Carnaval em Maricá

Prefeito Washington Quaquá pretende transformar a cidade é um destino alternativo da folia

O Carnaval de Maricá superou todas as expectativas. Aproximadamente 500 mil pessoas, entre moradores e turistas, circularam pela cidade durante os cinco dias de folia. Segundo dados da 82ª DP, foram registradas apenas três ocorrências a mais do que ano passado (82 em 2011 contra 85 em 2012), mesmo com o aumento de quase 100 mil foliões este ano. Nenhum óbito foi registrado.

Cento e vinte policiais militares trabalharam nas ruas durante o Carnaval. Por dia, 25 agentes de trânsito e guardas municipais atuaram no controle as vias públicas da cidade com sete motos e oito carros. Por conta deste efetivo, não houve acidentes graves ou tumultos.

Shows diários em seis palcos (Ponta Negra, Cordeirinho, Itaipuaçu, Inoã, Centro e São José do Imbassaí) animaram o público, com destaque para a programação do palco principal, no Centro, onde se apresentaram grandes atrações, como Preta Gil, Bangalafumenga, Sapucapeta e a bateria da Escola de Samba União da Ilha. Além disso, 76 blocos carnavalescos arrastaram milhares de foliões pelas ruas da cidade.

Até a Quarta-feira de Cinzas, as equipes de salva-vidas da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros resgataram 53 pessoas afogadas nas praias e lagoas do município. A Operação Carnaval vai até o próximo domingo (26/02). Cerca de 100 guarda vidas atuam em 32 postos de atendimentos na orla e sistema lagunar. As equipes têm apoio de dois barcos (em Itaipuaçu e Ponta Negra), cinco viaturas, dois quadriciclos e uma ambulância, que fica na sede do Corpo de Bombeiros (Rodovia Amaral Peixoto, km 29, em Itapeba). Outra iniciativa da Defesa Civil para garantir a segurança dos frequentadores foi a distribuição de 3 mil pulseiras de identificação (com nomes dos responsáveis e telefones de contato) para as crianças nas praias e lagoas.

No Hospital Municipal Conde Modesto Leal, no Centro, e no posto de saúde Santa Rita, em Itaipuaçu, que funcionaram 24 horas por dia, nenhum caso grave foi registrado. Seis ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ficaram à disposição.

Nas ruas próximas aos palcos, o trânsito foi desviado pela Secretaria de Transportes para vias paralelas. Segundo o secretário Rony Peterson, equipes da prefeitura conseguiram fazer o transito fluir, mesmo com o grande número de veículos que circularam na cidade, graças à abertura de ruas do Centro em direção ao bairro Flamengo. Além disso, placas sinalizando as mudanças viárias foram instaladas em diversos pontos da cidade para facilitar o deslocamento de veículos.

Maricá no roteiro do Carnaval

Segundo o prefeito Washington Quaquá, os moradores de Maricá podem se acostumar com grandes atrações no Carnaval. O objetivo da prefeitura é tornar a cidade um Carnaval alternativo, o que já acontece em cidades como Paraty e as mineiras Ouro Preto e Diamantina, destino procurado por famílias que queiram curtir a tradicional folia nas ruas, com segurança e uma programação que inclua tradicionais blocos de rua e grandes shows.

– A ideia é fazer grandes apresentações musicais para todas as idades em diversos pontos da cidade, além dos tradicionais blocos de rua que a cada ano atraem mais foliões. Maricá virou "gente grande" e está no circuito do Carnaval no nosso estado – destacou o prefeito.

Coleta de lixo

A Secretaria de Ambiente e Urbanismo, responsável pela coleta de lixo no município, afirmou que o recolhimento nas ruas está sob controle, mas disse também que as equipes trabalham mantendo o esquema montado no Carnaval.

“Uma parte desta população flutuante ainda está na cidade e vai ficar pelo menos até domingo. Nesse período, temos de manter a atenção especial que tivemos nos dias de folia”, declarou o secretário Celso Cabral.

Fonte: Rafael Zarôr FSB Comunicações

Fevereiro 24, 2012 Posted by | Carnaval, Carnaval 2012 em Maricá, jornalismo, Maricá | Deixe um comentário